Luso-Poemas
Registre-se agora!     Entrar

Links patrocinados



Menu de poemas

Quem está aqui

211 visitantes online (64 na seção: Poemas e Frases)

Escritores: 4
Leitores: 207

eusouvc, Ombuto, Absalao, FelipeMendonca, mais...

Licença

Licença Creative Commons

Proteção anti-cópia

Protegendo os seus poemas com Tynt

Poemas : 

FALAR DE COISAS ABSTRATAS...

Tags:  concreto    abstrato  
 



Gê Muniz

FALAR DE COISAS ABSTRATAS...

És tu que falas
De coisas abstratas...

Dizes da flor,
da fruta,
da lata,
da bala,
da barata

Apontas a lua,
o caracol
a rua,
o cachecol

Tudo o que depende do teu ver
Do teu tocar, do teu saber,
Do teu cheirar...

E o que é ver a não ser
Constatar a certeza absoluta
Do que não se sabe?

Todo matéria é retrátil e frágil
Feito são os laços
Da tua insustentável vida...

De concreto
Nesta nossa lida
Só azar e sorte...


Autor
GeMuniz
Autor
Textos deste autorMais textos
Rss do autorRss do autor
EstatísticasEstatísticas
 
Texto
Data
Leituras 1438
Favoritos 1
Licença Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
Enviar este texto a um amigoEnviar
Imprimir este textoImprimir
Salvar este texto como PDFCriar um pdf
Partilhar
0
0
0
Recentes
DESQUERER
SEQUIDÃO
NO TEMPO DAS TENDAS
AUTODESCONHECIMENTO
AS RUAS DE SÃO PAULO
Aleatórios
PARADAS CARDÍACAS
SINCERO DESMAZELO
AH, AMOR... PARA ONDE FOI MORAR O MEU JUÍZO?
DITADO PÓS-MODERNO DO JAPONÊS PERSPICAZ
SEGUIR SEGUINDO...
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Rosangela
Publicado: 19/01/2011 15:36  Atualizado: 19/01/2011 15:36
Colaborador
Usuário desde: 27/12/2010
Localidade:
Mensagens: 1369
 Re: FALAS DE COISAS ABSTRATAS...
De concreto temos a vida. Isso é certo, quanto o percurso não temos certeza de nada, quem pode nos dizer com precisão como será o amanhã?
Mas a força do querer pode mudar muita coisa, o próximo capítulo pode ser melhor, se investirmos e acreditarmos.

Gosto de te ler poeta

Beijo

Rosangela

Enviado por Tópico
GeMuniz
Publicado: 19/01/2011 15:41  Atualizado: 19/01/2011 15:41
Colaborador
Usuário desde: 11/08/2010
Localidade: Brasil
Mensagens: 7275
 Re: FALAS DE COISAS ABSTRATAS... para a Rosangela
Olá Rosangela. Muito grato por ler e por deixar aqui sua opinião a respeito do que trata o texto.

um beijo

Enviado por Tópico
Rosangela
Publicado: 19/01/2011 15:45  Atualizado: 19/01/2011 15:45
Colaborador
Usuário desde: 27/12/2010
Localidade:
Mensagens: 1369
 Re: FALAS DE COISAS ABSTRATAS... para a Rosangela
Não sei se meu comentário esta totalmente dentro do texto, as vezes quando me empolgo saio um pouco,rs

Obrigada por ser gentil, amigo poeta.

bj

Enviado por Tópico
GeMuniz
Publicado: 19/01/2011 16:11  Atualizado: 19/01/2011 16:11
Colaborador
Usuário desde: 11/08/2010
Localidade: Brasil
Mensagens: 7275
 Re: FALAS DE COISAS ABSTRATAS... para a Rosangela
Claro que está dentro Rosangela.

bj

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 19/01/2011 15:47  Atualizado: 19/01/2011 15:47
 Re: FALAS DE COISAS ABSTRATAS...
Belo poema amigo gé monis gostei deste abestracto abraços

Enviado por Tópico
GeMuniz
Publicado: 19/01/2011 15:53  Atualizado: 19/01/2011 15:53
Colaborador
Usuário desde: 11/08/2010
Localidade: Brasil
Mensagens: 7275
 Re: FALAS DE COISAS ABSTRATAS... para o Ricardo
Obrigado por vir ler, meu amigo.

Abraço, Ricardo


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 19/01/2011 16:30  Atualizado: 19/01/2011 16:30
 Re: FALAS DE COISAS ABSTRATAS...
Discordo do você Gê. Na minha opinião não há azar nem sorte na vida, apenas há merecimento. Na vida de cada um apenas acontece o que é do seu merecimento. Que cada um melhore a sua conduta e os seus pensamentos, e a sua vida melhorará.

Abraço

MÁRCIA ROSAS

Enviado por Tópico
GeMuniz
Publicado: 19/01/2011 16:37  Atualizado: 19/01/2011 16:49
Colaborador
Usuário desde: 11/08/2010
Localidade: Brasil
Mensagens: 7275
 Re: FALAS DE COISAS ABSTRATAS... p/ Márcia Rosas
Ok... O texto está aí para isso mesmo, para ser questionado, negado ou confirmado, ou seja lá mais o que puder ser numa escala onde o seu "zero" é a indiferença... rs Azar e sorte são duas palavras fortes e que dão margem a muitos e muitos conceitos e interpretações. Respeito sua visão. A única coisa que posso dizer é que este texto não existiria sem esse final... rs

Beijo, minha amiga. Muito grato por ler e comentar.


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 19/01/2011 16:46  Atualizado: 19/01/2011 16:46
 Re: FALAS DE COISAS ABSTRATAS...
Será existe muita gente boa com vidas menos boas mas isto é a minha opinião.

Enviado por Tópico
VónyFerreira
Publicado: 19/01/2011 17:03  Atualizado: 19/01/2011 17:03
Colaborador
Usuário desde: 14/05/2008
Localidade: Leiria
Mensagens: 9702
 Re: FALAS DE COISAS ABSTRATAS...
Poema reflexivo que levar-no-ia muito longe.
Existe o concreto?
Não será o subjectivismo de todas as coisas que tiram as redes a essa certeza?
Interessante perspectiva, que induz o leitor à reflexão.
Um beijo
Vóny Ferreira

Enviado por Tópico
GeMuniz
Publicado: 19/01/2011 17:11  Atualizado: 19/01/2011 17:11
Colaborador
Usuário desde: 11/08/2010
Localidade: Brasil
Mensagens: 7275
 Re: FALAS DE COISAS ABSTRATAS... p/ Vóny Ferreira
Olá Vóny. O universo existe para nós, enquanto nós existirmos e o percebermos como tal. De que ele valerá após nossa passagem ou valeu antes disso? Se há tantos e quantos que falam que até o próprio "ego" é só uma ilusão, o que sobraria de concreto? Creio que nada... Bom, quem quiser chamar "sorte e azar" (em conjunto claro) de Deus, acho que está de muito bom tamanho... rs.

Beijo Vóny. Muito obrigado por sua presença aqui.


Enviado por Tópico
Ledalge
Publicado: 19/01/2011 19:38  Atualizado: 19/01/2011 19:38
Colaborador
Usuário desde: 24/07/2007
Localidade: BRASIL
Mensagens: 6880
 Re: FALAR DE COISAS ABSTRATAS...
Os pontos extremos: o azar e a sorte

Poema pra se pensar e muito. Hoje estou assim...

bju

Enviado por Tópico
GeMuniz
Publicado: 19/01/2011 19:46  Atualizado: 19/01/2011 19:46
Colaborador
Usuário desde: 11/08/2010
Localidade: Brasil
Mensagens: 7275
 Re: FALAR DE COISAS ABSTRATAS... p/ Ledalge
Os pontos extremos podem se tornar algo interessante se começarmos a pensar em "azar/sorte" apenas como faces de uma coisa só...

Grato pela leitura e pela reflexão, minha amiga.

Um beijo, Núria

Enviado por Tópico
gil de olive
Publicado: 19/01/2011 21:09  Atualizado: 19/01/2011 21:09
Colaborador
Usuário desde: 03/11/2007
Localidade: Campos do Jordão SP BR
Mensagens: 5046
 Re: FALAR DE COISAS ABSTRATAS...
Contente por ler mais um belo texto de sua autoria! LInda noite!

Enviado por Tópico
GeMuniz
Publicado: 19/01/2011 21:19  Atualizado: 19/01/2011 21:19
Colaborador
Usuário desde: 11/08/2010
Localidade: Brasil
Mensagens: 7275
 Re: FALAR DE COISAS ABSTRATAS... para Gil de Olive
Obrigado por ler, Gil.

Um abraço

Enviado por Tópico
Vania Lopez
Publicado: 19/01/2011 22:07  Atualizado: 19/01/2011 22:07
Colaborador
Usuário desde: 25/01/2009
Localidade: Pouso Alegre - MG
Mensagens: 16820
 Re: FALAR DE COISAS ABSTRATAS...
Concordo com a Vóny... o subjetivo tira o chão do concreto. Gostei e muito. bjs pra ti

Enviado por Tópico
GeMuniz
Publicado: 19/01/2011 22:20  Atualizado: 19/01/2011 22:25
Colaborador
Usuário desde: 11/08/2010
Localidade: Brasil
Mensagens: 7275
 Re: FALAR DE COISAS ABSTRATAS... p/ Ricardo
Verdade. Concreto, concreto mesmo, nem o concreto de uma edificação...

um beijo. Grato por ler.


Enviado por Tópico
ladywhite
Publicado: 19/01/2011 23:45  Atualizado: 19/01/2011 23:46
Colaborador
Usuário desde: 31/12/2010
Localidade: white land
Mensagens: 765
 Re: FALAR DE COISAS ABSTRATAS...
Cito:
Tudo o que depende do teu ver
Do teu tocar, do teu saber,
Do teu cheirar...

E o que é ver a não ser
Constatar a certeza absoluta
Do que não se sabe?
Toda A matéria é retrátil e frágil
Feito são os laços
Da tua insustentável vida...

Ah Gê, quanta verdade, e do amor que é a sublimação?
Nada é abstrato quando ele se veste a rigor,para celebrar a vida.

Tudo o resto é supérfluo e do abstrato apago todos os retratos para celebrar a vida como valorizas o belo neste exímio poema.

Levo, recolhi o que senti e extraí a vida deste belo poema .

Saudações meu amigo querido.

Beijos

Enviado por Tópico
GeMuniz
Publicado: 19/01/2011 23:59  Atualizado: 19/01/2011 23:59
Colaborador
Usuário desde: 11/08/2010
Localidade: Brasil
Mensagens: 7275
 Re: FALAR DE COISAS ABSTRATAS... p/ Lady White
Olá Milady. Se levou está levado e eu agradeço a gentileza...rs

beijo, amiga.

Enviado por Tópico
carolcarolina
Publicado: 25/01/2011 12:11  Atualizado: 25/01/2011 12:11
Colaborador
Usuário desde: 24/01/2010
Localidade: RS/Brasil
Mensagens: 9295
 Re: FALAR DE COISAS ABSTRATAS...
Amigo Poeta
Gê!

É mesmo complicado falar do que não se toca nem se ve. Apenas Deus não se ve porém sabemos da sua existência, assim mesmo nem todos pensam assim.
Puxa vida, não sei se era a intenção do poeta ao escrever, mas foi o que entendi.
Gostei de ler!
Bjos
Carol

Enviado por Tópico
GeMuniz
Publicado: 26/01/2011 00:14  Atualizado: 26/01/2011 00:14
Colaborador
Usuário desde: 11/08/2010
Localidade: Brasil
Mensagens: 7275
 Re: FALAR DE COISAS ABSTRATAS... p/ Carol Carolina
Olá Carol. Muito obrigado por vir ler.

Um beijo

Login

Usuário:

Senha:

Recordar senha



Esqueceu a senha?

Registre-se gratuitamente!

Leia também

Comentários Recentes

Luso Pensamentos

Frase

É incrível que, no intuito de justificar as nossas crenças, coloquemos Deus na terra e o Homem no céu

(Garrido)



A folha

A folha cai no verão.
( Era folha de papel)
Não consigo pegá-la
Porque o vento é forte
E me leva para longe.

Matheus



Insanidade perfeita

Sinto-me cansada
Já me faltam as palavras!
As que saboreio entre dissabores
Da minha própria loucura
Já não sinto o meu corpo
As vogais consomem-no
Adormece em brandas consoantes
Ficam tantas frases por dizer
Aquelas,
Que já não consigo escrever,
Falta-me a força
A caneta começa a tremer
Soluça.
O meu olhar constrói
O que meu pensamento rejeita
Esta sou eu,
A doce mulher
A insana, poeta...

(ConceiçãoB)



Tempestades

Tudo em mim, são dias de tempestades...
Por isso entrego minha alma à poesia
E meus dias a escrever versos
E meto uns poemas em velhas garrafas
E as levo para as águas intermináveis dos mares
- revoltos e tristes -
E as lanço, na singela esperança
De que um dia alguém os leia
Ainda que meus pés não estejam mais sobre este chão
E meu corpo tenha sido já lançado no ventre desta terra impura
E minha alma tenha também partido
- para a imensidão do infinito com que sonho,
ou para o abismo solitário que me amendronta...

(Vanessa Marques)


vaga-lume

... beijar-te

- era ser
pássaro azul
dedilhando ugabe

era levitar
beber das nuvens
e desfolhar os céus

era um doce caminhar
sem tocar o chão
estirpes desaguando
em aljôfar...

era dédalo a calar-me
se acontecia
cascata de sonhar-me
na boca que feliz
se fenecia

- e era livre
sendo chama
toda asas
vaga-lume
brilhante
como quem ama.

(RoqueSilveira)


Nós de poesia

A vida é feita de incompletudes...
Como os bares de mesas vazias
Nas calçadas
Ou as longas estradas
Repletas de nada dos dois lados

Ainda assim, escrevo
Mesmo sabendo que em mim
desatam-se nós de poesia
E atam-se outros em seguida.

O fato é que
Daquilo que me resta
Faço-me humanamente completa
meramente humana...

(Vanessa Marques)



Frase

"Amor" é o presente dado sem esperança de retorno,
e o que esperamos é apenas que não seja rejeitado

(Junior A.)



Frase

Como posso explicar
Esta dor
Invasora
Da minha alma
Senão dizer
Que és a mentira
Mais verdadeira
Da minha vida...?

(Raquel Naranjo)



Frase

O amor é como a justiça:
Injusto e cego.

(TrabisDeMentia)



guardanapos

do nosso beijo,
muralhas

do nosso amor,
migalhas

do nosso verbo,
mortalhas

dos nossos papos
poemas
em guardanapos

(Niké)



Sexto sentido

Tenta ouvir o silêncio...
Ver a luz na escuridão profunda...
Cheirar o aroma da mais pura água...
Sentir a textura do vento...
Saborear a doçura do sal...
Quando o conseguires...
Irás te descobrir...

(gera)



Só saudade

Dor que sente
Dor que não se mede
Que vai e vem

Com a vida vou rolando
Com a dor vou buscando
Talvez alívio...

Quando doer que seja
Sem deixar morrer
Só saudade...

(amasol)



A foz

Se cada coisinha que eu sei correspondesse a um rio... E se cada um deles desaguasse na mesma foz...Esta não teria senão o tamanho de uma bacia bem pequenina na qual eu refresco os meus cansados pés. Os rios seriam tão curtos quanto a minha felicidade, tão estreitos quanto a minha existência, tão secos quanto a minha solidão. Mas talvez, talvez bem no fundo da bacia, talvez para lá das lágrimas turvas, e para que eu me possa orgulhar, talvez sorriam dois peixinhos, que eu, apesar da distância possa contemplar! E quem sabe... Uma flor se incline e faça nascer, na foz uma flor que eu possa colher!

(TrabisDeMentia)
Posts relacionados, Plugin for WordPress, Blogger...