http://spumis.pt/
 
Poemas -> Reflexão : 

O rio (Manuel Bandeira)

 
Ser como o rio que deflui
Silencioso dentro da noite.
Não temer as trevas da noite.
Se há estrelas nos céus, refletí-las.

E se os céus se pejam de nuvens,
Como o rio as nuvens são água,
Refleti-las também sem mágoa
Nas profundidades tranquilas.


Manuel Bandeira (1886-1968), um dos imortais poetas brasileiros.

Veja a sua biografia completa no site:
http://www.releituras.com/mbandeira_bio.asp

Veja também um vídeo com belas imagens, música incidental e a letra deste poema sensacional.

 
Autor
AjAraujo
Autor
 
Texto
Data
Leituras
4202
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 02/08/2010 13:04  Atualizado: 02/08/2010 13:04
 Re: O rio (Manuel Bandeira)
Olá,
Gosto muito de ler
Manuel Bandeira
adorei passar aqui
em teu jardim...

Beijinho.
Isa

Posts relacionados, Plugin for WordPress, Blogger...