Poemas, frases e mensagens de oORegougar))

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de oORegougar))

Luz Não Decomposta

 
Luz Não Decomposta
 
*-_-*Luz Não Decomposta*-_-*

Indignado na ausência de cor e de vida
No firmamento a luz não decomposta
Perplexo à luz omissa, não difundida
Desencanta os olhos à busca de resposta.

Findável momento, torna-se impreciso
O que há com o reino dos céus?
O cosmo holístico surgira indeciso
Escondendo a formosura da deusa Eos!

Luminescência talvez tardia, não surgira
O que houve com o Astro celestial?
Febo! Edifique minha súplica, em sua magnitude

Que de tanto primor e cor agora fugira!
Resplandeça da emissividade o corpo fractal
Demonstrando o lúmen manifesto de sua amplitude.

Descrição: O dia em que me deparei com a cor cinzenta do céu, a ausência das cores e da luz!

Autoria: oORegougar))
 
Luz Não Decomposta

Destino Circunscrito

 
Destino Circunscrito
 
*----Destino Circunscrito---->

É o tempo, Intensidade pelo qual se muda.
A celeridade dos segundos é o que ultrapassa,
Os olhos cálidos, indagam a boca muda,
Passou-se a vida, que um dia teve a graça.

Quando prisco, reinava-se a fugacidade,
Sentia todo prazer de um corpo alento,
Recordo o ósculo, na sublime imaterialidade
Mas, ausenta o gosto, que me toma o pensamento.

De forma insípida, é como o tempo nos toma,
Longínquo já não mais prevalece ditoso!
Ímpeto que me exalta como em coma,
Pois sinto pena! Do corpo relutado e torporoso...

O medo é apenas uma das circunstâncias,
É instável, para um homem que se julga indene.
Venha-me pois, a idolatria dessas instâncias,
Do corpo morto, mas, o sentir d'alma perene.

Em algum lugar da mente, coexistem memórias,
Enfrentando obstáculos em todas as manhãs,
Ás vezes relembra do triunfo, as glórias,
Que já equivocadas, pelo tempo aos cãs!

Se por cada segundo, deflagra-me um pedaço,
Não tenho porque, motivos a cada dia!
Isto em cada momento, impacto! Ao mero disfarço,
Amortiza-me como lume, em plena abulia!

Se volta-me... E quisera! Tal possível virtude,
Não irei ao tom austero, perder-me jamais,
Perdão àqueles, a quem deixarei uma infinda senectude,
Pois, o corpo de que mais sente não me sente mais!

oO Regougar))

Autoria: oO Regougar de Um Pensamento
 
Destino Circunscrito

Complexa alusão

 
Complexa alusão
 
*.-.*Complexa Alusão*.-.*

Ao impacto adusto do tempo decorrente,
Transformo-me, perco-me todas às vezes.
Por tal instância, transgrido a mente,
Pela ânsia dos tocares, e o néctar dos deuses.

Exaustão toma-me o corpo sequioso,
Nem mesmo sede, enaltece o que me incendeia.
Desdenhar como Ambrósia, o beijo grandioso,
Perceptível de trás das infindas dunas de areia.

Prostram-se, exaurindo pelo o que era miragem!
A boca fulminante, e o corpo que fumega.
Paira longínquo no amplexo, a paisagem.
Desertificado o sentir d’alma se entrega.

A esperança oportuna, fungi o pensamento.
Complexo nume, nostalgia em forma maciça!
Tal sucção convalesce meu contentamento,
Esperando o oásis do teu corpo, como areia movediça!
oO Regougar))

Autoria: oO Regougar de Um Pensamento
 
Complexa alusão

Alma de um Poema

 
Alma de um Poema
 
Se num ostentar em declínio me mato,
ao não haver que plena idiossincrasia;
mundos, ao celeste acético de qualquer fato,
toma-me o sentir de toda supremacia.
**
N'alma, que intercalada, já não mais pertence!
Também, vai-se um guiso semblante flácido,
produto! Agora que nunca mais sente,
devido ao corpo, que deforma como ácido!

**
Embora, por ícone talvez, sempre desesperado...
Alguns fins ponderáveis, outro choro derramado;
mas, permeio a tantas, palavras em sereno.
**
Embora, em mentes tenho marcado;
que por quem escreve, foi deixado,
em forma consangüínea, como veneno!

Alma de Um Poema

Autoria: O Regougar de Um Pensamento
 
Alma de um Poema

Imagino, logo sou!

 
Imagino, logo sou!
 
Sou navio dos sete mares;
dos segredos infindos e desconhecidos.
Sou fractal!Onda de luares!
Nebulosa, caminho dos passos percorridos.
**
Sou perplexo aos quatro ventos,
advento, momento, primor!
Sou sopro dos andares plenos,
Silêncio desvairado de pendor.
**
Sou clímax das quatro estações!
Incerteza da solidão e aflições,
Complexo, tardio, quem sou?
**
Sou a alusão dos meus versos,
Sou o engano dos incertos,
Sei o que não sei, portanto sou!

Imagino, logo sou!

Autoria: O Regougar de Um Pensamento
 
Imagino, logo sou!

O Pôr do Sol para um Poeta

 
"Surge em plumas prismáticas, feixes, vertentes em luzes variadas. O tom cósmico endeusa a escuridão, asas, quando no ato de gratidão o feroz tão atroz adormece o incandescer de suas garras."
 
O  Pôr do Sol para um Poeta

Insígnia

 
Insígnia
 
.*_*. Insígnia. *_*..

Paixão marca o peito como emblema.
Sentença por algo místico ignato,
Ao sentimento que regouga a voz suprema,
Abisma a amplexidade de um fato!

Temor de qualquer sonho em devaneio.
Oculta impetuosamente um gesto motriz,
Inciso mortalmente nas profundezas desse seio.
Renasce incontinênti, uma intensa cicatriz.

Adusto! Que desflora a sóbria mente,
Provém desse sentir que me deixa inusitado.
Nas alturas, o eldorado vívido incandescente,
Reluz a fênix na clemência de um apaixonado.

Em mim, sua exorbitante dicção que fumega,
Alteia-se estigmando como amor que sublima.
Ao seu amor, meu sentimento se entrega,
Marcando vitalmente, seu coração como insígnia!

Autoria: oO Regougar de Um Pensamento
 
Insígnia

O Amor

 
O Amor
 
*-_-*O Amor*-_-*

Tal sentimento que me transborda,
Sem consciente, lúcido, não absoluto!
Pensamento intemerato e oculto,
Transgride o ostentar que me corta.

Momento cujo qualquer aspecto,
São pensamentos que fervem sátiros,
Coração ascético de aprenderes aptos,
Aos sentimentos que o julga circunspecto.

Despercebido passa o chão que piso,
Torna-se vínculo, à minha desenvoltura,
Tal sentimento intenso. Meu friso!

Que me traz alento benevolente,
Sem delinear a avidez que me perfura,
Mistificando a alma da minha mente.

oO Regougar))

Autoria: oO Regougar de Um Pensamento
 
O Amor

Sofrimento

 
Sofrimento
 
*-_-*Sofrimento*-_-*

Primícias que não se incandescem,
Clímax nefando em martírio.
Crepúsculos à púrpura entardecem!
Deflagrando meu coração em delírio.

Motim, noutro desejo em amplexo,
Paixão de um viver interstício.
Imolar que desdenha o perplexo,
Beija-me por amor em sacrifício.

Dor nímia me fere fluente...
Alvitre incessante, efeito doente,
Sofrer por um pensar em decreto!

Aglomeração fúnebre, insistente,
No coração talvez, um amor ausente,
Mas em minha mente, é perpétuo!

oORegougar))

Autoria: oO Regougar de um Pensamento))
 
Sofrimento

Quatro Carrosséis

 
Quatro Carrosséis
 
*.* Quatro Carrosséis *.*

Da paixão, dizeres de um simples tilintar.
Do pensamento, a neblina nebulosa irradia.
Dessa forma, congela-se todo o pensar,
deslocado na neve aos olhos da noite fria.

Do amor, o declínio da tristeza em folhas,
De senti-las caídas por cada ensejo.
Dessa forma, instiladas, uma... Caem todas,
decifradas em códigos ao impacto de um beijo.

Dos lábios, as palavras que deflagram.
Do olhar, o incandescente grito esvai perverso.
Dessa forma, adusto às sombras que vagam,
demonstrando o escaldar na saudade de um amplexo.

Do advento, infindos pensares de flores.
Do devaneio, a beleza tácita em idolatria.
Dessa forma, presunçosos aos trêmulos primores,
descartadas em procedência como lindas fantasias.

Dos instantes, passado taciturno não espero.
Dos alvitres, fractalmente à sua divindade.
Dessa forma, no tilintar da incandescência te venero,
deplorando um decair de flores transformadas em saudade.

oORegougar de Um Pensamento.
 
Quatro Carrosséis

Ausente de Estrelas

 
Ausente de Estrelas
 
Ausente de Estrelas

Senti o frio da noite, a me acobertar.
Chorei em vivas plumas minhas estrelas!
Que pena! Algum tempo por não vê-las,
No céu intermitente que paira no ar.
**
Senti a incandescência de tua falta
Ostentando dentro de mim tal inane
que o céu não cesse, apague, nem chame,
A dor do infinito, (escura), bruta e sem pauta.
**
Que a certeza do amanhã não surja em falhas!
Não demonstre curare, imaginar tão atroz.
Oh Saudade! Sentir dos quereres imortais.
**
Ausente-se, céu! De ilusórias marcas!
Pudera-me lucidez desmanchar-te feroz,
E construir-te uma insígnia, que verve jamais.
oORegougar))
 
Ausente de Estrelas

Dor Da Saudade

 
Dor Da Saudade
 
Ao degustar um copo de poesia,
paira n'alma anelante que inflama.
Outros quereres factíveis na ambrósia,
decifrados nos lábios veementes de quem ama!
**

Em plenitude, o ósculo inolvidável,
torna-te uma deusa, no suspirar de um nume.
Por provar teu prazer, com o beijo desejável,
desespera-se o sentir inciso, na dor de um gume!
**

Do prazer, a dor que me oscila;
Prende-me, no perplexo pesadelo,
a plena saudade, que por dentro dita.
**
Indeciso! Complexo o sentir que fica!
Porem, o ínfimo ato de desvelo,
respira e suspira agora, o que não me limita.

Dor da Saudade

Autoria: O Regougar de Um Pensamento
 
Dor Da Saudade

Algo Que se Descobre

 
Algo Que se Descobre
 
Algo que se descobre

Sou algo que não se entende,
Sou vento que não sopra.
Amor me julga contente,
Do resto feliz que me sobra.

Sou algo concreto que não se vê.
Sou chuva que cai e não molha,
Amor irresistível que sempre chora.
Sentindo falta que é te ter!

Sou algo, que próprio se conduz;
Sou choro que desce sem lágrimas,
Amor que ainda existe que seduz,
Mergulhando num mar de lástimas.

Sou algo que se vê descontente;
Sou sonho inevitável, o que mais dói,
Amor no coração que se corrói,
Procurando-te no labirinto da mente.

Sou algo que vive sem nervos na pele;
Sou pensamento que flui sem arder.
Amor ardente influente feito neve,
Partículas inaderentes que surgem por você.

Sou algo que não se conquista,
Sou sentimento que nunca se compra
Amor vislumbrante que se tira de vista,
Que às vezes já passou, e não se encontra!

Sou algo sentir que não se acaba,
Sou o meio de um começo sem fim;
Amor que se ganha dentro de mim;
Tem o mesmo valor de uma palavra!

Sou algo, medida que não tem limite;
Sou fervura inocente que ilumina!
Amor que brota em se quer que a conquiste,
Segue o instinto próprio que á fascina.

Sou algo que vive sem limite de amar!
Sou coragem d'onde busco o amor;
Algo de que me faz sonhador;
Sem medidas do medo de falar!

Sou algo simplesmente que não se vai.
Sou o sentir que nasce na imensidão,
Amor que quando surge não se esvai!
Mas que quando fica é PAIXÃO!

Sou algo, que com palavras descreve,
Sou o eu, que com sentimento me inflamo!
Amor quando se sente á flor da pele
Não quer mais nada, se dizer que te amo!
 
Algo Que se Descobre

Um Novo Olhar

 
*.* Um Novo Olhar*.*

Benevolência do sorriso em pleno pensamento,
demonstra estridente no fundo do peito esfome.
O amor que se encontra ao convexo de um momento,
descobre a infinda felicidade, delineada no seu nome.

Nessas instâncias, surge a dor que me agride.
É o tempo, que faz por si, o que não tenha feito.
Essa saudade com impacto me colide,
vinga em flamas no manuseio do meu peito.

Assim, em pleno desvairar vou perdendo a razão,
a qual demência surge ilógica à minha virtude
mas, a sublime lembrança permanece no coração,
recordando seu sorriso que desmancha minha plenitude.

No sentir de tais devaneios, uma, em plena deidade,
não torna todo e qualquer compreensível entendimento,
mesmo não estando perto, a imponderável felicidade,
te esquecerei nas fractalidades do meu pensamento.

Um Novo Olhar

Autoria: oO Regougar de um Pensamento
 
Um Novo Olhar

Um Pensar

 
Um Pensar
 
*-.-*Um Pensar*-.-*

Nesse momento...
O meu pensamento
Flutua no ar.
Deslumbrante como o sol
Leve como vento
Não há nada nesse momento
Que não me deixa pensar.
Constante como farol,
Envolvente como o mar,
Deslumbrante como o sol
A brisa beira mar.
Desculpe, mas se nada der certo,
O distinto deserto
Virá me buscar.
Vou parar em qualquer monte...
Meu coração por lá vagueia,
A paixão por ali, lá se esconde.
Mas, nada que fiz,
Faça por onde
O sol escaldante,
Por lá me incendeia,
Vida minha, nesse momento,
Passa por um triz.
Pois não pensei na areia,
Com o brilho irradiante
Onde o sol incendeia.
Que me deixa feliz.
[...]
Amor é o que me lembro,
Pois me basta o pensamento,
E me vem uma cicatriz!
Lembranças do sol,
Ao anoitecer
Luzes do farol,
Com luares que sempre quis.
Vou desiludir esse momento!
Com apenas um pensamento
Pela arte do querer!
Penso o que penso,
No deslumbrante alvorecer.
Pensar passageiro,
Sinto-me um guerreiro,
Capaz de flutuar,
Sinto-me por inteiro,
Do universo, carpinteiro,
E o amor? Paira no ar.
Por isso, nesse momento...
Meu pensamento,
Flutua no ar.

oO Regougar ))

Autoria: oO Regougar de Um Pensamento
 
Um Pensar

A Arte de Viver Feliz

 
A Arte de Viver Feliz
 
*.* A Arte de Viver Feliz *.*

Muitas vezes, por trás de um semblante,
Oculta, torna-se a tristeza de viver,
Mas do mistério , um sorriso a cada instante
Demonstra que nada é, o que aparenta ser.

Viva seu coração na mais sublime sinceridade;
Sinta a ternura de outrem, em um simples grito
Pois, denota assim seja , a eterna felicidade,
Descoberta no silêncio, a um passo do infinito.

Assim indaga triste, pois não há resposta
O tempo nos transforma, sendo viva e plena
A felicidade oculta, nunca a você é oposta,
Mas admite que somos o maior problema.

Aproveite os minutos, a vida, a natureza , os ensejos
Mas, de uma forma que o coração seja inocente,
Desfrute do amor verdadeiro, abraços e beijos,
Vivendo a instância de cada segundo intensamente.

Pense na vida como uma ponderável chama,
Sorrimos, choramos, e no fim tudo acaba!
Os sofrimentos as alegrias, qualquer flama,
E no mais primoroso pensamento, ela apaga.

Divino e sábio deve ser nosso pensamento,
Para que tenhamos na fé, o afecto profundo,
De saber compreender a todo momento,
Aquilo que não se entende do mundo.

A felicidade é a vida, que intercala qualquer mente,
É uma vivência de devaneios, de pensares, Ode,
Uma vez feliz, descobre-se que a gente sente!
Quando é ausente, no eco profundo ela explode!

Mesmo que no semblante ainda entristecido,
Não demonstre motriz, a força da emoção,
Apenas pense, que lá no fundo escondido,
Mora a denota felicidade, escrita no coração.

No coração, a magia de viver é incandescente!
A felicidade bem lá no fundo é a mágica motriz.
Apenas assim, descobre-se a felicidade iridescente,
Que regouga a mente, quando a gente se sente feliz.
A Arte de Viver Feliz

Autoria: oO Regougar de Um Pensamento
 
A Arte de Viver Feliz

Perversa Ilusão

 
Perversa Ilusão
 
Perversa Ilusão

Tenho agora, a dor que me divide,
Vivo sempre em que me sobrevém,
Não sou aquilo de que me exige,
Mas sou diferente de que me contém.

Meu estro de mim começa a desavir.
D’onde o laço se entrelaça e torna-se uma virtude.
Como em diversa parte, inicia a tinir,
Em meu coração, como abstrato que me ilude!

Sendo morto por um lado abrasador,
Que se acalma por uma longa brisa.
Duas faces que alastra o ilusitor,

Como inane, aflora e me agoniza.
Dois lados que transformam um sonhador,
Em uma eterna esperança que me diviniza.

oO Regougar))

Autoria: oO Regougar de Um Pensamento
 
Perversa Ilusão

Sofrer Írrito

 
Sofrer Írrito
 
*.*Sofrer Írrito*.*

Palavra, obstruir de um pensar.
Viver arbitrário, transeunte.
Intertextualidade que se funde.
Querer profícuo em desejar.

Obsessão em grau supremo,
Deidade sucinta, anelante!
Introspecção ilimitada ao encante!
Ao relento cósmico e ameno.

Efusão que por dentro regouga,
Dizer que afeta e afoga,
Sente aos lábios sublime!

Especulação inane por fora,
Virtude primorosa de quem chora
Por amar o que morre fulmine!
oO Regougar))

Autoria: oO Regougar de Um Pensamento
 
Sofrer Írrito

Pudera-me

 
Pudera-me
 
Pudera-me

Pudera-me, de um músico ter o dom,
em um puro luar declamar meu pranto
fazer por você, do amor qualquer som,
na luzência noturna entoando meu canto.
**
Pudera-me, ter o pensar de um poeta
sincronizar palavras as quais eu tramo,
Descrever em versos a paixão inquieta
e no coração sofrer por quem amo.
**
Pudera-me, do mundo ser o mais forte,
mas com suas palavras escutar meu choro,
de ser sensível, e no fundo ferir-me como um corte
sabendo que até no fim, por você eu morro.
**
Pudera-me, ser o perfume de uma flor
para sentir a suavidez do teu corpo,
eflorescer na primavera o meu calor
exalando meu cheiro a você, com um sopro.
**
Pudera-me, iluminar-te como o sol
para aconchegar-me ao seu jeitinho
fazer brilhar os seus olhos como farol
mesmo em dia de chuva acolhendo seu carinho.
**
Pudera-me, ser o ar que você respira
receber-me indispensavelmente em seu peito.
Para os outros demonstrarei a minha ira,
ao tirarem você do meu próprio leito.
**
Pudera-me, ser ao menos o seu guardião,
para lhe guardar no peito a todo instante
bem lá no fundo, valiosa por meu coração
e em todo sono zelar-te como diamante.
**
Pudera-me, por tudo ser o seu pensamento;
e de tudo ser o seu pensar e todo fim,
na esperança a qual revive o meu contentamento,
esperando que sempre em desfecho, você esteja em mim.
 
Pudera-me