Luso-Poemas
Registre-se agora!     Entrar

Links patrocinados



Menu de poemas

Quem está aqui

211 visitantes online (94 na seção: Poemas e Frases)

Escritores: 6
Leitores: 205

Ro_, aquazulis, BOMSUCESSO, Dandy, ERÓTICO, Gyl, mais...

Licença

Licença Creative Commons

Proteção anti-cópia

Protegendo os seus poemas com Tynt

Homenagens : 

LUIZ GONZAGA - O REI DO BAIÃO (Cordel)

 

LUIZ GONZAGA - O REI DO BAIÃO

© Magroalmeida


Hoje acordei saudoso
Do nobre Rei do Baião
Que tanto alegrou o povo
Da cidade e do Sertão
Luiz Gonzaga é o seu nome
E o apelido é Gonzagão

Gonzagão nobre poeta
Da cultura popular
No Brasil de Norte a Sul
Fez sua estrela brilhar
Cantando Xote e Baião
Fez a sanfona falar

Na fazenda Caiçara
Nasceu o Rei do Baião
Cresceu tocando zabumba
Mais tarde acordeão
E pelo país inteiro
Mostrou a dor do Sertão

Numa sala de reboco
Dançou com o seu benzinho
Viu Asa Branca voar
Partindo triste do ninho
Mostrou o flagelo da seca
E dançou Xote de mansinho

Por um amor proibido
Luiz Gonzaga apanhou
Revoltado com os pais
O pé na estrada botou
E sem saber o que fazer
No exército se alistou

O "cabra da peste" Gonzaga
Nordestino arretado
Viajou pelo Brasil
Ainda como soldado
Mas no Rio de Janeiro
O "cabra" ficou encantado

Pediu dispensa da farda
E na zona foi tocar
Solando acordeão
Foi tentando se firmar
Tocando samba e choro
Não saia do lugar

Mas como um soldado bravo
Luiz Gonzaga insistiu
E num programa de calouros
Despontou para o Brasil
Quando a platéia de pé
Empolgada lhe aplaudiu

Aos poucos Luiz Gonzaga
Foi mostrando a Nação
Com talento e humildade
Como se canta Baião
Conquistou ricos e pobres
Na cidade e no sertão

Cantou com desenvoltura
Toada, xaxado e xote
Aboio, chamego e baião
No sudeste, sul e norte
O fole da sua sanfona
Somente calou-se com a morte

No ano oitenta e nove
O Brasil entristeceu
Quando o fole da sanfona
De Gonzaga emudeceu
Naquele dois de agosto
O Rei do Baião morreu

Gonzagão deixou saudades
No coração do Brasil
Naquela manhã de agosto
Quando daqui partiu
Mas seu canto ainda ecoa
Pelo céu azul anil


© Magno R Almeida
----------------------------------------------------

Obra registrada na Biblioteca Nacional
e protegida pela Lei 9610 de 19/02/1998

-----------------------------------------------------






Poesias, Artigos, Crônicas, Humor, Curiosidades...

Autor
MagnoRobertoAlmeida
Autor
Textos deste autorMais textos
Rss do autorRss do autor
EstatísticasEstatísticas
 
Texto
Data
Leituras 72426
Favoritos 0
Licença Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
Enviar este texto a um amigoEnviar
Imprimir este textoImprimir
Salvar este texto como PDFCriar um pdf
Partilhar
0
0
0
Recentes
HORA DO RISO #1
SAIGON (EMILIO SANTIAGO)
METAMORFOSE
LOUCURA
Apenas um desabafo
Aleatórios
PERDIDO EM VOCÊ
LUÍS FERNANDO VERÍSSIMO
"PLAGIANDO" DRUMMOND
O Sapo Mamador
LOUCURA
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Maria Verde
Publicado: 03/08/2008 15:52  Atualizado: 03/08/2008 15:52
Colaborador
Usuário desde: 20/01/2008
Localidade: SP
Mensagens: 3540
 Re: LUIZ GONZAGA - O REI DO BAIÃO (Cordel)
e quanta saudades o rei deixou!
seu poema retrata um dos maiores artistas da música popular... um passeio no tempo, seguindo a sanfona do Gonzagão!

adorei ler!

beijos

Maria Verde

Enviado por Tópico
MagnoRobertoAlmeida
Publicado: 03/08/2008 16:07  Atualizado: 03/08/2008 16:07
Colaborador
Usuário desde: 14/05/2007
Localidade: Rio de Janeiro
Mensagens: 561
 Re: LUIZ GONZAGA - O REI DO BAIÃO p/Maria verde
Olá, Maria
Sinto-me honrado em recebê-la aqui, na minha "varandinha literária", nesta manhã de domingo. Realmente, querida, lembrar de "Gonzagão" e fazer um passeio pelo tempo e relembrar, com uma doce saudade, os grandes momentos da cultura popular brasileira.
Um grande abraço de Paz, Amor e Alegria. Tenha um ótimo domingo. Volte sempre!

Enviado por Tópico
Alberto da fonseca
Publicado: 03/08/2008 17:31  Atualizado: 03/08/2008 18:50
Colaborador
Usuário desde: 01/12/2007
Localidade: Natural de Sacavém,residente em Les Vans sul da Ardéche França
Mensagens: 7072
 Re: LUIZ GONZAGA - O REI DO BAIÃO (Cordel)
Obrigado Magno Roberto por me ter feito recordar o Luiz Gonzaga.
Não foi só no Brasil que ele deixou saudades, em Portugal também.
Lembro-me, que quando era mais jóvem fazia parte de um conjunto musical e tinhamos no reportório musica dele, não me lembro quais, mais tinhamos e eu adorava Luiz Gonzaga, obrigado.
Abraço amigo
A. da fonseca

Enviado por Tópico
MagnoRobertoAlmeida
Publicado: 07/08/2008 00:15  Atualizado: 07/08/2008 00:15
Colaborador
Usuário desde: 14/05/2007
Localidade: Rio de Janeiro
Mensagens: 561
 Re: LUIZ GONZAGA - O REI DO BAIÃO (Cordel) p/Alberto da fonseca
Valeu Alberto!
Gonzagão é um dos meus ídolos. Cresci ouvindo o meu pai cantar suas canções.
um grande abraço, amigo.

Enviado por Tópico
zésilveiradobrasil
Publicado: 03/08/2008 21:32  Atualizado: 03/08/2008 21:39
Luso de Ouro
Usuário desde: 18/02/2008
Localidade: Niterói (em tupi-guarani = águas escondidas) RJ/Brazil
Mensagens: 13260
 Re: LUIZ GONZAGA - O REI DO BAIÃO (Cordel)
Amigo Magno, teu poema é uma canção, construiste com mestria uma linda homenagem ao rei do baião. E quando alguém fala de Luiz Gonzaga eu me lembro logo de "Boiadeiro" uma das mais belas do cancioneiro.

(letra)
Vai boiadeiro que a noite já vem
Guarda o teu gado e vai pra junto do teu bem
De manhazinha quando eu sigo pela estrada
Minha boiada pra invernada eu vou levar
Quando as cabeça é muito pouco é quase nada mas
não tem outras mais bonitas no lugar
Vai boiadeiro que o dia já vem
Levo o teu gado e vai pensando no teu bem
De tardezinha quando eu venho pela estrada
A fiarada ta todinha a me esperar
São dez fiinha é muito pouco é quase nada mas não
tem outros mais bonitos no lugar
Vai boiadeiro que a tarde já vem
Leva o teu gado e vai pensando no teu bem
E quando eu chego na canssela da morada
Minha Rosinha vem correndo me abraçar
É pequenina é miudinha é quase nada mas não tem
mais bonita no lugar
Vai boiadeiro que a noite já vem
Guarda o teu gado e vai pra junto do teu bem

ouça... vale a pena)

http://br.youtube.com/watch?v=qxQEZMkPlSs

Parabéns Poeta!
Meu abraço fraterno.
Silveira

Enviado por Tópico
MagnoRobertoAlmeida
Publicado: 07/08/2008 00:20  Atualizado: 07/08/2008 00:20
Colaborador
Usuário desde: 14/05/2007
Localidade: Rio de Janeiro
Mensagens: 561
 Re: LUIZ GONZAGA - O REI DO BAIÃO (Cordel) p/Jose Silveira
Realmente amigo Silveira, "Boiadeiro" é uma das belas canções do velho Lua e executada pelo Coral de São Domingos ficou show de bola, ou melhor, lindíssima. Obrigado, poeta, pela tua participação. Vou tomar, ou melhor, beber uma em tua homenagem.
Um forte abraço, irmão!

Enviado por Tópico
Paulo Gondim
Publicado: 03/08/2008 21:56  Atualizado: 03/08/2008 22:07
Da casa!
Usuário desde: 12/11/2007
Localidade: São Paulo (com o coração no Nordeste)
Mensagens: 447
 Re: LUIZ GONZAGA - O REI DO BAIÃO (Cordel)
Olá, Magno, permita-me comentar, também, em cordel, sem antes dizer que seu texto é perfeito.
Uma biografia do Velho Lua, com muita precisão!
Parabéns!
********************************

Quando li o seu poema
Falando de Gonzagão
Me lembrei de Juazeiro
Do Padre “Ciço” Romão
A terra de romaria
Onde o velho “LUA” ia
Fazer sua oração

Ao Padre “Ciço” rezava
Pedindo pelo Sertão
Pelo povo desvalido
Que a fé não perde não
Esses dois são conhecidos
Do Nordeste os mais queridos
“Padim Ciço” e Gonzagão!

Paulo Gondim - Brejo Santo - Ceará - Brasil

Enviado por Tópico
MagnoRobertoAlmeida
Publicado: 07/08/2008 00:27  Atualizado: 07/08/2008 00:27
Colaborador
Usuário desde: 14/05/2007
Localidade: Rio de Janeiro
Mensagens: 561
 Re: LUIZ GONZAGA - O REI DO BAIÃO (Cordel) p/Paulo Gondim
Amigo poeta, antes quero agradecer pela sua visita e logo em seguida aplaudir o teu comentário em formato Cordel. Gostei demais.
Um grande abraço, irmão!

PS: Acho que tu és craque no cordel. Eu estou engatinhando tentando aprender.

Login

Usuário:

Senha:

Recordar senha



Esqueceu a senha?

Registre-se gratuitamente!

Leia também

Comentários Recentes

Luso Pensamentos

Frase

É incrível que, no intuito de justificar as nossas crenças, coloquemos Deus na terra e o Homem no céu

(Garrido)



A folha

A folha cai no verão.
( Era folha de papel)
Não consigo pegá-la
Porque o vento é forte
E me leva para longe.

Matheus



Insanidade perfeita

Sinto-me cansada
Já me faltam as palavras!
As que saboreio entre dissabores
Da minha própria loucura
Já não sinto o meu corpo
As vogais consomem-no
Adormece em brandas consoantes
Ficam tantas frases por dizer
Aquelas,
Que já não consigo escrever,
Falta-me a força
A caneta começa a tremer
Soluça.
O meu olhar constrói
O que meu pensamento rejeita
Esta sou eu,
A doce mulher
A insana, poeta...

(ConceiçãoB)



Tempestades

Tudo em mim, são dias de tempestades...
Por isso entrego minha alma à poesia
E meus dias a escrever versos
E meto uns poemas em velhas garrafas
E as levo para as águas intermináveis dos mares
- revoltos e tristes -
E as lanço, na singela esperança
De que um dia alguém os leia
Ainda que meus pés não estejam mais sobre este chão
E meu corpo tenha sido já lançado no ventre desta terra impura
E minha alma tenha também partido
- para a imensidão do infinito com que sonho,
ou para o abismo solitário que me amendronta...

(Vanessa Marques)


vaga-lume

... beijar-te

- era ser
pássaro azul
dedilhando ugabe

era levitar
beber das nuvens
e desfolhar os céus

era um doce caminhar
sem tocar o chão
estirpes desaguando
em aljôfar...

era dédalo a calar-me
se acontecia
cascata de sonhar-me
na boca que feliz
se fenecia

- e era livre
sendo chama
toda asas
vaga-lume
brilhante
como quem ama.

(RoqueSilveira)


Nós de poesia

A vida é feita de incompletudes...
Como os bares de mesas vazias
Nas calçadas
Ou as longas estradas
Repletas de nada dos dois lados

Ainda assim, escrevo
Mesmo sabendo que em mim
desatam-se nós de poesia
E atam-se outros em seguida.

O fato é que
Daquilo que me resta
Faço-me humanamente completa
meramente humana...

(Vanessa Marques)



Frase

"Amor" é o presente dado sem esperança de retorno,
e o que esperamos é apenas que não seja rejeitado

(Junior A.)



Frase

Como posso explicar
Esta dor
Invasora
Da minha alma
Senão dizer
Que és a mentira
Mais verdadeira
Da minha vida...?

(Raquel Naranjo)



Frase

O amor é como a justiça:
Injusto e cego.

(TrabisDeMentia)



guardanapos

do nosso beijo,
muralhas

do nosso amor,
migalhas

do nosso verbo,
mortalhas

dos nossos papos
poemas
em guardanapos

(Niké)



Sexto sentido

Tenta ouvir o silêncio...
Ver a luz na escuridão profunda...
Cheirar o aroma da mais pura água...
Sentir a textura do vento...
Saborear a doçura do sal...
Quando o conseguires...
Irás te descobrir...

(gera)



Só saudade

Dor que sente
Dor que não se mede
Que vai e vem

Com a vida vou rolando
Com a dor vou buscando
Talvez alívio...

Quando doer que seja
Sem deixar morrer
Só saudade...

(amasol)



A foz

Se cada coisinha que eu sei correspondesse a um rio... E se cada um deles desaguasse na mesma foz...Esta não teria senão o tamanho de uma bacia bem pequenina na qual eu refresco os meus cansados pés. Os rios seriam tão curtos quanto a minha felicidade, tão estreitos quanto a minha existência, tão secos quanto a minha solidão. Mas talvez, talvez bem no fundo da bacia, talvez para lá das lágrimas turvas, e para que eu me possa orgulhar, talvez sorriam dois peixinhos, que eu, apesar da distância possa contemplar! E quem sabe... Uma flor se incline e faça nascer, na foz uma flor que eu possa colher!

(TrabisDeMentia)
Posts relacionados, Plugin for WordPress, Blogger...