Poemas, frases e mensagens sobre natal

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares sobre natal

FELIZ NATAL (POETAS E AMIGOS)

 
FELIZ NATAL (POETAS E AMIGOS)
 
Mais um ano vai chegando ao fim
e um novo ano a surgir...
Foram grandes os momentos que
juntos com todos aqui foram divididos
li, comentei, leram e comentaram os
meus poemas e muitos foram os
preciosos amigos que trouxeram o
seu carinho para a minha escrivaninha
E muitos foram os leitores que vieram
deixar o carinho da leitura
Neste momento vos dedico este singelo
poema em forma do meu eterno
carinho e gratidão....

Um Santo Natal e Um Novo Ano de Paz e Esperança

Muitas bênçãos e beijos de ternura a todos

-----------------------------------------------------------------

POR FAVOR, PARA MELHOR LEITURA, CLIQUE NO POEMA
 
FELIZ NATAL (POETAS E AMIGOS)

Eterno Natal!

 
Eterno Natal!
 
Oh quão bom que a paz pairasse no ar!
Inspirando a vida de todo ser humano,
Em todos os cantos da terra, além-mar,
Impregnando de ternura seu quotidiano...

Plantando na alma, um eterno natal!...
Semeando e colhendo, à paz de Jesus.
Criando um mundo sem conflitos: real,
Iluminado pelo resplendor de sua luz.

Assim; co’ o eterno espírito natalino,
Cada um seria amável em seu interior,
Todo irmão doando um afeto cristalino...

Compartilhando às bençãos do Criador,
Que através do filho, Jesus menino,
Mostrou-nos o seu imensurável Amor.

-**-Elias Akhenaton-**-
http://poetaeliasakhenaton.blogspot.com.br/
 
Eterno Natal!

Advento

 
Antecipo-me à morte anunciada
Num advento omisso de natais
É só o reflexo da minha fé cansada
De blasfémias de tantos carnavais

É farto o perú de tantos recheios
Na consoada rica e enfeitada
Lá fora uns olhos comem cheiros
que exalam da chaminé dos telhados

E há muita fome enquanto reza a missa
E o galo canta as 24 badaladas
O olhar triste da freira clarissa
A contrastar com a igreja engalanada

Não há menino num berço de palha
Mas há meus senhores...
Muita pobreza envergonhada!





Maria Fernanda Reis Esteves
50 anos
natural: Setúbal
 
Advento

Feliz Natal!

 
Os meus versos são para ti
Amigo que me lês com carinho,
Antes que seja Natal estou aqui
Para te dar um abracinho…

Muita saúde, paz e amor
É o que te quero desejar.
Por momentos, esqueçamos a dor
De quem não podemos aliviar…

Sê feliz amanhã no teu lar,
Com a tua Família a sorrir
E que o novo ano a chegar
Vos possa ainda mais unir!

Feliz Natal para Todos!
Beijinhos
 
Feliz Natal!

Natal depressão

 
Natal depressão
 
Pressão para produzir

Pressão para fazer pressão

Pressão de Natal

Só pressão

Pressão para consumir

Pressão para consumar

Natal de pressão

Pressão e Supressão

Depressão de Natal

Depressão de pressão

Pressão alta

Pressão baixa

que não se estabiliza

enquanto não nasce

o Menino Deus...

Enquanto não nasce

um Novo Ano...

Enquanto não nasce

o amor ao Semelhante...

honey.int.sp

Imagem retirada do Google.
 
Natal depressão

Natal - Nascimento de Jesus.

 
Natal - Nascimento de Jesus.
 
Desejo que 2010
te traga o dobro
daquilo que semeaste
em 2009

FELIZ NATAL
Bom Ano
 
Natal - Nascimento de Jesus.

PEDIDO AO PAI NATAL

 
Eu sei que ainda é cedo, mas que querem?
Eu gosto muito de jogar em antecipação,
Pois que há muitos meninos que preferem
Só fazerem ao momento preciso da emoção.

Eu quero colocar na chaminé o meu sapatinho,
É pequeno, pois que só calço o numero 45
Mas se o aplico com muita raiva num rabinho
Podem crer que deve de fazer mal, eu não sinto.

Queria pedir ao Pai Natal uma bela prenda
Que me desse o formulário de aprender dizer
Pois que não sei o que digo, passo a encomenda
De um manual para poder aprender com prazer.

Por aqui a falar aprendo pouco quase nada
E eu que falar como um senhor intelectual
Assim seria vaidoso da nossa língua bem falada
E de poder responder letra a letra, igual a igual,

Sei que tens muito trabalho com as criancinhas
Elas estão em primeiro lugar com muita razão
Se não puderes para mim, cá ficarei com as minhas
Maneiras de falar, com alma , com raça com coração

A. da fonseca
 
PEDIDO AO PAI NATAL

e é Natal.

 
...e é natal.

ainda tenho dezembro-
afinal um ano mede-se a partir do ponto em que se parte.
ainda tenho dezembro,
"para o ano" é já janeiro,
um passo e passa a agosto,
novembro a contragosto...
 
e é Natal.

NATAL SEM JESUS!

 
 
NATAL SEM JESUS!

by FatinhaMussato

O natal já vem chegando
E com ele o brilho
Das luzes a tudo enfeitando...
As lojas abertas à noite
E todos correndo...
Presentes comprando!

Será que os presentes são para Ele,
O aniversariante do dia?
Será que ao menos se lembram
Que a Ele pertencem
As homenagens
Que neste dia se faz?

Ou será
Que dEle já se esqueceram?
E se lembram apenas
De presentear uns aos outros,
Comer e festejar?

Será que todos,
Ao menos uma oração
A Ele fazem,
Convidando-o para,
De sua própria festa,
Participar?

Natal de falsas alegrias,
De falsas comemorações,
De bebedeiras e comilanças...
Isto é que é o natal atual,
O Natal sem Jesus!

Texto INÉDITO Nesta Data
São José do Rio Preto (SP), 21/dezembro/2009 – segunda-feira – 21h02m.

Imagem: Google

Música: A Bela Adormecida / Tchaikovsky
 
NATAL SEM JESUS!

PEDIDO AO PAI NATAL

 
Pai Natal:
Sei que este ano mais do que nunca devido à crise, tu estás sobrecarregado de pedidos dos teus jovens admiradores.

Eu também já fui jovem e em tempos nada bons, e sei o que é precisar de brinquedos e não os ter.

Tu vais-me desculpar, mas vou fazer brevemente 78 Invernos. Dizem que quando se chega a esta idade, volta-se à infância e talvez seja por isso que te escrevo, não para te pedir um cavalinho de pau, um comboio eléctrico, não, mas sim te pedir que distribuísses em todas as chaminés por onde passas, felicidade, alegria de viver, bem estar para todo o povo, saúde, muita saúde, traz-nos a receita de como acabar com a miséria, a fome a sede, como sabes, há muitas crianças que morrem por falta de alimento e de água, com doenças para as quais eles não têm possibilidades financeiras de as curar.

Faz que a Paz se instale no Mundo, chega de guerras, chega de destruição, chega de mortes..
Faz com que o Sol brilhe para todos sem excepção.

Teria ainda muito mais para te pedir, mas sei que já está com muitos pedidos feitos antes de mim, mas se puderes dar uma mãozinha, podes crer que todas as crianças deste Mundo te ficarão muito gratas.

Obrigado, Pai Natal.

A. da fonseca
 
PEDIDO AO PAI NATAL

VERSOS DE NATAL

 
VERSOS DE NATAL
 
"A magia do Natal está em
acreditarmos em sua existência"

ÂNGELA LUGO

------------------------------------------------------------

POR FAVOR, PARA MELHOR LEITURA, CLIQUE NO POEMA
 
VERSOS DE NATAL

Porque hoje é *Natal*

 
***

Porque hoje é Natal – e os homens despertaram nos braços da solidariedade –
*** O sol irradia apenas a Luz da Vida!

Porque hoje é Natal – e as crianças soltam gargalhadas sem cores esbatidas –
*** As aves cantam as melodias que lhe foram confiadas!

Porque hoje é Natal – e o pai e a mãe espelham no olhar alegrias nupciais –
*** O vento glaciar oferece o calor dos Trópicos!

Porque hoje é Natal – e os mendigos têm por umas horas cama e mesa farta –
*** As nuvens são apenas castelos de algodão doce!

Porque hoje é Natal – e contemplamos por um instante as Portas do Paraíso –
*** Jesus veio morar umas horas no coração de todos nós!

E perguntam em uníssono aqueles que são sempre os de Boa Vontade:
- Porquê, Irmão, não ficais connosco todas as horas, de todos os dias do ano?...

21.12.2009, Henricabilio

****************************************
Para os autores e visitantes, envio meus votos de
Festas Felizes e um 2010 nota dez!

Abílio Henriques
 
Porque hoje é *Natal*

UM NATAL COMO ACHO QUE DEVE SER

 
UM NATAL COMO ACHO QUE DEVE SER

Quero mais humanidade
e menos castanhas.

Mais coisas
Arroz com feijão,
Tipo, por que não?
Uma sincera amizade.

Apenas
Por quem amo
Engulo essa
Mortificante rotina
Das nauseabundas festas
De fim de ano

E então?

Então venham os lautos pratos,
Os banquetes incautos,
As tiranias dos presentes,
Os abraços dormentes,
Dementes.

É esse natal das vaidades,
Das veleidades,
Que encobrirá
Um ano inteiro disperso,
Consumido em ilusão
(E tantos e tantos outros
Que, após, advirão)

Prefiro o natal dos índios:
Sem rabanada, peru e vinho
Só nudez de corpo e alma,
Nenhuma falsa emoção
E profusão de inhame e caça

Na aldeia
É natal todo dia
O natal da pescaria,
Da brincadeira,
Da dança, da cantoria
Lá na aldeia
É natal na veia...

[ Um dia destes,
Chegará o "meu" natal
Sem fogos estourando
Na minha praça;
O natal da calma;
O natal sem alma;
O natal do humano

Aquele natal
Do presente sem-presente
Sui generis,
Original...

Ganharei um reles abraço,
Aquele que sempre esperei:
Um sincero, amigo
E emocionado
Abraço.
Só isso

E aquele que me abraçar,
Seja quem for,
Seja qual for esse dia,
Mês ou ano
O fará, ali,
Deus-homem, desnudo,
Como que
Espatifado do céu

E me abraçará
Por ele, por mim,
Por nós, por você,
Pelo mundo...

(E neste
Mágico instante
Essa pessoa
Se tornará,
Só para mim,
Apenas sendo ela,
O meu papai Noel...) ]
 
UM NATAL COMO ACHO QUE DEVE SER

Logo hoje que queria tanto falar!

 
 
O silêncio apareceu!
Logo hoje que queria tanto falar!
Não posso esquecer que é Natal.
As ruas vestem-se de vermelho
E as pessoas de alegria,
Mas este silêncio disse-me para não fazer barulho:
- Pssss…! Cala-te.

Este Silêncio
Diz que não quer ser interrompido
Nos seus silêncios.
Disse-me também que, quando fala,
Não gosta de ouvir ruídos.
Estou atónito,
Logo hoje que queria tanto falar!
Então, estou em silêncio total,
Só falo por dentro.

A minha alegria, que não gosta de silêncios,
Deixou-me.
Disse-me que não estava para me aturar
E saiu.
Foi às compras, penso eu!
E com razão.
No Natal, este silêncio?
Quando todo o mundo, apesar de nada dizer,
Anda a fazer ruído.
Estou a perder a cabeça.
Logo hoje que queria tanto falar!
Este é um momento de…
Não silêncio.
Afinal, é Natal!
Até a racionalidade, por esta altura, está
Fora de si.
E eu por aqui abandonado,
Com esta dor feita do silêncio.
Ainda ontem estava feliz.
Estou agora sozinho, triste e em silêncio,
Tudo por causa de um silêncio estúpido
Que teima em aparecer por estas alturas.
Logo hoje que queria tanto falar!
Fico sem saber se este silêncio
Aparece apenas para me aborrecer,
Ou simplesmente para me dizer
Que ainda há muita gente,
Sem o perfume do Natal…
 
Logo hoje que queria tanto falar!

VAMOS CANTAR

 
VAMOS CANTAR
 
*********************************************************************

POR FAVOR, PARA MELHOR LEITURA, CLIQUE NO POEMA
 
VAMOS CANTAR

FELIZ NATAL A TODOS OS LUSOS

 
VENHO DESEJAR A TODOS OS LUSO-POETAS E LUSAS, UM NATAL MUITO FELIZ, PLENO DE SAÚDE, MUITA ALEGRIA E CLARO TAMBÉM PARA OS VOSSOS FAMILIARES.

NÃO SE ESQUEÇAM DE FAZER UMAS COCEGASITAS AO BACALHAU PARA O POREM A RIR.

E NÃO SE ESQUEÇAM DE ME ENVIAR UMA FILHO VIA FAX, DESDE JÁ AGRADEÇO.

BEIJOCAS CHEIAS DE ASSUCAR E CANELA DO A. DA FONSECA
 
FELIZ NATAL A TODOS OS LUSOS

Duas Vogais E Duas Consoantes ( Ó , Cruz, Ai , Me ! )

 
 
.

Duas Vogais E Duas Consoantes ( Ó , Cruz, Ai , Me ! )

Do poema basta-me ... o último !
aquele que não escrevo , de súbito !
a retroceder para a manjedoura
onde nascem as crianças condenadas
pelos nomes que o peso do passado histórico , condena !
e , como por milagre , os reis , abraçam-me !
iluminados por aquela bela estrela , estilhaçada !
pelas mãos sujas dos sacerdotes , hipócritas !
ai que de mim nem quero ouvir o nome , na vossa boca , conspurcada !
podeis comprar a praça , podeis comprar os homens ,
podeis pagar aos pobres que nome não têm ,
podeis cobrar dos sem-terra , que indigentes são ,
mas jamais podereis curvar-me as costas , flagelo !
e eu aceno-vos os povos que atravessaram os mundos , por este dia !
que me cega , que me estripa ! Mas não me veda , à razão !
que me eleva no templo onde as vossas trombetas , vendem !
deuses , orações , profetas , no tilintar cunhado , das moedas !
quem sois vós , afinal ? Sois o êrro de toda uma humanidade , sofrida !
que das bestas com vestes d´anjos todos sabemos , nojentas !
mas , ah , rides-vos e dais cambalhotas d´alegria , ó tolos !
porque acreditais que em breve , muito brevemente , num instante !
de mim , que vos aponto a mentira que pregais , vos livrais !
ó como vos enganais , exército d´impotentes , cabeças vossas , prémio !
para o primeiro daqueles que vos apunhalará , fielmente !
mas que sim , se vós o dizeis , porque eu não o digo ? também !
e , deixai o galo cantar que são três os seus toques , anunciação !
deixai o meu irmão negar , que são três os dele , perdões !
mas dos vossos êrros, nem de um esquecerei , anotai !
que importa se minha mãe me chama , não é ela o que eu sou ?
que importa se Madalena me segue , não é ela que me ama ?
que quereis mais ? se tudo tenho com quem no tudo me tem ?
ah , julgais que não aguento , a cruz !
que me pregais às costas , que me subis aos montes , através
e ao meio duma multidão de mutilados que jogaram fora , o cérebro !
eis-me aqui vazado de sangue , rasgado de povo que são povos , amados !
não , não me renegarei , não me submeterei ao sim de vós , lei !
"Pai , Pai , porque me abandonaste ? Em Tuas mãos entrego o meu , espírito ! ..." ...

que são três , três são , tal como o canto do galo , tal como o não do irmão ,
três são os dias da minha mais sofrida provação , vencida !
e , sabeis , quem me espera na saída , dela ?
ela , sim , ela !
Maria - dela vim ; Madalena - a ela me entrego ...
teimo porque sou para além daquilo que vós enxergais , cegos !
teimo e jamais voltareis a escutar o que vos ensurdece , palavra !

Sim ! podeis levar-me ...

Luíz Sommerville Junior , Eu Canto O Poema Mudo

Ao Trabis, admnistração, colaboradores, poetas e leitores apresento os meu votos dum Natal Muito Feliz.
Tudo de bom

Jorge
 
Duas Vogais E Duas Consoantes ( Ó , Cruz, Ai , Me ! )

NESTE NATAL...

 
NESTE NATAL...
 
“O renascimento de cada ser
não depende de cada Natal acontecido
Mas sim do Natal que a cada dia é
descoberto por cada um em seu íntimo”

Ângela Lugo

-------------------------------------------------------------

POR FAVOR, PARA MELHOR LEITURA, CLIQUE NO POEMA
 
NESTE NATAL...

Mistérios de Natal*

 
FELIZ NATAL!

*
*
*
*
*
*+*
*+

*republicado - já nem me lembrava deste poema, acho que não mais o reli, desde o último Natal... mas hoje, reescrevo-o.

Mistérios do (meu) Natal

Não sei se é a música que me toca,
não sei se é coro, a minha boca,
ou se é amargo o que é memória,
ou se é doce o que é história...

Sei que volta sempre no Natal,
esta alegria que me faz mal,
esta tristeza que me faz bem,
e a fé descrente que o mundo tem.

Não sei se é luz o que me brilha,
ou se Jesus é a minha filha,
sei lá se o céu é um presépio,
sei lá se a quadra é canto épico...

Só sei que sinto, mágoas minhas,
que também nasci nessas palhinhas,
feita de barro, como quem sofre,
feita de fome, como o mais pobre.

Não sei que encanto eu enraízo
sempre que os sinos brincam de guizos
e me retornam ecos e trilhos
que percorri com os meus filhos...

Só sei que o Amor é mais encanto
quando o Natal chega de branco
(mesmo que dentro eu vista luto),
e relativiza o absoluto.

Teresa
 
Mistérios de Natal*

NESTE NATAL...

 
NESTE NATAL...
 
“O renascimento de cada ser
não depende de cada Natal acontecido
Mas sim do Natal que a cada dia é
descoberto por cada um em seu íntimo”

Ângela Lugo

-------------------------------------------------------------

POR FAVOR, PARA MELHOR LEITURA, CLIQUE NO POEMA
 
NESTE NATAL...