Poemas, frases e mensagens sobre pensamento

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares sobre pensamento

Inverno Místico

 
Inverno Místico
 
Lá fora o gelo cobre
Os campos e toda vegetação...
Na cidade, as casas
Ruas e avenidas,
São cobertas por
Nuvens em forma de
Pequenos tufos de algodão...
É a estação do inverno
Que impera... Congela.

Apesar das nuvens, o sol
Aparece entre elas como uma entidade
Espiritual e um lindo azul descortina-se
No céu revelando um colorido suave,
Mágico que encanta-nos.

É chegado o tempo, o momento,
Tempo de recolhimento, de introspecção,
De cuidar do jardim que habita no coração,
Se não o fez na outrora estação.

Ao som de uma inspirada música,
Da flauta mágica de Gunn
Ou do encantador violino de Vivaldi,
Participarmos duma catarse,
De uma verdadeira purificação espiritual,
Para na estação vindoura brotar...
Renascer... Florescer ainda mais bela,
Na plenitude do Amor, a flor mística da Alma,
Essência divina que anima a Vida.

*Elias Akhenaton*
“Eterno aprendiz, um peregrino da Vida”
 
Inverno Místico

GOTAS DE AMOR

 
GOTAS DE AMOR
 
 
"Hoje senti uma chuva diferente
Eram gotas de amor caindo docemente"

---------------------------------------------------------------

POR FAVOR, PARA MELHOR LEITURA, CLIQUE NO POEMA
 
GOTAS DE AMOR

"Palavras..."

 
"Palavras..."
 
"Palavras..."

Perco-me quando escrevo...
Me perderia de qualquer forma.
Afinal, tudo é perda...
E calar é muito mais...
Escrevo porque preciso.
Escrever é como droga.
Vício do qual não me abstenho,
e no qual vivo.
É como veneno necessário.
Se compõe de fragmentos
do sentimento.
Nos recantos dos sonhos é colhido.
Das margens bucólicas
dos rios da alma.
Essas águas deixo escorrer
por meus dedos.
Não quero o silêncio...
Por isso...
Que meu coração jamais se cale.
E o que eu não ouso dizer...
Isso ele fale.
E que o faça claramente.
Nunca com ambigüidade...
E sejam suas palavras, como rio
Que incógnito nasceu,
Cuja maré alta transforma em foz.

Glória Salles
 
"Palavras..."

O PÃO AMANHECIDO DOS PENSAMENTOS

 
Apanho a lucidez
Despacho a lógica
Pelo boqueirão

O pão amanhecido
Dos pensamentos
Mastigo-o, molhado,
Na boca do tempo

Rumino-o...
Cota a cota...
Éolo a Éolo...

Até que vire
Refinada farinha
De ilusão
 
O PÃO AMANHECIDO DOS PENSAMENTOS

QUANDO PENSO EM VOCÊ AMOR

 
QUANDO PENSO EM VOCÊ AMOR
 
“O pensamento pode voar em todas as direções
e somente para quando encontra o amor”

---------------------------------------------------------------
POR FAVOR, PARA MELHOR LEITURA, CLIQUE NO POEMA
 
QUANDO PENSO EM VOCÊ AMOR

Hoje não foi um dia perfeito

 
Nunca acreditei nisso de dia perfeito, ou algo parecido. Mas hoje pensei, que me lembre, pela primeira vez, que não foi um dia perfeito.

Os meus pensamentos costumam ser triviais e práticos. Pensar, para mim, a quem todos agradecem sinceramente que não emita opiniões, só faz sentido se for para emitir opiniões dos outros ou para ter pensamentos úteis.
O que eu penso é inútil a partir do momento em que não resolve ou não ajuda a resolver um problema prático. Por exemplo, o que estou agora a pensar não é inútil porque ajuda a resolver o problema prático de saber porque é que hoje não foi um dia perfeito.
Mas como o dia ainda está a decorrer, mesmo assim, pode vir a ser inútil pensar nisso, se porventura, a última minha conclusão do dia for que hoje foi um dia perfeito.

De qualquer modo, é irrelevante qualquer conclusão que eu tire sobre isso, porque o dia não é perfeito ou imperfeito por eu o pensar ou concluir. O dia é o que é e pronto.
A questão da perfeição/imperfeição do dia não se coloca. Mas eu coloquei-a. Mas ainda não sei se é uma questão que tenha para mim um sentido qualquer, mais do que uma questão prática.

Hoje, o meu editor Sancho disse-me que já lhe têm pago muito dinheiro para não dizer nada, para não escrever nada e que ele próprio já tem publicado muitas coisas que nada dizem sendo estas as melhores. Eu comecei por rir por achar as suas palavras jocosas, mas ele permaneceu sério e reforçou a ideia de que isso pode ser uma forma superior de arte. Aqui, até eu retomei um ar de seriedade.
Valeria a pena pensar no assunto? Seria prático e útil? Sancho deu-me logo a resposta sem adivinhar o meu pensamento e sem eu sequer a ter pedido.
O meu trabalho mais importante, disse ele, não é decidir o que vou dizer, mas o que não vou dizer. E se nada disser, por exemplo, quando a minha opinião pode causar mossa ou um prejuízo, isso pode ter muito valor, dependendo das situações. Se disser, ou escrever algo, posso receber ainda mais se, mesmo assim, não disser nada que possa causar mossa ou prejuízo, vulgo falar sem dizer nada, sobre assuntos importantes.
Ora, o melhor de tudo, o que vale mesmo a pena, é publicar textos que fazem sentido e que nada dizem, sendo esta sua característica a qualidade que interessa, que os torna, não raro, primorosas obras de ciência, filosofia, religião, arte… E se o autor tiver o talento, o discernimento e a verve necessários para persuadir o leitor de que, não obstante o sentido que tudo faz e a consistência que tudo tem no seu trabalho e na sua argumentação, tudo não passa de uma ilusão, então está garantido que atingirá o maior sucesso no que à reputação de autor respeita.
Eu estava ainda a pensar nas primeiras palavras e já o Sancho concluía que produzir uma obra de pensamento que não seja um embuste, ainda que involuntário, implica que ela seja capaz de se esvaziar de si mesma, ser e não ser ao mesmo tempo.

O lado prático e útil, talvez muito útil destes pensamentos é que não alteraram os dígitos da minha conta bancária e o mundo continuou a girar como é costume.

É preciso muito trabalho para que as coisas não mudem. Para elas mudarem pode ser muito fácil, basta não fazer nada.
 
Hoje não foi um dia perfeito

HUMILDADE

 
HUMILDADE
 
Feliz daquele que antes de demonstrar sua felicidade
para o mundo, olha para dentro do seu coração...
 
HUMILDADE

Me sirva uma rotina quente.

 
As manhãs têm sabor de expectativa...

Mas a tarde, às vezes é goma de mascar que você mastiga, mastiga...

E o sabor some, some...
...perdendo a liga!

E quando vem a noite a minha mente não liga, pra mais um dia que se desliga do hoje, pra sonhar com os valores que se ausentam dos homens, que têm buscado horrores.

Um ideal que será forjado, no início, pelos devaneios do pensar...

Que não serão suficientes para viver e se estabilizar no arder de diversas esquinas que procuramos pra juntar em uma rotina que nos resgate do ontem, pra encontrar com um monte de agora, e que se interlaçam por hora com um desejo desenfreado de fugir nem sei de onde...

Não quero uma rotina que cresce na noite, só pra me mostrar a tortura de um esperar, se normalizar, desejando a rotina que se chama dia, imaginada pela cabeça da fronte, uma perfeição dentro do que parece interessante.

Por isso me recuso a buscar uma rotina, porque prefiro que ela venha em minha sina, mostrar a misericórdia do Espírito da Vida, que chegará e me levará para um caminho em definitivo!

Espero uma amiga rotina para interagir com a minha alto estima, e assim ser companheira para o dia-a-dia que se aproxima, e que é pertinente pra gente que gosta de gente...

Sopra vento que faz barulho em minha casa, mente e alma!...

Pra quem sabe eu aprender na rotina, no repetir da prece...

Receber com alvoroço o caminho que parece o time que torço, cheio de altos e baixos, que uma hora está por cima e outra por baixo.

Antonio de J. Flores

Pra entrar nos eixos, às vezes é necessário viver como a maioria vive.
 
Me sirva uma rotina quente.

PARA VIVER DE INTENSIDADES

 
Sempre conservei uma aspa à esquerda e outra à direita de mim.
Clarice Lispector

Não quero mais estes pensamentos.
Cansei-me.
Busco um algo para além
dessas coisas pequenas que estão
aqui, dentro dos meus espaços
pesados.
Quero trocá-los, devolvê-los à origem.
Já não há mais como ser igual
a mim porque ser eu mesma
dói devagar e deliciosamente.

Não quero passar o resto
de minha vida sendo vítima de minha própria
maldição e impunidade.
Preciso de outras verdades,
outras pipas voando no céu,
outras galáxias.

De agora em diante,
terei minha cabeça entre duas grandes aspas
para viver de intensidades e surpresas,
para ir muito além da metáfora
à flor da pele.

Karla Bardanza
 
PARA VIVER DE INTENSIDADES

Mágoas

 
MÁGOAS

Nas asas do vento bordei
Mensagens de Liberdade
No Sonho quando acordei
Já só havia saudade.

Saudade vai e regressa
Tão breve como o pensamento
Que o nosso dia atravessa
Sem ter nosso consentimento

Calou o vento, perdeu a voz
Partiu e levou a saudade
Se a Vida está contra nós
P'ra quê haver liberdade?!

Porque não me levas ò vento?
Que de saudade estou morrendo!
Encarcerada já sem alento
À mágoa já estou cedendo.

Quero correr em campo verde
Daquele de tom de esperança
A esperança que ninguém perde
Quando livre, pássaro ou criança.
 
Mágoas

Agitação

 
Agitação
 
AGITAÇÃO

Já nem sei o que me move
Ainda um pouco de vontade!?
Já no meu coração chove
Bate ensopado de saudade.
No pensamento nada me ocorre
Já minha hora é escassa
Sou como rio que corre
Breve vida, a morte a abraça.

O silêncio em que me escondo
Abandono! Irrompo em alvoroço
E na hora agitada nem ouço
O oscilar das ramagens
Nos meus ouvidos de menina!?
O comovido chorar das aragens
Como se de mim se despedisse
Tudo, o que assim Deus destina.

Passam os dias da minha vida
Nem já sei o que me move
Já no meu coração chove
Anda minha alma dorida.
A lembrar vivo saudosa
Lembranças, são lágrimas a descer
Trago a vida custosa
E pouco o caminho a percorrer.

Já não sei o que me move
Até a alegria anda suspensa
Já a tristeza me envolve
Paira a mágoa já se adensa.

Se é este o destino a cumprir
E se esta saudade é pecado?!
Então a tristeza não quero mais ouvir
Em doce paz, continuarei meu fado.

rosafogo
 
Agitação

Se ainda agora te vi! ( Mote-Oh amor passa num instante!)

 
ainda agora te vi
no beiral do pensamento
num golpe de asa morri
quando te foste no vento.
volta logo na saudade
que te sopro das entranhas
sobe a escarpa do meu medo
que a medo te diz não tenhas.
sei que te peço calada
cada momento e nem sentes
que o tempo é espada afiada
no meu ventre em ais urgentes.
ri-se o meu destino já
e o sol declina-me o dia
foge-me a boca para lá
já sinto a pele tão fria...

se ainda agora te vi!...
 
Se ainda agora te vi! ( Mote-Oh amor passa num instante!)

Detesto deixar-te por momentos.

 
Detesto deixar-te por momentos.
 
Detesto deixar-te por momentos.
Eu sei, mas com o avançar da idade...
já custa e dói.
E andam os nossos velhos...
uns a lamentarem-se e a serem teimosos.
Outros a desvalorizarem as suas vidas.
E nós a lutarmos arduamente.
Enfim !
Anda tudo de candeias às avessas.
Este país é bom e lindo...
Mas é só para oportunistas, políticos e outros mais que vivem de expediente.
As vitimas são sempre as mesmas.
Mal dos que precisam!
Antigamente a ganância e o capitalismo,
eram condenados.
Hoje são camuflados e apreciados por grupos e maçonarias.
Que mundo podre é este em que o bicho homem vive.
Neste jogo da vida, o importante é mesmo, o elixir do amor em amar e ser amado, como é óbvio.

António Fonseca.


António Fonseca.
 
Detesto deixar-te por momentos.

A saudade chorou

 
A saudade chorou, chorou no meu coração
Já há muito tinha perdido a esperança
O tempo é sábio, ninguém sabe o quanto
Ele sabe quando renovar uma aliança
E ser escrito no livro da vida
O tempo passou até que este dia chegou
Encontrando-te na esquina da vida
O reencontro preencheu a espera
Reconfortou meus pensamentos
Enfim o meu livro fora aberto
Tirando a saudade que me alimentou
Você estava ali a um passo de mim
Quando te vi fiquei sem jeito
Sem saber o que fazer exatamente
Mas você foi espetacular
Abriu um sorriso estonteante
Correu para mim com os braços abertos
Aninhou-me suavemente, como uma flor
Senti-me protegida do mundo
Deleitei-me no seu amor
Agora sentia que meu coração sorria
Já não mais existia razão alguma
Para deixar a saudade chorar
Apenas lembrar que amanhã
Sentirei saudade do hoje
Sem chorar
 
A saudade chorou

TUDO PASSA

 
TUDO PASSA
 
O vento passa
A chuva passa
A vida passa
E o amor...
Será que passa?
**********************************************************************

POR FAVOR, PARA MELHOR LEITURA, CLIQUE NO POEMA
 
TUDO PASSA

"O abraço do mar" - Soneto

 
"O abraço do mar" - Soneto
 
"O abraço do mar" - Soneto

Dia qualquer e essa saudade me trouxe...
Não quis pensar, pausei tudo aqui em mim
Antes que o tempo me engolisse lentamente
Sem traçar caminhos, decorei as idas e vim

Em frente o mar imenso, imolar essa imagem
Este verde profundo que me impregnou a alma
Corpo inteiro imerso nas águas dessa paisagem
A pele macia da mão do mar acariciou-me a alma

Na garganta da noite, todo meu sentir pausado
Vou, deixo atrás o mar, e nele meus fragmentos
Questionando-me a voz rouca dos pensamentos

Ainda pareço ouvir das ondas o som cantado
Se nas marcas da areia, deixar meu eu, me custa
Muito mais a idéia de dormir sem você assusta...

Glória Salles

Ocean... Fuga numa tarde qualquer.
 
"O abraço do mar" - Soneto

SEM CÉREBRO. SEM DOR.

 
SEM CÉREBRO. SEM DOR

Gosto da velha e segura calma
do que não sei
e em tempo algum saberei

Dos remotos caminhos
por onde nunca andei
e jamais, em vida, passarei

Dos sensoriais impulsos do instinto
além do controle e da submissão
surgindo, independente de mim

Adoro antigos deuses
perdidos no túmulo do tempo
A eles, entrego-me em fé

Procuro palavras em dicionários
e as escolho, errático, pelos nomes
não por seus exatos significados

Creio nesta desconfiança de mim
devoto-me ardentemente ao estéril
quero ser mais um inocente útil

Uma vida serena, isenta de mistérios
e eu inserido, sem cérebro, sem dor
Zero: o que realmente almejo
 
SEM CÉREBRO. SEM DOR.

PÉTALAS PERDIDAS

 
PÉTALAS PERDIDAS
 
PÉTALAS PERDIDAS

Do tempo perdi a noção
A palavra me foge da mente
Mas sempre a mesma paixão
Escrava da poesia, me sinto gente.
É agora a hora certa
Antes de acabar o dia
Já a minha marcha é incerta
Mas a vontade regenera e cria.

Meus pensamentos são colmeia
Onde há choros, júbilos e melancolia
Meus passos marcas na areia
Sonhos clareando meu dia.

A vida é flor que vai murchando
Perdendo pétalas desde que nasci
E eu sempre na vida pensando
No fim do tempo meu tempo perdi.
Revolvo a memória na procura
De vozes que para sempre se calaram
Meu DEUS como a Vida é dura!
Murcharam minhas alegrias...murcharam.

Quando o tempo para mim existia?!
Tudo era à luz do sol semelhante
Explodia meu coração noite e dia
Mas esse tempo vai distante...

rosafogo
natalia nuno
 
PÉTALAS PERDIDAS

Como nunca

 
O mais difícil
são as distâncias
de impossíveis palavras
no lugar do que é dito
escutar fonemas
como outras águas
brotando
de um invólucro fissurado
ver que há o fora das coisas
e que não é possível
falar das coisas por dentro
por não terem lá nada
ou nada mais
que o nosso pensamento
de ausências
difíceis.
 
Como nunca

LUA CINZA

 
LUA CINZA

A lua é cinza
Os muros caiados tomam um pretume
Em suas partes altas
E as baixas ficam intactas em branco
Sento-me ao pé dessa murada
Quero refletir, mas só consigo olhar, olhar...
Olho a formiga, o besouro,
O papel de chiclete empurrado pela brisa
E o puto do cachorro que late no portão
Como se latir fosse o único sentido de ser cão
 
LUA CINZA