Poemas, frases e mensagens de Lenita

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de Lenita

A letra H e toda a sua importância ortográfica

 
Se com H
Se escreve Hospital,
Hotel e Homem,
Observe meu bem
Que Hinduísmo
Não foge a regra
Também!

Oops...esqueci
De te dizer que
Faço revisão nas
Horas vagas e largas
Entre você e mim.

Assim, aumento o meu
din din.

Viu, até rimou
Enfim!

Lenita T.F
 
A letra H e toda a sua importância ortográfica

QUANDO O ASSUNTO É VOCÊ

 
Ele não me quer,
Ele não me ama,
Mas sempre pega no meu pé,
Sempre é sacana

Ele subestima a minha inteligência,
Achando que eu não sei de suas andanças.
Sei tudo, bocas falam, dão ciência.
Ele dá tantas confianças...

Ele tem um harém.
Mente, mente até debaixo d'água.
Ele já me fez tanto bem.
Agora é só mágoa.

Que gostar vadio!
Que merda de amor!
Esse homem vive no cio,
Só me causa dor.

E esse poema está cheio de rima pobre.
Nem sei o que escrever.
Eu tento, mas não consigo ser nobre
Quando o assunto é você.

Lenita T.F
 
QUANDO O ASSUNTO É VOCÊ

Conjugando o verbo

 
Eu minto
Tu mentes
Ele mente
Nós mentimos
Vós-ué vós está em desuso
Eles mentem

E elas?
Elas mentem
Que nem sentem.

Lenita T.F
 
Conjugando o verbo

O poeta

 
O poeta morre,
morre,
morre.

Toda a limitação
permanece.
O fio que tece
o lamento amarra
a face sem graça.

Quem passa, entende.
O poeta é apenas
as palavras deixadas
ao vento.
O negócio rentável
chamado diplomacia.

O poeta vendeu a alma.
Mentiu.
Nunca soube fazer
poesia.

Lenita T.F
 
O poeta

all the time

 
Ele diz eu, eu, eu
all the time.
Eu acho que tudo isso
não pode ser explicado
por métodos convencionais.

Ele diz quero te comer,
comer, comer all the time.
Eu creio que talvez a ciência
explique essa crise antropofágica.

Ele diz te amo, te amo, te amo
all the time.
Eu acredito que ele minta,
minta, minta all the time.

Lenita T.F
 
all the time

EU SOU COMO O IVAN LINS

 
Bem, como tenho direito
a três postagens, aqui
vai mais uma para me fazer feliz.
Afinal de contas,sou igual
ao Ivan Lins:
o amor é o meu país.
Porém, esqueci de dizer
que aqui só tem xiitas,
bomba, granada e munição.
Quando não morro de prazer,
mato de emoção.

E já que só tenho mais
este momento, quero te dizer
mais uma vez para você se fuder,
no bom sentido, é claro.
Aliás, você já deve estar acostumado
a me fazer te odiar sempre um pouco
mais.Então, faça o que você disse:
os passos devem ser largos mesmo.
Nem eu nem você atira a esmo.
Você me mata, eu me levanto
e te mato também, amor
e isso me faz tanto bem,
tanto bem.

Caro leitor como também
tenho um pouco de Machado de Assis
e gosto de conversar com quem me lê,
te aconselho: não perca o seu tempo
aqui com esse texto de segunda.
Existem poetas maravilhosos aqui.
Isso ai é apenas um desabafo pequeno,
uma confissão para um amigo ( será que é?)
que só olha para o proprio umbigo.
Obrigada pela atenção.

Lenita T.F
 
EU SOU COMO O IVAN LINS

Pensar dói

 
Mastigo o hoje,
cuspindo os caroços
do ontem no rio
sem margem.

Tempo rei,
o amanhã é sugestão
anunciada, apelo
e existência
-ou será insistência?-

Minha ciência
se dá por vencida.
Vou roer os ossos
do ofício
e já que é assim
esse bíblico momento
que o sacrifício seja
santo.

Espero que os peixes
não bebam as palavras
que insistem em boiar
na superficíe do
meu vago olhar.
(pensar dói)

Que venha apenas
a denotação.

Lenita T.F
 
Pensar dói

Quando escuto o Inner Circle

 
Quando escuto
o Inner Circle
cantando Black Roses,
sempre me lembro
de mim, grávida
e sozinha,
lamentando
tudo que podia
ter sido.

Mas o que vale é sempre
o que ficou:
o amor feito
verdade.
O melhor de nós
dois imortalizado
para todas as vidas.

Já não mais escuto
o Inner Circle
para lamber
as feridas.

Graças a Deus
ou aos Deuses?

Lenita T.F
 
Quando escuto o Inner Circle

Quando você me matar

 
Quando você me matar,
mate-me com classe e
alguma ousadia.
Mate-me sem que eu tenha
que chorar ou fazer esforço
para esquecer o passado.

Quando você me matar,
mate-me de uma só vez
como você já fez,
Mate-me com a primeira
que aparecer, mate-me
na vulgaridade do momento
e deixe que o vento destruidor
carregue para o inferno esse
nosso amor.

Lenita T.F
 
Quando você me matar

Retas Paralelas

 
Eu e você
somos duas retas paralelas
e entre nós dois
um monte de elas...

Lenita T.F
 
Retas Paralelas

DESCUBRA EM GALÁXIA ESTOU

 
DESCUBRA EM GALÁXIA ESTOU
 
Um planeta habita em mim.
Se você quiser, escolha onde
pousar a sua nave.Faça isso
quando você estiver só e
bem devagarinho...
Bem devagarinho...
Eu disse...

Descubra
em que galaxia estou
e se o nosso universo
é paralelo.Observe
se temos algum elo
e se lá faz frio ou
calor.

Não canse da expedição.
Não durma.Beije tudo
que há lá, tudo que
sua boca puder comer
e tocar.

E depois, não vire para
o lado e durma não.

Fume um cigarro
e lamba...
a minha mão.

Lenita T.F
 
DESCUBRA EM GALÁXIA ESTOU

Divagação à tarde

 
"Ajusto-me a mim, não ao mundo."

Anaïs Nin

Entro em minhas
convicções absurdas,
fado de uma nota só,
ajustando a forma
e a solidão.
A palavra cheira
os paradigmas, procura
a danação,
sorri aos poemas
de plantão que arrancam
as asas das borboletas
que voam raso ou que
decolam nos braços
do texto sem olhos.

Não engendro o sentimento
que despossuo.Não.
O mundo é para quem
pode ser (in)fiel a si.
Você foi/é?

Tudo é apenas
vocabulário e ficção.

Lenita T.F
 
Divagação à tarde

Semente

 
Para que sejamos necessários
de Bruna Lombardi

Transfere de ti para mim essa dor
de cabeça, esse desejo, essa violência.
Que careça em ti o meu excesso
e que me falte o que tu tens de sobra.

Que em mim perdure o que te morre cedo
e que te permaneça o que tenho perdido.
Que cresça, se desenvolva um teu sentido
que em mim desapareça.

Dá-me o que de possuir tu não te importas
e eu multiplico o que te falta e em mim existe
para que nosso encaixe forme uma unidade -indivisível-
que não se possa subtrair uma metade.

Ela queria carregá-lo no colo
como um bebê, como uma carícia
que fica na pele e escorre
peito abaixo silenciosamente.
Toda a dor que ele pudesse
sentir, era dela também
ainda que as palavras atrapalhassem
e a vida fosse apenas um copo
de água pela metade.

Ela amava tanto tudo que ele
tinha: seus ternos adjetivos,
seu sorriso, seu nome, sua
imensidão.Ela amava suas abençoadas
mãos e tudo que ela não conseguia
explicar ou ter com verdade.

Nunca se sentiu tão forte
e completa até o dia que ele
saiu e deixou a porta aberta
para que ela olhasse o jardim.

Quando ela pensa nele, todos
os lírios se curvam, todos os
amores-perfeitos brotam, toda
a vida é uma semente adormecida.
 
Semente

meio

 
eu sou o meio.

quando chegar o fim,
me avisa.

Lenita T.F
 
meio

QUASE UM CAMALEÃO

 
É extremamente delicioso
achar que enganamos.
É um pecado avassalador.
Estranho que conheças
apenas este, meu amor.

Não escondes tanto
que eu não possa ver.
Teu mimetismo não te
camuflas tão bem assim.
Essa tua mania de predador
barato, colocou uma pedra
em ti lá dentro de mim.

Peço desculpas ao leitor
incauto que vai ler esta
porcaria de texto.Contudo,
para falar mal de você
serve qualquer droga de poesia,
qualquer filosofia barata.
qualquer coisa desonesta,
qualquer negociata.

Lenita T.F

Lenita T.F
 
QUASE UM CAMALEÃO

Quando ela leu o mar

 
Estranho também esse amor

Lya Luft

Estranho também esse amor,
com hora marcada para a mutilação
da morte, o minuto acertado,
e o fim consultando o relógio
para nos golpear.

Estranho esse amor de agora,
com meu amado atrás de um espelho baço
onde às vezes penso divisar seu vulto
como num aquário.
Enrolado em silêncio,
mais que nunca o meu amor comanda a minha vida.

Abriu a bolsa, tirou os óculos,
E leu o mar, olhando para as
Ondas, recitando o poema de
Lya Luft como se fosse uma
Profissão de fé.
Enquanto relembrava cada
Estrofe com a força dos infelizes,
Escorregou mais para dentro
De si até cair numa abissal
Agonia e se sentir uma água-viva
Encalhada na areia da praia,
Evaporando lentamente,
Diante dos olhos insensíveis
Dos outros.

Karla Bardanza
 
Quando ela leu o mar

Deus

 
Dentro de mim
todas as luas
de Saturno, todos
os céus, todos
os mundos.

Dentro de mim
alecrim e ervas
que fazem sonhar,
um mar que já nasceu
afogado, tudo de profano,
o silêncio do sagrado.

Dentro de mim
você, meu bem amado.
Você em palavras
escritas no sangue,
em meus glóbulos
cansados de lutar.

Dentro de mim,
você em sonetos
tão teus.

Dentro de mim
você ainda é o meu
único deus.

Lenita T.F
 
Deus

Autoproteção

 
Não sei mais escrever:
todos os meus poemas
ficaram ridículos.
Todo os meus poemas
são confissões de dor.

Não sei mais escrever
sem ser eu mesma,
sem sentir as coisas
estilhaçando, sem pisar
nos cacos de vidro.

Será que ainda vivo?
Esta aqui é realmente
eu?Ou será que o meu
fogo foi roubado também
por Prometeu?

Todas as dúvidas não
cabem na alma. Nela
mora somente o perigo
que enfrentei ao pisar
na cauda do dragão e
morrer de prazer nas
tuas mãos.

Não sei mais escrever.
Não sei quem sou eu,
não sei quem é você.

Se perdida estou e
eu não mais voltar
de dentro de mim,
digam apenas que eu
morri, digam apenas
que eu fugi para me
proteger de mim que
já morre e de você
que ainda vive.

Até que possamos nos ver,
que os Deuses me livrem
de você.

Lenita T.F
 
Autoproteção

Ajusto-me a mim, não ao mundo.

Anaïs Nin