O Deus Que Habita Em Mim!

 
O Deus Que Habita Em Mim!
 
O Deus que habita minh'alma,
Vem da aurora dourada
Com seus raios vivificadores
Que renovam as Esperanças e a Fé
Para um novo dia...

Vem dos lírios dos campos e
Dos jardins floridos...
Vem do crepúsculo do Sol com
Seu espetáculo de cores douradas
No horizonte...

Vem da noite enluarada
Com suas estrelas brilhantes,
Reluzentes, estrelas cadentes
E sua Lua encantada...

O Deus que habita minh'alma,
Vem do divino orvalho
Da madrugada
Com suas gotículas prateadas
Caindo sobre as flores delicadas...

Vem do lindo azul do mar,
De toda à natureza,
Das matas verdes e igarapés,
Cachoeiras e do lindo
Canto dos passarinhos
Como o canto do rouxinol e
Do bem-te-vi...
Vem dos Salmos de Davi....

O Deus que habita minh'alma
É o Deus do Amor, da mística rubra flor,
Do peregrino e trepidante beija-flor,
Dos nobres sentimentos
E enlevados pensamentos...

Vem da chuva que faz brotar...
Vem do místico arco-íris
Com suas cores sutis...
Vem da melodia
Da inspirada poesia...

Enfim, o Deus que habita em mim
É o mesmo que está em toda parte,
Em tudo e em todos,
No meu e no teu coração,
Somos filhos da mesma criação,
Do mesmo Pai Criador,
Portanto, somos todos Irmãos,
Filhos do Amor!

Elias Akhenaton
 
O Deus Que Habita Em Mim!

Assim me retrato

 
Assim me retrato
 
Já deixei escrito
tudo o que sinto.
Em cada poema...
No canto que ensaio,
solto a emoção
com que embargo a voz,
assim me retrato
em cada momento
procuro na vida
as cores e os sons
do encantamento

E esqueço o tempo
que por mim vai passando,
fantasio sonhos
que albergo na alma
que não tem idade

E quando eu morrer
não quero que chorem
só quero que os rios
sigam o seu curso
que as aves entoem
hinos de esperança
que as flores despontem
em jardins perfumados
e eu morro feliz
porque sei que os anjos
me virão buscar

Maria Fernanda Reis Esteves
48 anos
natural: Setúbal
 
Assim me retrato

INCREDULIDADE DE FÉ

 
INCREDULIDADE DE FÉ

De tão crédulo
Acreditava piamente
Na incredulidade.

Não era uma questão de filosofia,
Nem de proposta de vida,
Mas, sim, de fé.
 
INCREDULIDADE DE FÉ

Dúvidas

 
Dúvidas
 
Dúvidas

Agora eu peço aos meus amigos ateus
Que perdoem este ser tão imperfeito
Pois em vez em quando dou um jeito
E acabo pedindo a presença de Deus

Peço que não julguem a milha falha
Pois quando estou muito atribulado
Com o meu pensamento atordoado
Então imploro a Deus e jogo a toalha

Eu sei que um dia posso ser expulso
Do nosso grupo formado por ateus
Por eu precisar das ajudas de Deus

Peço desculpas para os meus irmãos
Que me perdoem toda esta fraqueza
E da ausência de fé não ter certeza.

Jmd/Maringá, 31.05.2016
 
Dúvidas

NEM SEMPRE É DIA DE SOL

 
NEM SEMPRE É DIA DE SOL
 
Hoje meu céu amanheceu
cinzento com trovoadas e chuvas.
Entristeceu!
Mas não vou perder a esperança,
nem sempre é dia de sol.
Amanhã ele nascerá,
irradiando seu brilho, sua alegria...
E no céu totalmente azul,
sorrirá minha poesia.

-**-Elias Akhenaton-**-
http://poetaeliasakhenaton.blogspot.com/
 
NEM SEMPRE É DIA DE SOL

contrato/promessa

 
contrato/promessa
 
Eu fiz um acordo,
melhor, um contrato,
a termo incerto
e quero cumpri-lo.
Tenho uma promessa
com o povo do céu

E existe uma cláusula
que eu subscrevo,
ser sempre fiel
à minha essência,
meu ser mais profundo,
não me desviar
daquilo que eu sou,
daquilo que eu quero

Numa das alíneas
a intuição,
basta só escutar
o meu coração.
Eu presto serviços
ao reino dos céus
e selo o compromisso
que tenho com Deus

Maria Fernanda Reis Esteves
48 anos
Natural: Setúbal
 
contrato/promessa

A Chama da emoção

 
A Chama da emoção
 
Abstraio-me da minha intolerância
Ausento-me para me aceitar
Concebo-me à luz da minha crença
Bebo da fé que me dá confiança
Busco na vida a seiva da eternidade
Colho da sorte o fruto do meu trabalho
Trilho o rumo do livre arbítrio
Sorrio para disfarçar a minha imperfeição
Os defeitos transformo em virtudes
Chamo a mim a voz da emoção

Maria Fernanda Reis Esteves
49 anos
Natural: Setúbal
 
A Chama da emoção

Cad@stro

 
Cad@stro
 
Livre é o universo
Cada astro no seu espaço
Constelações de almas
Estrelas que brilham no firmamento
Não há nuvens que ofusquem a minha fé
E eu feliz no baloiço da paz
Observo o céu daqui de baixo
Sinto-lhe a vibração
Anjos ecoam hinos harmoniosos
É a vida noutra dimensão
Não sei se me fascina
tão pouco se é o meu limite
Mas pelo sim pelo não
Quando chegar lá em cima
Prefiro não levar cad@stro

Maria Fernanda Reis Esteves
50 anos
natural: Setúbal
 
Cad@stro

Espanta espírito

 
Espanta espírito
 
Perdi o que em mim nunca existiu
Deixei o coração noutro lugar
Vivi à luz da fé que ninguém viu
Meu mundo ateu cresceu em mim
E eu já não sei a quem amar

Benzi-me em cruz com água benta
Mas não afastei o olhado
A enxaqueca é uma tormenta
Que me acompanha a todo o lado

Espantei espíritos ruins
Criei um céu na minha alma
Queimei incensos de alecrim
Dentro de mim só vive paz.

Maria Fernanda Reis Esteves
49 anos
Natural; Setúbal
 
Espanta espírito

Oásis de Esperança

 
Oásis de Esperança
 
Procuram vendar-me os olhos
tirar-me a luz que eles têm
destroem-me as ilusões
que trouxe quando cheguei
e ainda, hoje, faço questão
de guardar dentro de mim

Queriam fechar-me algures
num túnel escuro e cruel
mas, meu sonho é ir em frente
construindo uma corrente
de paz e de harmonia
lutando pl´os meus princípios
sendo-lhes sempre fiel

Descobri que a minha alma
está pronta para avistar
um oásis de esperança

Mesmo que ceguem meus olhos
nada me irá impedir
de fugir deste deserto
de lutar pl´os meus sonhos
de ver os homens iguais
dando as mãos e a sorrir
num mundo bem mais fraterno

Maria Fernanda Reis Esteves
48 anos
Natural: Setúbal
 
Oásis de Esperança

SEMEIA, POETA, SEMEIA!

 
SEMEIA, POETA, SEMEIA!
 
 
SEMEIA, POETA, SEMEIA!

by FatinhaMussato

Semeia, poeta, semeia!
Semeia idéias, palavras e versos,
como o jardineiro semeia sementes...
Pois é dos versos semeados por ti,
que nascerão o amor e a esperança!

Sentirás n'alma
o preço do teu semear...
Dores do parto do amor,
da fé que em ti habita,
pois a sentes em teu interior!

Ensina o homem a amar,
a ter esperança, a confiar,
transmita em teu versejar,
a certeza de um mundo melhor!

As dores do teu semear,
um dia serão compensadas,
pelo reflorir da esperança,
pelo voltar da alegria,
pelo despertar do amor!

Poema INÉDITO Nesta Data
São José do Rio Preto (SP), 29/Janeiro/2010 - sexta-feira - 10h00m.

PS: A imagem ilustrativa homenageia o amigo poeta José Luis Lopes.

Imagem: NET

Música: Stolen Kiss / Ernesto Cortazar
 
SEMEIA, POETA, SEMEIA!

Celebre a Vida!

 
Celebre a Vida!
 
Deixe fluir todo o mau sentimento,
Segredado nas fendas do coração -
Libere às energias, toda emoção
Que traz o negativo pensamento.

Alivie as angústias do teu sofrimento,
Às tristezas, liberte-se da solidão,
Faça uma prece a Deus, uma oração,
Ele lhe dará o que precisas; o alento.

E no alento, o puro bálsamo do amor.
Portanto, alegre-se, celebre a vida,
Dê aleluia aos céus, és um vencedor.

Mantenha as chamas da fé aquecidas
Que fluirá de ti um cântico de louvor
E nele as boas vibrações vertidas.

Elias Akhenaton
“Eterno aprendiz, um peregrino da Vida”
 
Celebre a Vida!

Ó Maria!...

 
Ó Maria!...
 
Ó Maria!...

Senhor! Eis-me aqui, no pé do teu altar,
Numa devoção – oração...
O que pode fazer o homem?
Quando subo para ti em adoração – elevação...
Mesmo com os vendavais!
Satanás rugindo – como fera!
Zumbindo. Mentindo..., fingindo...
Mas, não é meu norte. Pensa: ser forte!
Entretanto, clamo ao meu Senhor...
O céu se abre para mim. Assim:
Acende vigor. O clamor..., Vem o favor...
Então, sai de mim – treva íntima;
Duvidando. Intimidando... , Numa constante!
Ora, quem fez o céu; o verde-mar?
Os pássaros que vivem planando no infinito céu?
As flores, florestas o vento que nos faz sonhar?
O sol que aquece a terra a lua que a faz alumiar?
... Nessa hora penso: quem fez nascer de um ventre
Um ser vivente que nos faz sorrir por ser tão dócil!
Torno-me criança; livre das feras tudo são festas.
Sem peso n’alma, calma cheia de paz...
Verdade que satisfaz!
Movida pelo Espírito Santo...
Uma voz brada dentro de mim!
Aviva, a tua fé. Ó Maria!...
 
Ó Maria!...

Divina Primavera

 
Divina Primavera
 
Quão doce e colorida é a primavera,
Com suas flores suaves e delicadas,
Que exalam essências perfumadas,
Deixando um frescor na atmosfera!

Que magia é essa que agora impera
Pássaros mais alegres nas alvoradas,
Caminhos com florzinhas encantadas,
Num belo quadro qu’ o mundo venera?

Apenas sei que é de Deus a concepção,
Pois exala amor desde a primeira flor,
Não só no ar, mas também no coração.

Deixando a vida leve, alma de beija-flor,
Mantendo-a eterna, em renovação,
Semeando a Paz do Bondoso Criador.

Elias Akhenaton
 
Divina Primavera

Onde é o meu céu?

 
Onde é o meu céu?
 
Visto-me de tédio…Escolhi a cor cinza
Inóspita escolha, num dia em que a alma,
masoquista, rejeita sentir-se confortável

Absorta no vácuo da imensurável letargia
Antevisão de uma neblina anunciada
Sou eu a nu feita de imbecilidades

Quebro-me em silêncios marginais
Medito a fé em pele de galinha
Escrevo um poema curto e ateu
Sempre que questiono onde é o meu céu
Ou tento perceber a minha relação com Deus


Maria Fernanda Reis Esteves
50 anos
natural: Setúbal
nandaesteves@sapo.pt
 
Onde é o meu céu?

Raios mentais

 
Raios mentais
 
Deus é a força
que reside dentro de nós.
Não são precisos templos
para demonstrar a nossa fé.
Saiba usar o poder da mente
para atrair coisas positivas,
para se conectar com o Universo,
para sentir-se parte do todo...
Centre-se no seu eu mais profundo
e capte os raios mentais
que emergem dele
São o Sol que nos aquece
Confie nele!

Jogue fora ideias negativas
Pense sempre: Eu sou capaz!
Crie à sua volta uma aura de amor
paz e benevolência
Verá que no seu lar nada faltará
A saúde abundará
e os amigos florescerão

Um ano de 2009, pleno de Amor, saúde e Paz para todos os Luso-Poetas

Maria Fernanda Reis Esteves
48 anos
Natural: Setúbal
Email: nandaesteves@sapo.pt
 
Raios mentais

“Mergulhar sem medo”

 
“Mergulhar sem medo”
 
Nas avenidas dos meus versos um desfile ameno
De palavras sutis camufladas em sinistra apatia
Que despretensiosas transportam doses de veneno
Impregnando os breves instantes de fé e alegria

Juro... Quero os medos deixados num canto qualquer
O som dos nossos risos nos cômodos do coração
O se ao ouvido o som da sua voz diz: Minha mulher
Mergulho sem temor, ainda que precoce relação.

Quero teus gestos febris e insanos, me tirando o chão.
Flutuar, ao sabor do seu beijo que provoca loucura.
Permitir-me os riscos que envolvem essa paixão...
Deleitar-me no calor do teu peito, que é só ternura.

Seguir leve absorvendo esse sentimento inusitado
Gravar nossa historia, nesse olhar compartilhado.

Glória Salles

-Registro na Biblioteca Nacional
-Ministério da Cultura
-E.D.A. —

No meu cantinho...
 
“Mergulhar sem medo”

BRILHA QUE TE QUERO LUZ* (Rondel Inédito!)

 
BRILHA QUE TE QUERO LUZ*

Mostrando uma forma segura, num jeito de céu,
Deposito em Tuas mãos o meu grande segredo.
Saio da solidão Te conto meus sonhos, tiro véu,
E em Ti me abandono no mais supremo enlevo...

Entre olhares vejo as cores da terra, arvoredo,
Brinco de ser criança descobrindo pote de mel,
Mostrando uma forma segura num jeito de céu
Deposito em Tuas mãos o meu grande segredo...

E Te encontro aqui, neste lugar, meu menestrel,
Meu mundo era estranho e convulsivo degredo.
E tudo o que me valeu foi um destino e o papel,
Às vezes de escrita aberta, nos signos do medo,
Mostrando uma forma segura, num jeito de céu...

Ibernise
Indiara, (Goiás,Brasil), 16.01.2009.
Poema inédito nesta data.
*Núcleo Temático Filosófico.
Direitos autorais reservados/Lei n. 9.610 de 19.02.1998.

Para desativar a Música clic no canto superior esquerdo.

CONVITE
Você está convidado a participar do ciclo poético consagrado aos 7 Pecados Capitais:Um projecto Lusofono.Serão sete ciclos iniciando pelo pecado: Vaidade.Mais informações em:
http://ciclosdepoesia.blogtok.com/
Email. para inscrição ibernise@hotmail.com
 
BRILHA QUE TE QUERO LUZ* (Rondel Inédito!)

HAIKAI < III >

 
HAIKAI < III >
 
A cada novo dia

Brota a flor da esperança...

Um raiar de sol.

Elias Akhenaton
"Eterno aprendiz, um peregrino da Vida"
 
HAIKAI < III >

Desanimo

 
DESANIMO

Pedi com fé!
Roguei com esperança
Pedi a Deus me escutasse
Na minha alma luz deixasse
O visse nas palavras que escrevo,
pobres e sem sabedoria,
O porquê do meu anoitecer cedo?!
Quando ainda procuro significado p'ra meu dia.

Olho o Céu e pergunto a razão
A razão para viver?!
E ninguém me responde não?!
Onde andas meu Deus?!
Onde?
Que não te consigo ver?!

rosafogo
 
Desanimo