Poemas -> Amor : 

PERGAMINHOS

 
Tags:  PERGAMINHOS  
 
PERGAMINHOS
(soneto)

Na minha violência de paixão
Fui percorrendo teus caminhos
Meu peito sofrendo bateu na ilusão
Gravou a carência em pergaminhos

Neste meloso assombro de amor
Esperei, esperei perdidamente
Não me quiseste, veio a dor
Dizes que te sou indiferente

Para mim nada mais resta
Senão a penosa consternação
Quando poderia ser uma festa

P’ra um amor que é poema
Rejeitado por teu coração
Soluçando agora por tanta pena

De: Fernando ramos
17.9.2007


 
Autor
FernandoRamos
 
Texto
Data
Leituras
5412
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
PauloAlves
Publicado: 04/06/2008 19:04  Atualizado: 04/06/2008 19:04
Colaborador
Usuário desde: 18/04/2008
Localidade: Bern, Suiça
Mensagens: 1805
 Re: PERGAMINHOS
Caro Fernando Ramos

Muito belo seu soneto, carregado de sentimento, dor, amor...

Parabéns

Abraços

Paulo Alves

Enviado por Tópico
VónyFerreira
Publicado: 05/06/2008 06:42  Atualizado: 05/06/2008 06:42
Colaborador
Usuário desde: 14/05/2008
Localidade: Leiria
Mensagens: 9702
 Re: PERGAMINHOS
Um bonito soneto onde é focado a grande decepção de um amor rejeitado-
Por vezes é assim, mas há que recomeçar tudo de novo em termos de perspectivas.
Um grande amor acontece quando menos se espera,
Parabéns pelo soneto.
Vóny Ferreira

Links patrocinados

Posts relacionados, Plugin for WordPress, Blogger...