http://spumis.pt/
 
Homenagens : 

LUIZ GONZAGA - O REI DO BAIÃO (Cordel)

 

LUIZ GONZAGA - O REI DO BAIÃO

© Magroalmeida


Hoje acordei saudoso
Do nobre Rei do Baião
Que tanto alegrou o povo
Da cidade e do Sertão
Luiz Gonzaga é o seu nome
E o apelido é Gonzagão

Gonzagão nobre poeta
Da cultura popular
No Brasil de Norte a Sul
Fez sua estrela brilhar
Cantando Xote e Baião
Fez a sanfona falar

Na fazenda Caiçara
Nasceu o Rei do Baião
Cresceu tocando zabumba
Mais tarde acordeão
E pelo país inteiro
Mostrou a dor do Sertão

Numa sala de reboco
Dançou com o seu benzinho
Viu Asa Branca voar
Partindo triste do ninho
Mostrou o flagelo da seca
E dançou Xote de mansinho

Por um amor proibido
Luiz Gonzaga apanhou
Revoltado com os pais
O pé na estrada botou
E sem saber o que fazer
No exército se alistou

O "cabra da peste" Gonzaga
Nordestino arretado
Viajou pelo Brasil
Ainda como soldado
Mas no Rio de Janeiro
O "cabra" ficou encantado

Pediu dispensa da farda
E na zona foi tocar
Solando acordeão
Foi tentando se firmar
Tocando samba e choro
Não saia do lugar

Mas como um soldado bravo
Luiz Gonzaga insistiu
E num programa de calouros
Despontou para o Brasil
Quando a platéia de pé
Empolgada lhe aplaudiu

Aos poucos Luiz Gonzaga
Foi mostrando a Nação
Com talento e humildade
Como se canta Baião
Conquistou ricos e pobres
Na cidade e no sertão

Cantou com desenvoltura
Toada, xaxado e xote
Aboio, chamego e baião
No sudeste, sul e norte
O fole da sua sanfona
Somente calou-se com a morte

No ano oitenta e nove
O Brasil entristeceu
Quando o fole da sanfona
De Gonzaga emudeceu
Naquele dois de agosto
O Rei do Baião morreu

Gonzagão deixou saudades
No coração do Brasil
Naquela manhã de agosto
Quando daqui partiu
Mas seu canto ainda ecoa
Pelo céu azul anil


© Magno R Almeida
----------------------------------------------------

Obra registrada na Biblioteca Nacional
e protegida pela Lei 9610 de 19/02/1998

-----------------------------------------------------



 
Autor
MagnoRobertoAlmeida
 
Texto
Data
Leituras
81337
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
8 pontos
8
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Maria Verde
Publicado: 03/08/2008 15:52  Atualizado: 03/08/2008 15:52
Colaborador
Usuário desde: 20/01/2008
Localidade: SP
Mensagens: 3541
 Re: LUIZ GONZAGA - O REI DO BAIÃO (Cordel)
e quanta saudades o rei deixou!
seu poema retrata um dos maiores artistas da música popular... um passeio no tempo, seguindo a sanfona do Gonzagão!

adorei ler!

beijos

Maria Verde


Enviado por Tópico
Alberto da fonseca
Publicado: 03/08/2008 17:31  Atualizado: 03/08/2008 18:50
Colaborador
Usuário desde: 01/12/2007
Localidade: Natural de Sacavém,residente em Les Vans sul da Ardéche França
Mensagens: 7078
 Re: LUIZ GONZAGA - O REI DO BAIÃO (Cordel)
Obrigado Magno Roberto por me ter feito recordar o Luiz Gonzaga.
Não foi só no Brasil que ele deixou saudades, em Portugal também.
Lembro-me, que quando era mais jóvem fazia parte de um conjunto musical e tinhamos no reportório musica dele, não me lembro quais, mais tinhamos e eu adorava Luiz Gonzaga, obrigado.
Abraço amigo
A. da fonseca


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 03/08/2008 21:32  Atualizado: 03/08/2008 21:39
 Re: LUIZ GONZAGA - O REI DO BAIÃO (Cordel)
Amigo Magno, teu poema é uma canção, construiste com mestria uma linda homenagem ao rei do baião. E quando alguém fala de Luiz Gonzaga eu me lembro logo de "Boiadeiro" uma das mais belas do cancioneiro.

(letra)
Vai boiadeiro que a noite já vem
Guarda o teu gado e vai pra junto do teu bem
De manhazinha quando eu sigo pela estrada
Minha boiada pra invernada eu vou levar
Quando as cabeça é muito pouco é quase nada mas
não tem outras mais bonitas no lugar
Vai boiadeiro que o dia já vem
Levo o teu gado e vai pensando no teu bem
De tardezinha quando eu venho pela estrada
A fiarada ta todinha a me esperar
São dez fiinha é muito pouco é quase nada mas não
tem outros mais bonitos no lugar
Vai boiadeiro que a tarde já vem
Leva o teu gado e vai pensando no teu bem
E quando eu chego na canssela da morada
Minha Rosinha vem correndo me abraçar
É pequenina é miudinha é quase nada mas não tem
mais bonita no lugar
Vai boiadeiro que a noite já vem
Guarda o teu gado e vai pra junto do teu bem

ouça... vale a pena)

http://br.youtube.com/watch?v=qxQEZMkPlSs

Parabéns Poeta!
Meu abraço fraterno.
Silveira


Enviado por Tópico
Paulo Gondim
Publicado: 03/08/2008 21:56  Atualizado: 03/08/2008 22:07
Colaborador
Usuário desde: 12/11/2007
Localidade: São Paulo (com o coração no Nordeste)
Mensagens: 501
 Re: LUIZ GONZAGA - O REI DO BAIÃO (Cordel)
Olá, Magno, permita-me comentar, também, em cordel, sem antes dizer que seu texto é perfeito.
Uma biografia do Velho Lua, com muita precisão!
Parabéns!
********************************

Quando li o seu poema
Falando de Gonzagão
Me lembrei de Juazeiro
Do Padre “Ciço” Romão
A terra de romaria
Onde o velho “LUA” ia
Fazer sua oração

Ao Padre “Ciço” rezava
Pedindo pelo Sertão
Pelo povo desvalido
Que a fé não perde não
Esses dois são conhecidos
Do Nordeste os mais queridos
“Padim Ciço” e Gonzagão!

Paulo Gondim - Brejo Santo - Ceará - Brasil

Posts relacionados, Plugin for WordPress, Blogger...