http://spumis.pt/
 
Poemas -> Dedicatória : 

A sogra

 
Há, a sogra...
É um mal que assola a humanidade
Se mora na mesma cidade
É como morar em um vulcão
Porque para nós genros a sogra
Sempre aquece o coração
Deixando-o quente como uma brasa
Ou ardente como um vulcão
Pois sempre que vai lá em casa
Provoca destruição
Não que eu não queira bem a minha sogra
Quero sim
Quero ela bem longe de mim
Cascavel e jararaca ou qualquer tipo de cobra
Trato ela sempre assim
Pois se manda-la pro inferno
Vai queimar em fogo eterno
E mostrar que o tal do diabo
Era só um querubim
De tão desgraçada que é a véia
O diabo vai sentir-se assim
É lógico que para toda a regra
Existe uma exceção
Mas eu não tive essa sorte
E você teve meu irmão?


Luciano Ebeling Fonseca

 
Autor
luciano
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1863
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Morgado
Publicado: 10/06/2010 12:33  Atualizado: 10/06/2010 12:33
Muito Participativo
Usuário desde: 10/03/2010
Localidade: Barreiro
Mensagens: 55
 Re: A sogra
"Mas eu não tive essa sorte
E você teve meu irmão?"

Olhe, amigo; eu, infelizmente, também não. Mas no meu caso a culpa não é de Deus nem do Diabo mas dum relógio de sala que tenho cá em casa e que anda sempre atrasado. Olhe que alguns dias atrás a minha sogra passou debaixo do relógio e mal ela tinha acabado de passar não é que o relógio cai ao chão? Sempre atrasado aquele maldito relógio.
É brincadeira. Um abraço e continue dizendo e querendo bem às sogras.
Posts relacionados, Plugin for WordPress, Blogger...