Poemas, frases e mensagens de Adan

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de Adan

novo amor

 
pende fruto
arvore seca
rompre silêncio
ecoa
brota flor
colibri
claridade

Dedicado a Carlos Correia Santos
 
novo amor

haikai solo

 
não o viram chorar
vestiu mil armaduras
embruteceu
 
haikai solo

sei tão pouco ...

 
Pouco sei sobre a maquinicidade do olho
Das câmaras obscuras que aprisionam minha alma.
Das imagens invertidas, sem vértice.
Sei da vertigem,
Dos abismos que ligam meus olhos aos teus.
 
sei tão pouco ...

ensaio antropofágivo II

 
Sai do claustro
das caixas empoeiradas de minh'alma
Libertei-Me da neblina tênue que me paralisava
Acordei do sono torpe, que menti a mim mesmo

Os grilhões ainda estão aqui
As dores apesar de negadas ainda estão aqui
A noite ainda faz parte de mim

Me descubro cantante,
D'onde a tristeza é só uma palavra
D'onde o claustro ainda na memoria
São imagens já esbranquiçadas

Do passado que eu não quis ter
Do futuro que me reluta
Da paz que um quero ter
Das dores ainda guardadas
 
ensaio antropofágivo II

Haicai egoísta

 
vivo teus sonhos
ouço tuas musicas
perdi-me de mim
 
Haicai egoísta

haicai desbussolado

 
amo até de olhos
fechados, nas curvas norte
perco me de mim

adancosta
 
haicai desbussolado

O ser ator

 
Desde criança me ensinaram que Homens não choram
E ao me lembrar disso em frente ao espelho eu chorei
Me Ensinaram que não se deve rir dos mais velhos
E ao me lembrar disso em frente ao espelho gargalhei enlouquecidamente
Me disseram que eu não podia cantar
E com microfone em mãos em frente ao espelho eu cantei
Me dissertam que eu não sabia pintar
E com minha aquarela pintei um lindo céu azul
Me disseram que eu não podia ser ator
E eu subi em um tablado e atuei
Me disseram que eu não sabia escrever
Hoje escrevo lindas canções e sonetos
No fim
Subo nesse palco
E na cabeça a incerteza do aplauso
Canto esses versos simples pra você
Levando no peito a única certeza
A de que nessa ou em outras vidas
Por DOM ou por ESFORÇO
Um dia eu ei de ser tão grande quanto meus sonhos.
 
O ser ator

Grito de um filho Africano

 
Ó mãe África

De crucificação

Escarnecem do negro de minha pele

De meus dialetos, sotaques

Eu que carrego cravado na tez

Todas as tuas memórias

De restos, osso,

Farelo e água



Ó mãe África

De contrastes

De quilates de sangue

De fartura de fome

De iniqüidades



De esqueletos que teima

Em ter vida

Dessa persistência

Que nos torna fortes



Ó mãe África

De crueldade

De alforriados em jaulas

De crianças que empunham armas

De homens que vendem suas almas

Por pratos de comida

Do barro que lhe farta a barriga

Do lixo que os mantêm em vida



Ó mãe África

De clemência

Escute meu grito de suplicio

Afague meu coração menino

Derrame em chuva meu pranto

Meu sangue em seiva

Para nutrir-lhe a carne.
 
Grito de um filho Africano

Colibri

 
Vai, voa longe colibri
Me deixa desprotegido
Sozinho
Com medo

Tu levas no coração segredo
Meu amor infindo
Delicado relicário
Pra que ninguém saiba
Que te pertenço

Carrego grande solidão
Realidade, ilusão
Do tempo que não sou o que quero

Da imaturidade, racionalismo
Crio milhões de mecanismos
Pra te afastar do peito em vão
 
Colibri

Aquario

 
Folheando o velho álbum Hélio encontrou uma foto já esbranquiçada do cristo, suas crinas ainda loiras do verão quente que fez aquele ano, o sorriso amarelo se perdia em meio à imensidão azul (visão espetacular) ao seu lado Ella deslumbrada com o ir e vir dos carros daquela cidade (é incrível como não pararam), Ella também se foi, como Hélio 1, Hélio 2, Hélio 3 e Ella 2, cada um pegou seu bilhete e segui...
Eu também quis seguir, sempre com pressa, sempre correndo, dei de cara na parede de vidro desse aquário, fiquei preso nessa bolha, habitada por mim e por minhas memórias.
 
Aquario

Gigantitude de criança

 
Semeiam estrelas e borboletas
Algumas róseas outras violetas
Pintam o Céu de verde
Pra que não esqueçam
Araras não se pintam com canetas

Com sua inventitude
Pintam mil peripécias
Transformam em menina a boneca
Bolas quadradas em balão
Jornal em avião

Transformam a fome em vontade
Tristeza em coisa de gente grande
Remédio pra solidão, abraço
Felicidade em algodão

Bons sonhos queridos poetas, meninos
São crianças se divertindo
Quando esquecem o mundo
O relógio não mais marca o tempo,
Inexistem segundos.
 
Gigantitude de criança

Lobo

 
Morreu em mim a doçura
Desnudaste pétala a pétala
Com seus verbos e mentiras

Renasço lobo
De fúria e libido feito
Em meus olhos voltou
A brilhar
A luz que ofuscavas

Caminho a passos largos
Sempre espreito
Meu peito em ébano refeito
 
Lobo

haicai sem nome

 
a borda do copo
cintila teu corpo nú
insônia de Adeus

(adancosta)
 
haicai sem nome

Amnesia

 
o álcool
que meus poros transpiram
é veneno amnésico
torpe neblina
 
Amnesia

Sangue, Lagrima, arte

 
Amanhã quando cedo chegares
Não me beije a face
Não me conte mentiras
Dizendo-as verdade

Antes de com a lâmina
Cortar meus pulsos
Dilacerar-me a carne

Não me olhe nos olhos
Deixe-me em sangue, lágrima, arte
Morro metade

Se um dia me quiseres
Queira-me por inteiro
Mesmo que metade te baste
Pra que meu peito seja pleno
Jardim vazio, pastagem.
 
Sangue, Lagrima, arte

Haicai Teimoso

 
Haicai Teimoso
 
haikai teimoso

insisto em ficar
dissolver meus impulsos
fitar-te e calar
[/font]
 
Haicai Teimoso

haicai espelho

 
teu verso alheio
passos perdidos no vão
mimesis amor

(adan costa
 
haicai espelho

Tempo

 
Tempo
Movimenta moinhos
Leva com voracidade
Os pueris amores da mocidade

Ponteiros tangem
Chocam em realidade
Os reflexos no espelho

Voam meus pensamentos
Ilhas em cinzas
Neblina de nicotina
Meu silêncio
cabe tua poesia
 
Tempo

haicai renda

 
tarde fia renda
enluara dia quente
rendo me a sede

(adancosta)
 
haicai renda

lágrimas

 
lágrimas são
excelentes soníferos
para corações partidos
 
lágrimas