Poemas, frases e mensagens sobre caminho

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares sobre caminho

Basta saber-me viva

 
Basta saber-me viva
 
BASTA SABER-ME VIVA

Meu coração é uma gaiola dourada
Nela se solta o Amor e a Amizade
Branca, como o branco desta folha intocada
Nela um pássaro vai chilreando saudade.
Hoje lhe abri as portas
E a felicidade andou pertinho
E as lembranças já mortas?!
Fui deixando p'lo caminho.
Mas na verdade me doeu
E na garganta um nó ficou
Nas lembranças,também habitava eu
Se por lá fiquei, agora quem sou?

Apago-me como flor sem sol, tanta vida lá atrás
Já pouca coisa resta, o silêncio sobre mim se deita
Nesta descida entre a saudade e o frio, tanto faz!
Mastigo incertezas, já que a Vida não é perfeita.

Deixo-me a pensar com meus botões
Enquanto cai uma chuva enfadonha
Basta saber-me viva de ilusões
Minha alma malferida, ainda assim,sonha
Insistem os chilreios em meu coração
E há largueza por onde entra a claridade
Mas quando já não restar emoção?!
Serei como raiz sem apego, sem lugar
Morrerei de saudade...
Levada p'lo tempo, deixando-me por ele apanhar.

rosafogo
 
Basta saber-me viva

O Inverno da Vida

 
O Inverno da Vida
 
O INVERNO DA VIDA

Hoje não vou à fonte
Deixo-me ficar neste entretém
Fico a olhar o horizonte
No silêncio eu e ele, mais ninguém.
Mais logo as estrelas vão surgir
Vou agarrar uma se puder
Para quando a solidão vier
Iluminar o meu existir.

Escondo-a num abrigo do coração
Bem ao pôr-do-sol da minha Vida
Ao anoitecer deste meu céu escuro!?
E assim a Vida não terei ainda perdida.
Pode o Mundo parecer-me duro.
Ser até meu caminho feito pó
Colherei ainda o que semeei
E assim não me sentirei,
Nunca só.

Deixo a fonte lá bem distante
Ouço-lhe apenas o rumor!
Que a Vida é um só instante
Nesta hora, como o sol, perde calor.
A Vida é uma migalha
Não penso que é eterna!?
A morte chega não falha.
A noite é fria, e a vida já inverna.

rosafogo
 
O Inverno da Vida

Coração sem expressão...

 
Coração sem expressão...
 
Hoje me proponho a mudanças...
Mudarei meu caminho, mudarei meu amor...
Nessas mudanças incluo você...
Meu amor era mais forte, mais verdadeiro...
O seu, era de brinquedo, de mentiras...
Meu amor ,era paixão era saudade...
O seu era brinquedo, passa tempo...
Meu amor era pulsar o coração...
O seu era coração sem expressão...
Por isso varrerei tudo...varrerei você...
 
Coração sem expressão...

sexto sentido...

 
Embaciaram os vidros
ficou a memória confusa
e o caminho mais pálido
já não me arrancam sorrisos
andei léguas com passos indecisos
até chegar ao horizonte tão meu
onde a infância é já só uma fábula
onde os verdes já são pardos
turvo o azul do firmamento
e na penumbra o pensamento.

A manhã me oprime, o sol me ignora
a tarde me cega, logo a escuridão
e logo a aurora a urdir novo dia
e é mais um sonho que se abrevia
caminho já sem meus passos
fora de mim, distante,
amor já não é anseio
já não abraçam meus braços.

Ah...mas o sonho sempre germina!
E o coração envelhece mas não pára de amar
o amor a vida domina
e é sempre ele que ergue do silêncio
e nos vem embriagar...

natalia nuno
rosafogo
 
sexto sentido...

Jeito de ver

 
Jeito de ver
 
Tenho arestas
quem não as tem?
(Tenho um olho na testa
que vê além)
E assim sigo a vida
perseguindo
quimera perdida
de visão
(inverossímel)
vida que é vivida
Em tudo que me é impossível.

E sigo assim
vivendo a vida
além...
(as vezes aquém)
de mim, rumando ao fim.

Nessas calhas de roda
que vivemos sem razão
esmagando os dias
vivendo as noites
em lúbrica ilusão.

Porque?
Porque sim!
(e porque não?)
 
Jeito de ver

Fluxo contínuo

 
Fluxo contínuo
 
O amor é um fluxo contínuo de doação,
não há o caminho oposto do querer para si o fruto de uma entrega total, assim os humanos engatinham no aprendizado de amar, haja vista o amor buscar expressão através do humano. A "coisa" é tão mal vivida, que quando se diz: " Eu te amo", equivale a dizer: "Quero o seu corpo", ou seja nada haver com amor. Aquilo que estes apaixonados vivem é apenas expressão animal. Para dar expressão ao amor em si, é preciso outro tipo de vivência. Aqui seria melhor dizer nos comentários: "Nossa, que linda a sua expressão animal".
 
Fluxo contínuo

Um só caminho

 
Nas tuas mãos o meu corpo
No meu corpo a minha alma
Na minha alma a minha vida
Na minha vida um caminho
No caminho um amor
No amor uma paixão
Na paixão o teu corpo
No teu corpo as minhas mãos
Nas minhas mãos o carinho
No carinho o amor
No amor só um caminho
No caminho só tu.
 
Um só caminho

Fecha-se um ciclo

 
Fecha-se um ciclo
 
Visto-me desta inconstância
Rejeito a monotonia
O que antes me dava prazer
É agora gerador de uma forte agonia

Na vida nada é estanque
A mudança é positiva
Há que saber dizer basta
Àquilo que te faz sofrer
E dar a volta por cima

Na hora de decidir
É preciso ter coragem
Não há nada a temer
Fechado um ciclo
Inicia-se nova viagem
Com destino à felicidade

Maria Fernanda Reis Esteves
50 anos
Natural: Setúbal
nandaesteves@sapo.pt
 
Fecha-se um ciclo

Um mundo caminhante

 
Um mundo caminhante
 
 
Um mundo caminhante, desprovido de amor

É este o chão em que hoje pisamos

Talvez uma boa parte tenha esquecido

O que faz este mundo girar

Tão mais forte e bonito

Que é somente o amor...
Um mundo tão cheio de tristeza

Onde a maldade de muitos

Põe em colisão o pensador

Que pensa que tudo gira

Em torno do amor...
Um mundo onde existe pesadelo

Não é preciso dormir para tê-los

Basta olhar com atenção

Vendo como muitos morrem

Pela famosa desnutrição

Quanta falta de amor.
Um mundo com imagens distorcidas

Onde o pior cego é aquele que vê

Mas faz questão de não enxergar

Principalmente quando não sentem

Aquele grande sentimento

Chamado amor...
Um mundo capaz de explodir bombas

Tudo em nome da paz

Como podem ser tão inescrupulosos

Utilizar guerras falando em liberdade

Se não conhecem a verdade

O amor incondicional...
Um mundo onde todos poderiam ser felizes

Bastava apenas conhecer a felicidade

De estar aqui vivo... A vida é a plenitude

É o alvorecer de sentimentos

É a sabedoria do conhecimento

Desta chama que incendeia

O amor puro
Um mundo cabisbaixo sem fronteira

Cada ser poderia uma vez ao dia pensar

Que o corpo que envolve este sentimento

É na verdade uma casca que temos

Para cobrir a nudez de nossa alma

Por amor daquele que embalsamou
Um mundo onde ainda bem temos

Liberdade de expressão, cada ser fala

Como lhe condizem os pensamentos

O respeito também faz parte do amor

Sem ele nada pode existir
Assim é um pouquinho do nosso mundo

Aqui, aí, ali, acolá... Por este mundo afora

Tudo é baseado no amor

A amizade, companheirismo, envolvimento

De todos os seres deste mundo em que vivemos
Talvez hoje seja aquele dia especial

Quando eu, você, olharemos para dentro de si

E descobriremos que o amor é tudo que temos

Que sem ele não pode existir a nossa Paz interior

E muito menos a Paz Universal
 
Um mundo caminhante

teus olhos

 
"... no silêncio cruel de mais uma noite,
vou dormir sem te encontrar...”
----------------------------------------

- teus olhos -

À procura
do teu doce olhar
não posso esconder
o quanto te amo.

Agora
estás longe.
E eu
tão triste,
no silêncio cruel
de mais uma noite,
vou dormir
sem te encontrar.

Espero
que amanhã
o sol brilhe outra vez;
depois de um dia comum,
que à noite teus olhos
- como estrelas-guia,
iluminem meu caminho.



--------------------------------------------------------------
©LuizMorais. Todos os direitos reservados ao autor. É vedada a copia, exibição, distribuição, criação de textos derivados contendo a ideia, bem como fazer uso comercial ou não desta obra, de partes dela ou da ideia contida, sem a devida permissão do autor.
 
teus olhos

Flor nascida na terra

 
Flor nascida na terra
 
FLOR NASCIDA NA TERRA

Sou flor nascida na terra calada
Trago em mim o orvalho da madrugada
E um Sonho que em mim aflora
Latente vibrando a cada hora.
Mesmo por atalhos estou de chegada
O dia desmaia, e eu, de tanta jornada.

A brisa trouxe comigo!
Também a saudade doída.
Trago tudo dentro do peito,
Tudo o que é meu por direito
É tarde já surge a fadiga.

Não há motivo que apague
Lembranças da minha memória
Nem que no olhar se alague
Páginas da minha história.
Nasci longe do progresso
No seio de gente boa de coração
Um dia estarei de regresso!
E que os pássaros não me estranhem,não?!
Porque eu sou a mesma de então.

Nasci cheirando a terra molhada
De madressilvas perfumada
Bebi das fontes, àgua clara
Me senti uma criança rara.
O Mundo já era Mundo
Chego por fim!
Alguém me estendeu os braços
E num desejo bem profundo
Minha terra, tu me acolhias a mim.

Deixei teu cheiro a rosmaninho
TERRA que hei-de sempre amar!
Ao regressar vou encontrar o caminho
É no teu chão que quero descansar.

Rosafogo

Não há TERRA como a nossa!
LAPAS é a minha.
 
Flor nascida na terra

LAMENTOS DE POETA

 
LAMENTOS DE POETA
 
LAMENTOS DE POETA

Trazia as mãos pejadas de sonhos
Os sonhos repletos de promessas
Endoidecidos os dias, tão risonhos
Numa solicitude pedindo meças.
Mas os passos tornam-se pesados
As gargalhadas vão ficando apertadas
Ao desespero enlaçadas
Assim mirram os sonhos desgrenhados.

E a vida se fecha sem aviso
Marcada p'la nostalgia
Vincadas as rugas, é preciso
tolerá-las dia após dia.

Pensamentos em desalinho
Já não guardam segredo
Não sabem nada do caminho
Mas vão-no seguindo a medo.

Não me falem com palavras piedosas
Nem me digam só o que me convém
Prefiro engolir palavras audaciosas
Digam...digam que não sou ninguém!
Deixem-me partir cansada
Deixem que me vá embora
Com o rosto em pranto calada
Deixem-me no meu refúgio por agora.

Trago as mãos inábeis como ventos
Cruzo os braços e medito, a sós!
Ouço Cânticos de Poeta, lamentos
Que são rios que me correm na voz.

rosafogo
natalia nuno
 
LAMENTOS DE POETA

"Tudo muda"

 
"Tudo muda"
 
O que me apavora,
não é o desvario que é içado
por minha fantasia.
Mas a incompletude
desta trama.
Amedronta-me a confiança inerte,
que mancha de fastio
o dia seguinte,
por conta do arrebatador que
se ausenta no que é previsto.
Não temo a vida
e os seus montantes fartos.
Mas o cuidado excessivo
com o pormenor que permite
a sentença negada!
Não me intimida o delírio
que sugestiona a escolta do insólito.
Insosso o trajeto delineado,
os passos seguros,
por caminhos alinhados.
Roubando a cor do prisma
Com prévia decorrência.
Escolho o inusitado risco das curvas.
No minuto seguinte...
Na primeira curva...
Tudo pode mudar.

Glória Salles
22 junho 2004
02h35min

No meu cantinho...
 
"Tudo muda"

Sigo

 
Sigo
 
Caminho. pela rua deserta
Noite. escura
O chão esta molhado pela chuva que
caira
O que a torna mais escura
Ao longe a luz de uma janela
Alguém bate uma porta
Tudo novamente e silencio
Sigo pela rua deserta
Sigo pela escuridão da noite

Nereida
 
Sigo

Tanto passado

 
Tenho tanto
De passado...e
Nada de futuro
Tanto caminho
Andado....e
Na minha frente
Um muro
 
Tanto passado

Acende a última noite

 
Acende a última noite
Do meu pesadelo
Apaga a escuridão
Do meu medo
E mostra-me a luz do dia.
Toma conta da minha força
Destrói a minha imagem
E constrói o que sou
Fora deste mundo
Que criaram para mim.

Ilumina a minha vontade
Com a ténue luz da verdade
Onde os instintos mesquinhos
Da nossa realidade
Tornam negros os desejos
Da alma branca.

Ama-me com a maior
Simplicidade que possas conseguir
E faz-me sentir
Que sou apenas mulher
E que tu és o caminho
Por onde quero ir.

Toma conta de mim
Meu amor,
Não me deixes continuar a lutar
A favor desta corrente
Onde me querem amarrar.
 
Acende a última noite

Bonsai

 
Bonsai
 
Envasando a árvore da vida
Aparando lhe os ramos
Dando forma à harmonia
Aramando lhe os galhos
Que lhe sustentam o porte
Suavizando lhe a sede
Estiliza se a forma
Com arte e rigor
Delineando o caminho
Complexo do eu interior


Maria Fernanda Reis Esteves
53 anos
natural: Setúbal
 
Bonsai

LUZ DO AMOR

 
LUZ DO AMOR
 
Luz que alumia os caminhos da vida
Inspirada no coração
Realizada com a razão
Causando na vida união
É a luz do amor tão querida

POR FAVOR, PARA MELHOR LEITURA, CLIQUE NO POEMA
 
LUZ DO AMOR

O poder do amor

 
Uma vida inteira de escuridão pode ser iluminada com um único segundo de amor.
 
O poder do amor

A caminho de Santiago

 
A caminho de Santiago
 
A caminho de Santiago

Muitas ruínas se encontram na estrada
E castelos medievais ao redor do lago
O que suaviza esta enorme caminhada
São as flores, os frutos em espaço vago

Em dias claros ou então na madrugada
Na direção do caminho para Santiago
Quem busca a paz na noite estrelada
São pessoas comuns e também magos

Há muito séculos alimentando sonhos
Alguns andam tristes, outros risonhos
Todos caminham a pé e com vontade

Uns vão mudar a sua visão do mundo
Outros terão um olhar mais profundo
E mudarão para sempre sua realidade

jmd/Maringá, 21.03.10
 
A caminho de Santiago