FELIZ NATAL A TODOS OS LUSOS

 
VENHO DESEJAR A TODOS OS LUSO-POETAS E LUSAS, UM NATAL MUITO FELIZ, PLENO DE SAÚDE, MUITA ALEGRIA E CLARO TAMBÉM PARA OS VOSSOS FAMILIARES.

NÃO SE ESQUEÇAM DE FAZER UMAS COCEGASITAS AO BACALHAU PARA O POREM A RIR.

E NÃO SE ESQUEÇAM DE ME ENVIAR UMA FILHO VIA FAX, DESDE JÁ AGRADEÇO.

BEIJOCAS CHEIAS DE ASSUCAR E CANELA DO A. DA FONSECA
 
FELIZ NATAL A TODOS OS LUSOS

VÓS SOIS UNS EGOÍSTAS

 
SIM, SIM, VÓS SOIS DE UM EGOÍSMO INCRIVEL
O MEU FAX FICOU ABERTO E EU SENTADO AO LADO ESPERANDO QUE UMA ALMA CARIDOSA ME ENVIASSE UMA FILHÓ E NEM MESMO UM SONHO!

O SONHO, TIVE, MAS ENQUANTO DORMIA,SONHEI QUE O FAX NÃO TINHA "MÃOS" A MEDIR PARA RECEBER ESSAS GULOSEIMAS, TINHA UM CABAZ EM FRENTE DELE E FICOU CHEIO DE NADA!!!!!!!!

NÃO FAZ MAL, O AVÔZINHO NÃO VAI LEVAR A MAL E NÃO VOS ESQUECERÁ.

RECEBAM NA MESMA UMAS GRANDES BEIJOCAS E UNS ABRAÇOS COM VOTOS DE UMA FESTAS DE FIM DE ANO ALEGRES E FELIZES

A. DA FONSECA
 
VÓS SOIS UNS  EGOÍSTAS

Repensar o Natal

 
Repensar o Natal
Vejo as ruas cheias e as almas vazias. Vejos as vitrines e casas iluminadas em profusão e o sentimento de solidariedade apagado. Vejo presentes trocando de mãos e o futuro nas mãos de pessoas sem escrúpulos. Vejo papais noéis de todos os tamanhos, cores e raças, mas nenhuma representação do filho de Deus, apenas pequenas e tímidas imagens de presépios.
Nesta época tentamos ser o que normalmente não somos: cordiais, pacientes e de corações incrivelmente sensíveis com a miséria reinante, que está todos os dias sentada em seu trono de injustiças, desigualdades e preconceitos.
Será que o Natal que há em nós só é despertado pela ação midiática? Não seríamos mais sensatos se esse espírito natalino nos ocorresse todos os dias do ano?
Seja você católico, evangélico, espírita, ateu, não importa. Seja nesta data um ser humano melhor e carregue este sentimento por todos os dias de sua vida. Se você é religioso esqueça um pouco a preocupação consumista, a mesa farta e os enfeites que mascaram a realidade. Represente seu sentimento de crença e fé. Distribua humanidade.
Se religião não é a sua praia, não faz mal. Isso não o torna uma pessoa menos importante para o mundo. Seja também mais humano e menos hipócrita.
É contraditório comemorar a data de nascimento de Jesus com embrigaguês e glutonaria. Comemoremos com mais sensatez e filosofia. Ele nasceu numa manjedoura e foi, para quem crê, o presente de Deus para nós. Vamos nascer como novos seres humanos neste Natal. Vamos amadurecer a idéia de que não estamos sozinhos e podemos fazer do nosso dia a dia uma constante mudança no nosso modo de pensar, na nossa ética, na nossa maneira de se relacionar com o próximo.
Sacrificar a vaidade é quase nada.
Pense nisso.
Seu amigo cheio de defeitos, egoísmos e vaidades pessoais,
Mauro Gouvêa
 
Repensar o Natal

O Natal da Paz

 
O Natal da Paz

Esse ano foi bastante atribulado para todos nós, tanto na esfera nacional - com essa crise econômica - quanto na esfera global, com diversas catástrofes ocorrendo no nosso planeta.
De uma hora para outra podemos não nos encontrar mais nesse mundo terreno, por diversos motivos, mas muitas vezes nos deixamos nos envolver demais com os problemas pelo qual passa a humanidade e esquecemos que a respostas muitas vezes está dentro de nós.
O mundo está cada vez mais turbulento, as pessoas estão deixando de respeitar o direito das outras, principalmente no país em que vivemos, o bem é rechaçado, um simples “bom dia!” virou sinônimo de submissão, a cordialidade está caindo no esquecimento, onde as boas atitudes estão cada vez mais caindo no ostracismo.
A nossa sociedade vive grandes dificuldades, principalmente por valorizar mais o “ter” que o “ser” e onde nos encontramos com tudo isso?
Se já percebemos todos esses problemas, já é um passo grande para tentarmos modificar primeiramente nós mesmos, o segundo passo é tentar enxergar o outro com mais respeito e tolerância, tentando se inspirar no nosso divino criador.
Todos nós sabemos que é muito difícil, pois na nossa sociedade não podemos ficar rotineiramente sorrindo e oferecendo a “outra face” contudo temos que policiar os nossos instintos e tentarmos mudar o “nosso” mundo nem que seja com pequenos gestos, onde o bem pode estar sendo rechaçado pelo mal, mas tentemos praticar a partir desse Natal da Paz, atos mais generosos e não fiquemos centrados no nosso mundo dos presentes, tentemos lembrar de dar muita atenção aos que precisam, pois uma palavra de carinho e de conforto, ou simplesmente um ato de lembrar daquele seu amigo de longas datas, vai modificar muita coisa nos nossos corações.


Feliz Natal e Ano Novo!

Marcelo de Oliveira Souza,IWA
 
O Natal da Paz

Natal de 2008 - AMOR!

 
Sobre o Divino Aniversariante muito já se disse. Há séculos o homem comemora o Natal, ao menos em tese, homenageando o nascimento do Maior dos Mestres. Houve um tempo em que o Natal era uma data de puro recolhimento, reunindo os membros da família em torno da mesa para as orações, a ceia, e a esperada troca de presentes. Os presentes eram meros símbolos de bem-querência, às vezes signos de reconciliação e refazimento. Nada muito caro, apenas um gesto de bom-gosto e boa-vontade.

Todavia, as últimas gerações têm visto no Natal quase que exclusivamente uma data para comprar ou pedir presentes mais caros, que reclamam uma data especial. Quem diria! Uma data especial para pedir ou comprar presentes caros... De fato, ante o olhar pidão da criança que deseja um brinquedo não encaixável no orçamento, é comum ouvirmos “não, agora não, só no natal!”. Só no Natal... Eis que o Natal se transformou em uma espécie de carnaval do consumismo supérfluo, uma trégua aos cuidados com as contas, um momento de sandice tolerável como mimo sazonal. Claro que o prazer de entregar um brinquedo nas mãos de um filho é mesmo sedutor! Ninguém imagina o amor de pai ou mãe sem esses momentos. No entanto, as gerações pregressas viveram muito bem com momentos de mesmo sabor porém com maior parcimônia, cautela, serenidade e – por que não dizer? – recato. O que o filho mais quer é um brinquedo que traga felicidade, emoção que ele experimenta quando tem a presença dos pais e irmãos consigo, brincando, dando carinho, rindo, divertindo-se. A entrega de uma propina que desobriga do amor não traz real alegria, senão um furor instantâneo logo reprimido pela ausência de tudo o mais. Outra frase muito comum no mundo de hoje é “você queria tanto esse brinquedo e já não brinca mais!”. Não mesmo. O que ele queria não veio no pacote.

O consumismo exacerbado do Natal não é, por si só, um crime diante de Deus. Não. O problema é o todo de amor e carinho que, comumente, esse consumismo substitui. Uma criança feliz é uma criança que sente o amor de seus pais, eu diria, na pele! Sente o carinho das mãos que a embalam. Sente o desconforto de cócegas, abraços, beijos, entremeados de muito riso e a cena deliciosa de um adulto e uma criança rolando no chão ou na cama. O brinquedo? Ah! Era apenas um pretexto para tudo isso.

Enfim, podemos chegar a um ponto de equilíbrio. Que o Natal seja uma data de alegrias para as crianças e adultos, sem dúvida, inclusive com presentes talvez somente justificáveis em um dia especial; mas não nos esqueçamos de que o maior de todos os presentes, com certeza o mais caro de todos eles, é o Amor que o Divino Aniversariante veio nos ensinar. Amemo-nos! Fundamentalmente, amemo-nos como Jesus nos ensinou! Eis aí o presente especial que o Divino Aniversariante deseja de todos nós.
 
Natal de 2008 - AMOR!

PEDIDO AO PAI NATAL

 
Pai Natal:
Sei que este ano mais do que nunca devido à crise, tu estás sobrecarregado de pedidos dos teus jovens admiradores.

Eu também já fui jovem e em tempos nada bons, e sei o que é precisar de brinquedos e não os ter.

Tu vais-me desculpar, mas vou fazer brevemente 78 Invernos. Dizem que quando se chega a esta idade, volta-se à infância e talvez seja por isso que te escrevo, não para te pedir um cavalinho de pau, um comboio eléctrico, não, mas sim te pedir que distribuísses em todas as chaminés por onde passas, felicidade, alegria de viver, bem estar para todo o povo, saúde, muita saúde, traz-nos a receita de como acabar com a miséria, a fome a sede, como sabes, há muitas crianças que morrem por falta de alimento e de água, com doenças para as quais eles não têm possibilidades financeiras de as curar.

Faz que a Paz se instale no Mundo, chega de guerras, chega de destruição, chega de mortes..
Faz com que o Sol brilhe para todos sem excepção.

Teria ainda muito mais para te pedir, mas sei que já está com muitos pedidos feitos antes de mim, mas se puderes dar uma mãozinha, podes crer que todas as crianças deste Mundo te ficarão muito gratas.

Obrigado, Pai Natal.

A. da fonseca
 
PEDIDO AO PAI NATAL

PRECE AO PAI NATAL

 
Pai Natal.
-Pronto, ele aí está, vai pensar o Pai Natal, todos os anos ele me escreve a me fazer pedidos que ele sabe bem que não sou eu que os posso realizar, dirá o Pai Natal ao receber este meu pedido, esta minha prece..-
Eu sei Pai Natal, já começo a abusar um pouco da tua bondade, mas que queres, eu não resisto de te escrever, e tu sabes bem o porquê, não é assim? Pois e é por isso que ficas aborrecido.
Eu te compreendo e não fico zangado, até te peço perdão de te incomodar, num momento em que tu estás carregadinho de trabalho a preparar toadas as encomendas para todas as crianças que te escreveram, e acredita, todos merecem, não meninos bons nem maus, são todos iguais, todos são puros e com um coração que pede e dá amor, então, todos merecem e é aqui que eu continuo a bater na mesma tecla.
-Olha Pai Natal, desculpa, mas eu insisto.
Todos os anos tu distribuis brinquedos. Todos os anos, tu visitas casinhas pobres e casinhas ricas,
tu conheces os poderosos deste Mundo, então, se não for muito te pedir, fala com eles; pede-lhes que acabem com as guerras, que deixem o povo viver em paz e amor, pede-lhes que dêem felicidade aqueles que não a têm, que acabem com a fome e a sede também, que terminem com os sem abrigo, que as crianças não andem abandonadas à sua sorte nas ruas imundas da vida.
Sim, sei que peço muito, mas acredita que nada peço, pois que os Senhores do Mundo têm o nosso destino nas suas mãos.

Pai Natal, com todo o respeito e carinho, te faço uma festinha na tua bela barba branca e um obrigado muito grande, pelo que tu continuas a fazer pelas crianças, e espero que tu consigas fazer com que todos sem excepção, tenham uma ceia de Natal com uma mesa repleta de coisas boas, gostava de saber que não haverá mesas vazias.

Obrigado do coração, Pai Natal.

A. da fonseca
 
PRECE AO PAI NATAL

Pai Natal

 
Hoje é um dia muito especial, estou muito feliz por ter certeza que minha cartinha o senhor vai ler, e vai conseguiu o meu coração entender.
Querido Pai, está tão difícil ser bom.
Está tão difícil ser amável é quase impossível poder confiar, poder compartilhar.
Somos prisioneiros uns dos outros Pai.
É tão difícil meu Pai, como é difícil ter que calar no momento que seria para falar.
Deixar de enxergar no momento que seria para ver.
Sabe Pai! É tão gratificante quando conseguimos superar, mas às vezes faltam-me forças me perco da esperança e nem mesmo medo consigo ter, penso: vou deixar acontecer.
Neste dia de hoje, que meu coração me diz que o senhor vai me ouvir, deixe-me ter pedir;
Para não me deixar faltar forças que eu tenha êxito por onde eu passar uma semente de amor eu possa plantar.
Aproveitando que hoje esta mesmo me ouvindo;
Toque Pai o coração de cada um destes meus amigos, familiares, filhos.
Toque-os Pai...
Sei que eles têm muitos pedidos e sei que voz, pode ouvi-los.
Então, toque-os Pai...
É este o meu pedido, para que juntos possamos fazer uma grande corrente do bem para que nunca nos falte força para manter a esperança viva.

O amor ao próximo é a chave da vida
Ajude-nos
Pai Natal.

Enide Santos 09/12/13
 
Pai Natal

Mensagem de Natal

 
Um frio brilhante e luminoso bate na minha janela tingindo tudo dum laranja quente e criativo. Olhando a árvore de Natal, prova dum lar com crianças, consigo por momentos rever uma figura de Cristo no que me rodeia. O Amor e pouco mais.
Á medida que vou acordando para todos os detalhes, outra realidade bem diferente daquela que crio na minha mente toma forma. Um Natal bem mais escuro e hipócrita.
Felizmente Jesus comemora o seu nascimento noutro dia.
Longe desta furia consumista, partilhando tudo com os que ama.
Se tivesse realmente vindo apenas para expiar os nosso pecados quão triste estaria ele agora ao ver de que valeu o sacrificio.
Amedrontados pelo passado e futuro agarramo-nos a coisas perenes e acabamos com mãos cheias de nadas. Uma mensagem que é de despojamento, de austeridade tornou-se num gigante bezerro de oiro.
Um nascimento em palhas teve que ser doirado com prendas preciosas vindas de três estranhos montados em animais de bossa e pouca sede e todos nos sentimos mais confortáveis.

Celebra o pai natal fazendo as tuas prendas e dando descanso ao pobre homem.
Larga essa carteira recheada dos pecados deste mundo.
Ama quem não te ama pois amar quem nos ama não é feito de monta.
Respira o ar puro e recebe a Luz que é de todos nós e prepara-te para morrer por aquilo que És!
Olha á tua volta e entende que a vida está nas pequenas coisas que te rodeiam.
O Futuro, o passado, a carreira, a doença, o dinheiro ou falta dele, os filhos, os pais, os bens, as ideias, as morais, a ciência, o progresso,os sonhos, os receios, as duvidas e certezas. Nada disto é tão real como o estalar sempre diferente duma baga de romã entre os meus dentes.E as palavras nunca poderão realmente descrever a realidade de que escrevo. Só alguém que também já o fez pode percepcionar aquilo de que falo.
A natalidade deixou de ser uma benção e pode ser considerada uma praga.
O Natal deveria ser apenas um começo e há muito se tornou um fim em si mesmo.
No calor dum fogo e aconchego das pessoas amadas era a altura certa para reflectir sobre os trabalhos e angústias do ano a terminar. Numa suave calma e quase apatia este é o tempo em que enfrentamos quem somos e fazemos planos para nos tornarmos alguém melhor. Plantamos sementes no nosso próprio coração na esperança de futuros frutos e bebemos vinhos doces ansiando por aromas novos. Partilhamos tudo o que somos e o que queremos ser com aqueles que amamos na certeza de que eles vão ser indispensáveis á concretização do nosso futuro.
O Natal que era um tempo dificil, de incerteza, de esperança em algo melhor que o próprio momento transformou-se numa época em que se celebra a Vida como se não houvesse amanhã. Os excessos são de bradar aos infernos.
Uma amálgama de costumes, tradições, hábitos são utilizados pela máquina capitalista para produzir um Natal totalmente artificial mas onde tudo tem um preço.
As prendas, os mimos, as boas acções, as tréguas natalicias, o perú assado ou o bacalhau com todos, os milagres, tudo se compra, vende, troca nestes dias em que queremos o melhor para todos e por que não também para nós.
Por não ser diferente deixo os meus votos de Natal a todos os que me possam ler e se alguém conhecer o Pai do dito façam-no ler estas linhas e digam-lhe que troco todas as minhas prendas, passadas e futuras por um mundo onde fosse Natal todos os dias.
Um mundo sem guerras, doenças, exércitos, políticos, advogados, companhias de seguros, atentados diários ao meio-ambiente, atentados diários aos direitos humanos, banqueiros, religiões, ódios, invejas, culpas, moedas, escravos, mentiras, manipulações ou meias-verdades.
Um mundo onde conseguimos parados entender o nosso lugar nesta bela aventura que é a Vida. Nunca as coisas foram tão belas e apaixonantemente terríveis, o Natal continua á nossa espera mas enquanto continuarmos demasiado ocupados com a realidade que criámos podemos deixar escapar aquela por que ansiamos.
Não sei porquê mas o Natal deixa-me a pensar se não andaremos mais preocupados com aquilo que queremos do que com aquilo que já temos...
Já agora Feliz Natal a todos!
 
Mensagem de Natal

[ de mim para todos ]

 
[ de mim para todos ]
 
Amizade
Amor
Carinho
Desejos
Vontades
...

Uma lista interminável de prendas!!!

Um FELIZ NATAL para todos
 
[ de mim para todos ]