Luso-Poemas
Registe-se agora!     Login

Links patrocinados



Utilidades

Consultar

Outros

Quem está aqui

215 visitantes online (122 na seção: Poemas e Frases)

Lusuários: 6
Leitores: 209

Jairo Nunes Bezerra, kripy, fernandamoreira, TIAGO811, JuRvida, Gyl, mais...

Licença

Licença Creative Commons

Proteção anti-cópia

Protegendo os seus poemas com Tynt

Poemas : 

Requiem For My Soul

 
Requiem For My Soul

Requiem For My Soul
Requiem aeternam dona ei, Domine,
Et lux perpetua luceat ei.
Te decet hymnus, Deus, in Sion,
et tibi reddetur votum in Jerusalem:
Exaudi orationem meam,
ad te omnis caro veniet.
Requiem aeternam dona ei, Domine,
Et lux perpetua luceat ei.


Hoje não mais quero adulações de quimeras vãs com que inebrias o meu sentir,
Hoje não mais quero sonhos alterados de névoas preenchidos,
nem flores brancas adornando minhas pálpebras,
Não quero o sentir dos ventos, nas imensidões rasgadas das planícies infinitas do meu olhar,
Não mais desejo insanas loucuras, inundadas de ilusão ou marcadas pelo tempo.
Quero sementes nos campos da minha Alma plantadas e dizer-te da época da colheita,
Quero banhar-me no luar e deslizar vazio pela imensidão do espaço,
Em noites de maresia, em que o odor do mar vem beijar-me à noitinha e durmo com as cigarras, na solidão de mim mesmo,
Quero olhares negros e de Paz vestidos, para apaziguar as minhas batalhas interiores.
Dá-me a ti, saceia a sede de prazer que dentro de mim habita,
Deixa que a loucura do sentir se apodere do meu ser e que eu arda em labaredas de paixão,
Deixa que me consuma no olhar manso das feras e que eu fuja mais uma vez à insana Luz que teima em brilhar sobre mim.

Desejo os afectos bruscos, inebriados de guerra atroz,
Já que em mim não mais nascentes de águas puras e cristalinas brotam,
Nem pequenos laços de eternidade se unem,
Morra de uma só vez aquele sentimento obscuro,
E renasça
Em mim
Mais uma vez
A esquecida bruma dos tempos rasgados, lançados ao vento,
Longe das memórias da minha infância perene,
Onde tudo morre,
Onde tudo vive.
Dentro da minha própria pele.


Autor
jomasipe
Autor
Textos deste autorMais textos
Rss do autorRss do autor
EstatísticasEstatísticas
 
Texto
Data
Leituras 345
Favoritos 3
Licença Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
Enviar este texto a um amigoEnviar
Imprimir este textoImprimir
Salvar este texto como PDFCriar um pdf
Partilhar
0
0
0
Recentes
Não é possível deixar o Luso
Deixei o Luso
Anoitecer moribundo (Versão YT)
Eclipse
Inquisição
Aleatórios
Pensamento de 29/03/2010 12:18h
Le Triomphe de la Lumière
Canção Moribunda
Em repouso nas Catedrais (versão YouTube)
A pátina rochosa dos tempos idos (Versão YouTube)
Favoritos
RENASCER DE MIM - Moura365
Canção do Outono - Cecília Meireles
saudade - Freya
Pó de estrelas - Andy
Jura de Amor.. - VónyFerreira
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Moreno
Publicado: 16/10/2009 16:53  Atualizado: 16/10/2009 16:53
Colaborador
Usuário desde: 09/01/2009
Localidade:
Mensagens: 3486
 Re: Requiem For My Soul
De tão intenso, profundo e sincero, que se impregna bem dentro da pele.

Simplesmente, soberbo!

abraço

Enviado por Tópico
jomasipe
Publicado: 16/10/2009 17:07  Atualizado: 16/10/2009 17:07
Colaborador
Usuário desde: 28/09/2009
Localidade:
Mensagens: 1168
 Re: Requiem For My Soul
Olá Moreno!
Obrigado pelo teu comentário!
Adorei as tuas palavras e a forma como sinceramente te expressaste.
Fico muito feliz por gostares.
Abraço!
Joma Sipe

Enviado por Tópico
ÔNIX
Publicado: 16/10/2009 17:11  Atualizado: 16/10/2009 17:17
Colaborador
Usuário desde: 08/09/2009
Localidade: Lisboa
Mensagens: 2587
 Re: Requiem For My Soul
"Quero banhar-me no luar e deslizar vazio pela imensidão do espaço,

Quero olhares negros e de Paz vestidos, para apaziguar as minhas batalhas interiores.

Dá-me a ti, saceia a sede de prazer que dentro de mim habita,

Morra de uma só vez aquele sentimento obscuro,
E renasça
Em mim
Mais uma vez
A esquecida bruma dos tempos rasgados, lançados ao vento,"

- "Perdi-me" nestes sentires, nestes quereres intensos e ao mesmo tempo apaziguadores de uma luta que habita no interior de todos nós.


Excelente momento de leitura. Obrigada por me dar a ler

Bjs

Matilde D'Ônix

Enviado por Tópico
jomasipe
Publicado: 16/10/2009 17:16  Atualizado: 16/10/2009 17:16
Colaborador
Usuário desde: 28/09/2009
Localidade:
Mensagens: 1168
 Re: Requiem For My Soul
Eu é que te agradeço pela leitura Matilde!
E por sentires o que eu sinto e me permito expressar nas palavras escassas...
Acho muito bonita a compreensão pela luta que habita no interior de cada ser humano, e pela forma apaziguadora que podemos imprimir nas palavras que escrevemos...
Beijos e tudo de bom!
Joma Sipe

Enviado por Tópico
Delgado
Publicado: 16/10/2009 17:41  Atualizado: 16/10/2009 17:41
Super Participativo
Usuário desde: 26/07/2009
Localidade: Portalegre
Mensagens: 147
 Re: Requiem For My Soul
Caro poeta...com P grande.

não sou muito de comentar, mas este tenho que te dizer, que este encheu-me as medidas,
escreve mais

Um abraço e bom fim de semana

Enviado por Tópico
jomasipe
Publicado: 17/10/2009 09:07  Atualizado: 17/10/2009 09:07
Colaborador
Usuário desde: 28/09/2009
Localidade:
Mensagens: 1168
 Re: Requiem For My Soul
Delgado, obrigado por comentares.
Fico feliz pelo poema ter chegado a ti e te ter feito sentir algo.
Há mais para sentir do que estamos normalmente habituados, perdendo-nos nos sentidos do corpo... Neste poema, como na minha escrita, refiro-me a esse "sentir" diferente que poucos compreendem.
Gostei de teres gostado, comenta mais.
Abraços e bom fim de semana!
Joma Sipe

Enviado por Tópico
Conceição Bernardino
Publicado: 16/10/2009 18:09  Atualizado: 16/10/2009 18:09
Colaborador
Usuário desde: 22/08/2009
Localidade: Porto
Mensagens: 3208
 Re: Requiem For My Soul
"A esquecida bruma dos tempos rasgados, lançados ao vento,
Longe das memórias da minha infância perene,
Onde tudo morre,
Onde tudo vive.
Dentro da minha própria pele."

assim se fazem os grandes poetas, esquecendo o próprio corpo.

beijo

Enviado por Tópico
jomasipe
Publicado: 17/10/2009 09:05  Atualizado: 17/10/2009 09:05
Colaborador
Usuário desde: 28/09/2009
Localidade:
Mensagens: 1168
 Re: Requiem For My Soul
Querida Mathile, mais uma vez um obrigado pelo teu maravilhoso comentário.
Sou assim, afasto-me do próprio corpo para viver uma experiência mais elevada, comungando da mesma nos prazeres do mesmo corpo...
Beijos e tudo de bom!
Joma Sipe

Login

Usuário:

Senha:

Lembrar-se



Esqueceu a senha?

Cadastre-se agora.

Leia também

Comentários Recentes

Luso Pensamentos

Frase

É incrível que, no intuito de justificar as nossas crenças, coloquemos Deus na terra e o Homem no céu

(Garrido)



A folha

A folha cai no verão.
( Era folha de papel)
Não consigo pegá-la
Porque o vento é forte
E me leva para longe.

Matheus



Insanidade perfeita

Sinto-me cansada
Já me faltam as palavras!
As que saboreio entre dissabores
Da minha própria loucura
Já não sinto o meu corpo
As vogais consomem-no
Adormece em brandas consoantes
Ficam tantas frases por dizer
Aquelas,
Que já não consigo escrever,
Falta-me a força
A caneta começa a tremer
Soluça.
O meu olhar constrói
O que meu pensamento rejeita
Esta sou eu,
A doce mulher
A insana, poeta...

(ConceiçãoB)



Tempestades

Tudo em mim, são dias de tempestades...
Por isso entrego minha alma à poesia
E meus dias a escrever versos
E meto uns poemas em velhas garrafas
E as levo para as águas intermináveis dos mares
- revoltos e tristes -
E as lanço, na singela esperança
De que um dia alguém os leia
Ainda que meus pés não estejam mais sobre este chão
E meu corpo tenha sido já lançado no ventre desta terra impura
E minha alma tenha também partido
- para a imensidão do infinito com que sonho,
ou para o abismo solitário que me amendronta...

(Vanessa Marques)


vaga-lume

... beijar-te

- era ser
pássaro azul
dedilhando ugabe

era levitar
beber das nuvens
e desfolhar os céus

era um doce caminhar
sem tocar o chão
estirpes desaguando
em aljôfar...

era dédalo a calar-me
se acontecia
cascata de sonhar-me
na boca que feliz
se fenecia

- e era livre
sendo chama
toda asas
vaga-lume
brilhante
como quem ama.

(RoqueSilveira)


Nós de poesia

A vida é feita de incompletudes...
Como os bares de mesas vazias
Nas calçadas
Ou as longas estradas
Repletas de nada dos dois lados

Ainda assim, escrevo
Mesmo sabendo que em mim
desatam-se nós de poesia
E atam-se outros em seguida.

O fato é que
Daquilo que me resta
Faço-me humanamente completa
meramente humana...

(Vanessa Marques)



Frase

"Amor" é o presente dado sem esperança de retorno,
e o que esperamos é apenas que não seja rejeitado

(Junior A.)



Frase

Como posso explicar
Esta dor
Invasora
Da minha alma
Senão dizer
Que és a mentira
Mais verdadeira
Da minha vida...?

(Raquel Naranjo)



Frase

O amor é como a justiça:
Injusto e cego.

(TrabisDeMentia)



guardanapos

do nosso beijo,
muralhas

do nosso amor,
migalhas

do nosso verbo,
mortalhas

dos nossos papos
poemas
em guardanapos

(Niké)



Sexto sentido

Tenta ouvir o silêncio...
Ver a luz na escuridão profunda...
Cheirar o aroma da mais pura água...
Sentir a textura do vento...
Saborear a doçura do sal...
Quando o conseguires...
Irás te descobrir...

(gera)



Só saudade

Dor que sente
Dor que não se mede
Que vai e vem

Com a vida vou rolando
Com a dor vou buscando
Talvez alívio...

Quando doer que seja
Sem deixar morrer
Só saudade...

(amasol)



A foz

Se cada coisinha que eu sei correspondesse a um rio... E se cada um deles desaguasse na mesma foz...Esta não teria senão o tamanho de uma bacia bem pequenina na qual eu refresco os meus cansados pés. Os rios seriam tão curtos quanto a minha felicidade, tão estreitos quanto a minha existência, tão secos quanto a minha solidão. Mas talvez, talvez bem no fundo da bacia, talvez para lá das lágrimas turvas, e para que eu me possa orgulhar, talvez sorriam dois peixinhos, que eu, apesar da distância possa contemplar! E quem sabe... Uma flor se incline e faça nascer, na foz uma flor que eu possa colher!

(TrabisDeMentia)
Posts relacionados, Plugin for WordPress, Blogger...