Poemas, frases e mensagens sobre sensual

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares sobre sensual

Madrigal

 
Madrigal
 
Venham manhãs

embutidas nos tambores cardíacos

escorregando pelos montes das tuas saias

onde o comprimento d´onda

da luz cristalina do Sol

em saudações à tua glória

asparge reflexos d´orvalho

felicitando o meridiano

do teu sexo

LSJ, 2608201021:10 (C) Távola De Estrelas

Imagem Google , edição de3 JouElam & Dallavecchia
 
Madrigal

Nestas aventuras enlouqueces-me... És tão meu !

 
 
Em teus olhos vejo o mar
misturado com a cor deste teu olhar...

Doce fascinação é te admirar,
tocar-te por horas...
Um deleite particular, só meu !

Sentir a textura de tua, sedenta pele,
matar minha sede da tua saliva,
olhar-te os olhos da cor do mar...

Encontro-me aqui à tua frente novamente...
Para ser tua num êxtase sensual, quase divino!

Fico entre dois mundos,
sentindo-me perdida, encantada, excitada...

Ah, esse prazer de te ter ...

Provar o sabor suavemente salgado de teu suor,
degustar os teus sais ardentes...

Somos um encaixe perfeito,
quando minhas pernas cruzam-se nas tuas costas,
e penetras-me intensamente e fugaz...
Meu corpo entra em convulsão com nossa mistura,
completamente umedecida fico,
contorcendo-me com a tua aura sedutoramente voraz,
deixando um delírio mais do que insano com teus sons
mesclados com meus gritos ,suspiros, sussurros...

Maltratando essa tua pele com a minha paixão,
tornas-te tão meu, sem pudor,
quando em ti cravo as garras embebidas de desejo ...

Arte de amar quando nossos corpos tornam-se um só!
E chegamos enfim ao tal paraíso dos amantes insaciáveis,
dum delírio insano, inexplicável de tão fugaz ...

Homem amado, nestas aventuras enlouqueces-me ... És tão meu !
 
Nestas aventuras enlouqueces-me... És tão meu !

Espera...

 
Espera...
Deixa-me lembrar como foi bom
As tuas mãos nos meus cabelos...
No meu peito...
Pelas minhas costas...
Chegaste mansa com um segredo
Largaste-o na minha boca
Usaste o ímpeto do meu amor e te atiçaste
Lembras-te?
Do jeito com que te guiei pelos lençois?
Directa ao sonho, ao deslumbre?
Me escaldei em teu lume
Saltei do meu mundo pra mergulhar no teu!
"Vem, vem..."- dizias,
E eu?
Ía!
Corría sim!
Cheguei e ao te tocar parti...
Me igualei a ti em fantasias!
E quando em lume brando,
Já no rescaldo,
Veio um "te amo"
Foi tão bom de se ouvir!
Foi tão bom de escutar
Neste colo tão perfeito
Que é o eco do teu peito
O meu amor a palpitar...
 
Espera...

Do nosso Amor

 
Do nosso Amor
 
Carrego no corpo
as marcas
do teu desejo abafado,
da tua paixão desenfreada,
freada pelo tempo
e pela incompreensão
da tua necessidade acumulada
da tua virilidade calada
na busca frenética duma razão
dum amor para viver
dum sabor para o teu fino paladar,
o antigo desejo de ter
o pleno, o vivo, o sadio,
sem desculpas ou mentiras
apenas a entrega sincera
no roçar dos corpos
no arder das bocas em febre
na dança louca da imaginação
que não é oca, mas ação!
e quando meu corpo cansado pede calma
não é fuga
mas fôlego para o teu insaciável
desejo de um Zeus na terra minha,
a festejar o encontro do procurado:
teu mundo d'amor
um dia
tanto desejado!

Tua Dan, 0106201202:43

...in resposta...

Eu
queria escrever
o poema
o mais belo do mundo
mas para tal feito
necessitaria
do melhor poeta
do universo
Eu
que até conheço
o poeta mais genial
entristeço-me
porque
não foi ele que escreveu
o poema
o mais belo do mundo !
Na verdade
o poeta
o melhor do universo
jamais poderia
dar à vida, parir
o dia da tua luz
ó poema
o mais belo do mundo
de que modo Camões ou Pessoa
Shakespeare ou outro qualquer
poderiam redigir
a carne , tua !...
se é o meu corpo
que te sente por inteiro ?
Então o poeta
o único que faz milagres
em cada verso
que não escreve
sorri
é ele uma nuvem clara como a paz
de Deus ... ou do homem ...
a vida escreve-te , meu amor ,
e eu maravilhado ...
contemplo-te

Teu Jo , 0106201202:58
 
Do nosso Amor

QUERO-TE

 
QUERO-TE
 
No calor rubro do teu abraço
Eu queimo o meu pesar.
Na chama ateada do teu corpo
Eu arrefeço o meu cansaço.
No brilho candente do teu olhar
Eu apago o meu passado morto.
No fogo ardente do teu beijo
Eu derrubo o meu fingimento.
Na centelha viva do teu desejo
Eu disperso o meu sofrimento.

Quero-te assim…

Nesse instante e para sempre
Perdida em êxtase me deter.
No labirinto de ti aprisionada
Suor a escorrer pelo meu ventre
Na entrega de mim desnudada.
A fêmea outrora adormecida
Surge agora ainda mais mulher
De máscaras já toda despida.

Quero-te em mim …

Do que antes eras esquecido
Na voragem da minha paixão.
De me possuíres tão sequioso
Alimentado no suco do prazer
Que humedece cálido e viscoso
Meu sexo que está ao teu unido.
Afundado num mar de emoção
Embriagado no auge de me ter.

Quero-te assim…
Bem fundo dentro de mim!
 
QUERO-TE

Regresso a ti

 
regresso a ti
nesta folha branca
ávida da languidez do teu olhar
mel em colher dourada
colhe o pólen da minha poesia
ás tuas mãos hábeis para o verso

meu amor
dança comigo a dança das letras
aqui onde meus dedos caminham
aticemos a discreta insanidade do sonho
acendamos a fogueira na raiz da utopia

atropelam-se arrepios no areal do corpo
reclamam o beijo,molhado,na baía da tua boca
soltam-se as amarras das letras
audaciosa a pena faz maravilhas
gravita nas entranhas das palavras

dança comigo teus versos
em compasso nos seios das palavras
nossos pensamentos nus encontram-se por aí
nas estrelas,na lua,colidem suas emoções
em perfeita comunhão de corpos.

a palavra é um ímpeto onde manuseamos o sentimento.

ana silvestre
 
Regresso a ti

Penetração

 
Segue na colina o pássaro púrpura,
Cospe seu atro lamento,
Sangue banha os lábios da criança
Trago nos braços o silêncio.

Da crepuscular síncope divina.
Em aflição contorce o medo
O significado reacende o ciscunspecto passo
Cada vez mais fundo mergulha cego.

A sua cabeça vaga na humidade serena.
Milenar tarde negra,incoercível desejo,
Esvoaça a irmã imensa da melancolia
Acaricia o rigido membro.

Uma nova ordem passa pelos arcos sinistros
Uma lágrima fecha-se sobre os corpos.
Antecede o vazio do amor que pensei ter encontrado
Posterior a morte de todos os sonhos.
 
Penetração

TU TENS GEMIDOS LÂNGUIDOS

 
Sabes meu amor, que a tua pele tem o sabor do amor?
Que os teus belos lábios , têm o doce sabor do mel?
Que os teu olhos verdes, têm o sabor da água do mar?
E que o teu coração fabrica o calor para tudo alimentar?.
Eu não sei se sabes, mas eu sei.
Sei, porque provei a tua pele
Sei, porque os teus lábios beijei.
Sei, porque bebi as lágrimas
Que correram pelo teu rosto
Felizes do nosso lindo amor.
E quando chega a hora de fazermos amor, meu amor.
No nosso leito os nossos corpos se fundem num só.
As nossas línguas entrelaçadas, molhadas de prazer
As nossas pernas formam o mais belo dos nós
Ao ponto de abandonarmos ao desejo o nosso ser
Tu, tens gemidos lânguidos
Pelos movimentos dos nossos corpos,
Tomam mais força quando beijo teus seios.
Que entre as minhas mãos enleio
Beijo-os sofregamente e loucamente.
E tu deixas ferver o desejo na tua mente.

A. da fonseca
 
TU TENS GEMIDOS LÂNGUIDOS

Desejos Inconsoláveis!!!

 
Ainda posso sentir a ousadia de tuas carícias
Dilatando emoções até nos confins da alma!
Teus lábios rubros a beijar cada meu recanto
Lúcido carpido em indescritíveis sensações.

Ainda busco teu olhar, parado no meu em pecado
Oscilando em movimentos de libidos constantes!
Ainda sinto em minhas mãos cada teu contorno molhado
No desvario puro de desejos em nós inconsoláveis.

Ainda recordo o terno recurvar perfeito de teus seios
Brancos. O ondular de teus cabelos, quedos em meu peito!
A ânsia de recomeçar de novo noites puras de volúpia
Enquanto brincas inocentemente em meu corpo com tuas mãos...!

Ainda quero passar noites de eterna emancipação acordado,
Vendo-te dormir sobre o nu exausto de meu peito.
Quanto és bela, mais que o anjo divinamente mais perfeito.
Quanto és amada? mais que minha vida, sem ti não vale nada...
 
Desejos Inconsoláveis!!!

Beijo-te

 
Beijo-te inteira
da cabeça aos pés...
sem cerimônia...
sem pudor.

Beijo-te inteira
sem pressa de acabar...
com toda a calma do mundo...
sem vontade de parar.

Beijo-te inteira
para o meu e o teu prazer...
os meus lábio tocam tua pele...
e se deliciam com a sua reação.

Beijo-te inteira
com ternura e com paixão...
cada suspiro é uma sinfonia...
feita de silêncios e sons.

Beijo-te inteira
com todo o meu ardor...
com todo o meu carinho...
com todo o meu Amor.

Denis Correia Ferreira
01/01/2013-10:42

Comecei o dia escrevendo três textos ao mesmo tempo. Este foi o ultimo deles, porém foi o que terminei primeiro. Gostei do forte apelo erótico e sensual dele sem apelar para vulgaridades.
Postei-o também no meu blog com imagens: http://sonhosdesperto.blogspot.com.br/2013/01/beijo-te.html

Leia por sua conta e risco. Aprecie sem moderação!!!

Conheça outros textos inéditos de minha autoria:

Blog Terra dos Sonhos: http://sonhosdesperto.blogspot.com

Recanto das letras: http://www.recantodasletras.com.br/autores/denis
 
Beijo-te

A Chuva

 
 
.

A Chuva

Quero tanto
o teu corpo
que todo o meu sangue
é uma chaga
em ansiedade pelo milagre
da tua carne
regenerando os meus tecidos
a matéria da tua vida
injectando nas minhas veias
o bálsamo do teu sexo
em difusão por todo o meu ser
movimento teu
entranhando-me no vértice rosado
que tomando-me
me alastrará na tua mente
nesse teu pensamento
que é o caminho da alma infinita
onde o êxtase
abrindo ...
a origem da vida
sela o nosso amor
no livro imortal
das nossas vozes
em fogo - gemendo murmúrios ...
de lá para cá, de cá para lá
em coro uníssono gritando
os nomes que se noivaram
no momento em que descobriram
que antes
dos mares beijarem a terra
já os nossos corpos
molhavam os céus

Luiz Sommerville Junior , A Madrugada Das Flores , 170420110457
 
A Chuva

HORA DE AMAR

 
HORA DE AMAR
 
Hora de amar, hora de o amor brilhar
Um dentro do outro se entrelaçando
Dois seres em um se transformando
Em êxtase o momento a decifrar
Na hora de amar

POR FAVOR, PARA MELHOR LEITURA, CLIQUE NO POEMA
 
HORA DE AMAR

NOITE DE VERÃO QUENTE

 
Ardo nesta cama como numa poça de fogo
Me queira possuir
Mas tu não estás aqui
Vejo o teu olhar quente que me encendeia
Nos lençois que parece que pegam fogo
É só uma noite quente de verão
3 da manha sem conseguir dormir
Este calor que se entranha e a tua pele se faz minha
Sim esta noite não dormes sozinha

Noite de verão quente como te queria para todo o sempre
Noite de verão quente e tu pareces tão presente

Eis que ela aparece como que por encanto saltitando
Para a festa que se avizinha
Acendo a luz e o teu foco
Que me ilumina já não está aqui
Como uma predadora na escuridão
Os teus cabelos vermelhos são o fogo que me está a queimar

E a tua pele bronzeada que me faz sonhar
Esse tom de pele e esse ar sensual que me faz delirar
E essa boca desenhada que eu quero beijar

E ao pensar em ti eu sei o que é viver
Como duas almas caminhando lado a lado
Tenho ansias de ti estou ansioso para te ver e gritar te estou aqui
Beber o tal panaché com uns caracóis
Embebedar me com o teu cheiro viciante
Fazer castelos na areia
Afagar o fogo nos teus cabelos vermelhos
Tenho sede desse lábios
E da tua secreta alegria

SEMEANO OLIVEIRA
 
NOITE DE VERÃO QUENTE

Anjo Profano (sonetilho)

 
Anjo Profano (sonetilho)
by Betha Mendonça

Asas vergadas, vastas plumas,
Desejado corpo delgado,
Lançado dos sonhos tu rumas,
Punhal no meu peito cravado.

Beijos e deleites de espumas,
Em mares de carinhos cálidos,
Criado do amor tu me acostumas,
Aos teus lábios em mim tocados.

Anjo profano, demo alado,
Tu me inebrias em luas-de-mel,
E trago-te ao colo tatuado...

Voas, brincas, mudas de papel.
Ser alado por mim amado,
Cavalgo-te como um corcel.
 
Anjo Profano  (sonetilho)

NOSSOS CORPOS PERDIDOS

 
Adeus solidão, já não estou sozinho
O meu coração, recebeu um beijinho.
Recebeu um beijinho do amor que chegou
E foi com carinho que ele se apaixonou.

Ele se apaixonou por a mulher mais linda
Que me encantou e que foi bem vinda
Ela foi bem vinda para formar nosso lar
Que ela não prescinda do lindo verbo amar.

Do lindo verbo amar, nem do meu amor
Que eu lhe vou dar cheio de esplendor.
Cheio de esplendor em leito de loucura
E fazendo amor com desenvoltura.

Com desenvoltura em lençóis de linho
Sentir os teus seios passar de mansinho.
Passar de mansinho teus lábios no meu peito
Sentir o teu corpo balancear a preceito.

Balancear a preceito e lábios colados
Num espasmo de amor, o teu corpo invado.
O teu corpo invado, nossos corpos perdidos
No prazer do prazer e em girândola de gemidos.

A. da fonseca
 
NOSSOS  CORPOS  PERDIDOS

Desejo Divinal

 
Palavras doces de prazer, desejo, amor e soberba
Espalhadas, difusas em todo o meu corpo
Fogem-me da ponta dos dedos das minhas mãos ébrias
Pingam algo que não sei ainda o que é, mas espero beber

Roda-viva, cores, amores pessoas e álcool

Moças lindas, rolam, rebolam, amaçam

Ao fundo, a Diva! O alvo, o objectivo, atractivo. Divinal!

Eu quero, se em sonho se no mundo real

A musa ao cimo que se mexe como o vento

Sinto, por isso sei que existe, o vento!

Dança, intensamente! Mexe, encanta como uma serpente

Eu vejo ou imagino mas com o corpo dela deliro

Se sonho, que adormeça, se existe volta a mim

Sinto-me no poder, sinto que te quero ter

Sou capaz diz-me onde estas

Que na ponta dos dedos tenho o toque que pedes

Na mão ébria o desejo que procuras

E no corpo inteiro o liquido que queres beber

Dança não pares, que no teu balanço encontro o
cheiro que me leva a ti

Sinto que és real e não um mito, e eu não acredito em amor platónico

Por isso torna-te minha hoje, e manha vai

Se te mostras, procuras alguém e deixa-me mostrar-te, um toque único

Beija-me, não és deusas mas hoje a minha musa, amanhã não sei.

Sensura-me, oh tu de longe!
 
Desejo Divinal

Ao Som de um Bolero

 
Ao Som de um Bolero
 
 
Da orquestra eu espero
que execute um bolero
para teu corpo envolver,
dançando bem coladinho
com muito amor e carinho
até nosso sangue ferver.

No decote ousado
teu seio rosado
há-de me enlouquecer...
e ao sentir teu calor
querendo fazer amor
vou delirar de prazer.

A música segue rolando
o desejo aumentando
sonhando te possuir...
com o coração disparado
sentir teu beijo molhado
não posso mais resistir.

Em teu cabelo ondulado
com perfume de pecado
vou me embriagar...
agora o que mais quero
é um pout-pourri de bolero
sem ver a noite passar.

O sol então aparece
um novo dia amanhece
o baile vai terminar,
revelo-te o que restou;
um lindo sonho findou...
no silêncio de um olhar.

* Falcão S.R * Rio de Janeiro - RJ

Website: www.LuzdaPoesia.Com

Contato: falcaosr@luzdaPoesia.Com
 
Ao Som de um Bolero

ORAL E FLUENTE * (Inédito!)

 
ORAL E FLUENTE *

Você disse que trazia e trouxe
Seu jeito de fazer a vida doce
Quando, só gosto amargo, era
Promessa de paz e primavera...

Me vês em idas e vindas... Ora
Me abraças, me beijas, aflora
Afluente em bocas e sem voz,
Pois nos unem palatos na foz...

Assim, me fizeste mais bonita...
No desmantelo que me incitas
Eu mais te quero e me queres...
É a hora de ser feliz, exageres...

Ibernise.
Indiara (GO), 25.09.2008.
Inédito!
*Núcleo Temático Romântico.
Direitos autorais reservados/Lei n. 9.610 de 19.02.1998.
 
ORAL E FLUENTE * (Inédito!)

PENSAMENTOS

 
Pensamentos

Pensamentos galhofam o coração,
Fragmentando a razão.
Ao tecerem suas teias,
Avidez incendeia minhas veias...

Flashes do tempo,
O hoje, no ontem, pro depois...
Intenso, volátil, oportuno,
Enxovalhando meus lençóis.

Pérfido ao destino,
Faz motejo aos meus anseios,
Açulando desatinos...

Ébria deste mel,
Afrouxo os arreios
E brinco de carrossel...

Suse

18/01/2012
 
PENSAMENTOS

PROCURO UM AMOR

 
Um louco amor que deixe sua marca em minha pele.
Em plena harmonia
Transforme meu coração estilhaçado,
Por uma eternidade.
Um amor que me conduza
Ao topo dum vulcão.
Procuro um amor
Daqueles que fazem vibrar.
No auge da explosão
Que deixe o sabor do outro
Entrar em mim devagar, todo,
Mesclar-se ao meus sentimentos.
Quero sentir-me acurralada a esse amor
Um amor louco, só meu.
Que me deixe tonta de sedução
Que seja a peça que falta para me completar.
Procuro um amor
Que se desenvolva em ondas firmes de paixão
Não percisa de ser de rajada
Mas que ilumine a alma todos os dias.
Que nunca acabe esse amor
Mas sim, deixe sua marca da paixão cravada em mim...
 
PROCURO UM AMOR