Poemas, frases e mensagens sobre calor

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares sobre calor

Esperas...

 
Estou cansada da porta fechada.
Perdida no tempo de outras eras
Em que Primaveras eram lufada
De ar fresco, após longas esperas.

E o sol que brilhava era quente
Pintando as frutas verdes, de cor
As flores abriam e lentamente
Cobriam os campos sem qualquer pudor.

Eram os amores nascidos ali
Regados no orvalho da madrugada
Manhã plena, repleta só para ti.

Depois abriam-se caminhos em nós.
Rolava o calor por essa estrada.
Os hinos… cantavam-se a uma só voz…
 
Esperas...

"Descortinando sonhos"

 
"Descortinando sonhos"
 
"Descortinando sonhos"

De dentro de mim os laços, desfio.
Descortino os sonhos, sigo a rima.
Buscando com sede de sobrevivência
Ânsias que a vida molda e repagina.
E se os massacrantes dias são de espera.
Cheios de palavras tortas, sem calor.
De falas sem ênfases e entrecortadas,
Ciclos não concluídos, silêncio devastador.
Então o amor chega solto, sorrateiro.
Vestindo de ilusões os dias vãos.
Arrastando pra bem longe o desvario.
Embalando meus versos, hoje sãos.
É árvore centenária, viçosa e frondosa.
Deu ao poema represado, fala forte.
Refletiu dos dias verdes, todo o viço.
Hoje os rios dos meus sonhos, já têm norte.

Glória Salles
 
"Descortinando sonhos"

"Loucura que quero..." - Soneto

 
"Loucura que quero..." - Soneto
 
"Loucura que quero..." - Soneto

Tua boca de vulcão me convida a um mergulho
Abarco veloz, em brasa, pressentindo o arrepio
Devoro a fruta dos teus lábios sem o menor orgulho
Perpetrando sentidos,que me arrastam ao desvario

La fora, a lua abraça a noite, prateando teu olhar
Esse mesmo olhar, mavioso, aguçando os sentidos
Que famintos te procuram, na ânsia de te alcançar
Perder a noção do tempo, achar esse ouro escondido

E vou...Provar todo o calor, que vem dessa erupção
Sob a esperada proximidade do teu corpo,estremecer.
E ao ser ternamente tomada em tuas mãos,desfalecer

Vou,porque a voz que me chama, hipnotiza o coração
E já fora de mim,dou-te todas as minhas metades...
Pra sermos unos,inteiros,assumindo nossas verdades

Glória Salles
 
"Loucura que quero..." - Soneto

CRIANÇA FELIZ

 
CRIANÇA FELIZ
 
“Criança é como uma flor
Sempre mostra no olhar o calor
De seu amor
Sem nada pedir
Apenas o seu sorrir”

POR FAVOR, PARA MELHOR LEITURA,CLIQUE NO POEMA
 
CRIANÇA FELIZ

Canto do aconchego

 
Diz-me ao que vens, amor
Sem subterfúgios, sem meias
palavras. Serena como água
cristalina de um riacho

Por um instante que seja,
suspenda o choro, abafe o grito
Que te darei a mão para
que possas voar até o infinito

Que lá, sem medo com toda a
loucura do encanto, irás renascer
a cada dia um pouco mais nos
braços deste que te ama tanto

Embora eu já adivinhe, diz-me
ao que vens. Somente para que
eu tenha a licença para corrigir
teu rumo, teu passo

E possa fazer-te finalmente feliz
No aconchego do meu colo,
no calor do meu abraço.

Rudá
 
Canto do aconchego

“Sem respostas” – Soneto

 
“Sem respostas” – Soneto
 
“Sem respostas” – Soneto

Avaliar porque falhou aquele instante
Fragmentar resquícios de memória
É como fugir sem endereço, meio errante
Buscar explicação, nos pedaços da historia

O sonho irrealizado, as palavras não ditas
Perderam-se nos labirintos do nosso universo
Inescrutáveis momentos, lembranças distintas
Deixadas ou perdidas nas frases de cada verso

Tentar entender o vazio esquecido em cada vão
É num corpo desprovido de alma, procurar calor
E nesta casta ambigüidade, reformular a dor

Muito menos doloroso seria não buscar razão
Ou esquecer num canto, os detalhes de nós
Sigo sem respostas, vendo o brilho da lua, a sós...

Glória Salles

Flórida Pt
No meu cantinho...
 
“Sem respostas” – Soneto

Um Adeus

 
Cheguei, toda eu era ternura!
Mas logo vi com amargura
E as açucenas me vieram dizer;
Porquê as rosas deixáste morrer?
Também as margaridas cheias de penas
E os goivos murchos, de coração partido
Me falaram, tal qual as açucenas.
Morreram as petúnias, por te teres ído!?
Me aprontei a matar-lhes a sede.
Mas era tarde, foram morrendo de calor
E agora só há tristeza nos meus olhos. Vê-de!?
Na verdade nesta despedida houve dor.

A jacarandá está verde! Mas nega-se a dar flor!
E os orvalhos também disseram adeus, sem rancor.
Só as hortências esperaram por mim, resistiram ao calor.
Mais a um cantinho ainda encontrei as capuchinhas
E bem ao lado, as zínias suas vizinhas.
Prepara-se agora o cacto para sua flor abrir
Bem à noitinha quando chegar o luar
Só prara ver o meu olhar sorrir.
Sabendo que eu vinha, que estava para chegar.
Também a buganvília estava aborrecida!
Por não saber o que fazer à Vida.
E a palmeira? Essa estava bem altaneira!
Olhando lá de cima a vizihança
Nem bulia...sem vento, pois era dia de bonança.
Espalhavam música as cigarras cantadeiras
Bem escondidas nas dálias, ou nas folhas das trepadeiras.
E no céu nuvens escuras de lágrimas contidas
Hoje choram comigo, com saudade
das minhas rosas perdidas.

rosafogo
Ausente alguns dias, confrontei-me com muitas flores já mortas e outras já a despedirem-se.
 
Um Adeus

Seu Calor

 
Abraças-me com todo o jeito,

Sinto-me mulher de seus desejos.

Entrego-me sem ao menos pensar,

É maravilhoso o sabor de te beijar.

Me aperta por todo o corpo,

E faz minha mente delirar.

Nosso prazer fica pelo ar,

E você já está todo louco.

Fico tonta de tanto sentir,

A força desse nosso amor.

Tudo o que me faz sorrir,

É a intensidade do seu calor.
 
Seu Calor

Na terra, no mar, no céu e na lua.

 
Acorda!
Abre os olhos.
Vem ver a realidade.
Já não sou uma ilusão.
Vem… Me dê sua mão.
Se preferir um abraço apertado.
Ou um beijo apaixonado.
Veja! Estou aqui.
Vim porque te amo e sempre te quis.
Cheguei para dar-te todo meu carinho.
Fazer pouso em teu ninho.
Amar-te e ser feliz.
Não acreditas?
Abre os olhos então.
Estou aqui… E posso contigo ficar.
Se assim teu desejo for.
O que esperas?
Estou pronta para te amar.
Ser completamente tua.
Vem meu amor.
Aperta-me em teus braços.
Preciso sentir seu calor.
Quero falar só de amor.
Ser para sempre tua.
Na terra, no mar, no céu e na lua.
 
Na terra, no mar, no céu e na lua.

Encontro-te na poeira dos sonhos...

 
Encontro-te na poeira dos sonhos...
 
Encontro-te na poeira dos sonhos...

Deixo-me levar em suas asas
Entrego-me para ti
Como se fosse um sonho

Misturam-se segredos
Sentimentos
Desejos

Olhamos em uma mesma direção
Já somos dependentes um do outro
Partilhamos doces momentos

Nos amamos de longe
Nos entregamos às fantasias
Trocamos carícias em pensamentos

Palavras...
Ah, as palavras
São doces como mel

E mesmo o longe
É tão perto para nós
Que a magia cresce

Fortalece, permanece viva
Latente em cada pedaço do nosso ser
Como não crer nesse amor?

Entregamos um ao outro
A nossa alma
Cada um tem de si
O melhor
O mais bonito
Voamos para o infinito

O meu sonho é o teu
O teu é o meu
Amo-te tanto

Espero-te amor meu
Para me entregar a ti
Para amá-lo com doçura
Com paixão
E com loucura
Encontro-te na poeira dos sonhos

Maribel
08.10.2010

"Visto-me de tudo... Com intensidade, calor, afeto, amor...
E a minha melhor vestimenta é a verdade."
{ Maribel Santos }
 
Encontro-te na poeira dos sonhos...

Apague a. luz

 
 Apague  a. luz
 
Ao apagar a luz, ascende-se a lembrança de quando estavas aqui!
De quanto desejavas meu calor, lembra-se meu amor?
Sua ausência me faz querer sua palavra, seu abraço, seu corpo
Sabes amor? eu sou tua, sou namorada, sou amante
Sou a brisa que refresca sua pele
Sou a luz que clareia seu caminho
Sou a menina de seus olhos, que me fitam
Sou lábios flamejantes que anseiam
por teu beijo.
Apague a luz! quero sonhar

Nereida
 
 Apague  a. luz

É lá!

 
É lá!
 
É lá!
Onde o Sol brilha
que eu estendo a toalha da esperança
nas dunas da felicidade
e rebolo na areia que me aquece
me envolve, me seduz e nada mais...

É lá!
Onde se perde o horizonte
que os meus olhos buscam a verdade
na imensidão do mar, de tão revolto
soltam-se lágrimas salgadas de saudade

É lá!
Que eu procuro e não encontro
a luz pela qual me quero guiar
Que venha o sol, a cada dia mais risonho
e me encha a alma de calor e de amizade!

Maria Fernanda Reis Esteves
48 anos
Natural: Setúbal
 
É lá!

"Luz na madrugada" - Soneto

 
"Luz na madrugada" - Soneto
 
"Luz na madrugada" -Soneto

Das horas, o silêncio de repente posso entender
Vi no acúleo das palavras amarrado meu sonho
Destino impreciso, alheios ao meu frágil saber
E a luz tênue me impede de ver o futuro risonho

Adestro as linhas, e traço versos na madrugada
Como se pontos e vírgulas fossem sujeição à dor
Uso as rimas como escudo, me protejo desse nada
Faço pacto com as palavras, ato lúdico, sonhador

Porque esgoto todo o verbo nessa ânsia de alento
E como quem rege a vida, reputando o pensamento
A chama do candeeiro derruba a noite no horizonte...

Ainda que atras das nuvens, o sol reacende a crença
Molhando a claridade que impõe do dia, a presença
Traz a lucidez das respostas no calor de sua fonte...

Glória Salles
04 dezembro 2008
Santa Casa de Adamantina SP
03:33 hr
 
"Luz na madrugada" - Soneto

“Página branca”

 
“Página branca”
 
Meu coração se apressa em te lembrar
No raro encanto que teu olhar encerra
O calor do teu afago a me queimar
Restringindo a tortura dessa espera

Deusa de tuas noites, apenas quero
Enlanguescer perdida no teu abraço
Aspirar todo encanto, que com esmero
Ofereces no aconchego do teu regaço

Vem, leva o inverno que em mim mora
Quando da tua ausência, farta me vejo
Traz teu olhar, que meus sentidos aflora
Entontece-me com a fúria do teu desejo

Toma meus sonhos nos lençóis de cetim
Sou tua página branca, rabisca em mim

Glória Salles

No meu cantinho...
 
“Página branca”

QUERO O TEU...

 
QUERO O TEU...
 
Quero o teu amor
E o teu calor...
Vem, para abrandar
A minha alma que
Queima de paixão.
 
QUERO O TEU...

As Quatro estações...

 
As Quatro estações...
 
PRIMAVERA

Estação das flores,
estação da beleza em flor,
primavera estação que te conheci
flores me ofereceu

VERÃO

Estação do calor,do sol da praia,
Estação das mais gostosas férias
Nela começamos a namorar,
Beijos você me deu.

OUTONO

Estação onde as folhas se secam e caem,
Estação cheia de magia,vibrações alegres
Aliança você colocou na minha mão
Meu coração batia forte de emoção.

INVERNO

Estação do frio,do aconchego,do amor,
Estação para os amantes apaixonados
Estávamos felizes e nos amando ainda mais,
Trocamos nossas alianças,estação do nosso casamento.

Quatro estações,quatro ciclo da minha vida
Quanto amor fizemos,quanta paixão vivemos.
Quatro estações muitas emoções.
 
As Quatro estações...

Vim porque te amo.

 
Acorda… Abre os olhos.
Vem ver a realidade.
Já não sou uma ilusão.
Vem… Me dê sua mão.
Se preferir um abraço apertado.
Olhe… Estou aqui.
Vim porque te amo.
Porque sempre te quis.
Vim dar-te o meu carinho.
Fazer pouso em teu ninho.
Amar-te e ser feliz.
Não acreditas?
Abre os olhos então. Estou aqui…
E posso ficar contigo,
Se assim teu desejo for.
O que ainda esperas?
Estou pronta para te amar.
Ser completamente tua.
Vem meu amor.
Aperta-me em teus braços.
Preciso sentir teu calor.
Quero só falar de amor.
Ser para sempre tua.
Na terra,no mar, no céu e na lua.
 
Vim porque te amo.

Amor sem lençol

 
A beleza...
Duma praia distante!
Onde o sol cobre o mar.
Reflete a luz brilhante,
Dos olhos querendo amar!

Teu olhar...
Nessa tarde semblante,
Um canto vem entoar!
Sob o céu elegante,
Anda-me a remar.

O mar...
Com ondas rasantes,
Chama-nos para mergulhar.
A água buscando horizontes,
Na areia vem nos molhar.

Teu corpo...
Molhado nas curvas dos deuses,
Sobre o meu vem consagrar.
Desde a pele aos dentes,
Teu calor vem enxugar!

O sol...
Pinta um sorriso na nuvem!
Marcando a tarde de verão.
Nasce clareando a paisagem,
Adormece aquecendo a solidão!

O amor...
Nascente como fruto natural...
Regado sob a luz do sol.
Tornou-se ainda mais especial
Sendo consumado sem lençol!

02/03/2010

---
Van
 
Amor sem lençol

Hoje só quero amar.

 
Sei lá o que...
Não quero ler pensamentos.
Nem vasculhar, mentes,vidas.
Sei lá o que...
O que quero mesmo...
É chegar perto de você.
Não almejo ser seu tudo.
Seria completamente absurdo.
Quero oferecer minha amizade.
Minha solidariedade.
E também o meu calor.
Posso também oferecer o meu amor.
E se tudo isso, ainda for pouco.
Invente você uma outra maneira.
Mesmo para falar besteira .
Jogar conversa no ar.
Pare de questionar.
Pois hoje, eu só quero amar.
 
Hoje só quero amar.

Despeço-me de ti

 
Despeço-me de ti
Tal amante sombria
Que vê o amor partir
Para longe de si.

Logo chega a nostalgia
Do outro, mais frio
Que me deixa triste
Colorindo de castanho
As margens do meu rio.

Depois, vem ainda mais um
De todos o mais gélido
Num arrepio comum
Que me faz morrer de saudade
Do primeiro e de mais nenhum.

Vem a outra, simpática e amena
Debruada de flores
Com uma espada, que o anterior condena
Com risos de amores
E um alegria, para mim,
Ainda pequena.

Mas é ela quem te anuncia
Com a sua morte
Para minha sorte
Porque volto aos teus braços
Quentes e fogosos
Da minha paixão
Meu macho preferido
Meu mar, meu Verão.
 
Despeço-me de ti