Poemas, frases e mensagens de something

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de something

<indisponível>
...

essa menina é um poema

 
essa menina é um poema
 
O rosto dela é um sonho profundo
Eu a vislumbro, eu vejo ali o mapa do mundo
Ela realmente me faz ter vontade
de fazer amor,
Ela realmente me dá vontade
de escrever sobre amor...

essa menina é um poema!
me faz querer fazer amor
de fazer um desenho...

essa menina que me dá vontade
de me afogar em arte.
 
essa menina é um poema

Peixes são como Flores

 
Peixes são como Flores
 
Quem sabe são como rosas,
Já que ambos têm espinhos?

Quem sabe são como flores-cadáveres,
Já que ambos cheiram mal?

Ou quem sabe, peixes são como teus olhos
Já que ambos nadam em rios de pétalas
E
Se sentem bem na quentura das águas
Da quietude de um aquário?
 
Peixes são como Flores

Minha querida

 
Minha querida
Você vai se arrepender
De me chamar amor de tua vida
Depois que realmente me conhecer.

Minha querida,
A vida é assim, o amor é assim
A gente se conhece, se apaixona
A gente se ama e depois vem a chuva

E lava as cores da nossa paixão
E tudo, na realidade, é uma peça
Pregada pelo nosso coração
Minha querida...

Ah, minha querida
Mas tudo corre assim com naturalidade
Se tu me deixas, eu choro
Se eu te deixo, tu choras

É a lei infindável
Dos corações, já que
O amor é assim mesmo
Irracional como a gente, querida.
 
Minha querida

Ela

 
Ela
Bela
Vela
Cela
Sela.

Ela
Era
Hera
Mera
[...Bera
Vera
Nera
Quera...]

Ela
[Eka]

Ela
Era
Bela

Mera
Vela
Hera
Cela

Ela

Sela.
 
Ela

anjo tocando viola

 
anjo tocando viola
 
imagem: Angiolino Musicante (Anjo Músico) - Rosso Fiorentino

Toque-me
com a mesma
doçura
com que tocas
essas cordas
comovidas

Toque-me
anjo
como tocas
tua viola,
inexorável

anjo,
toque-me
suavemente
eu mereço
bem mais
do que esses
três harpejos
sentidos

toque -me
me faça uma música
de cores
e de acordes,

tocas, anjo
tocas e que seja
de coração
essas notas

para mim.
 
anjo tocando viola

não te disse que eu tinha medo de altura?

 
não te disse que eu tinha medo de altura?
 
mas, na verdade,
eu sempre tive o
desejo

{de voar}

imagem: http://julianemariah.blogspot.com.br/ ... m-exatamente-como-te.html

;)
 
não te disse que eu tinha medo de altura?

______

 
______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________...

Se a poesia é palavra
A minha é o nada
Se a vida é viver,
A minha é morrer
Se a arte é cor
A minha é o breu.

E nessa anti-poesia
Anti-vida
Anti-arte
eu poemo com o nada
Este espaço vazio.
 
______

égua

 
égua
é
gu'a
égua
égua
g'uaé
gu'a
gu'a
égua
 
égua

vinte e um do doze de dois mil e doze

 
(I)
Vinte e um do doze de dois mil e doze

***

todo mundo se apavora
todo mundo faz o que der na telha
sem demora.

o vegetariano comemora
fazendo um churrasco sulista
O ateu, arrependido
Vai à igreja confessar
Já o crente, indignado
Põe toda a culpa em Deus
As virgens
Ah, nem digo sobre as virgens
E sobre as perdidas
essas rezam de joelhos
O tímido se diverte
O divertido se intimida
Mamãe não sabe o que fazer
O filho se ajoelha aos pais
Não era assim que devia ser?

O mundo todo se apavora
O caos vem sem demora
Uns passam a noite debaixo da cama
Outros encima, acompanhados de um amor...
E assim no dia vinte e um
DO doze de dois mil e doze

****

(II)

vinte e dois do doze de dois mil e doze

***

O mundo acorda,
Os que fizeram loucuras
nem se lembram
Quem se matou,
morreu,
Quem ficou pra virada
Da meia noite
Se arrependeu

E sabe como é o fim do mundo na verdade?

É assim:
Todo mundo com cara de tacho.
 
vinte e um do doze de dois mil e doze

meia noite

 
...
é meia
(noite)
escuto
na rua
o açoite
de mil almas
descarnadas
de mil rostos
sem faces
mil vidas.

...

...

e nenhuma em mim se encaixa
embora
 
 meia noite

indução

 
me induz ao erro

é o oposto
da doutrina
contradiz a catequese
e as leis divinas
critico a brancura
com a qual veste
essa alma resignada
já propus algumas
teses conforme a nudez
da alma deletéria:
o negrume veste a pele
da clareza

me induz ao erro
contemplar tão nobre
duplicidade
rogo a Deus
quanto à pureza
mas a criatura
com destreza,
me faz o contrário
seduz e me conduz
ao que quero,

e pelo que reluto.
 
indução

Um mundo para chamar de seu

 
Vamos pintar
O amor,
A luta,
A dor,
A fé

Vamos pintar,
O que se há
De belo

Deus criou o mundo
Para ser reproduzido
Pelo olhar humano

E o homem criou
O pincel e a tinta
Para criar um que seja seu.
 
Um mundo para chamar de seu

Sou o que sou e nada serei

 
Sou o que sou
Mas nada serei
Sou porque crio
Nada sou porque
Não existo.

Sou uma manifestação
Artística, cultural
Sou vertente de um pensamento
Hediondo, talvez.

Não sou pseudônimo
Sim, sou heterômio
Não sou de verdade
Mas real eu sou.

Sou o que sou
Heterômio, hediondo
Mas nada serei
Nem criador e nem verdade.

Sou uma mente
Sem corpo, sem dono
Que pensa por si só
Mas não anda, nem come.

Nem tem desejos carnais
Ou futilidades banais
Sou a manifestação artística
de alguma coisa que é.
 
Sou o que sou e nada serei

A revolução das letras

 
Escravizadas, as letras,
Um dia resolveram
Fazer uma revolução
Formaram um motim:

ksajsdkasndueirjaklsmdkasdjnscipewklelmklnqnsa,cn cgsdyfncsajsdafpfke9r843nadsajhcgaudjsdfmskljvjndvjshdnacakdcndfksudhfsfsclmnajchbsdfnaxmaposfjmfrgkhjasmcaposjdjenfmdkvbxcmvfbf (...)

E terminaram esse texto por mim.
 
A revolução das letras

Something