Poemas, frases e mensagens sobre criança

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares sobre criança

O balanço

 
Em uma árvore no alto da colina
Tinha um balanço que hoje é lembrança.
Lá ficaram os sonhos da menina
Se balançando em fantasias de criança.

A menina até no céu cantarolava
E sua voz se espalhava na colina
Quanto mais o balanço balançava
Mais alto cantava a menina

A menina não sabia o q' era dores
Apenas se entretinha a balançar
Cantava sorrindo para as flores
E só com flores vivia a sonhar

Um dia deixou de ser criança
Mas não matou dentro del' a menina
Quer retornar pro balanço que balança
Quando o balanço já não está mais na colina.
 
O balanço

Ao Bisavô, com carinho

 
Eu era criança, ainda me lembro
aquele pai levando seu filho na escola
num fusquinha branco de janeiro a dezembro
pelo mesmo caminho até virar um rapazola

O tempo também foi seu passageiro
acompanhou sua luta e sua história
os filhos casaram, levando um exemplo verdadeiro
daquele pai trabalhador na sua geração e na memória

Os netos nasceram e o Vovô também com eles
fizeram do seu colo o seu porto seguro
e o pai pela segunda vez ouviu seus quereres
tirou das suas lutas diárias, o sonhado futuro

E agora, os netos agradecidos abrem passagem
para seus filhos, bisnetos daquele primeiro pai
pela terceira vez, deixou de herança na linda imagem
o sentido das suas vitórias, enquanto o tempo se vai

De todas as homenagens que nesta vida já recebeu
a melhor de todas foi a que Deus lhe deu
balançar sua vida ao lado da bisneta amada
feito criança, ao lado do anjo, de alma alada
 
Ao Bisavô, com carinho

Como uma criança...

 
Como  uma  criança...
 
Como uma criança...
De mim deixei soltar
a criança de outrora.

Sorri com alegria
brinquei como criança
me enterneci com meus amigos
correndo atrás das bolinhas de sabão
que as pistolas
deixavam soltar pelo cano...

Foi um não mais acabar
de sorrisos
gargalhadas
e encantos
sem serem sonhados
nem programados
momentos estes
que não mais irei esquecer!

Guardadei para sempre em minha memória
no baú das recordações
onde se guarda o mais terno amor
de criança!

*****LuísaZacarias*****
*04-06-2014*
 
Como  uma  criança...

CRIANÇA FELIZ

 
CRIANÇA FELIZ
 
“Criança é como uma flor
Sempre mostra no olhar o calor
De seu amor
Sem nada pedir
Apenas o seu sorrir”

POR FAVOR, PARA MELHOR LEITURA,CLIQUE NO POEMA
 
CRIANÇA FELIZ

FESTA JUNINA (Poema infantil)

 
FESTA JUNINA (Poema infantil)
 
Ao João damos as mãos
Ao Antônio o coração
Pedro e Paulo emoção
Então vamos dançar
Estes dias festejar
Com animação e alegria

POR FAVOR, PARA MELHOR LEITURA, CLIQUE NO POEMA
 
FESTA JUNINA (Poema infantil)

Psique e Cupido

 
Tal encanto não se via, entre as belas era a mais bela mortal
Exaltada, em canções entoadas, tão linda não se conhecia
Usurpou a glória da deusa universal

Mas embora dona de tal virtude, não conseguia despertar nos homens, amor
E por um deus-monstro foi amada, o mesmo que a desposou
No alto de uma montanha, por um vento foi elevada, levitou

Tal encanto se quebraria, quando logo veio a descobrir
Pela luz das velas que luziam, que o marido que de beijos a cobria
Não era monstro, mas Cupido, o deus do Amor, que alegria!

Magoado com tal atitude, o deus logo se indignou
_ Psique, é assim que retribuis o meu amor? - perguntou
O castigo foi perdê-lo, e pela sua desconfiança chorou

Correu ao templo, desesperada, aos deuses todos implorou
Pelo perdão de seu marido, que revoltado, o negou
E assim desconcertada, quando nada mais esperava, se animou

Cumpriu suas tarefas divinas, e com asas coloridas, amou
Cupido, solitário, não mais suportou viver sem a amada, e perdoou
Retirada de seu sono pela ponta de uma flecha, despertou

Por tais feitos, suplicantes, um deus a tornou imortal
O que começara duvidoso, por fim perpétuo se tornou
Unindo o casal para sempre, em laços inquebráveis de amor

E da união de tais seres, na forma de uma criança
Nasceu logo uma esperança chamada Prazer
Que bela visão, celestial imagem, pura essência de viver!
 
Psique e Cupido

NÃO FUI MENINO PERALTA

 
NÃO FUI MENINO PERALTA

Não fui menino peralta...

A inapta velhice
Na estultícia da noite alta
Agora, bem agora
Lembra, sem matriz,
Aquela peraltice
Das tolices
Que não fiz...

Justo ela, a manha,
Aquela entranha
Que por ora me falta...

Ter sido obediente
: A desobediência
Mais casmurra e burra
Da inteligência
Daquele menino tão paciente
Sentadinho à beira
Da calçada da rua
 
NÃO FUI MENINO PERALTA

Ergue-te e avança!

 
Ergue-te e avança!

Hoje, das minhas veias, um verso saíu.
Saíu de mansinho e não me feriu!
Encostou-se à minha boca
E logo exigiu,
Ser partilhado na hora.
E eu como louca
Pú-lo porta fora.
Ergue-te e avança!
Mas cuidado, és ainda uma criança
Não vá o Diabo tecê-las?!
Que terra firme?!Que será de ti?
Eu sei que à noite hà estrelas!
Mas há solidão...que eu bem a senti!

rosafogo
 
Ergue-te e avança!

À Vida (Suspiro)

 
À Vida (Suspiro)
 
À Vida (Suspiro)

A Vida tem sempre duros espinhos
Mal se chega logo se apronta a partida
Deixa travos amargos p'los caminhos
E é já tão longa a distância percorrida.

É breve, tão breve como suspiro leve.
É só a alegria dum riso que nos resta
E é já a despedida, que chega breve!
A hora vai passando e com ela a festa.

Lembra o já vivido, o fulgor da mocidade
Lembra-se o tempo de tão ingénuamente
Querer crescer com tanta ansiedade...

Mas hoje a Vida é Sonho ao fim a chegar
Quero este sonho, quero viver ardentemente!
Quimera de criança, querendo Mundo abraçar.

rosafogo
 
À Vida (Suspiro)

DESCALÇA PELA VERDURA

 
DESCALÇA PELA VERDURA
 
DESCALÇA PELA VERDURA

É difusa a luz do meu dia
Suave é hoje meu viver
De amor talvez...de alegria
Ou o prenúncio dum doce morrer.
Comtemplo a lua no céu
A noite que se aproxima
Me afaga o rosto e eu?
Revelo-lhe o amor que me anima.

Me despedi da tarde
Terei outras que o futuro me der
Desta já tenho saudade!
É assim este meu coração de mulher.

Há dias que ando triste, sem sentir,
nem presente nem passado.
Mas trago na alma o pressentir
Dum tempo mais sossegado.
A vida é tão inconstante
Nos confunde sem ter dó
É mar sereno e num instante?!
Nos põe na garganta um nó.

Mas hoje deixo minhas penas
Que é suave o meu viver
Na estrada que trilho apenas
Esperança e amor quero ter.

Hoje, sou criança correndo p'la vida
Descalça pela verdura
Sonho com a infância querida...
Quem sonha é como quem procura!

natalia nuno
rosafogo
 
DESCALÇA PELA VERDURA

A criança. A vida. A candura...

 
A criança. A vida. A candura...
 
Como é bom ter uma criança...
Em seu esplendor!
Seja como for.
Não pode faltar amor!
Senão ficam tristes descolorindo
Seu mundo de sonhos.
Sonhos: sonhados,
Não percebidos por sua inocência.
A criança. A vida. A candura...
A ternura de ser inocente
Compara-se ao bailar das folhas
Tocadas pelo vento...
Ao nascer do sol, ao brilho das estrelas,
No desabrochar das flores – um rebento!
Impetuoso perfume da vida...
No sabor dos doces, mesclados de carinho.
Tê-las ou não tê-las no seu ninho?
Um sorriso divino – valioso tesouro,
Renova a esperança - inspira confiança!

Guarulhos, 08/11/2014 – Mary Jun
 
A criança. A vida. A candura...

ESPERANÇA

 
ESPERANÇA
 
Era uma vez...
Uma criança
Por nome Esperança!
Esperança brincava,
Sorria, corria e pulava.
Mas vivia triste, e triste
Era o seu sorriso.
Porque não enchia a pança!
Enquanto outras crianças...
Faziam festança.
Lambuzavam-se
E estragavam a comilança!
Estas crianças faziam assim:
Não porque eram más; mas
Porque os adultos não ensinavam
A dividir, a amar e pensar...
Nos por menores!
Esperança esperava um dia ter:
A mesma alegria e ser amada.
Quanto sonho de criança...
Tinha Esperança.
De encher a pança
E participar da comilança!
Ah, Esperança! Doce anjo...
Menino, menina, criança...
Doce bombom da infância!
 
ESPERANÇA

O mundo dos sinais

 
Encerrado no teu mundo
perfeito e impenetrável
onde é difícil entrar
e interpretar os sinais,
desvendar os teus mistérios,
poder contigo brincar

Crias rotinas de vida
Que não deixas partilhar.
E finges que nem me vês.
No autismo dos teus sonhos
és um menino diferente...
Criança tão especial!

É na leveza das águas
que te soltas, que te entregas
às carícias de um amigo
que, apesar, de ser golfinho,
permites que te dê beijos
que agradeces com abraços

Conheces bem os seus sons
e respondes aos seus estímulos
com um sorriso rasgado
e captas as vibrações,
sabes sua linguagem,
com ele te comunicas.
A mim tu não te revelas,
sou só um simples mortal!

Maria Fernanda Reis Esteves
49 anos
Natural de Setúbal
Email: nandaesteves@sapo.pt
 
O mundo dos sinais

Há uma criança

 
       Há  uma criança
 
Sei: Há uma criança em mim, que ri e,
se encanta com o canto do colibri
Um desejo de brincar sem fim
***
De apontar a primeira estrela que
chega de mansinho
Do afago de meu cãozinho
Pega pega, pegador
***
Olhar as nuvens e, ver bolinhas
de algodão
Caracóis dos carneirinhos
Que adultos não querem saber
***
Da florescencia do Ipê
Da beleza do cafezal
A cantiga de roda
Saia rodada com avental
***
Há uma criança dentro de mim
Sem querer ver tantas mazelas
O choro das donzelas
Não quero crescer, e ver o sonho desvanecer

Nereida

O silêncio é um dos argumentos
mais difíceis de se rebater

Dalai Lama
 
       Há  uma criança

Desenho

 
Com o lápis na mão,
voando na imaginação
parece brincar
a todo instante.
De repente,
um círculo
vira bola,
um quadrado
é um avião.
Assim horas
e horas
viaja longe
em toda direção.
O desenho
da criança
as vezes não é fácil
de adivinhar
e você sem saber
tenta interpretar.
Misturam cores,
inventam formas,
falam de seus
sentimentos,
sem constrangimentos!
 
Desenho

VERSINHOS DE AMOR

 
VERSINHOS DE AMOR
 
“Versar é a forma linda de cantar
Os versos nos fazem sonhar e a continuar
Trilhando no caminho da poesia da vida”
----------------------------------------------------------------

POR FAVOR, PARA MELHOR LEITURA, CLIQUE NO POEMA
 
VERSINHOS DE AMOR

Eu estou por aí...

 
Estou por aí, a espera de um doce...

Me dê um doce de vida, que eu te dou o sol que brilha, que brilha no meu peito, aguardando acolhida.

Somente a comida é que enche a barriga.

Não a comida que eu faço, essa é pra não morrer de tédio, durante o caminho que faço.

Quero comida feita por mãos de Alice, Branca de Neve ou Bela Adormecida.

Porque na caminhada, não encontrarei com o Homem de lata, nem Anões, nem mesmo uma Bruxa pra me furar com uma agulha.

Sei que parece delírio tudo isso.

Tem momentos que parece que flutuo em minha própria mente.

Mas mente de criança, não tem delírios...

Tem dias de vida, sem se misturar com a desgraça de caminhos entrelaçados de vícios obscuros, que de dia, tem rotina pousada na sequência que desagrada a alma bandida...

E de noite, tem pausa, que sem querer, mas desejando o infame, se solta em uma roleta russa sem nome, pra poder da conta de sua fome.

Acho que fome de crescer, entender, de ter sem se arrepender...
Mas é que voltar a ser criança enquanto passo pela vida sem saber a andar por onde...

Ajuda a estar por aí, sem me acusar de não mais está engajado em ser apenas o que a vida me trouxe até aqui...

Se não o peso é grande...

E não suportarei a mudança de sair de uma vida de esperança, pra fazer o mundo girar ao redor de mim.

Mas principalmente ser criança na inocência da estrada que mora dentro de si, e não nos caminho que vejo em minha frente, e que decido escolher, mesmo que me leve a sofrer.

Mas assim mesmo estarei por aí...

As vezes ao vento...

Sem me arrepender de sair da casa que morei quando criança, e que me traz tantas lembranças, de quando não tinha nome de gente, apenas um apelido que dançava conforme a música e o tempo...

Mas que não imaginava que em um simples dia, um belo nome eu seria, cheio de mistérios, e que se misturou em um mundo de cheio de velhos...

Só que seria bom se fosse os idosos, mas só os que trouxeram sabedoria em suas costas surradas...

Só que não são os idosos não, é um povo egoísta em sua jornada, caminhada...

Que estão por aí...

Sofrendo e fazendo o outro sofrer!

Simples assim.

Antonio de J. Flores

Uma reflexão com uma pequena homenagem ao ser criança!
 
Eu estou por aí...

SER CRIANÇA É...

 
SER CRIANÇA É...
 
“Criança feliz se conhece no olhar
Em suas atitudes sem medo
Em seu sorriso espontâneo
Em seu olhar transparente”

POR FAVOR, PARA MELHOR LEITURA, CLIQUE NA IMAGEM
 
SER CRIANÇA É...

(Cresce e aparece)

 
(Cresce e aparece)
 
No mar da minha poesia
navegaste teu olhar
mergulhaste teu coração
procuraste uma palavra
um ponto final,uma reticência
algo que te indicasse bem no fundo
do meu ser,o sentimento ansiado
mas,meu sentimento mais puro
eu guardo bem profundo ,no meu âmago
bem juntinho à criança que ainda existe em mim
talvez um dia quando amadureceres mais um pouco
vejas à deriva o que agora te passa despercebido.
 
(Cresce e aparece)

A PIPA AMARELA (Poema infantil)

 
A PIPA AMARELA (Poema infantil)
 
“Partilhar com o irmão
Da Paz ao coração
Sem precisar chorar
Por qualquer razão”

--------------------------------------------------------------------

POR FAVOR, PARA MELHOR LEITURA, CLIQUE NO POEMA
 
A PIPA AMARELA (Poema infantil)