Poemas, frases e mensagens de agniceu

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de agniceu

Vou-te amar até à ultima gota de luz …

 
Vou-te amar até à ultima gota de luz …
 
Procura-se o vinculo mais forte, no céu mais estrelado,
Procura-se o regadio da lágrima mais pesada …
Mas a resposta recostei no profundo da alma …
Com a promessa de te amar …
No eterno lugar onde o tempo não tem espaço …

Poema dedicado a todas as mães que se tornaram estrelas antes de serem avós …

Poema dedicado a todas as filhas que ficaram com o coração amputado, antes de serem mulheres…
 
Vou-te amar até à ultima gota de luz …

Escuta, linda flor ,com genes de Lisboa ...

 
Escuta, linda flor ,com genes de Lisboa ...
 
 
Escuta, linda flor ,com genes de Lisboa ...

Depois do teu adeus …o mundo virou as costas ao sol …

 
 
O acenar das tuas mãos
Lembram,
Fósforos queimando
Na magreza dos minutos…
O emadeirado dos seus corpos…

E quando parar a imolação da sua luz,
Será o fim do sossego do escuro

Então os olhos se rasgarão dos teus
Deixando a tua imagem intacta
Como tatuagem da alma
Imortalizada no infinito do íntimo

Uma espécie de oásis largado para trás
No começo do deserto…
No início suicida do resto
Que ficou …
 
Depois do teu adeus …o mundo virou as costas ao sol …

A sete palmos do mar

 
A sete palmos do mar
 
 
A sete palmos do mar

Levas-te contigo os ponteiros … e tudo o resto…

 
Levas-te contigo os ponteiros  … e tudo o resto…
 
Saudades presas no coração
Tem liberdade incondicional
Para chorarem amores
As dores da tua ausência
As flores prometidas do teu regresso


No outro dia, o Tejo quase secou
Pensei que tinhas chegado …

No outro dia, o céu quase amanhecia
Parecias vir de barco na linha da lua
No rasto salgado

No outro dia
Foi apenas mais um dia
Depois de ontem
Depois de ti ….
Assim são os dias
Não terminam
Não começam …
Cessam sem alegria
Morrem antes de serem vida ...
 
Levas-te contigo os ponteiros  … e tudo o resto…

Mãe Pródiga

 
Mãe Pródiga
 
 
Mãe Pródiga

As asas encurtam silêncios e os amores distantes …

 
As asas encurtam  silêncios e os amores distantes …
 
As abelhas ministras
Não cheiram flores
Atadas ao solo

As formigas rainhas
Ostentam as asas mais belas
Mas não as usam
Para voar …

E tu…?
O que fazes
Com as tuas asas?

As minhas servem para tapar,
As cicatrizes da alma e ocuparem o lugar das saias …
 
As asas encurtam  silêncios e os amores distantes …

A moradia mais bonita é o teu coração…

 
A moradia mais bonita é o teu coração…
 
Moras cá dentro
Feito sentimento
Doseando a pressa das horas
E os rumores do reencontro ….
Jurado no latejo dos olhos …
Na inevitabilidade
Dos pontos cardeais
Dispersos
No desassossego
Irrequieto …
Dos passos

Porem,

Há uma força contida na veia mais fina
No suspiro maior
Soprando o teu nome
Numa nortada de amor
Que não arrefece
O núcleo
Dos sonhos
Castrados
Pela distancia dos
Nossos braços
Pelos traços
Molhados de dor…
 
A moradia mais bonita é o teu coração…

Estatuetas feitas de letras

 
Estatuetas feitas de letras
 
Os poemas são estátuas,
Lembram-nos os feitos da alma
De qualquer poeta...
Seja poeta menino
Ou velhinho
O que importa é sua obra
E a indiscutível forma de obrar o íntimo.

Há quem “ moluge ” as palavras à realidade presente,
Quente dos instantes …

Outros insistem em trazer consigo, um passado distante,
Colhendo saudades…

Mas todos,
Todos aromam os sonhos
Escrevendo as imagens das suas falas…
Numa janela voltada para o mundo …para a arte …
 
Estatuetas feitas de letras

Há um firmamento no teu olhar …mapeando o velejar do meu coração … Há um firmamento no teu coração …mapeando o velejar do meu olhar …

 
 Há um firmamento no teu olhar …mapeando o velejar do meu coração … Há um firmamento no teu coração …mapeando o velejar do meu olhar …
 
 
Poderia escolher um milhão de estrelas,
Semeadas por Deus no céu
Para me guiar na emoção …
Mas escolho a luz do teu coração
Para atravessar a escuridão
Da solidão,
Dos passos leigos
Feridos pelo chão molhado …

Escolho a esperança do teu amor
Por mais incerto que seja
Por mais encoberto que esteja o olhar,
Escolho olhar-te,
Despido de peito …

Por mais perto que esteja o clarão de um outro amor,
Escolho fugir para longe, mais perto da dor e da tua incompreensão …

Escolho – te
Pois só há
Uma escolha …

Amar-te!
Amar-te!
Amar-te!

E se um dia,
Deixar de te amar,
É por que morri de alma e de carne …
 
 Há um firmamento no teu olhar …mapeando o velejar do meu coração … Há um firmamento no teu coração …mapeando o velejar do meu olhar …

Arrecado as memórias dos teus desassossegos

 
Arrecado as memórias dos teus desassossegos
 
 
Arrecado as memórias dos teus desassossegos

A pele esconde o que o coração bate …

 
A pele esconde o que o coração bate …
 
 
A pele esconde o que o coração bate …

No livro em branco da vida, quantas folhas deixaste para trás… até escreveres poesia?

 
No livro em branco da vida, quantas folhas deixaste para trás… até escreveres poesia?
 
As esperas
Grasnam a estanho pobre
Das ledas lágrimas …
Mesmo,
As esperas de amor …

Esperar ao relento da sorte,
Nesta cascata de vida em tempo
É desperdiçar nirvanas nas horas
É Deixar o negro colado aos pés,
Observando as estrelas montadas nos caracóis
Na maratona dos sonhos ….

Então!
Digo-te… de coração escancarado:- vai atras desse navegador de índicos bailados
Não fiques aguardando por ele …

Ele não virá nos barcos
Nem nas ondas loucas
Ele ficará à tua espera
Como a sua alma gémea …

Se não …!

Os dois ficarão tecendo saudades
Envelhecendo a pele na frescura dos beijos
Prometidos
Sem idade…

Os dois ficarão embrulhando vazios em papel de sede
Ofertando o vento dos suspiros
De um “amo-te ”
No ouvido
Sem ter sido
Real
 
No livro em branco da vida, quantas folhas deixaste para trás… até escreveres poesia?

Poema velho

 
Poema velho
 
 
Poema velho