Poemas, frases e mensagens de milla-781

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de milla-781

Mudos

 
Não preciso de sons pra ouvir o que tens a me dizer...As melhores palavras são as ditas através do olhar
 
Mudos

O tempo

 
O tempo é uma faca de dois gumes, pois este que me manteve tanto tempo distante de ti é o mesmo que me ensinou a amar na espera...
Este que teimava em não passar com sua ausência é o mesmo que me fez escrever poemas...
Este que me mostrou o quão demorado é construir um amor é o mesmo que me fez ver anos transformados em segundos...
Este que me traz hoje à sua frente é o mesmo que nos separou por tanto tempo, mas, querendo ensinar-me como entende-lo, fez-se louco, insano, cansativo, pra mostrar-me que no fim, ele sabe como resolver tudo....
 
O tempo

Sem nome

 
Um fim de semana...

A cerveja na mesa, um cigarro aceso...acompanho a fumaça
Imaginando cada minuto deste cotidiano
As folhas que caíram e não retornam ao seu galho
As flores que estão a brotar
Não há contentamento ou agonia
Algo estático acontece agora
Algo estranho, novo
Sei que já vivi esta sensação, e sei que a muito a procurava
Mas ao meu lado não há ninguém
Sombras apenas de objetos inanimados
Uma fresta de luz teimando em invadir a sala
......................e o som do mundo ao meu redor
Às vezes o novo é apenas algo velho
Que perdemos em algum espaço de nossas vidas
Mas que, de forma suave, branda, assim como a fumaça que se vai
Retorna...a minha paz...
 
Sem nome

OI, PRAZER

 
SABE QUE ESTOU BEM SEM VOCÊ....POIS AGORA TENHO OPORTUNIDADE DE CONHECER E AMAR ALGUÉM QUE NÃO ME DECEPCIONE...EU!
 
OI, PRAZER

Meu amor hoje está contente...

 
Meu amor hoje está contente...

Cansado mas latente
Ausente mas presente
Ensaiando versos de alegria
Correndo léguas da monotonia
Esvaziando gavetas mofadas
Espreguiçando-se nas almofadas...

Já viu feridas abertas
Respostas incertas
Cicatrizes gritantes
Gozos alucinantes...

Meu amor está livre...
 
Meu amor hoje está contente...

A gaiola

 
Meu lindo pássaro, há quanto tempo estás nesse cativeiro?
Achas que isso é viver?
Sempre à espera daquele que te alimenta, mas não te acalenta...
Daquele que no início passava tempos a admirar teu canto, tuas penas, a ave...
E agora? onde está?
Encontrou outro canto e te abandonou neste canto...
Mas eis que à sua frente a gaiola está entreaberta,aproveite a oportunidade, sei que as asas já não tem o mesmo vigor e a vontade de ficar junto à ele ainda é forte...
Mas há algo além daí, o infinito, novos sonhos, novos vôos, alguém que o encontre e não o aprisione, alguém que o ame assim como és e te leve sempre junto e não prisioneiro...
Vá, sei que algumas marcas irão com você, mas o horizonte o espera...
Isso mesmo, uma asa, depois outra , cambaleando um pouquinho mas...isso, impulso , e pra comemorar espalhe esse canto que há tanto estava guardado nesse peito...
O horizonte o espera...
 
A gaiola

Aorta...

 
Faz-me cada vez mais tua, não a frágil e indefesa que há pouco conheceste...
Faz-me aquela que arrisca-se sem o medo outrora do desconhecido, sem as máscaras de fantasias, mas saboreando até mesmo o dissabor da infelicidade...
Faz-me viver entre as paixões de Neruda e as luxúrias de Nelson Gonçalves, flutuante em meio ao caos, porque sei que no fundo, teus olhos me acompanham...
Faz-me sentir que és o meu íntimo, meu pulsar, o que me deixas viva e me falta o ar...
Faz-me, faça-me...sejamos
 
Aorta...

Feliz infelicidade...

 
Está tão dificil
Está tão estranho
esse mundo sem você
sem nossas musicas
sem nossas poesias....
Houve um entrelaço
de fusohorários
de tropicos
do sol e da lua
de corações desesperados
e de mundos tão opostos...
O que esperar agora?
essa dor que sufoca
dilacera
estremece...
Foi real?
sentimentos sempre são reais
vidas são reais
fomos reais
temporariamente
estupidamente reais....
Vou continuar?
ainda é cedo pra isso
estacionada em um quarto cinza
repleto de mercy street, iris, corsário, kiwi, abacaxi
olhar estático
lunático...
Vou ficar por um tempo
vivendo essa feliz infelicidade
até a fenix ressuscitar
e, novamente,desesperadamente
procurar o verbo amar.
 
Feliz infelicidade...

meu mundo

 
Azul, rosa, verde
Quadriculado, ensolarado, neon
Rinocerontes dourados
Zebras com bolinhas verdes
Display estacionado
Vulcões introspectivos
Culpados inocentes
Juízes julgados
Amarelo de siga
Verde de pare
E EU...
Virada ao avesso
Posiçao de morcego
Escaldada em chocolate
Esperando a chuva passar...
 
meu mundo

O tempo

 
O tempo é uma faca de dois gumes, pois este que me manteve tanto tempo distante de ti é o mesmo que me ensinou a amar na espera...
Este que teimava em não passar com sua ausência é o mesmo que me fez escrever poemas...
Este que me mostrou o quão demorado é construir um amor é o mesmo que me fez ver anos transformados em segundos...
Este que me traz hoje à sua frente é o mesmo que nos separou por tanto tempo, mas, querendo ensinar-me como entende-lo, fez-se louco, insano, cansativo, pra mostrar-me que no fim, ele sabe como resolver tudo....
 
O tempo

Sombras

 
Não sei mais de mim
Apenas de ti
A navalha que dilacera cada centimetro de meu corpo
Divide-me em tantas e espalha-me nos sábados a noite
Juntar cada pedaço e retornar ao estado cru
Sem amarras, sem amores, sem veias
Apenas duas sombras que tornaram-se uma
Porque a outra jaz no centimetro nao encontrado...
 
Sombras

Fabricio Carpinejar

 
De um grande escritor, Fabricio Carpinejar, que apreciem tanto quanto eu...

Eu amo desorganizado, desenvergonhado. Tenho um amor que não é fácil de compreender porque é confuso. Não controlo, não planejo, não guardo para o mês seguinte. A confusão é quase uma solidão adicional. Uma solidão emprestada. Sou daqueles que pedirá desculpa por algo que o outro nem chegou a entender, que mandará nova carta para redimir uma mágoa inventada, que estará se cobrando antes de dizer. Basta alguém me odiar que me solidarizo ao ódio. Quisera resistir mais. Mas eu faço comigo a minha pior vingança. Amar demais é o mesmo que não amar. A sobra é o mesmo que a falta. Desejava encontrar no mundo um amor igual ao meu. Se não suporto o meu próprio amor, como exigir isso?
Um dia li uma frase em Hegel: "nada de grande se faz sem paixão". Mas nada de pequeno se faz sem amor. A paixão testa, o amor prova. A paixão acelera, o amor retarda. A paixão repete o corpo, o amor cria o corpo. A paixão incrimina, o amor perdoa. A paixão convence, o amor dissuade. A paixão é desejo da vaidade, o amor é a vaidade do desejo. A paixão não pensa, o amor pesa. A paixão vasculha o que o amor descobre. A paixão não aceita testemunhas, o amor é testemunha. A paixão facilita o encontro, o amor dificulta. A paixão não se prepara, o amor demora para falar. A paixão começa rápido, o amor não termina.
Não me dou paz sequer um segundo. Medo imenso de perder as amizades, de apertar demais as palavras e estragar o suco, de ser violento com a respiração e virar asma. Até a minha insegurança é amor. O pente nos meus cabelos é faca enquanto é garfo para os demais. Sofro incompetência natural para medir a linguagem das laranjas, acredito desde pequeno que tudo o que cabe na mão me pertence. Minha lareira não dura uma noite, esqueço da reposição das achas, do envolvimento da lenha no jornal, de assoprar o fundo. Brigo com o bom senso. Ou sinto calor demais ou sinto frio demais. Uma ânsia de ser feliz maior do que a coordenação dos braços. Um arroubo de abraçar e de se repartir, de se fazer conhecer, que assusta. Parece agressivo, mas é exagerado. Conto tragédias de forma engraçada, falo de coisas engraçadas como uma tragédia. Nunca o riso ou o choro acontece quando quero. Cumprimento como se fosse uma despedida. Desço a escada de casa ao trabalho com resignação, mas subo na volta pulando os degraus. Esse sou eu: que vai pela esperança da volta.
 
Fabricio Carpinejar

34 outonos...

 
Alguns dizem que são 34 primaveras...
eu, acho que um tanto melancólica, nunca concordei...
primavera é sinonimo de flor, cor, luz e me pergunto , é isso que tem me acompanhado?
Prefiro dizer que são 34 outonos, aquela cor indefinida, onde o que é velho se vai, dando espaço ao frio e vago inverno...
ah...quantas Millas ainda viverei até que o completo habite em mim, porque o que sinto hoje é o vago, o eco de algo que ainda virá , a existência abstrata da minha metade...
e que cheguem outros outonos, pra quem sabe um dia viver realmente uma primavera.
 
34 outonos...

O retorno

 
Retorno pra você como o dia após uma longa noite
Cheia de sonhos ainda não realizados
Com os olhos ainda úmidos
E as entranhas ferventes
Os braços ainda a espera do longo abraço
E no anelar o ouro ainda presente
Coração com algumas fendas
Peito apertado e cheio de emendas
...............
Mas de que outra forma seria
Não aprendi ( e nem quero..) amar-te diferente
É extravagante,
Escandalosamente fervoroso esse modo de te amar
e...
se um dia apresentar-se de outras formas, já não serei eu
e nem seremos nós
 
O retorno

MILLARENA

 
NASCEU
CRESCEU
ACOLHEU
AMOU
GRITOU
GEMEU
VIU O NASCER E O FIM DESSE AMOR....MORREU? NÃO.O SOBREVIVENTE ESPERA AGONIZANTE, O PULSO AINDA EM SANGUE À ESPERA DE ALGUM NÁUFRAGO ERRANTE...ELA CONTINUA
 
MILLARENA

MY SUN

 
SOL DE UMA NOITE SEM FIM....NÃO APAGA...A LUA SE ESQUIVA.
 
MY SUN

WHAT IS IT?

 
Está crescendo ...
Parece que quer ocupar todo meu universo
Me deixa atonita
Sem chão
Chegou de mansinho
Barriga girando
Carrosel de alegria
Tortura chinesa
...
Chama-se VOCÊ
Que direciona meus passos
Mina minhas emoções
Grita em minhas veias
E pulsa dentro de mim.
 
WHAT IS IT?

O INVERSO

 
QUISERA EU TER NASCIDO ALGUNS ANOS ANTES
UMA DÉCADA ATRÁS QUEM SABE
TALVEZ O TEMPO COLABORASSE COM MEU PLATONICO QUERER....
TALVEZ NOSSAS VIDAS SE CRUZASSEM
NOSSOS OLHARES PENETRASSEM
E EU PODERIA PROVAR ALGO REAL...
E MEU CORPO SENTIRIA UMA SAUDADE PALPÁVEL
E MEUS LÁBIOS SENTIRIAM O GOSTO DOS SEUS
E MEU OLHAR SE PERDERIA NO HORIZONTE PROCURANDO O SEU...
E MINHA VIDA SERIA MAIS COMPLETA
SABENDO QUE O AMOR PASSOU UM DIA POR AQUI
E DEIXOU UM TRAÇO DE VOCÊ EM MIM.
 
O INVERSO