Luso-Poemas
Registre-se agora!     Entrar

Links patrocinados



Menu de poemas

Quem está aqui

228 visitantes online (122 na seção: Poemas e Frases)

Escritores: 6
Leitores: 222

Srimilton, BOMSUCESSO, jomadosado, JogonSantos, Barbozza, vantuilog, mais...

Licença

Licença Creative Commons

Proteção anti-cópia

Protegendo os seus poemas com Tynt

Poemas : 

COMO A ARTE DE FURTAR É MUITO NOBRE p/Betha Costa

 
COMO A ARTE DE FURTAR É MUITO NOBRE

Este texto é de um autor anónimo do século XVII, atribuído muitas vezes ao Padre António Vieira, nunca confirmado, e trouxe-o à colação a propósito de um texto de Betha Costa "Vermelho" (i.e. a arte é mui antiga e vai-se perpetuando, pela “eternidade e mais um dia”...)

“Mais fácil achou um prudente que seria acender dentro do mar uma fogueira que espertar, em um peito vil, fervores da nobreza. Contudo ninguém me estranhe chamar nobre à arte, cujos professores, por leis divinas e humanas, são tidos por infames. Essa é a valentia desta arte (…) de gente vil faz fidalgos, porque onde luz o oiro não há vileza.

E prouvera a Deus não tivera tanto de nobre, pois vemos que e tudo o mais que tem preço; e os sujeitos em que se acha são, por meus pecados, os mais ilustres. E para que não engasgue algum escrupuloso nesta proposição, com a máxima de que não há ladrão que seja nobre, pois o tal ofício traz consigo extinção de todos os foros da nobreza (…) entendo o meu dito segundo o vejo exercitado em homens tidos e havidos pelos melhores do mundo, que no cabo são ladrões, sem que o exercício da arte os deslustre, nem abata um ponto do timbre de sua grandeza.”


In ARTE DE FURTAR, Ed. Estampa, Lisboa


Autor
arfemo
Autor
Textos deste autorMais textos
Rss do autorRss do autor
EstatísticasEstatísticas
 
Texto
Data
Leituras 1555
Favoritos 0
Licença Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
Enviar este texto a um amigoEnviar
Imprimir este textoImprimir
Salvar este texto como PDFCriar um pdf
Partilhar
0
0
0
Recentes
ASSIM FARÁS!
TEU CORPO AVE CINZENTA
CHEGARA, ENFIM, O VERÃO...
FUGAZ
DAQUELE PRIMEIRO DIA...
Aleatórios
MEMÓRIA SITIADA
JORGE DE SENA:
SOFIA
PESCADORES (Homenagem)
FLOR DESEJADA
Favoritos
A poesia de Arfemo - Ledalge
Professei tudo e nada - ROMMA
AMOR TURBILHÃO (letra, voz e violão) - zésilveiradobrasil
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Betha Mendonça
Publicado: 25/08/2009 00:33  Atualizado: 25/08/2009 00:33
Colaborador
Usuário desde: 01/07/2009
Localidade:
Mensagens: 6355
 Re: COMO A ARTE DE FURTAR É MUITO NOBRE p/Betha Costa
Caríssimo,
Agradeço por partilhares um texto tão preciso em significados e significantes.Eu era muito jovem e crente para saber - hoje talvez já passe da idade de para entender - que a força do ouro possa comprar corpos, almas, idéias e ideais. Que pela manutenção do poder há quem entregue-se a qualquer preço a todo tipo vileza e corrupção.Será que não cresci por dentro?
Bjins, Betha.

Enviado por Tópico
arfemo
Publicado: 25/08/2009 00:45  Atualizado: 25/08/2009 00:45
Colaborador
Usuário desde: 19/04/2009
Localidade:
Mensagens: 4812
 Re: COMO A ARTE DE FURTAR É MUITO NOBRE p/Betha Costa
Diz-me a experiência (pouca ou muita, cada um tem a sua)que o mundo´não é a preto e branco, mas que quem guardar o menino (a) que há em nós vai sofrer muito e para sempre...Muito a sério, e esta CRISE veio evidenciar há INVARIANTES apesar das nossas ilusões e utopias. Como te entendo Betha.

Bjins

Enviado por Tópico
joseluislopes
Publicado: 25/08/2009 12:42  Atualizado: 25/08/2009 12:43
Colaborador
Usuário desde: 22/03/2009
Localidade:
Mensagens: 3348
 Re: COMO A ARTE DE FURTAR É MUITO NOBRE p/Betha Costa
Caro amigo!

Mais importante do que o seu texto é senti-lo novamente por aqui, senti a sua ausência e resolvi por isso viajar até aos seus textos mais antigos publicados aqui no Luso. Desta forma suprimi este espaço temporal, mesmo citando o nosso querido Einstein que diz que o tempo (ou tudo) é relativo, acabei por encontrar uma pequena forma de o ler.
Texto actualíssimo e interessantíssimo reafirmando-me este meu saber do mundo vendido por qualquer preço, creio mesmo que assim será por tantos e tantos outros anos. Esta venda colectiva que hoje enfrentamos, onde tudo tem um comprador e vendedor tem que terminar urgentemente. Eu lutarei enquanto puder por uma nova ordem mundial, precisamos de uma nova revolução humana, precisamos de reacender os valores humanitários, precisamos de dar valor à humildade e reconhecer a vontade do saber, do ser melhor pela arte do trabalho e no fazer diariamente com esforço, precisamos de estudantes com mérito pelo esforço para um dia se tornarem homens esforçados com mérito.
Caro amigo, para o próximo ano meu filho mais velho será médico, será o meu primeiro orgulho de vitória na batalha que travei com ele pelo gosto do saber; mas vou-lhe dizendo constantemente: não me apareças com um carro novo para me visitar, traz-me um projecto, um sonho, um querer profissional novo e assim poderemos falar sobre as tuas ambições e projectos, perceberás então que és verdadeiramente desta família.
Não me alongo mais apesar do prazer de escrever que tive neste comentário ao seu texto.

Amigo Arfemo, um grande abraço
JLL

Enviado por Tópico
arfemo
Publicado: 26/08/2009 18:33  Atualizado: 26/08/2009 18:33
Colaborador
Usuário desde: 19/04/2009
Localidade:
Mensagens: 4812
 Re: COMO A ARTE DE FURTAR É MUITO NOBRE p/José Luis lopes
Prezado amigo José Luís,
Reporto as suas palavras pelo seu valor facial e isso me agrada não por vaidade (para tal vai-me minguando tempo e jeito) mas pela amizade em construção. Sobre os valores que fez o favor de partilhar, bom era que a dissolução (decadência...) a que se assiste, merecia o congregar de homens livres, mas tenho presente as contradições com que a liberdade fez o favor de me confrontar. Àparte isso, o livro tanto tempo atribuido ao Pe António Vieira, é uma obra de referência da literatura portuguesa, embora
sempre muito esquecido. Vai longo o arrazoado e certamente teremos oportunidade de continuar a "trocar umas ideias sobre o assunto".

Forte abraço.

Enviado por Tópico
(re)velata
Publicado: 25/08/2009 21:27  Atualizado: 25/08/2009 21:27
Colaborador
Usuário desde: 23/02/2009
Localidade: Lagos
Mensagens: 2094
 Re: COMO A ARTE DE FURTAR É MUITO NOBRE p/Betha Costa
Parabéns por ter trazido esse texto de significado tão actual. Ainda hoje vai vingando a ideia de que «onde luz o oiro não há vileza»... Falta-lhes é nobreza (a outra!)!


Beijinho

Enviado por Tópico
arfemo
Publicado: 26/08/2009 18:15  Atualizado: 26/08/2009 18:15
Colaborador
Usuário desde: 19/04/2009
Localidade:
Mensagens: 4812
 Re: COMO A ARTE DE FURTAR É MUITO NOBRE p/Revelata
Este assunto só o trouxe à colação pelo texto desassossegado de Betha Costa (para além de mais é um livro excepcionalmente bem escrito - um clássico); já há muito me apercebi que o sonho das utopias sempre são corrompidas por esta arte nobre, e que há que relativizar esta nossa dor. Sem abdicar dos valores, como a RE muito bem, e como sempre, soube desocultar.

Bjins

Login

Usuário:

Senha:

Recordar senha



Esqueceu a senha?

Registre-se gratuitamente!

Leia também

  • Poemas -> Desilusão - Furia - EuniceContente

Comentários Recentes

Luso Pensamentos

Frase

É incrível que, no intuito de justificar as nossas crenças, coloquemos Deus na terra e o Homem no céu

(Garrido)



A folha

A folha cai no verão.
( Era folha de papel)
Não consigo pegá-la
Porque o vento é forte
E me leva para longe.

Matheus



Insanidade perfeita

Sinto-me cansada
Já me faltam as palavras!
As que saboreio entre dissabores
Da minha própria loucura
Já não sinto o meu corpo
As vogais consomem-no
Adormece em brandas consoantes
Ficam tantas frases por dizer
Aquelas,
Que já não consigo escrever,
Falta-me a força
A caneta começa a tremer
Soluça.
O meu olhar constrói
O que meu pensamento rejeita
Esta sou eu,
A doce mulher
A insana, poeta...

(ConceiçãoB)



Tempestades

Tudo em mim, são dias de tempestades...
Por isso entrego minha alma à poesia
E meus dias a escrever versos
E meto uns poemas em velhas garrafas
E as levo para as águas intermináveis dos mares
- revoltos e tristes -
E as lanço, na singela esperança
De que um dia alguém os leia
Ainda que meus pés não estejam mais sobre este chão
E meu corpo tenha sido já lançado no ventre desta terra impura
E minha alma tenha também partido
- para a imensidão do infinito com que sonho,
ou para o abismo solitário que me amendronta...

(Vanessa Marques)


vaga-lume

... beijar-te

- era ser
pássaro azul
dedilhando ugabe

era levitar
beber das nuvens
e desfolhar os céus

era um doce caminhar
sem tocar o chão
estirpes desaguando
em aljôfar...

era dédalo a calar-me
se acontecia
cascata de sonhar-me
na boca que feliz
se fenecia

- e era livre
sendo chama
toda asas
vaga-lume
brilhante
como quem ama.

(RoqueSilveira)


Nós de poesia

A vida é feita de incompletudes...
Como os bares de mesas vazias
Nas calçadas
Ou as longas estradas
Repletas de nada dos dois lados

Ainda assim, escrevo
Mesmo sabendo que em mim
desatam-se nós de poesia
E atam-se outros em seguida.

O fato é que
Daquilo que me resta
Faço-me humanamente completa
meramente humana...

(Vanessa Marques)



Frase

"Amor" é o presente dado sem esperança de retorno,
e o que esperamos é apenas que não seja rejeitado

(Junior A.)



Frase

Como posso explicar
Esta dor
Invasora
Da minha alma
Senão dizer
Que és a mentira
Mais verdadeira
Da minha vida...?

(Raquel Naranjo)



Frase

O amor é como a justiça:
Injusto e cego.

(TrabisDeMentia)



guardanapos

do nosso beijo,
muralhas

do nosso amor,
migalhas

do nosso verbo,
mortalhas

dos nossos papos
poemas
em guardanapos

(Niké)



Sexto sentido

Tenta ouvir o silêncio...
Ver a luz na escuridão profunda...
Cheirar o aroma da mais pura água...
Sentir a textura do vento...
Saborear a doçura do sal...
Quando o conseguires...
Irás te descobrir...

(gera)



Só saudade

Dor que sente
Dor que não se mede
Que vai e vem

Com a vida vou rolando
Com a dor vou buscando
Talvez alívio...

Quando doer que seja
Sem deixar morrer
Só saudade...

(amasol)



A foz

Se cada coisinha que eu sei correspondesse a um rio... E se cada um deles desaguasse na mesma foz...Esta não teria senão o tamanho de uma bacia bem pequenina na qual eu refresco os meus cansados pés. Os rios seriam tão curtos quanto a minha felicidade, tão estreitos quanto a minha existência, tão secos quanto a minha solidão. Mas talvez, talvez bem no fundo da bacia, talvez para lá das lágrimas turvas, e para que eu me possa orgulhar, talvez sorriam dois peixinhos, que eu, apesar da distância possa contemplar! E quem sabe... Uma flor se incline e faça nascer, na foz uma flor que eu possa colher!

(TrabisDeMentia)
Posts relacionados, Plugin for WordPress, Blogger...