Mensagens de amor

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares da categoria mensagens de amor

Ser teu amor e companhia

 
Ser teu amor e companhia

Como gostava de ser o teu amor e companhia
ficar sempre a teu lado toda a noite e todo o dia.

Recostada no teu ombro ouvindo alvoroçada
a batida do teu coração também descompassada.

Sussurrando dizias aqueles piropos com graça
inventados, patetas, docinhos, em ar de chalaça.

Com maneiras e simplicidade, gestos amáveis
os beijinhos roubados, eram os mais memoráveis!

Aqueciam a alma e o corpo, uns braços a enlaçar
e os olhos, pareciam estrelas lá no alto a brilhar.

Na mocidade de outrora, a face cobria-se de rubor
tudo tão diferente, ingenuidade e pureza no amor.

Uma flor colhida no jardim, um trevo que dá sorte…
escondidos na mão, para me vir enfeitar o decote.

Depois o dia chegou, o véu branco cobriu-me puro,
e assim construímos sempre felizes, o nosso futuro.
 
Ser teu amor e companhia

Escrevo pelo simples fato ...de não querer falar sozinha...

 
Escrevo pelo simples fato ...de não querer falar sozinha...
 
Um beijo que alimenta as flores
na sede do rio que deseja sua margem
Na voz da boca que me beija a pele
... a poesia que irradia e me faz fome
E mata a sede chamada saudade.

...

No vidral a parede que separa
O rio do oceano avencado
De musgo que enferruja
O coração muitas vezes
Cravado de pregos, nas...

...

Linhas deixadas de insultos
Mordicando os lábios ind'há desejo
Guardado na pele dos poemas
Que em versos deixam suas marcas
Deixam também suas nódoas
Vertidas de lágrimas cristalizando
O peito nu, mesmo assim...

...

Se cobre de gáudio, amornando
O escrínio do amor que inda
É regado que um dia fora plantado
Pouco regado, na pele
P'la escacez de docilidade d'água,
...será???.

...

No coração há um quadro pintado
Com a tinta do amor
Que perluta manter-se de pé
Mesmo com a falta de zelo
No cansaço que dá, no olhar
A interpretação quedada, na escrita.

...

Dos lábios teus/meus
N'um beijo aliciado mordendo
A pele no arrepio que desce
O dorso da poesia nos deixando
"osos"(cheios de) amor.
Inda que o degredo
Não tenha cadeados
Ind'assim há o querer de um rio...
Que corre pr'o (a)mar.
...

Cansado mas, há...
Escrevo pelo simples fato
De não querer falar sozinha
...de amor...
...

Ray Nascimento
 
Escrevo pelo simples fato ...de não querer falar sozinha...

요Um anjo veio em meus sonhos요

 
요Um anjo veio em meus sonhos요
 
 
Ele mostrou-me que na vida nem sempre é aquilo que parece,
Trouxe-me para um lugar onde doces sonhos vivos,
Deu-me um dom: Ele sussurrou, "Pegue minha mão, eu vou levá-la através de
Um lugar onde todos os sonhos podem se tornar realidade!
Feche os olhos e abra seu coração, para este voo
Ele trouxe-me através da escuridão para a luz,
Sempre envolto em torno da cor com alegria,
Uma manta de retalhos de beleza sem costuras,
Cada cor é um arco-íris cheio de sonhos.
Ele levou-me através de uma bonita sala de som,
Com as portas abertas paredes de vidro
E a partir de cada quarto uma canção iria tocar suavemente,
E eu desejava com todo o meu coração ficar.
Nós. Á deriva na fragrância da brisa,
Para saborear todas as flores e as árvores.
Estamos felizes saboreando o néctar doce das flores,
E senti-lo como um fluxo em harmonia.
Então, meu anjo virou para mim e disse
"Você é a detentora desses sonhos
Os sonhos te conduzirá com segurança durante a noite.
Eu sou a detentora deste sonho, é verdade,
E ofereço todos os meus sonhos a você.
Meu querido anjo venha visitar-me cada noite
E preencher a minha alma com amor!

Dedico ao meu marido: Humberto.

EXPERIÊNCIA REAL.
 
요Um anjo veio em meus sonhos요

GERMINAR

 
Meu coração é semente

Que no teu ser

Encontra perfeito solo

Finca raízes profundas

Bebe o veio úmido

Cria em mim doce seiva

Onde ao morno alvorecer

De rosadas manhãs

Broto flor, fresca

Para te fazer sorrir.
 
GERMINAR

Basta um olhar

 
                   Basta   um  olhar
 
Olhe-me nos olhos e, bem no fundo
verás escrito o que sinto e não digo
Não é preciso, olhe-me nos olhos que
brilharão intensamente
São negros como o negrume do mar
São puros como a açucena, tristes
como a noite sem luar
Basta um olhar e verás que sorridentes dirão:
Amo-te de todo o coração.

Nereida
 
                   Basta   um  olhar

Balsamo de tua boca beijado pelo tempo de onde nasce flores

 
Balsamo de tua boca beijado pelo tempo de onde nasce flores
 
Tardes que as sombras se escondem no cair do sol
O oceano não se manifesta.
Águas que correm sem destino, perdeu seu leito
Ondas que batem nos ventos, as marés gemem
Ouve-se través do silêncio
Os gemidos das rosas do amar

A onde esta o cais para o barco do amor se atracar
Sentidos gritam, as folhas de outono que deixam de cair
As arvores choram sem suas vestes
Lágrimas que descem pelo caule dos sentimentos
Balsamo de tua boca beijado pelos meus lábios de onde nasce flores
Nossos lábios se fundem em belos beijos

Espero tudo do nada, pois às vezes do nada é que tudo temos
Nossos olhos são aquele inicio de um algo,
O nosso olhar é um todo, sonhamos vida
Um amor sublime, lindas emoções
Saudade que mora em nossos corações:

Autor: Martisns
JOSÉ CARLOS RIBEIRO
22.08.2015
 
Balsamo de tua boca beijado pelo tempo de onde nasce flores

Apague a. luz

 
 Apague  a. luz
 
Ao apagar a luz, ascende-se a lembrança de quando estavas aqui!
De quanto desejavas meu calor, lembra-se meu amor?
Sua ausência me faz querer sua palavra, seu abraço, seu corpo
Sabes amor? eu sou tua, sou namorada, sou amante
Sou a brisa que refresca sua pele
Sou a luz que clareia seu caminho
Sou a menina de seus olhos, que me fitam
Sou lábios flamejantes que anseiam
por teu beijo.
Apague a luz! quero sonhar

Nereida
 
 Apague  a. luz

Lua sem luz

 
                    Lua  sem luz
 
O laço se soltou
Soltaran-se as amarras
Sem o canto das cigarras
Verão se foi e,inverno voltou

A lua não tem luz
Triste sem claridade
Mostra-se sem vaidade
Reflexiva me conduz

Por caminhos estranhos
Um beijo cálido mas, frio
Caminho, passo sombrio
Bebendo em cálice de estanho

Beberagem de fel
Bobagem que foi dita
Amor que ainda acredita
Doce beijo,favos de mel

Nereida
 
                    Lua  sem luz

O TEMPO PAROU

 
Os teus braços envolvem-me

Acalmam o meu peito acelarado

De raíz fogo e alma

Todo o universo foi soprado

Quem nunca o vento sentiu

Plenitude nunca viu

Ana Cristina Duarte

Rosas
 
O TEMPO PAROU

Carta de Despedida

 
O tempo é de balanço. Não de recriminações, nem tão pouco de assimilar culpas ou desaires.
O tempo é unicamente de reflexão. Há quanto tempo o não fazíamos?
Neste dia ensolarado onde as sombras se infiltram pelas brechas da nossa alma, o melhor caminho é sentarmo-nos no chão, absorver o ar envolvente como se estivéssemos com falta de ar. Ouvir de seguida os pássaros que se desinteressaram dos horrores quotidianos, porque o destino deles se cumpre no preciso momento em que chilreiam para nos encantar.
Experimenta essa paz aqui ao meu lado. Sentes? Respiras esta fantástica sensação de liberdade?
Descomprimamos as palavras e codifiquemos a naturalidade abstracta com que tudo acontece nas nossas vidas. Nada é por acaso… dizem.
E não é, de facto!
Talvez por isso, neste momento… o coração se adense neste remanso agitado, de peregrino sem fé. Mas não desiste. Teimosamente segue ainda o compasso das suas batidas, como uma andorinha perdida que não desiste de procurar o seu ninho. Repara, ouves?…
Apercebes-te como ainda bate? Como se emociona quando nos atrevemos a olhar nos olhos?
O amor lá está, debruçado entre os próprios joelhos em sinal de abandono e lamento, mas espera-nos!
É perceptível ainda os gritos que nos lança em silêncios de vidro, nos gestos. Sente-se as angústias que se filtram com as lágrimas derramadas, mas o amor lá está… à nossa espera, sim! É uma questão de sabermos ouvir…
A jangada de paus, onde tu eu temos andado numa aventura de prisioneiros do sonho, acaba de sofrer um rombo colossal. Abanou mas não afundou. Cabe-nos então a tarefa de recomeçar a reconstruir o que ficou danificado.
Os ramos de alecrim que pusemos juntos aos lirios no topo da jangada, ainda irradiam o seu perfume suave e embandeiram os nossos mais belos ideais.
O amor verdadeiro é isso… sabias?
As tempestades varrem muitas vezes as praias, como se um maremoto se agigantasse à nossa frente para nos mostrar a pequenez do que somos, mas logo depois vem a luz da aurora devolver-nos a esperança, como se nos atravessasse o coração através dos olhos do anjo que nos guarda.
Por mais que alguns tubarões esfaimados tentem beliscar as algas que nos servem de manto verde onde repousamos as esperanças e os velhos sonhos, cabe-nos a nós remar com as próprias mãos no mar infinito dos nossos ideais cujo pôr-do-sol nos indica o infinito…!

(VÓNY FERREIRA)

texto incluído no meu romance
O DESPERTAR DA MARIPOSA/editora: Temas Originais
 
 Carta de Despedida

Encanto

 
Encanto

Qual a menina que não tem uma boneca
gosta dela como se fosse a melhor amiga
conta histórias dá papinha, põe a fralda
embala o bercinho, ou canta uma cantiga?

Depois de alguns anos os bonecos são outros
verdadeiros e lindos rechonchudos e corados
o nosso enlevo, as vidas da nossa vida, onde
todos nos revemos e zelamos com cuidados .

Chegam os netos ficam os avós babados.
Renascem ao ver aqueles encantos, nascidos
dos próprios filhos que por si foram criados.

E se há a felicidade dos bisnetos conhecer
ver aqueles bonequinhos, é uma forte emoção
que nos trás a ilusão de mais tempo irmos viver
 
Encanto

Em frente

 
Em frente
 
Faz quase três anos que estou aqui e

não consegui contigo me reconciliar.

Infelizmente não é fácil transpor o

muro da tua indiferença, não adiantou

levantar bandeira branca, não te

desarmastes.

Fiz cartas, confissões, apelos, nada

adiantou. És mesmo um Homem de Aço?

Já pensei demais nesse assunto(em ti),

parei, esperei, deixei chover nos

momentos de angústia, neguei tua

existência, fiz um diário sentimental,

desliguei teu stand by.

O que não posso negar é que tive sorte

de conhecer esse site mágico(graças a

ti), repleto de luz, onde meu coração

criou raízes e não cansa de gerar

frutos regados pela atenção e ternura

dos miguxos.

O que posso fazer se fui guindada por

esse tal de Luso Poemas, encantada

pelos sonetos, poemas, prosas,

desabafos e incentivada a prosseguir na

busca constante de melhorar forma e

conteúdo?

Aqui descobri o verdadeiro sentido da

palavra desafio!
 
Em frente

DESEJO

 
DESEJO
 
DESEJO

Hoje só quero teu beijo devagar
Terno, pacientemente no sossego de íntimos lábios
Num tempo criado por nós...
Apenas assistido por quietas paredes
Mergulhadas na cumplicidade de uma parca luz

Quero o carinho da tua mão na minha,
O suave entrelaçar dos teus dedos aos meus
Sentir o pulsar do teu coração no meu peito
Num abraço demorado,
Feito eterno neste momento...
Hoje te quero mais um pouco que outros dias,
Num desejo apressado, mas num encontro preguiçoso
Sem demoras em te sentir, em te amar...

Quero junto a ti respirar fragrâncias
Que emanam do fim das madrugadas
O cheiro matinal dos verdes quintais
Que sentimos no abrir das janelas...
Assistir no laço de um abraço os primeiros raios de sol
Que atravessam as gotas de orvalho quais diamantes
Apreciar as últimas flores de verão
Perderem suas efêmeras pétalas num vento displicente
Anunciando assim as tristes folhas de outono

Quero o adormecer de criança
No teu peito abrigo
Ouvir tuas histórias, em sorrisos... Em sussurros...
Ou colher tuas lágrimas da emoção incontida
Quero procrastinar contigo, porque já corremos tanto...

Desejo descansar no teu sono,
Sorver tua paz mesmo no barulho da tempestade
Fazer acontecer o que os sonhos antigos guardavam
Calar pra ouvir teus olhos falarem aos meus.
Atravessando minhas retinas, invadindo minha alma...
Hoje quero todos os amanhãs ao teu lado
E não mais um minuto sequer...
 
DESEJO

Existe um outono dentro dos teus olhos onde as folhas renascem

 
Existe um outono dentro dos teus olhos onde as folhas  renascem
 
Esses teus olhos me encantam
Essências do campo que molham o nosso olhar
Gotículas chorada pelas nuvens
Primavera dos lábios que procuram os beijos de inverno
Aquecidos pelos desejos

Grito vindo dos Alpes dos teus seios
Credito de tua boca pago com meu beijo
Flores do teu corpo que enaltece a pele de nossa linda paixão

Existe um outono dentro dos teus olhos onde as folhas renascem
Sólidos sentimentos que dele se amamos
Águas cristalinas de nossas lágrimas
Formando-se o álveo do puro sentido amor

Autor: martisns
José Carlos Ribeiro
03.03.2015

Imagens google

https://mulheresdequarenta.files.wordp ... 2013/01/olhar-de-amor.jpg

http://media.tumblr.com/tumblr_llz1ioVF001qev1qd.jpg

http://www.oblogdamari.com/wp-content ... -Olhar-de-Amor-banner.png

http://previews.123rf.com/images/geri ... mn-forest-Stock-Photo.jpg
 
Existe um outono dentro dos teus olhos onde as folhas  renascem

Eu sou assim

 
      Eu   sou assim
 
Eu sou assim
Hora serena, hora rabugenta
Ou triste,ou alegria afugenta
Espectros do mar sem fim

Eu sou assim: Porque não?
Sem escolha, pois a mágica
Do amor, por vezes é linda,ou trágica
Concebida trago ,o não saber na mão

Eu sou a doçura
Amiga do vento e, da chuva
Da lágrima que deixa a visão turva
Que castiga sem compostura

Sou a fala com brandura
Aroma da lavanda
O lilás ,colorido que abranda
Sou asas que elevam as alturas

Nereida
 
      Eu   sou assim

Afora

 
                   Afora
 
Riu de meu penar
Riu de meu dissabor
Esse emaranhado me faz pensar
Quão difícil achar o amor

Rio de corredeira mansa
Vai tranquilo, vai sem pressa
Leva tristeza, leva esperança
Meu amigo me leve nessa...

Aventura, eu digo contigo
Caminhando rio afora
Ao encontro do abraço amigo
Aos braços de quem me adora

Nereida
 
                   Afora

Suaves ARPEJOS!

 
 Suaves ARPEJOS!
 
 
Suaves ARPEJOS!

Sobre as medidas do tempo, eu tenho seu nome gravado.
O seu coração e o meu com o ritmo das estações
Para que os laços de um doce amor abracem nossas vidas,
Bordando a palavra paixão à borda de nossos desejos.

No caminho, enquanto, eu planto luzes
Para iluminar o seu caminho com orações,
Tecendo estrelas na sua noite de sono
Como muita luz no céu infinito.

Nas sombras do tempo de choro, tristeza,
Quando escurece, às portas do destino
Eu mostrei o dia a nascer, todos os dias
Por que você passou acreditar no milagre do amor.

No relógio do tempo, eu fechei a marcação.
As horas que se desenrolam ao longo dos tempos
Na fonte de água viva da esperança
Foste bebendo desta água com mãos trepidas

E para te alegrar eu cantava, por sua vez,
A música dos anjos com suaves arpejos
Um vento com som de harpa, burburinho de seda
Iluminando o seu visual com uma maravilhosa luz

Nos sonhos do tempo, selado com um beijo
Que da aos seus lábios o gosto da eternidade.
Para que os laços do doce amor. Abrace nossos corpos,
Bordando a palavra paixão em letras de ouro fino.
Te amo Humberto.

Rosangela Colares
 
 Suaves ARPEJOS!

Defesa

 
Defesa
 
 
Sei que não posso com a mão retê-la,

acenar também não.

Espero que o adeus seja asneira e no

despertar da oitava estrela perceba:

que a tristeza é sempre passageira e o

resguardo favorece o retorno em

esplendor,

que o silêncio é apropriado feito

tempestade em seca e as palavras como

galhos de acácias repletos de sóis!

Vídeo postado no google por Gloriani Sayuri.
 
Defesa

Delírio

 
Delírio

Se delírio, pode ser uma palavra perniciosa
no sentido de transtorno mental, mal, febre
também pode ser uma bela fantasia criadora
onde a arte se transplanta em magia breve.

Sensualidade, a paixão que desperta desejo
e o sonho volátil salta entre nuvens e céus
em algodão doce, de essências e lembram
lindas mulheres sinuosas cobertas de véus.

O sono agita-se, estrelas caiem em brasas
Inflamam corações que ardem prazerosos
e os anjos voam apagam-nas com as asas.

Sonhos são pedaços feitos céu, mar, ais, flores
recordações, dolorosas ou gostosas, momentos,
alegrias, passarinhos, laços e delírio de amores.
 
Delírio

Êxtase

 
havia amor trans
lúcido

sexualmente
puro e
permitido

havia músculos
pelos eretos
pele úmida

foram deuses
na hora cálida
e única.
 
Êxtase