Poemas, frases e mensagens de Jujuba

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de Jujuba

Te esperando

 
Rascunhos de papel,
Pensamentos meu,
Em versos se escondeu,
Meu eu no seu.

Manchas de batom,
Marcados no espelho,
Onde em devaneios,
Meu beijo encontrou o teu.

Memorias arrancadas,
No peito guardadas,
Em pensamentos sonhadas,
As vezes chorada,
Em gritos da madrugada,
Nas paredes grifadas
" MEU CORAÇÃO É TEU"

As vezes sou um breu,
Escuro de um Adeus,
De abraços seus,
Que nunca me deu.

Mas tenho esperanças,
E continuo a esperar,
O dia que seu coração,
Vai me encontrar,
Em meio a tantas pessoas,
A caminhar.
Pois Deus te fez pra mim,
E um dia... você irá chegar.
 
Te esperando

Te Amo

 
Volto a lembrar,
Motivos pra te amar,
Quando meu coração, começa a te deixar.

Tento recordar,
Todas as minhas lembranças,
Transformar em esperança, sei que você pode mudar.

E se não mudar,
Não vai importar,
Por que mesmo que me irrite, sempre vou te amar.
 
Te Amo

Como pode ?

 
Frente ao espelho,
Tento me enganar,
E com carinho cuidar,
Da minha dor interna.

Os olhos tentam,
Em vão as lagrimas guardar,
O brilho mostrar,
E a dor ocultar.

O coração lampeja,
Tentando bombear,
E seu ritmo continuar,
E dos espinhos desviar.

O meu sorriso,
Tenta aparecer,
Mas começa a morrer,
Como todo o meu seu.

As minhas pernas,
Tentam prosseguir,
Outro caminho seguir,
Um novo destino abrir.

Então aos poucos,
Eu começo a mudar,
Me resgatando do buraco,
Que resolvi me enfiar.

E quando o dia,
Parece em fim chegar,
E estou bem para cantar,
E ler Romeu e Julieta.

Você resolve,
De novo aparecer,
Como pode me dizer?
Que me ama pra valer?

Como pode?
Alguém destruir?
Um coração assim,
Que só queria amar alguém por fim.
 
Como pode ?

Mulheres

 
Foi algo estupido que eu pensei,
Mas definitivamente me calei,
Bate a geladeira, e as costas lhe dei,
Segui ao computador onde fiquei.

Com raiva na face, o ouvi gritar,
Exasperado sorri ao pensar,
Que com 3 minutos poderia lhe dobrar.

Falou dos cachorros,
Das plantas, do lar,
Falou dos amigos,
Do trabalho, do jantar.

E do computador,
Fui ao piano tocar,
E olhando as teclas,
Desejei o calar.

Vindo em minha direção,
Começou a apontar,
Esse homem meu Deus,
Porque fui casar.

Imaginei varias vezes,
Como o matar,
Só para ter o silencio,
Só para respirar.

Lhe dei um abraço,
E fui lhe beijar,
Quando estava quieto,
Eu ria sem parar.

Com um ataque,
Se trancou no quarto,
Podia ser estressado,
Mas é muito amado.

Não importa as vezes,
E quantas discussões surgiu,
No fim eu ganhava,
Então rezem a Deus,
Pois graças a ele,

A mulher existiu.
 
Mulheres

Escondida deles

 
Doeu ?
É claro que doeu.
Mas ninguém precisava saber,
Então eu sorri,
E a todos menti.

Correr?
Pra que correr?
Quantas vezes não quis fugir,
Mas voltei,
Por medo de estar errada.

Falar?
Eu quis falar!
Mas eles não escutam,eles nunca escutam.
Porque?
Minha opinião não é valida.

Rir ?
Sim eu ri,
Tantas vezes,
E agora ...
Nem sei quando meu riso é sincero.

Robótica ?
Talvez eu seja,
A culpa é deles,
Tão minha,
Tão de todos.

Amor?
Sim, eu amo.
Mas não é exato,
Uma cortina,
Que eu escondo,
Não por medo e sim por transtorno.

Solidão,
Minha amiga,
Porque meus amigos,
Estão ai,
E eu aqui, a aconselha-los.

Lagrimas,
O senhor,já chorei tanto!
Invisivelmente, mas chorei.
Chorei com meus olhares e respirações.
Chorei sem emoções,
Emoções enterradas tenho.

Falso,
Nada falso, nada está falso.
Só escondido,
Escondido de todos, principalmente dele.
O pai, porque tu!
Tu que não podes aceitar meu santo jeito.

Lutar,
Hoje eu luto,
Títulos levo,
"Bocão", "insensata,"malcriada",
A se eles soubessem,
O que eu penso,
Penso em ir, ir me libertar,
De tanto egoismo,
Que eu fui notar.

Por isso que sei,
Sei esconder,
Minhas faces e falas,
Emoções e pensamentos,
Porque só a felicidade,
Deve ser mostrada,
Ao menos a eles,
Ao menos a eles.

Aii travesseiro,
Se alguém te roubar,
Sei que ao menos,
Nada irá contar,
Posso ficar maluca,
Posso não acordar,
Pode inconsciência,
Agora dominar?

O sono me leve,
Para qualquer lugar,
Onde nessas paredes,
Eu possa me rebelar,
E assim descansar,
Desse longo teatro,
Desse mal trato,
Que fiz desde pequena,
Para facilitar minha vida,
Para facilitar o poema,
Para diminuir as falas,
Para diminuir os problemas,
Leve-me , leve-me, em letras,
Donde as mas pequenas,
Me façam recordar,
Que mesmo em "modo oculto",
Nada irá apagar,
E ao despertar,
Eu vou sorrir,
E de novo mentir, para essa vida.
Hoje não mas minha,
Hoje deles,
Só deles.
 
Escondida deles

Triângulo amoroso, lápis, papel e borracha

 
Lápis e borracha,
Meu casal preferido,
Eles sempre se completam,
Eles sempre são amigos.

Quando um erra o outro corrige,
E ao corrigir eles vivem feliz,
Pois a meta de uma borracha é viver para o lápis,
E a meta do lápis é ser feliz apenas com a borracha.

Linda folha em branco,
Como eu gosto de você,
Posso imaginar em sua cor,
Qualquer coisar que eu ver.

Linda folha em branco,
Meu coração queria ser você,
Clara e tranquila como a pomba,
Segura e feliz como o lápis,
Inteligente e limpa apenas por pedir ajuda a magnifica borracha!

Borracha, lápis e papel,
Um lindo triângulo amoroso,
Passam a vida inteira juntos,
Sem se esgotar de um do outro.

A se minha vida fosse tão perfeita assim,
Poderia até pular sorridente entre espinhos do jardim,
Mas me disseram que em fim,
A perfeição não é boa,
Mas se a perfeição é ruim,
Porque todos gostam de Deus em fim ?

A senhor do céu escuro e claro,
Tragas uma boa noticia para mim,
Como o suspiro caloroso do inverno,
Beleza das flores da primavera e o frescor do verão,
Traga para esse coração pensativo,
Um amor e uma paixão.

Um amor que me cuide a noite,
Uma paixão que me acalente de dia,
Nesse lindo e formoso triângulo,
Sorrirei feliz em meus dias.

Mas não sei se estou preparada,
Para nessa aventura estar,
Fico com o papel, lápis e borracha,
Esperando meu sono entrar.

Dormirei hoje com alma de criança,
Saltitando e girando no meu imaginar,
Desenharei com um lápis uma estrela cheia de brilho,
E com a borracha defeitos irei apagar,
Quando a estrela passar no céu essa noite,
Um desejo irei falar,
Quero apenas em minha vida,
Vida ter todos os dias,
Para um amor buscar.
 
 Triângulo amoroso, lápis, papel e borracha

Você já se perguntou ?

 
Você já se perguntou?

Você já chorou?
Você já pensou?
Quantas vezes gritou?
E quantas se calou ?

Você já se arrependeu ?
E conta se deu ?
Que sofrimento nunca é,
Inteiramente seu?

Você já caiu?
Você já partiu?
Você já brigou?
E já apanhou?
E por fim... mentiu ?

Você já acordou,
Querendo dormir,
Desejando que o mundo,
Fosse esquecer, de você ali ?

Você já lembrou, de promessas de amor ?
E quantas ficou?
Quantas acabou?
Quantas você...sufocou ?

E quantos problemas,você já xingou?
E quantas pessoas, em pensamento matou?
E quanto da culpa,
Que você carregou,
Ainda ficou? Ela ...ficou ?

E quantas coisas,
Você escondeu,
Fingiu que não doeu,
Que não aconteceu,
Que não valeu,
Não era para ser seu ?

E de quantas coisas, você desistiu?
E vidas partiu, por várias palavras?
E quantos espelhos, você ignorou?
Sua aparência interna, já te perturbou ?

Você se sente agoniado?
Coração apertado?
Se volta ao passado?
Consciência hoje, do lado errado?

Você nunca refletiu,
Que das lágrimas que caiu,
Te fizeram ser
te fizeram... crescer
Também elas, te destruiu ?

De tudo que você passou,
Das poucas coisas que ficou,
Elas são um pouco,
Do que em ti restou.

Você já notou?
Você já negou?
Você só não percebeu,
Que não importa o fundo desse breu,
Você apenas não pode fugir,
Do seu eu.
 
Você já se perguntou ?

Animal, já pensei em ser você!

 
Oh Cão! Eu queria ser você.
Enxergar o mundo de um lindo vermelho,
Suspirar de amor, em cada tempo,
Levar patada e seguir os momentos,
Sem remorsos e sem veneno.

Oh Pássaro! Eu queria ser você,
Exalar liberdade,
Cantar a vontade,
Dançar pelos aires,
E ter aventuras, por todos os lugares.

Oh Cavalo! Eu queria ser você,
Ter tanta destreza,
Ser uma bela natureza,
Ter força, agilidade,e franqueza.
Que em seus olhos posso ver.

Oh Rato! Eu queria ser você,
Ter tanta humildade,
Eu bem sei que você sabe,
Quanto humano tem maldade,
E de tanta crueldade, a sua tranquilidade,
Inteligência e mocidade,
Tenta excluir.

Oh Gato! Eu queria ser você,
Com seu jeito sapeca,
Com suas estrategias,
Emocionalmente equilibrado,
Com seu humor estável,
Um ser independente, meu caro.
Com opiniões e tatos,
Sem altos e baixos,
E nós momentos "deu errado"
Ninguém sabe seu rastro!

Esse mundo animal,
Tão fascinante,
Porque Deus me fez tão homem ?

Eu poderia ser uma abelha,
Ter senso de união,
De respeito a colmeia,
Querer ajudar e ser ajudado,
Ter um objetivo, não ser julgado,
Pois mesmo aqui como também lá,
São todas iguais
Respeitam os desiguais,
E mesmo sendo fatais,
Só atacam por defender, seus ideais.

Oh Humano! Essa sou eu.
Complicada por si só,
De pensamentos inconstantes,
De ações inconstantes,
De sentimentos inconstantes,
De objetivos inconstantes,
De saberes inconstantes,
Sou um ser inconstante.

Posso ser como qualquer animal,
Tenho tantas metas e formas de viver,
Posso ser o que eu quiser ser,
Apenas temos que continuar a lembrar,
Que como animais, podemos amar,
E respeitar, cuidar, e olhar,
Para o mundo com mais carinho,
Trabalhando com nosso caminho,
Para que o nosso destino, seja um lugar de paz.
 
Animal, já pensei em ser você!

O dia que o mundo pirou

 
O dia que o planeta acordou.

Borboletas voaram na relva do orvalho,
E viam janelas serem abertas.
Sorrisos dançavam no vento fresquinho,
Levando sementes do novo triunfo.

O dia que o planeta gritou.

Macacos pulavam de galhos em galhos.
Levando noticias e diversão,
Que tocou tantos corações,
Que batiam como canções.

O dia que o mundo então chorou.

Rios trasbordaram de alegria,
Levando a água aos sertões e desertos das nações.
Novas especies perdidas surgiram,
Já não havia extinção.
A chuva caia tão tranquila,
Molhando os rostos da população.

O dia que o mundo então lutou.

Os armamentos foram destruídos,
Não houve mortes, sangue ou prejuízos,
E sobre todos os indícios,
A guerra finalmente acabou!

O dia que o mundo se uniu.

A fome se acabou.
A doença se extinguiu.
O universo se reposicionou.
O que mundo perfeito surgia.
O um mundo que nunca chegou.
 
O dia que o mundo pirou

Vitoria de uma Ex-Mulher.

 
Meu bem eu sou mulher,
Aquela que tu quer,
Aquela que deixou, usou e maltratou.
Aquela que negaste e que abandonaste por um passatempo de calor.

Meu bem vou ser cruel,
Mas saiba que o erro é teu,
Mas o desejo é meu,
E quando digo adeus é pra sempre eu afirmo.

Meu bem eu sou á mulher,
Aquela que hoje vive,
Com um enorme sorriso,
Cantando e dançando e sempre lhe mostrando,
Que sem ti sou mais feliz.

Meu prazer não é vê-lo sofrer,
Tenho mais o que fazer,
Do que perder meus dias com você,
Fui aquela que magoaste e que por ti choraste,
E que hoje sabe, que também tenho meu valor.

O amor durou o quanto durou,
Me senti traída e ofendida,
Estragaste meus planos de vida,
E acabaste com meu amor.

Por ti sofri uma amarga desilusão,
Por ti aprendi que mais vale então,
Viver a vida os passos de uma vez,
E não fazer estupides e me arrepender em vão,
Por me entregar de coração,
Para alguém que nem por um tostão,
Merece o amor que te mostro em meu olhar.
 
Vitoria de uma Ex-Mulher.

Luzia, Órion!

 
Órion, ai estás!
Tão longe e perto,
Intocável estás.
Luzia a rir. Luzia a chorar.
No véu de marfim,
A me contemplar.

O amor ai estás!
Em silêncio,a me desvendar,
Em quilômetros a me deixar.
Luzia a cantar. Luzia a iluminar.
No frio vento da noite,
Do meu longo esperar.

O cruel beleza,
Feita para me consumir,
Onde nem versos alcançam,
O seu tremulante sorrir.
Luzia a olhar. Luzia a encantar.
Em cada poema,
Que fui recitar.

O divagação,
De mais tenra beleza,
Onde foste tu! O grande pureza!
Luzia a inocência. Luzia a janela!
De cada sonho da alma,
Deste jovem poeta.

( Inspiração: Poema Órion, de Carlos Drummond de Andrade )

Obrigada.
 
Luzia, Órion!

Era uma Flor.

 
Era uma flor
Que por amor,
Foi desabrochar.

Era uma flor,
Que ao sorrir,
Foi encantar.

Mas a flor percebeu,
Que nada era assim,
E que um dia iria,
Ser tirada do jardim.

E sua folha caiu,
E espinhos nasceu,
E ela cresceu,
E não se protegeu.

E lá chegou o homem,
Roubou seu coração,
A encheu de promessas,
E em confissão,
Tirou suas raízes do chão.

Ela se sentiu,
Livre pra voar,
E encheu o ar,
Com seu perfume a exalar.

Quando percebeu,
Em outras mãos se deu,
Seu corpo,
A murchar.

Era outra mulher,
Com outra delicadeza,
E a flor sem ter certeza,
Se pós a chorar.

E caída ao chão,
Viu o homem aos braços,
Da mulher que fez,
Sua beleza em pedaços.

E a cada pétala,
Antes de murchar,
Gritou em voz aguda,
No silencio a brotar.
 
Era uma Flor.

Perdição a ser renovada

 
As ruas se fecham entre a escuridão,
A chuva cai com minhas lagrimas ao chão,
Gritos causam ecos em meu coração,
Cujo as batidas rangem em vãos.

Arrepios na pele, um suor escaldante,
E eu rodo no abismo, flamejante.
Buscando uma palavra,um gesto, um abraço,
Com meus olhos abertos, em par em par,
a tremer, esperar.

Ninguém me vê suplicar, escutar e aguardar,
A liberdade e o encanto que hoje veio a faltar.
Com minhas mãos marcadas em fendas e traços,
Pelos meus caminhos e estardalhaços,
Entrando sempre em uma nova jornada,
Com minha perdição á ser renovada.
 
Perdição a ser renovada

Mulher consumista

 
Andando na rua,
Tomando sorvete,
E então eu a vi,
E ela a mim.

Foi amor a primeira vista,
Meu coração parou,
Faltou ar em meus pulmões,
E eu quase arfei.

Tentei manter a calma,
Mantenha a compostura!
Já,já,já, mas rápido!
E eu chegaria a tempo.

A tempo de domina-la,
Eu teria ela para mim,
Se não fosse hoje, seria amanhã.
Mas minha, ela seria.

Aquela pele, morena,marrom, tão linda!
Imagino o toque que teria,
Sinto um arrepio,
E esqueço arrependimento.

Afinal?
Destino, santo destino.
Que coloca as coisas em meu caminho.
Se não fosse para ser.. Oh meu amor.. não seria.

Ao chegar perto,
A peguei em um longo abraço,
Não era necessário apresentação,
Deus sabe que ela tinha que ser minha.

Me aproximei da mulher furiosa,
E tomei os sapatos antes que ela pegasse,
A esses sapatos,
Ficariam tão bem com ela.
E aquela bolsa,
E aquele brinco.

Cheguei feliz para a mulher uniformizada,
Sorrindo por trás do balcão,
Sem demora, passei o cartão.
Agora eu a tinha,
A meu doce casaco de pele!
A minha azada conta bancaria,
Com ela me entendo no futuro,
Afinal, estou fazendo bem a humanidade!

Imagine você,
Se passa uma mulher consumista por aqui,
Coitada, ia gasta o que não tem,
E eu posso,
Parcelando, eu pago isso antes de vê.
 
Mulher consumista

Historia de Amor

 
Qual é o problema de sermos tão diferentes ?
Se o que existe entre a gente,
É um sentimento inocente.

Então me diga,
Se fosse assim tão pecado,
Assumir que sou culpado,
Por querer estar ao seu lado.

E eu compreendo,
Que os países entre nós,
É uma distancia atroz,
Que quer me deixar sós... sem você.

Saiba cupido,
Mas uma vez você errou ?
E por idade afastou!
Meu coração do meu destino.

Saiba meu Deus,
Eu só queria a cuidar,
A proteger e a guiar,
Para um lindo caminho.

E pode ser,
Que eu morrerei primeiro,
Mas que conte ao seu conceito,
Que sem ela não sei viver.

E vou deixando,
O preconceito me afastar,
Menina, venha minha alma salvar,
Talvez quando crescer eu venha ser seu par,
Mas por agora me afastarei.

E já não chores,
Teremos muito o que contar,
Um dia iremos nos casar,
E para sempre junto a ti, irei ficar.
 
Historia de Amor

A razão do coração partido

 
Aqui vai uma historia,
De um coração partido,
Por isso eu declaro,
Meu texto sem sentido.

Hoje estou com umas garrafas na mão,
Coca-Cola Diet,
Me dando atenção.

No meu computador,
Minha amiga a digitar,
Sua vida pessoal,
A me guiar.

Sempre fui boa,
Em relacionamentos,
Não entendo como os meus,
Vão servir de exemplo,
Posso dar concelhos pro mundo,
Mas eu mesma... não me entendo!

Sabe eu declaro,
Loucura do coração,
Considerar seu alivio,
Seu problema de aflição.

Não é logico,
É irreal,
Ficar triste e feliz,
Pelo erro acidental,
De amar um infeliz,
Que me faz mal ?!

Tentar odiar,
É algo impossível,
E como renegar brigadeiro,
No aniversario do seu primo.

E como declarar,
Que não precisa de água,
A raiva é amar,
Sem receber amor de volta.

Mas sempre acreditei,
De acordo com as falas,
Que mesmo que não receba amor,
O importante é a felicidade de quem a gente gosta.

Só quem passou,
Vai entender,
A dor consumir,
Noites sem dormir,
Musicas a iludir,
Sorrisos sem... sorrir.

E terminando pra buscar uma biscoito,
Vou deixar aqui,
Meu grande desgosto,
Pior do que amar,
E não ser amada
E amar um cara que te ama,
E que finge que não ama....

.... por ter medo de amar
 
A razão do coração partido

Olhar do Destino

 
Fico a refletir,
Se pergunto ou não ao vento.
Se ele sabe os segredos,
De todos os tempos.

Onde vários sussurros,
São mais que amores,
São mais que terrores,
São mais que desejos.

Pergunto se há,
Em cada passagem de tempo,
Os mesmo caminhos,
Os mesmos erros,
Que de tão certeiros,
Fazem girar,
A roda do destino,
Que não aprendeu parar.

Será que sabemos,
Em cada ocasião,
Se a escolha é feita,
Por nossas próprias mãos ?

Se alguém tem um livro,
E comanda a roda,
E comanda a vida,
E comanda a rota,
Que iremos seguir,
Precisamos seguir,
E sem desistir,
Chegaremos ali.

Onde a roda.... roda...roda...
O vento sussurra...sussurra...sussurra.
Onde o passado recua...recua ...recua.
Onde todos se encontram,
E se abandonam,
E voltam a rodar,
No mesmo ciclo, do olhar.
 
 Olhar do Destino

Passagem

 
Eu tentei me encontrar,
Sinto meu corpo flutuar,
Meus pés não ousam o chão tocar,
Posso sentir meu corpo ao vento, dançar.

O ar sai devagar,
Procuro me concentrar,
Estou perdida volto a brincar,
Posso sentir o mundo desfocar.

As estrelas estão deslocando,
A cada minuto, se afastando.
A dor não chega a torturar,
Posso sentir o coração inchar.

Talvez devesse olhar,
Escuto pessoas a me chamar.
As flores vem seu perfume entregar,
Entoam um choro no ar.

Sei que estou esquecendo de algo,
As lagrimas chegam a evaporar,
Estou em outro lugar,
Não preciso respirar.

Vazio a torturar,
Risos a acalmar,
Me sinto dissipar,
Na força desse lar.

A energia da união,
Um só amor nessa estação.
Vários tipos de coloração,
Faço parte da salvação.

Não precisei entender mais nada,
Não tinha nada a entender,
Agora eu era uma alma,
E fiquei brilhante,
Em cada amanhecer ao entardecer.
 
Passagem

E lá estava o amor...

 
E lá estava ela,
Olhando para ele,
E lá estava ele,
Olhando para a outra.

E lá estava a outra,
Olhando para fulano,
E lá estava fulano,
Olhando para ciclana
E lá estava ciclana,
Olhando para o ciclano, que jamais olhou pra ela.

E lá estava o amor,
Olhando para todos,
E lá estava o cupido,
Rindo dos tolos.

E lá estava a razão,
Gritando ao povo,
E lá estava o coração,
Ignorando de novo.

E lá estava o sentimento,
Se aflorando,
E lá estava a dor,
Sua vitima buscando.

E la estava os olhares,
E de lá se foi a paixão,
E de lá paqueras nasceu,
E de lá romances morreu.

E de... Oh filhos meu,
Meus olhos, se perdeu...
 
E lá estava o amor...

Desejo da Alma

 
Lembro dos poemas que nunca recebi.
Sonho com as lembranças que nunca vivi.
Sinto os seus beijos que não existiu
Meu coração sente saudade de alguem que nunca viu.

Reparo nas estrelas e encontro seu olhar,
Juras de amor, que nunca ouvi soar.
Palavras sinceras que não foram ditas,
Cartas tão belas, nunca escritas.

Dor tão profunda, nunca sentida.
Lagrimas sinceras, jamais caidas.
Sussurro de medo do que não é meu.
Busco um homem cuja o sorriso é teu.

Esse foi apenas outro destino que se perdeu,
Essa foi uma historia que jamais aconteceu.
Isso foi o desejo, que uma alma colheu,
A mulher escreveu, quando do romance, seu poeta esqueceu.
 
Desejo da Alma

Juliane Cristine