Poemas, frases e mensagens de Marilene P. Teubner

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de Marilene P. Teubner

Sou o raio de sol
Quando o amor me toca.
Sou a lagrima da chuva
Quando me sinto só.
Sou a nuvem clara ou escura.
A primavera ou inverno.
Sou a brisa do vento
Sou a rima, a vida, o momento.

Marilene

Luz

 
Luz

Apagaram a luz
Das manhas,
Das estrelas,
Do sol.
Apagaram a luz
Do meu sorriso.

Não foi por mal!
Eu sei.
Eu me enganei.
Talvez,
Não seja a hora.
Ou quem sabe...
Apagaram a luz
Para meu próprio bem.

Marilene
12/01/08
 
Luz

Palavras

 
Dizendo o que penso
Eu te incomodo.
Dizendo o que sinto
Eu te enlouqueço.

Nada dizendo adoeço.

Marilene
09/01/08
 
Palavras

Dreno da alma

 
Lagrimas correm pelo meu rosto
Minha alma chora
Meu peito dói
Está sufocado, carregado de saudades.
Dreno minha alma com minhas lagrimas.
Vivo uma vida real na mentira.
Cumpro meu dever.
Vivo por viver.
Sofro calada.
Mas às vezes tenho que drenar minha alma.
Esta chora por você.................

Marilene
12/06/07
 
Dreno da alma

Desespero

 
Não há respostas para
O silencio.
Pesadelos destruindo
Sonhos.
O amor doce.
Fica de lado.
A verdade não é permitida.
A ilusão das paixões
Deixa rastros de amargura.
Escravo da vaidade.
Não se permite perdão.
Sofre com o orgulho.
Esquecendo-se que a vida
E passageira.

Marilene
04/10/07
 
Desespero

Correria

 
Na vida
Sigo sem tempo.
Não vejo.
O céu, à noite, a lua as estrelas,
O mar.........
Apenas olho.
Não sinto a doçura da brisa
Apenas o frio.
Não percebo sorrisos, olhares.
Apenas cobro.
O tempo passa,
E eu apresado
Aborreço-me
E não percebo o amor.
Passo pela vida
Sem tempo,
Com presa
Sem poesia.
De repente
A morte chega.
Nada avisa.
Apenas anuncia:
- Vem comigo
Tenho presa.

Marilene
04/01/08
 
Correria

Vida

 
Vida

Tento viver com sabedoria.
Mas...
Viver com sabedoria é privilegio de poucos.
Muito!...poucos.

Marilene
17/01/08
 
Vida

Negue

 
Negue que não queres sentir o meu sorriso.
Negue que tua boca não água em pensar na minha.
Negue teu desejo.
Tua vontade de me amar.
Negue tudo e prove............
Para que eu possa de minha mente te apagar.

Marilene
01/10/07
 
Negue

Farsa

 
Sigo o vento
No silencio.
Alço vôo no vácuo.
Invento o amor.
Alimento ilusões.
Não há mais lagrimas
Tudo é prazer.
Mentira ...........
A realidade rasga a farsa.
Mostrando
O profundo silencio
Da escuridão.

Marilene
02/10/07
 
Farsa

...

 
Prisão

Hoje as rimas não estão soltas
Aprisionaram a poesia com a tristeza.
O pensamento com o vazio.
A saudade com a dor.
Hoje não há espaço para os
Sonhos, beijos e caricias de amor.

O poeta desiludido! Paralisou.
 
...

Amor

 
Amor

Silenciando os pássaros
A noite chega
Trazendo as estrelas
E o encanto da lua.

O momento é de ternura.

Na madrugada fria
Corpos se enlaçam
Na troca de caricias.

Amanhece,
E os pássaros cantão.
Anunciando mais um dia.
De plena harmonia.

Marilene
15/01/08
 
Amor

Liberdade do amor

 
Suspiro a vida
No clarão da lua
Re-lembrando
Teu sorriso.

Não sabia do
Re-encontro
Muito menos
Que me queria.

Tolice seria
Perder novamente
Esta chance.

.Escapar
Da correria
Ser pura fantasia
Brilhando junto ao sol.

Nos lírios do campo
Colher a lagrima da chuva
Libertando o amor.

A fraqueza do medo
Derrotar........
Penetrando no olhar.

Descobrir segredos
Abrir espaço
Nas varias formas
De se entregar.

Marilene
28/09/07
 
Liberdade do amor

Saudade

 
Saudade é o que trava. O que transforma o cotidiano em martírio. E cessar o pensamento, segurar a lagrima, sorrir sem vontade... Saudade é aprender a conviver com o peito vazio.

Marilene
 
Saudade

Olhar mentiroso

 
Seu olhar se encontra distante
Não demonstrado dor, saudade ou desejo.
Seus olhos mentem.
Não querendo revelar sentimentos;
Barrados na garganta.
Pelo nó do medo,
Que não permite o grito do amor.
Ah! Parece que é feito de gelo.
Mas pelas trincas minam água
Seus olhos mentem.
Estão marejados,
Em busca do amor.

Marilene
30/08/07
 
Olhar mentiroso

DIREÇÃO DO AMOR

 
Até podia ser
Mas o vento mudou
A direção do amor
A dor tomou lugar
De nossa paixão
Na estrada esperei
Você desaparecer
Sabendo que ainda
Havia tanto a conversar

O vento mudou
A direção do amor
Separando o sonho
Do desejo

O fim nada
Muda
O sentimento
Permanece
Em nossa
Mente

O erro do querer
Não tem explicação
Pode ser
Teria sido bom
Mas o fim chegou
Com a mudança
Do vento.

Marilene
15/10/07
 
DIREÇÃO DO AMOR

Chama

 
Chama

A poesia queima, vira cinzas.
E como a fênix, renasce.
Volta a rimar entre rabiscos e lagrimas.
Volta! Seguindo a chama da esperança.

Marilene
14/01/08
 
Chama

Não, não permita.

 
Não, não permita.

Não permita
O esquecimento
Dos meus versos
Na falsa ausência do afeto.

Não permita
Que eu passe despercebida.

Não silencie meus versos.

Não permita
Que a vida passe
Sem um toque de ternura
Em tua pele nua...

Pelo menos uma vez.

Não permita
Que o brilho dos meus olhos
Desapareçam...

Antes de encontrar os teus.

Não permita
Que minhas rimas
Simplesmente sejam
Jogadas ao vento.

Procure senti-las.

Não permita
Que a morte nós surpreenda.
Levando com ela
Todo o amor que por ti
Em poesia eu transformei.

Marilene
20/01/08
 
Não, não permita.

Sopro

 
Soprei ao vento
Palavras de amor
Desejos, ternura
Soprei minha alma.

Soprei, e o vento levou.

Quando retornou
Trousse - me esperança.
Desejos escondidos,
Palavras de imenso valor.

Soprei mais uma vez.

E o vento voltou em silêncios
Caindo em si.
Decidiu que não há,
Espaço para o amor.

O vento,
Anda muito revoltado.

Mas o coração
Mesmo congelado
Continua soprando
Palavras de amor.

Marilene
02/10/07
 
Sopro

Anjo da morte

 
Abra os braços
Anjo da morte.
Estou sem forças
Para morrer.
Leve pelos campos
Solte entre as flores
Lagrimas de amor.
Entre as sementes
Que plantei
Havia algumas verdes
Que não vingaram.
Causei magoas
E alguma dor.
Não tive tempo
Para o perdão.
Saiba anjo querido.
Eu não queria!
Sigo contigo
Sem medos.
E neste ultimo
Momento.
Eu deixo
O meu pedido
De perdão.

Marilene
04/10/07
 
Anjo da morte

Olhares

 
Olhares

Olhares no escuro
Cruzam-se.
Sabem um do outro
E nada dizem.
Apenas observam.
Olhares, desejos, temores...
Procura constante.

Olhares no escuro!
São profundos.

Marilene
15/01/08
 
Olhares

Silencio da alma

 
Silencio da alma

Calada, tento entender,
A confusão de minha mente.
Em meu corpo a febre arde.
Coração angustiado. Salta!
Tento juntar as peças...
Mas não me acho.
Recolho cacos,
Remendo sentimentos.
Nada escapa.
Em silencio,
Chora minha alma.

Marilene
26/01/08
 
Silencio da alma