http://spumis.pt/
 
Poemas -> Sociais : 

A QUEM SE DIGNE LER A REALIDADE DA VIDA

 



Num peito seco e sem leite, demasiadamente
emagrecido, à falta de alimentos e de vitaminas,
uma mãe, puxa para si, seu filho, para que este,
num último esforço, consiga,
de algum modo, um pouco, da seiva tão necessária.

Não tendo, o tão precioso leite, para lhe dar, a
mulher, de tristeza nos olhos, vê seu menino,
adormecer, boca nos seios sem vida, de
onde escorre, um misto de aguadilha e espuma.

Insectos invadem o corpo e o rosto da criança.
Enquanto a mãe, com as costas de sua mão, os
afasta, do sono do menino,
embalando-o, com ternura comovente,
em seus braços, pouco mais que pele e osso.

Por toda a tribo, se vê esta desgraça sem fim,
afronta das afrontas, para qualquer ser humano,
sendo, que é de mães, que não mais podem
alimentar seus filhos, vendo-os morrer, em seus
braços, de quem se fala, nestes meus versos inermes.

E, quando a morte, chama os pequenos seres,
as mães batem na cara e rasgam suas roupas,
por não se acharem merecedoras, desta vida,
vendo seus filhinhos partirem, carne de sua carne.

Seu choro, há muito lhes travou, no nó da garganta.
Então gritam e suplicam, a alguém, que nunca virá.

Jorge Humberto
13/04/09







 
Autor
jorgehumberto
 
Texto
Data
Leituras
1873
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Henricabilio
Publicado: 14/04/2009 15:05  Atualizado: 14/04/2009 15:05
Colaborador
Usuário desde: 02/04/2009
Localidade: Caldas da Rainha - Portugal
Mensagens: 6963
 Re: A QUEM SE DIGNE LER A REALIDADE DA VIDA
A realidade da vida, / abraço duro e profundo; / uns a viver de fugida / outros como reis do mundo. Um abraçooo desde as Caldas! Abíl!o
Posts relacionados, Plugin for WordPress, Blogger...