Rondel

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares da categoria rondel

O POETA A LUA E O IPÊ

 
O POETA A LUA E O IPÊ
 
Em ti me pego sempre pensando,
Olho a bela lua e começo a tecer.
Será que também esta inspirando
O poeta seus sonetos a escrever?

No farfalhar das folhas dançando,
Ela adora brincar e surpreender.
Em ti me pego sempre pensando,
Olho a bela lua e começo a tecer.

Pela janela tudo fica observando,
Por detrás do Ipê a se esconder.
No papel versos vão nascendo,
Sentinela até o poeta adormecer.
Em ti me pego sempre pensando.

Carol Carolina
 
O POETA A LUA E O IPÊ

ROSA TRISTE...

 
ROSA TRISTE...
 
 
Rosa triste...

Morava num jardim imenso multicor
Hoje num vaso estou quase a secar
Tão perfumada sou simbolo do amor
Uma rosa que nasceu para encantar.

Tristonha e isolada vivo a lamentar
Sequer ouviram o meu grito de dor
Morava num jardim imenso multicor
Hoje num vaso estou quase a secar.

Era bela, colorida e cheia de frescor
Todos os dias feliz ficava a esperar
Meu amado e doce bailarino beija-flor
Dos meus lábios vinha o néctar sugar
Morava num jardim imenso multicor.

Carol Carolina
 
ROSA TRISTE...

TEU NOME É MULHER!

 
TEU NOME É MULHER!
 
Teu nome é Mulher!

Mulher o teu nome poderia ser delicadeza
Pela aparente doçura que é tua fragilidade
Uma guerreira que leva a vida com firmeza
Na incansável luta pelo direito de igualdade

Nem sempre tudo são flores ou só moleza
Sendo as vezes pai e mãe com capacidade
Mulher o teu nome poderia ser delicadeza
Pela aparente doçura que é tua fragilidade

Muito foi feito mas ainda falta com certeza
As que não fazem parte da nossa realidade
As que pela vida são tratadas com dureza
Querem reconhecimento e nunca caridade
Mulher o teu nome poderia ser delicadeza

Carol Carolina
 
TEU NOME É MULHER!

ORVALHO É POESIA...

 
ORVALHO É POESIA...
 
 
Orvalho é poesia...

Gotículas prateadas sobre a flor
São como pérolas ao amanhecer
É diferente com a variação de cor
Dura pouco só até o sol aparecer

Nas manhãs o verde é só frescor
Na natureza cena bela de se ver
Gotículas prateadas sobre a flor
São como pérolas ao amanhecer

Na pétala dá um reflexo multicor
Colorindo de cintilante o alvorecer
Nas encostas, jardins a onde for
De beleza as paisagens acrescer
Gotículas prateadas sobre a flor.

Carol Carolina
 
ORVALHO É POESIA...

O AMOR ANDA A PROCURA...

 
O AMOR ANDA A PROCURA...
 
 
O AMOR ANDA A PROCURA...

O amor algum tempo anda perdido
Muito cansado de tanto por ai andar
O cantinho onde deveria ser recebido
Outro sentimento ocupou sem avisar

Sentindo-se um tanto desconhecido
Sem ter um lugar para se instalar
O amor algum tempo anda perdido
Muito cansado de tanto por ai andar

Quase sempre é mal compreendido
Mas segue firme sempre a procurar
É teimoso não se dando por vencido
Um coração ainda espera encontrar
O amor algum tempo anda perdido

Carol Carolina
 
O AMOR ANDA A PROCURA...

Roupa suja lava-se em casa

 
Roupa suja lava-se em casa
by Betha M. Costa

Roupa suja lava-se em casa,
Mas há quem o faça na rua,
Ao usar a palavra mais rasa,
Para gritar a verdade sua.

Diante de grande falcatrua,
Esquece-se a língua em brasa:
Roupa suja lava-se em casa
Mas há quem o faça na rua!

Como uma torneira que vasa,
Ou tal barulhenta cacatua,
Em um rodopio da saia e asa,
Esquentada não sabe a “perua”:
Roupa suja lava-se em casa!

* Da Série Ditos Populares
 
Roupa suja lava-se em casa

ANDANDO NO JARDIM...

 
ANDANDO NO JARDIM...
 
Andando no Jardim...

Andando no jardim e observando
As flores são lindas sem vaidade
Colorindo dão vida e enfeitando
Cobertas de lirismo e humildade

Delicadas ficam lá só perfumando
Despertando nossa sensibilidade
Andando no jardim e observando
As flores são lindas sem vaidade

Arrancadas vão se transformando
As pétalas perdendo a suavidade
Como um ser que vai definhando
Perdendo sua preciosa liberdade
Andando no jardim e observando

Carol Carolina
 
ANDANDO NO JARDIM...

ENTRE NUVENS...

 
ENTRE NUVENS...
 
 
Entre Nuvens...

Entre nuvens vou um sonho procurando
Percorrendo sempre o mesmo itinerário
Ao observar todas as estrelas cintilando
Que me seguem neste caminho solitário

Em cada uma é o teu sorriso iluminando
O mundo que criei neste meu imaginário
Entre nuvens vou um sonho procurando
Percorrendo sempre o mesmo itinerário

Sou folha solta que levada cai dançando
Na busca do iluminado sorriso do cenário
Razão do sentimento que está crescendo
Dentro do coração meu precioso relicário
Entre nuvens vou meu sonho procurando

Carol Carolina
 
ENTRE NUVENS...

Campo de Girassóis

 
Campo de Girassóis
 
Painel de Alice Candeias

Campo de Girassóis
by Betha M. Costa

Enquanto o vento sul sopra a pena,
E girassóis ornam os ramalhetes,
Cada pétala saudosa cai e acena,
Até tecer na terra amarelos tapetes.

Ah, se hoje tu fosses como braceletes,
A envolver-me de vida bela e plena,
Enquanto o vento sul sopra a pena,
E girassóis ornam os ramalhetes!

Meus olhos lacrimosos com a cena,
Do campo n’água em límpidos filetes,
As flores em dança mágica e serena,
O sol a secar os orvalhos das noites,
Enquanto o vento sul sopra a pena...
 
Campo de Girassóis

Coração sem Borboletas

 
Coração sem Borboletas
by Betha M. Costa

Se eu não tiver n’alma e corpo amor,
As borboletas voam do meu coração,
Perdem uma a uma a beleza e a cor,
E enlouquecem na ventania da solidão.

Hei de saudar a vida com nova canção,
E caso me invada o vazio frio interior,
Se eu não tiver n’alma e corpo amor,
As borboletas voam do meu coração...

Tudo o que tenho e sou perderá valor:
Riquezas, tristezas e toda a emoção,
Caminhos, carinhos e todo o candor,
Nada mais tem sentido ou comoção,
Se eu não tiver n’alma e corpo amor.
 
Coração sem Borboletas

ESPERANDO A PRIMAVERA ...

 
ESPERANDO A PRIMAVERA ...
 
 
Esperando a primavera...

Já troquei as cortinas das janelas
Para esperar a colorida primavera
Trazendo flores de mil cores belas
Rosa, cravo, margarida e gerbera

Os jardins parecendo grandes telas
Se preparam felizes a sua espera
Já troquei as cortinas das janelas
Para esperar a colorida primavera

Calçadas cobertas só de pétalas
Todo o ano enfeitadas eu quisera
Não importa se raras ou singelas
Em toda a natureza a flor impera
Já troquei as cortinas das janelas

Carol Carolina
 
ESPERANDO A PRIMAVERA ...

Feliz Nem Infeliz

 
Feliz Nem Infeliz
by Betha Mendonça

Não fui feliz nem infeliz,
Delicada nem rude,
Fiz menos do que quis,
E muito mais que pude...

Se fraca ou de atitude,
Ninguém seja meu juiz:
Não fui feliz nem infeliz,
Delicada nem rude!

Com mãos sujas de giz,
Mente em inquietude,
Do viver sempre aprendiz,
Senhora de pouca virtude,
Não fui feliz nem infeliz.
 
Feliz Nem Infeliz

SOMENTE POR TE AMAR* (Inédito!)

 
SOMENTE POR TE AMAR*

Eu queimo, eu definho, eu pereço
Porque vivo nosso conto de fadas
Até te encontrar em um recomeço
Em dias de céus, e dias de nadas.

Quedamo-nos nas fofas camadas
De ti e de mim, mais me conheço...
Eu queimo, eu definho, eu pereço
Porque vivo nosso conto de fadas.

E simplesmente por te amar, teço,
Palavras na superfície espelhada,
Em que te vejo, e em meu avesso
Cozo, fio em teus beijos, alucinada,
Eu queimo, eu definho, eu pereço...

Ibernise.

Indiara (Goiás/Brasil), 28.04.2009.
Poema Inédito!
Direitos autorais reservados/Lei n. 9.610 de 19.02.1998.

CONVITE
Você está convidado a participar dos Ciclos de Poesia consagrado aos 7 Pecados Capitais:Um projecto Lusófono.Antologia virtual, sem custos financeiros, em e-book, entre outros benefícios, conheça esta iniciativa. Inscreva-se.
Mais informações em:http://7pecados.blogtok.com/menu/1/16420/sobre/

Email. para inscrição ibernise@hotmail.com

Para desativar o som clique no canto superior esquerdo do video. Obrigada.
 
SOMENTE POR TE AMAR* (Inédito!)

A MINHA TARDE.

 
"Nos afetos, o que se promete no auge do querer, não se sustenta no pico das discórdias".
MJ.

A minha tarde neste meu quarto solitário,
Foi Recenseada pelo canto de uma rolinha,
Que em meu quintal se fazia tão despojada,
Dando a entender que não era nada minha.

De vez enquanto eu dava minha cochilada,
E acordava por qual razão tu me adivinhas
A minha tarde neste meu quarto solitário,
Foi Recenseada pelo canto de uma rolinha.

Andei sonhando com uma ilha encantada,
Mas sua beleza era bem parca e mesquinha,
Tive um insite de encontrar uma namorada,
E nada disto confirmou-se foi bem lendário,
A minha tarde neste meu quarto solitário.

Enviado por Miguel Jacó em 07/04/2015
Código do texto: T5198254
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
A MINHA TARDE.

DE MANHÃ

 
DE MANHÃ

Por que o dia está tão bonito?
Por que tenho assim me alegrado?
Talvez porque estivesse escrito
Que estarias tu do meu lado.

Talvez porque houvesse sonhado
Ou porque me soubesse aflito...
Por que tenho assim me alegrado?
Por que o dia está tão bonito?

Talvez porque alcanço o infinito
Quando amo quem eu tenho amado
Ou em ti simplesmente acredito...
Por que tenho assim me alegrado?
Por que o dia está tão bonito?

Betim - 01 02 2016
 
DE MANHÃ

AGRADECER

 
AGRADECER
 
 
Agradecer...

A páscoa é recolhimento e especial oração
Momento para reflectir e muito agradecer
A quem doou sua vida para nossa salvação,
Sacrificando-se para que pudéssemos viver

Seu amor nos ensina amar sem distinção
Mas nem sempre nos é possível entender
A páscoa é recolhimento e especial oração
Momento para reflectir e muito agradecer

Vivemos num tempo de correria e confusão
Onde o amar e perdoar melhor é esquecer
Sentimentos que passam longe do coração
Nos desviando do caminho certo a percorrer
A páscoa é recolhimento e especial oração

Carol Carolina

A todos os poetas
deste site que aprendi a gostar muito,
o meu desejo de uma Abençoada Páscoa
extensiva a seus familiares.
Com carinho Carolina
 
AGRADECER

LÁBIOS QUE NÃO BEIJEI... Elen de Moraes Kochman

 
LÁBIOS QUE NÃO BEIJEI... Elen de Moraes Kochman
 
Lábios que não beijei

Elen de Moraes Kochman

Teus beijos, que o sabor nunca provei,
Teu corpo, que jamais acariciei,
Hoje povoam minha fantasia.
Tudo que não tenho... o que mais queria!
Utópico prazer, fora da lei.

Falar-te do meu amor... nunca ousei.
Tão belos sonhos que não realizei...
Tanto te quis dizer quanto queria

Teus lábios nos meus... minha fantasia!

São minha alucinação de hoje em dia
As tuas mãos em mim - doce agonia! –
A arrepiar meus pelos, mas bem sei
Que essa emoção jamais sentirei!
Cismo-me em teus braços ... e à revelia,

Beijo teus lábios...minha fantasia!
 
LÁBIOS QUE NÃO BEIJEI... Elen de Moraes Kochman

FOI UM SONHO...

 
FOI UM SONHO...
 
 
Foi um sonho...

Pela manhã logo cedo levantei
Ao jardim fui belas flores colher
Para o café, uma mesa preparei
Muito alegre fiquei a te esperar

As horas passaram e nem notei
Em pensamentos fiquei a vagar
Pela manhã logo cedo levantei
Ao jardim fui belas flores colher

Com um ruído na janela acordei
Era a doce brisa vindo me visitar
Ao ver a lua percebi que sonhei
Fiquei do meu sonho a recordar
Pela manhã logo cedo levantei

Carol Carolina
 
FOI UM SONHO...

Rondel Para Ibernise

 
Rondel Para Ibernise
by Betha M. Costa

Ibernise, minha amiga querida,
Recebas hoje meu terno abraço,
Por mais um ano de gloriosa vida:
Meu afeto em colorido laço.

Pelo dom de superar o cansaço,
E cada difícil etapa vencida,
Ibernise, minha amiga querida,
Recebas hoje meu terno abraço!

Tu és uma poetisa aguerrida,
Estrela maior de qualquer espaço,
Com a palavra comprometida,
E professora do melhor traço,
Ibernise, minha amiga querida.

=================

***Em 20/06/09 homenagem a poetamiga Ibernise
pelo seu aniversário.
 
Rondel Para Ibernise

Poema do Adeus

 
Poema do Adeus
by Betha M. Costa

Quando tu acenas-me um adeus,
E o vento a tua amada mão balança,
Vais para tão longe dos olhos meus,
E nem mais o meu coração te alcança…

Causas-me terríveis mudanças,
Sensações gigantes viram pigmeus,
Quando tu acenas-me um adeus,
E o vento a tua amada mão balança.

Ah, lágrimas em meus olhos ateus!
Em longa, fria e melancólica dança,
Morre como indigente o velho Deus,
O nosso amor fogo e festança,
Quando tu acenas-me um adeus.

(republicação)
 
Poema do Adeus