http://spumis.pt/
 
Poemas -> Reflexão : 

Solo de Clarineta

 
Open in new window









Dias sombrios

Nuvens urbanas

Luzes fugidias

Faróis apagados



Confusão, nas esquinas

Trânsito infernal

Intolerância, buzinas

Ritmo abissal



Que falta faz

Um solo de flauta

Um silêncio de paz

Um toque de clarineta.



AjAraújo, Verão de 2008.

 
Autor
AjAraujo
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1602
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Fhatima
Publicado: 02/10/2009 03:09  Atualizado: 02/10/2009 03:09
Colaborador
Usuário desde: 12/02/2008
Localidade: Curitiba - Paraná
Mensagens: 3191
 Re: Solo de Clarineta
Olá AjAraújo,

A paz é tudo, na turbulência das grandes cidades e no espírito, a serenidade e a tranquilidade traz a beleza e tranquilidade para o corpo e para alma.
Lindo poema!

Parabéns

Fhatima

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 02/10/2009 11:13  Atualizado: 02/10/2009 11:13
 Re: Solo de Clarineta
Nossa alma necessita da paz,da calmaria,de ouvir uma música que possa trasmitir toda harmonia da natureza...
Fugir aos barulhos infernais do meio urbano,ou até do nosso inquietante coração...um solo de clarineta cai como luva se deixarmos o pensamento decer ao coração a buscar no silencio as respostas as nossas inquietações...

Amei!
Parabens!
Beijos!
Rosa
Open in new window
Posts relacionados, Plugin for WordPress, Blogger...