Letras de música

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares da categoria letras de música

profundo azul

 
 
tenho para ti olhos tristes
que já não voam ao ver-te
tão longe, será que existes
ou só em mim posso ler-te?

vejo um céu que é todo teu
azul, tão puro. e a chuva
que cai em mim porque é turva
se de ternura me encheu?

e a gota na tua face
água profunda sentida
como eu queria que levasse
aos nossos lábios a vida.

mas esse azul tão profundo
falha terrestre sem Deus
queima-me mais num segundo
que o fogo de Prometheus

rouba este azul, vai titã
traz-mo num lírio do monte
na flor terna da manhã,
na estrela do horizonte.

(ouvir no vídeo este poema cantado)

Da grande página aberta do teu corpo

Da grande página aberta do teu corpo
sai um sol verde
um olhar nu no silêncio de metal
uma nódoa no teu peito de água clara

Pela janela vejo a pequenina mão
de um insecto escuro
percorrer a madeira do momento intacto
meus braços agitam-te como uma bandeira em brasa
ó favos de sol

Da grande página aberta
sai a água de um chão vermelho e doce
saem os lábios de laranja beijo a beijo
o grande sismo do silêncio
em que soberba cais vencida flor

António Ramos Rosa

Música e declamação de Afonso Dias, voz de Tânia Silva

Vídeo produzido pela TERESA TEIXEIRA (STEREA)

Grata a todos e parabéns ao josea pela inspiração e aniversário hoje (calhou bem )
 
profundo azul

SOU O QUE SOU

 
SOU O QUE SOU

Violão acústico e voz: GÊ MUNIZ

SOU O QUE SOU

Sou o que sou...
Fui murado por ferro
Semeado por trigo
Armado e sem perigo

Preso a terra
Entre pernas e umbigo
Decomposto e corrompido
Como um corpo no jazigo

Sou o que sou...
Uso esporas e chicote
Encobertos num véu
De puro e doce mel

Presa à boca
Feroz língua de fel
Solta, a voz de menestrel
Traço sons em tons-pastel

Visto o que vi
Me faltou a visão...
Rindo por rir
Que perdi a razão...

Amei sem saber
Sumi sem querer
Mas como prever
O que vai haver?

Então é melhor
Somente dizer:

Sou o que sou...
Corrente e talismã
Furtada de um lar
Largada na mesa d'um bar

Finjo que sou
Astral e material
Que vivo dormindo
E acordo num sonho real

Sou o que sou...
Reticente e volúvel
Saboroso e amargo
Feito um café solúvel

Livre estou
Num demônio angelical
Cruzo o céu de um abismo
Desprezando o bem e o mal
 
SOU O QUE SOU

EU DIGO TE AMO

 
EU DIGO TE AMO
 
Letra: zésilveiradobrasil
Exercício de Voz: idem
Gênero: MPB/samba canção
Gravação doméstica

Descobri ontem que eu te amo tanto
e fiquei triste por ser tão recente
tão pouco tempo, quase um espanto
de esse sentir transformar-se em amor.

Resta então, me resumir em versos,
num só segundo ter todas palavras
não ter meus olhos em vão ao relento
e sem receio de segurar tua mão.

Não é amor, de doer o meu peito.
Nem é querer, dividir teto e leito,
ou de encher calendários de grifos
com contagens de mil sentimentos.

É querer te cuidar e sabê-la comigo
sem impedimento, sempre te sorrindo...
te fazer bem é o que mais me apraz
seja como amiga, amante, tanto faz

um simples amar, um gostar, nada mais
reclamo de hoje não ter sido ontem,
Querer adiante, que o amanhã te alcance,
sem que tu saiba, que já te amava antes.

Não é amor, de doer o meu peito.
Nem é querer, dividir teto e leito,
ou de encher calendários de grifos
com contagens de mil sentimentos.

Por isso eu digo:
te amo, te amo, te amo
Eu digo;
te amo, te amo, te amo, te amo
Eu digo;
te amo, te amo, te amo, te amo
Eu digo;
te amo, te amo, te amo, te amo
 
EU DIGO TE AMO

BELO HORIZONTE

 
'Conexão RIO x BH'
letra e música de samba de minha autoria, que ficou tão belamente harmonizado pelo violão e voz do meu querido amigo e poeta Frederico Salvo. Dele para mim como presente de aniversário, qual acolhi com carinho, e cujo canto ofereço para os meus amigos mineiros e pra todos que apreciam a MBP. espero que gostem.

'conexão Rio/B.H.'

no Rio
junto ao mar...
preferi
deixar perdido
o meu olhar.

[guardei
meu pranto]

para que você
não visse
o meu chorar...

tua ausência
ainda faz
a minha lágrima
brotar

e receio
de você
não mais pra mim
querer voltar.

ouça, solidão
não preciso
que me siga
na estrada.

solidão
eu não quero
que me faças
de morada.

junto ao mar
eu te deixei,
o meu olhar
e a minha amada.

mas chegando
vi os montes
estou em casa.
 
BELO HORIZONTE

ESTOU VIVA

 
ESTOU VIVA
 
 
Quando você me visita
Quando eu o escuto respirar
Eu ganho asas para voar
Eu sinto que estou viva

Quando você olha pra mim
Eu posso tocar o céu
Eu sei que estou viva

Quando você abençoa o dia
Eu simplesmente flutuo
Todas as minhas preocupações morrem
Estou feliz por estar Viva

Você incendiou meu coração
Me encheu de amor
Me fez uma mulher
Nas nuvens acima

Eu não poderia chegar mais alto
Meu espírito alça vôo
Por que eu estou viva

Quando você me convida
Quando eu o escuto respirar
Eu ganho asas para voar
Eu sinto que estou viva

Quando você me toca
Eleva meu espírito
Deus sabe disso

Sabe que serei eu a seu lado
Noss bons e tambem difíceis momentos
E eles estão apenas começando
Eu não posso esperar pelo resto da minha vida

Quando você me visita
Quando você me toca
Eu ganho asas para voar
Eu sinto que

Quando você abençoa o dia
Eu simplesmente flutuo
Todas as minhas preocupações morrem
Sei que estou viva

Ganho asas para voar
Deus sabe que estou viva
 
ESTOU VIVA

Destino do Poeta

 
* * *

Um homem saiu de casa,
nem sequer olhou p'ra trás...
Bateu-lhe o vento na asa
e voou d'encontro à Paz.

Não era um homem vulgar,
por ter o porte de atleta...
Saiu... Se alguém o encontrar,
Verá uma alma inquieta!

Voou por entre as estrelas
e doces mensagens leu...
Só brotam palavras belas
dessas nascentes do Céu.

Homens que vão traduzindo
o que a Natureza diz...
Escrevem dores sorrindo,
para quem não é feliz.

Distinguem na multidão
a agulha que anda perdida;
Seres que buscam em vão,
o rumo da própria vida.

Um homem saiu de casa,
com sua alma irrequieta...
O destino deu-lhe a Graça:
Saiu Homem e entrou Poeta.


03.01.2009 Henricabilio

http://recantodasletras.uol.com.br/trovas/1423975

NOTA: Ficou na categoria "letras de música", pois pelo que vejo não existe a opção "Trovas": Quadras de sete sílabas de rima cruzada.
 
Destino do Poeta

Lembro

 
 
Lembro a casinha simples, toda de madeira, o piso de chão.
Meu pai indo pra roça de cabeça baixa e enxada na mão...
Lembro minha mãe sentada remendando as roupas, e hoje ao lembrar,
pareço ver uma santa tecendo seu manto no mais lindo altar.
Vejo ela então rezando, pedindo aos céus paz e proteção.
Parece que na mesma hora Deus já respondia mandando o refrão
que ecoava dos cantos dos pássaros invadindo a casa a nos abençoar,
e o vento abrindo as janelas anunciava que Deus chegava por lá...
Lembro, já de tardezinha, o meu pai chegando e a nos abraçar
falava da esperança de pro mesmo ano tudo melhorar.
A noite, na pequena sala, todos reunidos repartindo o pão.
Maria, a irmã mais nova, nunca esperava o fim da oração...
Na cama, coberto com medo, lembro minha mãe pegando em minha mão.
E esperava eu adormecer tranquilo! Mesmo até hoje, ainda sinto, então,
que a noite quando deito, ela está ao meu lado a observar
minhas preces pedindo que Deus lhe dê um bom lugar.
Meu pai, ainda presente, o seu olhar sereno parece dizer
que a vida passa tão depressa que às vezes não dá nem pra perceber
que a felicidade está nas pequenas coisas, bem a nossas mãos:
num lar, saúde, família, paz e gratidão.

(Letra de música)

Esta é uma das primeiras músicas que fiz.
Bastante antiga.
 
Lembro

TRAÇOS DE MIM

 
TRAÇOS DE MIM
(Augusto Cola)

Tente entender os meus traços
São diversas as faces da atriz
Sou desfeita eu sou mil pedaços
Parte a parte eu sou por um triz

Os sonhos não são meus caminhos
Nem importa saber quem eu sou
Sou milhares de seres eu sou sozinho
Caminhando não sei aonde vou

Cantando eu vou pela vida
Eu estranho ao ouvir minha voz
Se mil vezes eu sou despedida
Em mil outras eu retorno pra nós

Represento eu perco a medida
Em milhares de eus sou ator
Em mil partes eu sou diluída
E em cada qual sou amor

O amor é tanto que de tanto amar tento ser você só pra te encontrar.
 
TRAÇOS DE MIM

À Portuguesa

 
 
Em Portugal, sofre um povo
Na mão de gente que é imoral
De Vinhais a Monte Gordo
De Estremoz a Vila Real

Entre Runa e Lisboa
Ó Troika, ouve esta voz
"Quem manda aqui somos nós!"
"Ninguém escreve a nossa história!"

Às armas, às armas
Contra quem nos quer domar
Às armas, às armas
E a vitória vai chegar
Por Portugal, bradar, bradar
 
À Portuguesa

Alfa

 
 
De pé, queixo erguido
Sei que ninguém traçou o meu caminho
Sigo em paz
Nem sempre tão sozinho
Se quiser, me conter
Jogue o que puder

Vamos ver quem tem
O outro nas suas mãos
Vem provar meu bem
Minha reputação
Hoje até me tem
Mas amanhã não

Deixo até ficar
Enquanto tiver uso
Mas não minto pra ninguém
Nem mesmo abuso
Você quem quis assim
A escolha é sua

Vamos ver quem tem
O outro nas suas mãos
Vem provar meu bem
Minha reputação
Hoje até me tem
Mas amanhã não
 
Alfa

este amor que trago dentro

 
este amor que trago dentro
tu inteiro em mim ternura
é punhal cravado ao centro
do meu ventre, azul doçura.
quando repouso os cabelos
no teu corpo feito de asas
vou tecendo mais que tê-los
mil beijos, lábios e graças.
uma crina de água invento
no teu rosto, em doce e sal
e de minhas mãos intento
ser em nós tudo o que vale.
um troço de mar, viagem
na cama afoita da boca
sou de rio a ponte a margem
e no cais a amarra, a doca....
tu, a proa do meu navio
que me embalas no teu ser
tens o céu preso num fio
que me atraca ao teu querer...
 
este amor que trago dentro

QUANDO O AMOR SE APAGA

 
QUANDO O AMOR SE APAGA

VIOLÃO, GUITARRA SEMI-ACÚSTICA,
BAIXO E VOZ:
Gê Muniz

QUANDO O AMOR SE APAGA

Você pensa que aonde mora o amor
Também vive a razão...
Não espera que a fera que afaga
Morda as costas da mão

E se ilude como minha imagem
Refletida na água...
Límpida na lagoa tranquila
Mas distorcida na mágoa...

Se abre um vão de ferida
Só o tempo enxágua
Jamais cura em vida
Quando o amor se apaga...

Fiz de tudo para não me levar
Por mais uma paixão
Rodei mundo pr'a ser dono das terras
Do meu coração

Mas me iludo com sua imagem
Refletida na água...
Límpida na lagoa tranquila
Mas distorcida na mágoa...

Se abre um vão de ferida
Só o tempo enxágua
Jamais cura em vida
Quando o amor se apaga...
 
QUANDO O AMOR SE APAGA

AMOR TURBILHÃO (letra, voz e violão)

 
'Conexão RIO x SAMPA'

Valeu parceiro e amiguirmão GeMuniz!

Após deambular
Na madrugada vã
Só queria dormir
Abraçado à manhã.

com o sabor do batom
deixado no afã
do seu beijo de cor
pura brisa e romã.

Mas o travo sabor
bebido na rua.
O delírio impõe
e ninguém atura.

Desnudei-a com o olhar
numa lembrança nua.
Mas ela só fingiu
Como quem finge a lua.

um amor turbilhão
e quentura de sol
e olhar de arrebol
igual lava e vulcão

é assim que a quero
quando for sonhar
é assim que a quero
se a amar de manhã.
 
AMOR TURBILHÃO (letra, voz e violão)

O MEU NOME É FANTASIA

 
O MEU NOME É FANTASIA
 
O MEU NOME É FANTASIA

Letra e Música: Gê Muniz
Voz, Violão e Guitarra Semi-Acústica: Gê Muniz

Doce gosto de saudade
Alimenta a vontade
De viver a imaginar

Sou um mundo paralelo
Dentro deste meu castelo
Tudo é vento, tudo é ar

Sopram miragens
E recordações
Ilusão e realidade
Se mesclando
Entre o onde fui
E o para onde ando

Vida passa sobre a mesa
Serve pobre sobremesa
Pr'o meu fino paladar

O meu nome é fantasia
Dia e noite, noite e dia
Não há dor no meu lugar

Viajam planetas
E constelações
Universo e inverso
Se mesclando
Entre o onde fui
E para onde ando

Esperança que não morre
Me resgata, me socorre!
Me convida a sonhar...

Vou fingindo, sou criança
Mente brinca, corpo dança
Rouba o meu triste olhar

Da janela dos desejos
Só acertos nenhum erro
Faz pousada neste lar

Surgem deuses
E assombrações
Luminosidade e sombra
Se mesclando
Entre o onde fui
E para onde ando
 
O MEU NOME É FANTASIA

COMO É GRANDE O MEU AMOR POR VOCÊ

 
COMO É GRANDE O MEU AMOR POR VOCÊ
 
eu simplesmente AMO esta música e gostaria de compartilhar com vocês.

Eu tenho tanto pra lhe falar
Mas com palavras não sei dizer
Como é grande o meu amor por você
E não ha nada pra comparar
Para poder lhe explicar
Como é grande o meu amor por você

Nem mesmo o céu, nem as estrelas
Nem mesmo o mar e o infinito
Não é maior que o meu amor, nem mais bonito

Me desespero a procurar
Alguma forma de lhe falar
Como é grande o meu amor por você

Nunca se esqueça nem um segundo
Que eu tenho o amor maior do mundo
Como é grande o meu amor por você

Nunca se esqueça nem um segundo
Que eu tenho o amor maior do mundo
Como é grande o meu amor por você

Mas como é grande o meu amor por você

Link: http://www.vagalume.com.br
 
COMO É GRANDE O MEU AMOR POR VOCÊ

SE EU PUDESSE AMOR

 
SE EU PUDESSE AMOR
 
 
...

"é assim: tanto a poesia quanto a música germina de mim do cotidiano; seja no silêncio do ouvir, nos efeitos do sentir... até de um simples olhar..."

SE EU PUDESSE AMOR (samba canção)08/2011
letra, música, exercício de voz: zésilveiradobrasil

Não sei mais
o que é
que eu faço
pra te ter me amando...

Se esconde de mim
detrás do sorriso...
‘um coração chorando’

Se eu pudesse amor
se eu pudesse...
‘secaria os lamentos’

Se eu pudesse
afastava de ti
‘todos os sofrimentos.’

“se as palavras me saem do peito
da mão e a pena as deito no papel
eu te guardo na minha poesia
“qual uma estrela do céu.”

‘Seu eu pudesse amor’
 
SE EU PUDESSE AMOR

NOSSOS LÁBIOS, NOSSOS BEIJOS

 
Porquê te desprezar,
Se nada sei.
O amor é para amar
E eu não errei.

Chorando no meu peito
Me dás amor.
Só o teu amor aceito
E não o rumor.

Tudo o que possam dizer
Me passa ao lado.
Eu contigo quero viver
Quero ser amado.
Te ter nos meus braços
Te ter sempre em mim
Fortalecer os laços
Feitos de cetim.

O nosso amor é forte
E nós sabemos.
Te amo sem pasaporte,
Assim viveremos.

Nossos lábios, nossos beijos
Se cruzarão.
Plenos de desejos
Vindos do coração.

Tudo o que possam dizer.
Me passa ao lado.
Eu contigo quero viver
Quero ser amado.
Te ter nos meus braços
Te ter sempre em mim
Fortalecer os laços
Feitos de cetim.

A. da fonseca

Protegido na SPA Lisboa
 
NOSSOS LÁBIOS, NOSSOS BEIJOS

QUERIA TE TER

 
QUERIA TE TER
 
 
...

QUERIA TE TER (samba)
letra, música, voz
Autor: José Silveira

li _ eu li sua carta de amor
e _ com surpresa em fiquei sabendo
que _ tens por uma grande paixão
que _ eu aqueço o teu coração, bom saber
e nas noites sou o teu travesseiro.

eu li...

li _ eu li sua carta de amor
e _ com surpresa em fiquei sabendo
que _ tens por uma grande paixão
que _ eu aqueço o teu coração, bom saber
e nas noites sou o teu travesseiro.

queria...

queria-te-ter _ aconchegada em mim
nós dois _ enroscados num abraço sem fim
ah esse amor vai ser incandescente
deste fogo que arde da gente
isto é fato não duvide não
de _ eu te querer, e te beijar na boca
nos cabelos na nuca e nas coxas
e depois uma ‘transa legal’
se _ rá nossa noite de fazer loucuras
de tão bom não queremos as escuras
tatuar nosso amor no lençol.

se _ rá _ nossa noite de fazer loucuras
de tão bom não queremos as escuras
tatuar nosso amor no lençol.

eu li...
 
QUERIA TE TER

BRILHANTE DE VIDRO

 
 
BRILHANTE DE VIDRO

O poema perdido eu choro
Em outro achado eu procuro
Além da casa em que moro
Sou medo por cima do muro

Ao ser poesia eu minto
E por toda mentira eu lhe juro
Na miragem que vejo e não sinto
Sou brilhante do vidro mais puro

Ávida nem sei escutar
A voz que agora eu procuro
Sou canto querendo calar
Sou medo do claro e do escuro

O sorriso perdido eu choro
Em outro achado eu procuro
Além da casa em que moro
Sou medo por cima do muro
 
BRILHANTE DE VIDRO

Canção de chibulá

 
Cof cof dig dig tralala
Troc troc nunf nunf picacá
Baite baite fungarolas de tufá
Botabota naifótrok tricotá

Punfavida vidatuba de chutá
Chutabóta bolachuba fixtólá
Rink rink fatoxiba rástrijá
Labótipa picafole vaitulá

Tiroliro, tiroliro punfacá…
 
Canção de chibulá