Poemas : 

Amoras selvagens

 
Tags:  amor...  
 
Amo sempre os teus
Modos cheios de
Odores e Sabores.
Rio-te os braços quietos,
As palavras contidas.
Saboreio-te os silêncios.

Saboreio a tua pele,
Enrredo-me pelo teu cheiro, o meu
Lugar comum é o teu corpo onde
Volto sempre, é a minha casa,
Aí me encontro
Grande na minha pequenez.
Encostada ao teu corpo
Nesse enlace demorado e
Selvagem da amora ser.


Amora Selvagem...

Dedicado a António Paiva.


Open in new window


. façam de conta que eu não estive cá .

 
Autor
Margarete
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1705
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Paulo Afonso Ramos
Publicado: 28/08/2007 20:54  Atualizado: 28/08/2007 20:54
Colaborador
Usuário desde: 14/06/2007
Localidade: Lisboa
Mensagens: 2094
 Re: Amoras selvagens
Bom!
É assim:
Um belo poema com "sentido".
Uma bela Poetisa com "sentido".
Uma belíssima homenagem ao Amigo António Paiva, que por isso faz "sentido".
E agora é a minha vez de fazer um comentário consentido...

Beijo e Abraço!

(O beijo para a Margarete e o Abraço para os dois )

Enviado por Tópico
Carla Costeira
Publicado: 28/08/2007 23:14  Atualizado: 28/08/2007 23:14
Colaborador
Usuário desde: 16/02/2007
Localidade: Sintra
Mensagens: 918
 Re: Amoras selvagens
Lindíssimo!
Bjs
Posts relacionados, Plugin for WordPress, Blogger...