http://www.luso-poemas.net/modules/smartsection/item.php?itemid=3049
 
Poemas -> Surrealistas : 

Poema sem sentido

 
O retorno de um mundo em quatro fases,
No ressurgir de um semblante retorcido,
Entre dois algarismos, sem alturas.
Mais do que cem mil bichos capazes,
Secretos, num ténue nicho contorcido.

Arrebentam-se as candeias luminosas,
Enquanto moles, com ervas bem cozidas,
E tontos galhos que entrelaçam o mel,
Num ressumar de dezasseis leguminosas
Estelares em terras mui franzidas.

Mal de ti que te desfazes em mil cores,
Como que trazendo em escabeche a alegria
Ó quadro colado, e já agora entretecido.
Pensamentos falazes desprovidos de dores,
Neste escrito, assumindo ares de fantasia.

João Cláudio Pires.

 
Autor
JoãoCláudioPires
 
Texto
Data
Leituras
9908
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Mel de Carvalho
Publicado: 05/06/2007 21:53  Atualizado: 05/06/2007 21:53
Colaborador
Usuário desde: 03/03/2007
Localidade: Lisboa/Peniche
Mensagens: 1562
 Re: Poema sem sentido p/ JoãoCláudioPires
Poema (con)sentido!!!!
Todo o sentido.

Gostei, voltarei!
Mel

Posts relacionados, Plugin for WordPress, Blogger...