Poemas, frases e mensagens de luisavidal

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de luisavidal

Olho e Sonho

 
Olho o horizonte, e suas cores entrelaçadas,
Como que por um dextro, pintor traçadas.
Me perco admirando a beleza pura, e singela da natureza,
Defronte de mim.
Um espetaculo sem igual, sem fim.
Nos braços da fantasia, me deixo carregar,
Num turbilhão de sentimentos, levar.
Me imagino ali, contigo, a amar.
Em teus doces braços, a repousar.
Eu e tu, sem passado, sem futuro,
Unicamente, dois seres que se querem,
Que se tem, e com nada se detem.
Olho o verde húmido do chão, e nos vejo ali,
Pelas asas do sentir levados, deitados.
És meu, sou tua.
Não há saudade, dor ou duvida,
Ou ainda a crua e nua verdade,
Beliscada de falsidade.
Na serenidade de um vendaval de emoção,
Me tomas, como que domando meu ser.
Aquele que se recusa a te esquecer.
Aqui, ali, a ti, sem ti,
Mas hoje e sempre, por ti...
Olho o Horizonte......
 
Olho e Sonho

Enfrentar

 
Ao te ver, conhecer tudo em mim, disparou,
Todo o meu ser, o teu abalou.
A ti tudo falei, meus sonhos confessei.
A ti me entreguei.
Sem reservas, me coloquei em tua mão,
Para ti, me despi de toda a confusão.
Descobri meu coração.
Do impossível, retirei o possível.
Do fel o mel.
Da duvida a certeza de te amar,
O desejo de contigo, desejar estar.
De um todo, resta o nada, numa alma cansada.
Tempos existiram, que preferi fugir,
Com receio, de não voltar a sorrir.
Hoje decidi, o querer, enfrentar.
Vou, dar de frente com a verdade,
Lutar com a saudade.
A cada dia te vou ver, sem ter.
Beijar sem abraçar,
Com meu olhar falar, sem um acorde tocar.
Se ausente, estas em mim, presente.
Serei em ti presente, mas ausente.
O meu Amor vou enfrentar, a ele vou ganhar…!
 
Enfrentar

Encontro na Madrugada

 
Entre nós o silêncio, mesmo de dizeres preenchido.
A distância, k na noite encúrto a cada verso, palavra a ti falada,
Mesmo que com lagrimas regada.
A saudade, que se esbate,a cada letra,
Te fazendo até mim, chegar,
E em silencio, secretamente te amar.
Amor? Paixão? Desejo ou Ilusão?
De todo que nao sei, mas me preenche para tí rabiscar, e sem medo ou razao, me deixo em pensamentos, levar.
Te imagino a chegar, meu ente abraçar.
A segurança de teu toque, que me arrepia, me impedindo de respirar.
O perfume de tua voz, me envolvendo, como um furacão veloz.
A dúvida, o medo, a razao, querendo dar liçoes a um apaixonado coração,
Que se deixa dirigir sem direção.
O novo cantico que em minha alma resnasce, do nada floresce.
Junto com a dor da felecidade, que sem saberes, denovo me trouxeste.
A magia de querer, mesmo sabendo nao dever.
A alegria de um palrar, me fazendo uma vez mais, sonhar.
O futuro........a Deus pertence, da mesma forma, que Ele é meu Senhor,
E se tiver de saborear a dor,
Que chegue após, te entregar meu amor.
 
Encontro na Madrugada

Dragão adormecido

 
No encontro com uma nova madrugada, o passado, passo em desfiada.
Dias em que mansamente chegando, e meu doce dragão acariciando,
Chegas te a um nobre coração, com um so movimento, o despertando.
Relembro dias de alegria, e saudade, tristeza e felecidade.
Momentos de paixão, ilusão, emoção,magia, comoção e fantasia.
Tempos e lugares perdidos, em seus sentidos, há muito esquecidos.
O sabor do mel, misturado com o fel.
A dor, entrelaçada com o amor.
Sonhos, pesadelos, duvidas e certezas, escondidas, presas.
A esperança que se tinha perdido, dentro de um coração já sofrido.
O toque de uma alma, que a sua, violentamente acalma.
Olhares que o fogo vem atear, palavras que o vem apagar.
O toque sereno, provocando um algo, nada ameno.
A paixão transformada, em desilusão.
Nos ares escrevendo uma canção, a realidade a colocando no chão.
Um odor e sabor, que não sabia exestir, vir algum dia a possuir.
Selvagem e doce, urgente, e paciente.
O que despertou em mim, k parece jamais ter fim.
Sem saber, alojava, um Dragão Adormecido, pelo tempo entorpecido.
Teu calor, lhe deu sentido, tendo seu fogo acendido.
Teimoso, e veloz troça de mim com ar atroz.
Sua vontade nao consegue saciar, me fazendo, uma outra vez sonhar.
Tento em vão o calar, nao querendo voltar a amar.
Explico que a razão, nao nos deixa pra frente caminhar.
Eis que me queima e sem logica, em seguir,ele teima.
Rebelde á minha vontade, nao querendo ver a verdade,
Segue em meu viver, fazendo meu ser sofrer.
Com o sal da face caindo, tento seu lume apagar.
Mas de nada serve reclamar.
Meu Dragão te continua a amar.
Mesmo sabendo, que sem ti vai ficar.
Na solidão despertar, sem sequer ter direito a reclamar.
Facil foi Acordar o dragão, dificil será, domar.
No secreto quarto da memória, o voltar a guardar.
A chave deitar fora, para nao mais o deixar, respirar.
Do mundo o esconder, e nao mais esperar tal ser.
 
Dragão adormecido

Esperança

 
Olá!
Hoje repousei, no passado.
A chave de teu secreto quarto, busquei.
A porta, abri.
A medo, entrei.
Ali encontrei a dor, a saudade,
O amor e a verdade.

Reencontrei a paz, que em ti senti.
A terna felecidade, que contigo, descobri.
A melancolia, tomou posse,
De meu pequeno ser.
Machucando minha alma,
Um algo, que não se acalma.

Olho e vejo, o tempo que passou,
A distancia, e frio que se instalou.
E esse sentir, que ficou.
Contra ventos e marés.
Tempestade ou bonança,
Tempo e distancia,
Firme se manteve,
Em meu peito te reteve.

As estrelas eu comtemplo,
A cada novo anoitecer.
Na ansia de a ti, mais uma vez, eu vêr,
Na esperança, que na negra noite,
O sorriso torne a viver, o Sol volte a brilhar
Por te ter, por te amar.

Eis que saio, a porta ao de leve se fecha.
Estou só, vive a saudade,
A esperança de uma gota de felecidade.
 
Esperança

A Ti...

 
A ti.
A ti a quem ama meu ser.
A ti por quem espera meu ente.
A ti a quem meu coração, chama.
A ti, por quem o peito, clama.
A ti que não estás.
No entanto, a ti, por ti, e em ti,
Aqui, ou ali.
Talvez hoje e sempre sem ti.
Mas a ti.
 
A Ti...

Como?

 
Como?


Como falar, o que nao é dito?
Descrever, o que nao pode ser descrito?
Como?
Como, apagar a dor de tua ausencia?
Se estas gravado em minha essencia.
Como, te arrancar de meu viver?
Que so deseja te ter e pertencer.
Como?
Como buscar a luz, em meio a escuridão?
Como, acalmar esta paixão?
Sossegar, meu coração.
Como?
Como adormecer, sem te querer?
Como acordar, sem te esperar?
Para onde ir, ou caminhar?
Como partir, e sonhar?
Como respirar, sem te amar?
Como...?
 
Como?

Uma Unica Vez

 
Uma Unica Vez

O Passado, com o Presente misturado, cm a duvida entrelaçado.
A confusa lógica do sentir, que não me deixa, dormir.
Como historia de encantar, de fazer o ser sonhar:

Um dia o Principe se fez chegar, de doces palavras o mundo preencheu.
Da estrela do alto ceu a brilhar, um conto descreveu.
Nem sempre a conseguimos ver, mas sempre, mesmo ausente, ela esta presente.
De sonhos e cor encheu um coração, o pintando com paixao.
A doçura de um olhar, suave perfume de sua presença, a todo o resto dotava de indiferença.
Loucura da razao, o desejo de se entregar, e nada mais interessar.
A paz e segurança de seus braços, tudo deixando em pedaços,
Com Frases de silencio, preenchido, como que sussuradas ao ouvido.
A distancia, que a longa noite do sentir, nos sonhos os voltava a unir.
Auroras de esperança, Ocasos de solidao, onde nao se merecia perdao.
Amar nao era permitido, o querer proibido.
Até que um dia, o Principe e a menina, enfim, a sós se encontram.
Chegara o momento de amar, e nao só de dizeres, viver... e atraves dos actos finalmente, dois em um, ter.
O medo de tudo vir a estragar, e com a consciencia gritando, para parár...
Por tolice, respeito, moral ou outras coisas k tal, nada aconteceu afinal.
Nao mais momento assim, voltou a acontecer, ou voltou a menina a viver.
A distancia, e o fim do que nunca chegou a iniciar, foi a decisao de dois seres, que jamais, se poderiam, vir a amar.
O tempo passou, primaveras e invernos chegaram, findaram.
A cada novo anoitecer, a estrela no alto céu continua a brilhar.
Mas no olhar a magia se apagou. Dentro de si a melodia se calou.
A duvida de como teria sido, ou o que se teria passado, essa para sempre e eternamente, ficou. Fim

Uma unica vez, peguntas tu.
Não sei. O que sei, k sei, é k todo o sentir dessa menina, em mim, das cinzas, do secreto quarto escondido, saltou, tentanto alcançar teu ser. Não sei como o fizeste renascer, mas o mesmo k a menina nao desejo fazer, e viver eternamente sem saber.

Luisa vidal

Dragão Adomecido

No encontro com uma nova madrugada, o passado, passo em desfiada.
Dias em que mansamente chegando, e meu doce dragão acariciando,
Chegas te a um nobre coração, com um so movimento, o despertando.
Relembro dias de alegria, e saudade, tristeza e felecidade.
Momentos de paixão, ilusão, emoção,magia, comoção e fantasia.
Tempos e lugares perdidos, em seus sentidos, há muito esquecidos.
O sabor do mel, misturado com o fel.
A dor, entrelaçada com o amor.
Sonhos, pesadelos, duvidas e certezas, escondidas, presas.
A esperança que se tinha perdido, dentro de um coração já sofrido.
O toke de uma alma, que a sua, violentamente acalma.
Olhares que o fogo vem atear, palavras que o vem apagar.
O toke sereno, provocando um algo, nada ameno.
A paixão transformada, em desilusão.
Nos ares escrevendo uma canção, a realidade a colocando no chão.
Um odor e sabor, que não sabia exestir, vir algum dia a possuir.
Selvagem e doce, urgente, e paciente.
O que despertou em mim, k parece jamais ter fim.
Sem saber, alojava, um Dragão Adormecido, pelo tempo entorpecido.
Teu calor, lhe deu sentido, tendo seu fogo acendido.
Teimoso, e veloz troça de mim com ar atroz.
Sua vontade nao consegue saciar, me fazendo, uma outra vez sonhar.
Tento em vão o calar, nao querendo voltar a amar.
Explico que a razão, nao nos deixa pra frente caminhar.
Eis que me queima e sem logica, em seguir,ele teima.
Rebelde á minha vontade, nao querendo ver a verdade,
Segue em meu viver, fazendo meu ser sofrer.
Com o sal da face caindo, tento seu lume apagar.
Mas de nada serve reclamar.
Meu Dragão te continua a amar.
Mesmo sabendo, que sem ti vai ficar.
Na solidão despertar, sem sequer ter direito a reclamar.
Facil foi Acordar o dragão, dificil será, o domar.
No secreto quarto da memoria, o voltar a guardar.

Luisavidal
 
Uma Unica Vez

Até Já

 
Ate Já

‎Sinto k a hora se aproxima,
Meu ser, aos poucos dizima.
Momento de te ver,
Tempo de te abraçar.
Altura de te ter,
E mais uma vez, talvez, amar.
O depois, indefinido,
Deixa um coração partido.
Dizeres outrora escondidos,
Silêncios desnudados.
Sentimentos cativos,
Serão então, libertados.
Um passado, sem presente,
Forma teu amor, ausente.
Um futuro, pra vencer,
Com a saudade a doer.
Um adeus eu não consigo,
Mas sei qual o perigo.
Um até já, vou tentar,
E quem sabe um dia,
Numa alma, agora, sadia,
Venha, então o sol raiar,
Meu amor te possa, entregar.
 
Até Já

Sonho e Fantasia

 
Olhando o vazio, e presente,
Elaboro fantasias.
Olho para ti, ausente,
E sonho que me querias.

Na memoria me vou esconder,
Para contigo, me encontrar.
Lá posso te ver,
Mais uma vez te amar.
 
Sonho e Fantasia

Vazio

 
Nunca disseste, que irias ficar,
Nunca iludiste meu coração.
Não consegui, não me apaixonar.
Travar uma ilusão.

O vazio instalado em meu peito,
A dor de um amor,
Um desejo imperfeito.
Me retirando o calor.

O silencio de teu viver,
Não me deixando te esquecer.
A indiferença, e as saudades,
A ausência de vontades,

Um nada, me preenchendo.
Minha alma corroendo.
Queria conseguir dormir,
Por breves momentos te esquecer.
Voltar de novo a sorrir,
Sem precisar, lutar para o fazer.

Minhas lágrimas secaram, findaram.
Apenas o vazio, me gelando de frio.
Desejo me deitar, e unicamente descansar.
E, por mais que esteja a lutar,
Só consigo dia a dia, ver a Aurora a Despertar.
 
Vazio

Chave

 
Existe a chave de um cofre.
Onde se guardam tesouros, que não se querem perder.
Memorias impossiveis de esquecer.
Um passado, onde nasceu, o que vive no presente,
Longe do mundo, dos seres, mas não da mente.
Mistérios e segredos, de tempos perdidos,
Mas nunca esquecidos.
Caminhos cruzados, pela vida separados.
A magoa, a saudade, o medo...
A verdade, com a mentira misturada,
A felecidade de dor salpicada.
O ter sem possuir,
O sorriso salgado, por te sentir,
E de ti, precisar fugir!
O sonho de te encontrar,
E de num momento unico, sem limites, te amar!
A chave que existe, guarda o tesouro, do Amor...
As memórias, de um sol raiando de madrugada...
Esconde o silêncio de um sentir,
Que grita, pedindo para Viver!
Viver, fora, longe desse cofre,
Sem saudade, Viver...
Unicamente sentir, sem mais ter de se esconder!
Sem chave, ou entrave....Viver!
 
Chave

O Teu Nome

 
Amor
Luxuria
Beleza
Empatia
Respeito
Totalidade
O teu nome.

O amor que sem licença, se me apresentou.
A luxuria, do desejo de te amar, a me tomar.
A beleza com que Deus, teu ser, presenteou.
A empatia que sinto, ao te abraçar.
O respeito, que mereces, e mostras possuir.
A totalilidade, de tudo o é possivel, sentir.
É o teu nome, e nao tenho medo de o transmitir.
 
O Teu Nome

Despertar

 
Ontem!
Dia de sol, brilhante e cheio de cor,
Cinzento e chuvoso em meu peito.
Despertei ao acordar.
Desesperei por te amar,
Por meu peito, por ti continuar a clamar.
Mesmo não querendo esse sentir,
Não desejando conter este amor, em meu ser.
Na fria realidade mergulhei,
Meus sonhos e ilusões, afoguei.
Memorias e fantasias, quebrei.
Nossas horas de magia, apaguei.
Tentei calar a esperança,
Emudecer a dor, de ter sem ter,
De perder sem sequer, conter.
E nem assim, meu querer por ti, arrefeceu,
Ou meu ente, o teu esqueceu.
Te amo!
Presente ou ausente, comigo ou sem mim,
Ao sentir, não consigo pôr fim.
Passou a tarde, chegou a noite, e a madrugada até mim chegou,
Se me apresentou.
Largos minutos de solidão, longas horas de emoção,
Onde a comoção reinava, e minha alma trespassava.
A verdade abriu a porta, a mentira a fechou...!
Será que algo mais restou?

Despertei ao acordar......
 
Despertar

Mais do que imaginas ... tu és!

 
A cada amanhecer, estas presente, no dia que passa te encontro,
Na noite que chega, meu coração no teu, tenta desaguar.
Que aconteceria, se te falasse, tudo o que para mim, tu és.
Hoje me esperas, teu ser, o meu estará a aguardar,
Eu sei, que sem pudor, em teus braços vou ficar.
O depois, o dia a seguir?
Para onde olhar, ou seguir?
Aproveita, o momento, não o deixes fugir...
És, mais que vontade, ou paixao de momento.
És bem mais que um corpo, ou rosto com beleza,
És ...
A paz que chega ao, saborear teu olhar.
A alegria de teu aroma, em mim.
A magia de um toque, que me faz vibrar.
Um tal sentimento, sem explicação e, sem fim.
Melodia de um cantico,o que o tempo faz parar.
Contigo o mundo, deixa de exestir,
Apenas vive o sentir, sem te querer ver partir.
Mais que luxuria, ou uma aventura.
Muito mais, do que sequer imaginas, tu és.
E, como ocultar a dor de uma saudade?
Vendo por entre os dedos, escapar a felecidade....?
A cada dia, mesmo que na memoria, te irei encontrar.
E ali, sem espaço, ou tempo, ati me entregar..
Ali... em ti...talvez sem ti, continuarei a amar.
 
Mais do que imaginas ... tu és!

Esquecer !

 
Queria ser diferente
E a si, indiferente.
Não olhar ao tempo, ausente,
E a tudo o que o peito, sente.

Desejava não o querer,
Almejava, não o esperar.
Não ter de me esconder,
Com vergonha de gostar.

Sonho com um novo despertar,
Um novo modo de sentir.
O esquecer, e de mim apagar,
Vêr este querer a partir.
 
Esquecer !

Paz

 
Paz

‎ Um desejo que me queima, que em te ter teima.
Te quero não por um momento, nem pela metade,
Não para um fogo saciar, ou um corpo serenar.
Te quero, porque te estou a amar.
Cansaço envolve meu corpo, minha mente.
O sono, esse continua ausente.
Uma nova madrugada, e eu em ti a repousar.
Saudade me invadindo, desespero me cobrindo.
Forças que querem fugir, um mundo a ruir.
Uma alma que doí, um algo que corroí.
A cada anoitecer, vejo o dia amanhecer.
Eu, tentando adormecer.
Longas noites de solidão, angustia de um coração.
No silencio dispo minha fortaleza,
Meus olhos pesam de tristeza.
Retiro a armadura da serenidade,
Choro com a verdade.
Nos Braços de Cristo me jogo,
Por paz, eu rogo.
Um sorriso que se perdeu, o meu.
 
Paz

Vive

 
Estranho sentir que toma meu peito.
Minha emoção, meu jeito,
Meu coração.
Estranha forma de amar, querer
E desejar, a ti pertencer.
Viver!
Viver é arriscar, a cada novo dia, lutar.
Por nós, pelo amor, pela felecidade guerrear.
Não baixar os braços, não nos deixarmos dominar.
Pelo medo, pela solidão, pelo temor, ou terror,
De perder ou de não conseguir,
De não ter, ou não resistir.
Caminha, levanta teu rosto, sorri.
Olha o mundo de peito aberto,
Peleja pelo que achas certo.
Vive!
Ainda é tempo!
Sempre é tempo.
Tempo de amar, tempo de ter,
Tempo de lutar, tempo de receber.
Querer e ter.
Tempo de conhecer a felecidade,
Recheada com verdade,
Sem o toque da saudade!
 
Vive

Mais k um corpo

 
Como explicar, que mais k um corpo k te da prazer, eu quero ser?
Como demonstrar, que acima do desejo, esta o verbo amar.
Como eskecer, a felecidade de mesmo que por breves instantes, te ter.
Mas como continuar a viver, sem teu ser, no meu viver?????
Nao sei como o fazer, nem como te esquecer.
Nao consigo entender, pk minha alma e emoção, te escondeu, em meu coração.
A logica diz para me afastar.
O sentimento para voltar amar.
A razão grita, que é loucura.
Meu corpo, quer tua doçura.
Minha mente, diz para te deixar.
Meus labios os teus, querem beijar, e por la, eternamente, ficar.
A guerra dos sentidos, luta de emoções, que avalam todas as minhas convicções.
Principe, mais k um corpo, k te da prazer eu quero ser.
Mais k um corpo k te ama e teu desejo acalma.
Mais k um corpo, k procuras, em dias de loucuras.
Mais k um corpo. Eu sou mais k um corpo.
Sou mulher e te desejo em mim, com uma intensidade sem fim.
Quero ser tua, mas nao apenas por um momento, num tempo sem tempo, perdido e logo depois esquecido.
Como encontar a paz, imaginando, que em outros braços, podes estar, a um outro ser te estas a entregar.
Como dormir, com a duvida a me cobrir.
Como cumprimentar o amanhacer, na insconstancia de te ter.
Queria k desejasses minha presença, e que minha ausencia nao te traga indiferença.
Que num mundo recheado de sabores, cores e odores, meu ser te preenchesse, sem necessidade, vontade, ou querer de algo mais, vir ater.
Nao sei dividir o amor, nao aprendi essa lição. Nota zero para meu coração.????
Mas sei o que é abraçar, quando chega a turbulencia, levantar quando a força quer fugir, e o mundo ameaça ruir. Amparar no momento k nao conseguimos caminhar. Amar sempre, que teu ser precisar.
Mas mais k um corpo, k te da prazer, eu quero ser.
Desculpa, mas de outra maneira ou sentir, não consigo viver
 
Mais k um corpo

Nao sou

 
Não sou Poeta, apenas gosto de esvrever,
Não sou escritora, mas em cada palavra, te amo.
Nao sou especial, mas tu pra mim es genial.
Em cada descrição encontro teu ser,
Em cada tecla, me volto a entregar.
Em cada defenição, o querer,
Em cada pintura te consigo abraçar.
Nao sou, o Sol que te toca ao amanhecer,
Mas és presença constante, em meu viver.
Não sou a agua a te tocar,
Mas és, a que vem meu olhar, lavar.
Não sou o odor que a cada dia te rodeia,
Mas és perfume, que meu ser anseia.
Não sou, o que almejava ser,
Não sou, o que o sonho quer descrever.
Não sou....e não sei para onde vou.
Não sou a fortaleza que deixo transparecer,
Não sou a coragem que ves em meu falar.
Não sou o sorriso que ves a brilhar,
Em segredo, a cada noite, em ti, por ti, sem ti, aqui.
A cada madrugada, te volto a encontrar.
A cada novo raiar, a beleza de te amar.
Não sou mas desejava vir a ser,
Amor e querer em teu ser.
 
Nao sou

Lvidal