Luso-Poemas
Registre-se agora!     Entrar

Links patrocinados



Menu de poemas

Quem está aqui

168 visitantes online (90 na seção: Poemas e Frases)

Escritores: 3
Leitores: 165

Semente, e-POESIA, MelissaOwenAlways, mais...

Licença

Licença Creative Commons

Crónicas : 

sou maluco, sim senhor

 
Sim senhor, sou maluco, com visto carimbando pela associação de malucos do norte.
Ó, veja aqui, esta minha foto no cartão, veja lá se não sou eu? Para que saiba, sou maluco desde mil novecentos e noventa e quatro, ano em que descobri a bolinha de ping-pong amarela.
Desde daí, nunca mais parei de jogar com a bolinha contra as paredes dos edifícios públicos.

Sou maluco, com vários campeonatos ganhos, portador de medalhas ao peito para quem duvidar. Estudei muito para ser maluco, ajudei pessoas normais a se tornarem perfeitos malucos, tenho o orgulho de, em vinte anos de carreira, nunca usar meias da mesma cor em cada pé, nunca entrar em casa pela mesma janela.

Claro que nesta caminhada há muitos invejosos, gente normal que quer ser como eu, mas coitados, coitaditos, falta-lhes uma boca para engolir insectos e cuspi-los vivos. Como eu fiz certo dia, quando numa demonstração de desafogo mental, lá em frente ao juiz para que, antes de bater o martelo na mesa, dissesse: este gajo é maluco!

Ser-se maluco hoje em dia é arriscado, dá dor de cabeça, investe-se energias, já que, até os normais estão fazendo coisas incomuns e, maluco que se preze, tem de variar, fazer o que os outros não fazem, subir ao coqueiro mais alto, fazer enormes círculos com o xixi, logo, a imaginação tem de estar sempre em alta rodagem até fazer pião no pensamento veloz.

Só tenho a infelicidade de não ser um maluco por natureza, tive de aprender com os mais velhos, participando em colóquios, passar fins-de-semana em acampamentos com malucos mais experientes, trocar a minha religião por uma seita de malucos, afiando lápis nas orelhas, escrevendo poesia porno-popular.

Se eu não fosse maluco, a minha vida seria tão monótona, mas tão monótona, que o meu sangue reclamaria, os meus olhos acabariam por se tornarem ridículos ao verem sempre esta realidade tão carente e tão térrea.

Sou maluco sim senhor, já falei deste assunto com duas borboletas que me confirmaram. E vocês sabem que as borboletas não mentem. Maluco que é maluco corre atrás de um sonho sem pensar em desistir a meio. Maluco vai em frente, um pouco como a galinha, acreditado que, ao correr, o mundo gira. O meu sonho é casar com uma maluca e ter filhos maluquinhos.
Se houver alguma por aí que deixe recado por debaixo da porta que, assim que voltar do planeta Malaico, onde estou fazendo uma pós-paranóiquice, responderei.

Recordo com alegria o dia em que o médico me passou o atestado de doideira dizendo que o melhor era eu afastar-me da civilização.
Dei-lhe um beijo na face e corri atrás de mim para contar a novidade. Desde esse dia, deixei o trabalho, ganho uma pequena reforma e sou maluco a tempo inteiro. Assim sendo, fico mais por casa a roer as unhas dos sapatos e a envernizar as folhas das plantas.

Eu sei que você gostaria de ser como eu, vá, confesse, gostava ou não gostava de sair à rua sem aquela capa de mentira?
Mandar para o tanas quem tiver de mandar, ter um caso de amor com uma boneca de porcelana, ir às compras com o seu peixe de estimação, e os dois a carregar o cesto das compras, cada um com a sua asa.
Impressionar a gente culta com o tamanho dos seus olhos arregalados e boca meia de lado, dar um festival em como se dança no meio da rua sem ter música a tocar.

Está pensando o quê, que não sei distinguir a batata do escaravelho, que falo as coisas por falar? Acha que sou o quê, pirado da cabeça, fusíveis a menos, que passo a vida a falar com as pedrinhas, ou que não sei quantos dedos tenho numa mão? Vá chamar maluco à sua tia, ouviu, que eu não o conheço de lado nenhum, seu normalzinho!








meu blog:
www.teoriadoscalhaus.blogspot.com

minha casa (em obras):
www.flavio.blogtok.com

Autor
flavio silver
Autor
Textos deste autorMais textos
Rss do autorRss do autor
EstatísticasEstatísticas
 
Texto
Data
Leituras 2483
Favoritos 2
Licença Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
Enviar este texto a um amigoEnviar
Imprimir este textoImprimir
Salvar este texto como PDFCriar um pdf
Partilhar
0
0
0
Recentes
Jaime-Jaime
O mundo é pequeno
Política 7
poema e...
como se faz um país?
Aleatórios
Como se a matéria fogo nos viesse dar novo baptismo
eu sou omelhor poeta do luso
Grão
um dia na casa amarela
o fim do mundo, amanhã?
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Alberto da fonseca
Publicado: 11/05/2010 11:15  Atualizado: 11/05/2010 11:15
Colaborador
Usuário desde: 01/12/2007
Localidade: Natural de Sacavém,residente em Les Vans sul da Ardéche França
Mensagens: 7074
 Re: sou maluco, sim senhor
Ó Flávio, francamente, não vejo o porquê de te teres de explicar, cada um é como cada dois,(ó diabo, isto pega-se) cada um é como cada qual, e nós estamos conscientes que és mesmo passado.
De toda a maneira,não és excepção à regra, neste mundo anda tudo maluco.
O que se revolta é maluco, o que diz a verdade é maluco, o quer fazer bem a alguém que precisa, é maluco,andar tesinho que nem um carapau então é mesmo alienado.
Os que não são malucos, são os que estão do outro lado da barreira que acabo de descrever.

Toma lá e não te cures, Oh.... como estás bem assim!

Um abraço maluco

A. da fonseca

Enviado por Tópico
maquiavel
Publicado: 11/05/2010 12:00  Atualizado: 11/05/2010 12:00
Muito Participativo
Usuário desde: 11/05/2010
Localidade:
Mensagens: 71
 Re: sou maluco, sim senhor
Então somos dois mas eu sou maluco e meio.

rsrsrsrsrsrs

Enviado por Tópico
Avozita
Publicado: 11/05/2010 12:11  Atualizado: 11/05/2010 12:11
Colaborador
Usuário desde: 08/07/2009
Localidade: Casal de Cambra - Lisboa
Mensagens: 4526
 Re: sou maluco, sim senhor
Depois de acordar completamente louca,
fiquei contente por não estar só.
Malucos há muitos, só que coitados,
não sabem. Pensam ser normais.

Gostei.Abraço
Antonieta

Enviado por Tópico
Vera Sousa
Publicado: 11/05/2010 17:00  Atualizado: 11/05/2010 17:00
Membro de honra
Usuário desde: 04/10/2006
Localidade: Amadora
Mensagens: 4100
 Re: sou maluco, sim senhor
Excelente texto Flávio! Imaginação não te falta e aqui está mais uma prova
Eu que sou doida, mas não sou maluca, entendo-te perfeitamente. E normal é o quê mesmo???

Beijo

Enviado por Tópico
HelenDeRose
Publicado: 11/05/2010 20:17  Atualizado: 11/05/2010 20:17
Administradora
Usuário desde: 06/08/2009
Localidade: Sorocaba - SP - Brasil
Mensagens: 1989
 Re: sou maluco, sim senhor
Gosto de ler vc Flávio. Por vários motivos que prefiro me reservar e qdo for possível lhe dizer em particular. Estou pensando seriamente em abrir uma franquia de manicômios. Vc está interessado?

Bjos.

Enviado por Tópico
Henricabilio
Publicado: 11/05/2010 20:24  Atualizado: 11/05/2010 20:26
Colaborador
Usuário desde: 02/04/2009
Localidade: Caldas da Rainha - Portugal
Mensagens: 6963
 Re: sou maluco, sim senhor
Só tendo mesmo um lapso de normalidade para ler e comentar adequada_mente este texto... rss.

O melhor é não escrever muito, senão começo a não dizer coisa com coisa...

Vou já sair pela janela do computador.

PS(Não é o do Sócrates, não): Psiu, não contes nada que estive por aqui, senão vem o carteiro para me prender (grande mordidela - ou será mordi_dele?) lhe preguei um dia destes na roda da moto... rss

Um aabraçuuu!

AbiliU

Enviado por Tópico
Branca
Publicado: 11/05/2010 20:53  Atualizado: 11/05/2010 20:53
Colaborador
Usuário desde: 05/05/2009
Localidade: Brasil
Mensagens: 2099
 Re: sou maluco, sim senhor
Flávio,
Que maravilha de texto.
Imaginação impar.
Se o mundo tivesse mais malucos assim, seria muito melhor.
bj.

Login

Usuário:

Senha:

Recordar senha



Esqueceu a senha?

Registre-se gratuitamente!

Leia também

Comentários Recentes

Luso Pensamentos

Frase

É incrível que, no intuito de justificar as nossas crenças, coloquemos Deus na terra e o Homem no céu

(Garrido)



A folha

A folha cai no verão.
( Era folha de papel)
Não consigo pegá-la
Porque o vento é forte
E me leva para longe.

Matheus



Insanidade perfeita

Sinto-me cansada
Já me faltam as palavras!
As que saboreio entre dissabores
Da minha própria loucura
Já não sinto o meu corpo
As vogais consomem-no
Adormece em brandas consoantes
Ficam tantas frases por dizer
Aquelas,
Que já não consigo escrever,
Falta-me a força
A caneta começa a tremer
Soluça.
O meu olhar constrói
O que meu pensamento rejeita
Esta sou eu,
A doce mulher
A insana, poeta...

(ConceiçãoB)



Tempestades

Tudo em mim, são dias de tempestades...
Por isso entrego minha alma à poesia
E meus dias a escrever versos
E meto uns poemas em velhas garrafas
E as levo para as águas intermináveis dos mares
- revoltos e tristes -
E as lanço, na singela esperança
De que um dia alguém os leia
Ainda que meus pés não estejam mais sobre este chão
E meu corpo tenha sido já lançado no ventre desta terra impura
E minha alma tenha também partido
- para a imensidão do infinito com que sonho,
ou para o abismo solitário que me amendronta...

(Vanessa Marques)


vaga-lume

... beijar-te

- era ser
pássaro azul
dedilhando ugabe

era levitar
beber das nuvens
e desfolhar os céus

era um doce caminhar
sem tocar o chão
estirpes desaguando
em aljôfar...

era dédalo a calar-me
se acontecia
cascata de sonhar-me
na boca que feliz
se fenecia

- e era livre
sendo chama
toda asas
vaga-lume
brilhante
como quem ama.

(RoqueSilveira)


Nós de poesia

A vida é feita de incompletudes...
Como os bares de mesas vazias
Nas calçadas
Ou as longas estradas
Repletas de nada dos dois lados

Ainda assim, escrevo
Mesmo sabendo que em mim
desatam-se nós de poesia
E atam-se outros em seguida.

O fato é que
Daquilo que me resta
Faço-me humanamente completa
meramente humana...

(Vanessa Marques)



Frase

"Amor" é o presente dado sem esperança de retorno,
e o que esperamos é apenas que não seja rejeitado

(Junior A.)



Frase

Como posso explicar
Esta dor
Invasora
Da minha alma
Senão dizer
Que és a mentira
Mais verdadeira
Da minha vida...?

(Raquel Naranjo)



Frase

O amor é como a justiça:
Injusto e cego.

(TrabisDeMentia)



guardanapos

do nosso beijo,
muralhas

do nosso amor,
migalhas

do nosso verbo,
mortalhas

dos nossos papos
poemas
em guardanapos

(Niké)



Sexto sentido

Tenta ouvir o silêncio...
Ver a luz na escuridão profunda...
Cheirar o aroma da mais pura água...
Sentir a textura do vento...
Saborear a doçura do sal...
Quando o conseguires...
Irás te descobrir...

(gera)



Só saudade

Dor que sente
Dor que não se mede
Que vai e vem

Com a vida vou rolando
Com a dor vou buscando
Talvez alívio...

Quando doer que seja
Sem deixar morrer
Só saudade...

(amasol)



A foz

Se cada coisinha que eu sei correspondesse a um rio... E se cada um deles desaguasse na mesma foz...Esta não teria senão o tamanho de uma bacia bem pequenina na qual eu refresco os meus cansados pés. Os rios seriam tão curtos quanto a minha felicidade, tão estreitos quanto a minha existência, tão secos quanto a minha solidão. Mas talvez, talvez bem no fundo da bacia, talvez para lá das lágrimas turvas, e para que eu me possa orgulhar, talvez sorriam dois peixinhos, que eu, apesar da distância possa contemplar! E quem sabe... Uma flor se incline e faça nascer, na foz uma flor que eu possa colher!

(TrabisDeMentia)
Posts relacionados, Plugin for WordPress, Blogger...