Luso-Poemas
Registre-se agora!     Entrar

Links patrocinados



Menu de poemas

Quem está aqui

170 visitantes online (53 na seção: Poemas e Frases)

Escritores: 0
Leitores: 170

mais...

Licença

Licença Creative Commons

Proteção anti-cópia

Protegendo os seus poemas com Tynt

Poemas -> Reflexão : 

Véspera de natal

 
Véspera de natal
 
Corre...
entra apressada na loja
um embrulho enfeitado...

Corre...
nas mãos muitos brinquedos
alegrias para as crianças...

Corre...
Nos sacos a roupa nova
os sapatos combinados...
Sorri...

Corre...
Ainda faltam alguns presentes
para enfeitar a árvore de natal.

Corre...
Tropeça na caixa de cartão
abrigo do mendigo,
ali estendido naquela esquina,
contorna...avança...

Corre...
A hora passa depressa...

Corre...
A casa está cheia,
é véspera de natal...



Ana Coelho

Linhas Onde Vagueio

Linhas onde vagueio é a compilação de todos os espaços, onde deixo os trabalhos que as minhas mãos, em consonância com a mente, partilham com o vosso olhar
http://l...

Autor
AnaCoelho
Autor
Textos deste autorMais textos
Rss do autorRss do autor
EstatísticasEstatísticas
 
Texto
Data
Leituras 6721
Favoritos 1
Licença Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
Enviar este texto a um amigoEnviar
Imprimir este textoImprimir
Salvar este texto como PDFCriar um pdf
Partilhar
0
0
0
Recentes
Na varanda do meu olhar
Não se esqueçam de humanizar as palavras
Que me digam os poetas
Ritmo alucinado nas palavras
Lunáticos pensamentos questionados
Aleatórios
Esperas
Ilusão de um movimento
Tempestade alienada
O ritmo do mundo
O som da noite
Favoritos
Conto de fadas - zizo
Que importam os outros - saozinha
«« O que dizes povo «« - Antónia Ruivo
Pesadelo - Vergílio
OS GATOS DA RUA DIZEM QUE: - animarolim
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 17/12/2008 18:06  Atualizado: 17/12/2008 18:06
 Re: Véspera de natal
rss. nossa poetisa quanta correria. já estou me vendo na véspera, mas a minha é uma corrida para chegar logo em casa, pois trabalhar na véspera e tão cansativo. amei o corre corre do poema. bj

Enviado por Tópico
AnaCoelho
Publicado: 17/12/2008 21:33  Atualizado: 17/12/2008 21:33
Colaborador
Usuário desde: 09/05/2008
Localidade: Carregado-Alenquer
Mensagens: 11709
 Re: Véspera de natal
Para não ficares triste digo-te que tambem trabalho na véspera e no dia de natal pois à serviços que não param mesmo nestes dias, o que quis mostrar foi o porque desta corrida, para quê?
Obrigada por tuas palavras.

Beijos

Enviado por Tópico
VónyFerreira
Publicado: 17/12/2008 19:28  Atualizado: 17/12/2008 22:22
Colaborador
Usuário desde: 14/05/2008
Localidade: Leiria
Mensagens: 9702
 Re: Véspera de natal
É tanta a correria e tão sem sentido, que tomara que o dia passe depressa!
Feliz Natal, Ana!
Vóny FerreiraClique para ver a imagem original em uma nova janela

Enviado por Tópico
AnaCoelho
Publicado: 17/12/2008 21:34  Atualizado: 17/12/2008 21:34
Colaborador
Usuário desde: 09/05/2008
Localidade: Carregado-Alenquer
Mensagens: 11709
 Re: Véspera de natal
pois é amiga correse tanto e por vezes nem se olha para o importante.

Beijos ruivona amiga

Enviado por Tópico
gil de olive
Publicado: 17/12/2008 19:49  Atualizado: 17/12/2008 19:49
Colaborador
Usuário desde: 03/11/2007
Localidade: Campos do Jordão SP BR
Mensagens: 5021
 Re: Véspera de natal
Um cotidiano de milhões de pessoas.Poesia suave e descontraída.Gostei.Parabens pela criatividade!

Enviado por Tópico
AnaCoelho
Publicado: 17/12/2008 21:36  Atualizado: 17/12/2008 21:36
Colaborador
Usuário desde: 09/05/2008
Localidade: Carregado-Alenquer
Mensagens: 11709
 Re: Véspera de natal
Gil
obrigada pela tua leitura
Beijos

Enviado por Tópico
profeta
Publicado: 17/12/2008 20:17  Atualizado: 17/12/2008 20:17
Muito Participativo
Usuário desde: 17/09/2008
Localidade: Monte da Ribeirinha
Mensagens: 79
 Re: Véspera de natal
Vinha à procura do poema "tempo" para comentar e tropeço numa "Véspera de Natal"que também nos fala dele.Desse tempo que não sobra para dar...por mais que se reenventem natais...
Uma imagem inspirada e real do nosso quotidiano, servida em prendinhas com muitos laços e abraços que por vêzes esbarram nos caixotes de papelão embrulhados de gente sem tempo para sonhar...

Enviado por Tópico
AnaCoelho
Publicado: 17/12/2008 22:14  Atualizado: 17/12/2008 22:14
Colaborador
Usuário desde: 09/05/2008
Localidade: Carregado-Alenquer
Mensagens: 11709
 Re: Véspera de natal
Ando mesmo a questionar o tempo... fez uma optima leitura do que escrevi, as caixa de cartão o melhor é nem ver.
Obrigada

Beijos

Enviado por Tópico
ângelaLugo
Publicado: 17/12/2008 21:57  Atualizado: 17/12/2008 21:57
Colaborador
Usuário desde: 04/09/2006
Localidade: São Paulo - Brasil
Mensagens: 14620
 Re: Véspera de natal
Ana querida

Pois é...corre, corre pra cá
corre, corre pra lá e quando
encontra quem precisa desvia
Excelente poema ....

beijinhos no coração

Clique para ver a imagem original em uma nova janela

Enviado por Tópico
AnaCoelho
Publicado: 18/12/2008 13:58  Atualizado: 18/12/2008 13:58
Colaborador
Usuário desde: 09/05/2008
Localidade: Carregado-Alenquer
Mensagens: 11709
 Re: Véspera de natal
Pois deviamos correr assim em ajuda ao proximo, obrigada pelas tuas palavras sempre carinhosas.

Beijos

Enviado por Tópico
LuisaMargaridaRap
Publicado: 17/12/2008 22:23  Atualizado: 17/12/2008 22:23
Colaborador
Usuário desde: 19/08/2008
Localidade: Portalegre - Alentejo
Mensagens: 1512
 Re: Véspera de natal
A correria, felizmente a mim não me atinge , embora viva o ambiente natalicio , as prendas são somente para os mais pequenos e compradas a tempo e horas, mas gostei Aninha deste teu poema, muito real nesta altura do ano,

beijo

Luisa Raposo

Enviado por Tópico
AnaCoelho
Publicado: 18/12/2008 13:59  Atualizado: 18/12/2008 13:59
Colaborador
Usuário desde: 09/05/2008
Localidade: Carregado-Alenquer
Mensagens: 11709
 Re: Véspera de natal
Eu tambem não corro assim, mas quis fazer uma chamada de atenção.

Beijos

Enviado por Tópico
Antónia Ruivo
Publicado: 17/12/2008 23:41  Atualizado: 17/12/2008 23:41
Colaborador
Usuário desde: 08/12/2008
Localidade: Vila Viçosa
Mensagens: 3906
 Re: Véspera de natal
Corre...
Tropeça na caixa de cartão
abrigo do mendigo,
ali estendido naquela esquina,
contorna...avança...

Pois é no meio de tanta correria o que devia ter a nossa maior atenção passa despercebido. beijinhos

Enviado por Tópico
AnaCoelho
Publicado: 18/12/2008 14:00  Atualizado: 18/12/2008 14:00
Colaborador
Usuário desde: 09/05/2008
Localidade: Carregado-Alenquer
Mensagens: 11709
 Re: Véspera de natal
...essa é a mensagem, obrigada pela leitura e pelas palavras aqui deixadas.

Beijos

Enviado por Tópico
Gilberto
Publicado: 18/12/2008 00:16  Atualizado: 18/12/2008 00:16
Colaborador
Usuário desde: 21/04/2007
Localidade: V.Nde GAIA-Porto
Mensagens: 1804
 Re: Véspera de natal
De facto, o natal, não é mais de um mero consumismo exacerbado, mas apenas para alguns. Porque uma esmagadora maioria, nunca saberá que existe natal...

Beijinhos

Gilberto

Enviado por Tópico
AnaCoelho
Publicado: 18/12/2008 14:02  Atualizado: 18/12/2008 14:02
Colaborador
Usuário desde: 09/05/2008
Localidade: Carregado-Alenquer
Mensagens: 11709
 Re: Véspera de natal
É verdade meu amigo poeta. grata por suas palavras.

Beijos

Enviado por Tópico
quidam
Publicado: 18/12/2008 08:54  Atualizado: 18/12/2008 08:54
Colaborador
Usuário desde: 29/12/2006
Localidade: PORTIMÃO
Mensagens: 1438
 Re: Véspera de natal
Não corras vai devagar, aprecia esta Véspera de Natal que tanto corre... e já aconteceu neste poema
Jinho pela manhã

Enviado por Tópico
AnaCoelho
Publicado: 18/12/2008 16:47  Atualizado: 18/12/2008 16:47
Colaborador
Usuário desde: 09/05/2008
Localidade: Carregado-Alenquer
Mensagens: 11709
 Re: Véspera de natal
Espero que aminha véspera de natal seja bem mais calma irá ser com certeza...grata por tuas palavras.

Jinho

Enviado por Tópico
AlmaReveladora
Publicado: 18/12/2008 10:22  Atualizado: 18/12/2008 10:22
Super Participativo
Usuário desde: 27/11/2008
Localidade:
Mensagens: 167
 Re: Véspera de natal
Lindooo

Ameiii de mais

bjs

Enviado por Tópico
AnaCoelho
Publicado: 18/12/2008 16:48  Atualizado: 18/12/2008 16:48
Colaborador
Usuário desde: 09/05/2008
Localidade: Carregado-Alenquer
Mensagens: 11709
 Re: Véspera de natal
Linda obrigada pela leitura.

Beijos

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 18/12/2008 12:56  Atualizado: 18/12/2008 12:56
 Re: Véspera de natal
Todos temos um caminho a percorrer...por vezes o caminho é bem diferente, daqueles que fazem doer..
Será que todos vemos a dor e a desolação, e aquilo a que seres humanos como nós se propõem a viver...ou o acaso da vida


Já agora Feliz Natal


Gostei muito do poema

Bjs
Dolores

Enviado por Tópico
AnaCoelho
Publicado: 18/12/2008 16:51  Atualizado: 18/12/2008 16:51
Colaborador
Usuário desde: 09/05/2008
Localidade: Carregado-Alenquer
Mensagens: 11709
 Re: Véspera de natal
Grata pela leitura e por tão belas palavras.

Feliz natal

Beijos

Login

Usuário:

Senha:

Recordar senha



Esqueceu a senha?

Registre-se gratuitamente!

Leia também

Comentários Recentes

Luso Pensamentos

Frase

É incrível que, no intuito de justificar as nossas crenças, coloquemos Deus na terra e o Homem no céu

(Garrido)



A folha

A folha cai no verão.
( Era folha de papel)
Não consigo pegá-la
Porque o vento é forte
E me leva para longe.

Matheus



Insanidade perfeita

Sinto-me cansada
Já me faltam as palavras!
As que saboreio entre dissabores
Da minha própria loucura
Já não sinto o meu corpo
As vogais consomem-no
Adormece em brandas consoantes
Ficam tantas frases por dizer
Aquelas,
Que já não consigo escrever,
Falta-me a força
A caneta começa a tremer
Soluça.
O meu olhar constrói
O que meu pensamento rejeita
Esta sou eu,
A doce mulher
A insana, poeta...

(ConceiçãoB)



Tempestades

Tudo em mim, são dias de tempestades...
Por isso entrego minha alma à poesia
E meus dias a escrever versos
E meto uns poemas em velhas garrafas
E as levo para as águas intermináveis dos mares
- revoltos e tristes -
E as lanço, na singela esperança
De que um dia alguém os leia
Ainda que meus pés não estejam mais sobre este chão
E meu corpo tenha sido já lançado no ventre desta terra impura
E minha alma tenha também partido
- para a imensidão do infinito com que sonho,
ou para o abismo solitário que me amendronta...

(Vanessa Marques)


vaga-lume

... beijar-te

- era ser
pássaro azul
dedilhando ugabe

era levitar
beber das nuvens
e desfolhar os céus

era um doce caminhar
sem tocar o chão
estirpes desaguando
em aljôfar...

era dédalo a calar-me
se acontecia
cascata de sonhar-me
na boca que feliz
se fenecia

- e era livre
sendo chama
toda asas
vaga-lume
brilhante
como quem ama.

(RoqueSilveira)


Nós de poesia

A vida é feita de incompletudes...
Como os bares de mesas vazias
Nas calçadas
Ou as longas estradas
Repletas de nada dos dois lados

Ainda assim, escrevo
Mesmo sabendo que em mim
desatam-se nós de poesia
E atam-se outros em seguida.

O fato é que
Daquilo que me resta
Faço-me humanamente completa
meramente humana...

(Vanessa Marques)



Frase

"Amor" é o presente dado sem esperança de retorno,
e o que esperamos é apenas que não seja rejeitado

(Junior A.)



Frase

Como posso explicar
Esta dor
Invasora
Da minha alma
Senão dizer
Que és a mentira
Mais verdadeira
Da minha vida...?

(Raquel Naranjo)



Frase

O amor é como a justiça:
Injusto e cego.

(TrabisDeMentia)



guardanapos

do nosso beijo,
muralhas

do nosso amor,
migalhas

do nosso verbo,
mortalhas

dos nossos papos
poemas
em guardanapos

(Niké)



Sexto sentido

Tenta ouvir o silêncio...
Ver a luz na escuridão profunda...
Cheirar o aroma da mais pura água...
Sentir a textura do vento...
Saborear a doçura do sal...
Quando o conseguires...
Irás te descobrir...

(gera)



Só saudade

Dor que sente
Dor que não se mede
Que vai e vem

Com a vida vou rolando
Com a dor vou buscando
Talvez alívio...

Quando doer que seja
Sem deixar morrer
Só saudade...

(amasol)



A foz

Se cada coisinha que eu sei correspondesse a um rio... E se cada um deles desaguasse na mesma foz...Esta não teria senão o tamanho de uma bacia bem pequenina na qual eu refresco os meus cansados pés. Os rios seriam tão curtos quanto a minha felicidade, tão estreitos quanto a minha existência, tão secos quanto a minha solidão. Mas talvez, talvez bem no fundo da bacia, talvez para lá das lágrimas turvas, e para que eu me possa orgulhar, talvez sorriam dois peixinhos, que eu, apesar da distância possa contemplar! E quem sabe... Uma flor se incline e faça nascer, na foz uma flor que eu possa colher!

(TrabisDeMentia)
Posts relacionados, Plugin for WordPress, Blogger...