Poemas, frases e mensagens de cavalotroia20

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de cavalotroia20

POETAS DE MERDA

 
ó poetas de merda, indesejáveis no espaço, que não entendeis que não vos querem por aqui, que sois uns merdas que pouco mais sabeis que o b,a,ba, pondo-vos por isso a mexer daqui para fora, íde pregar noutra freguesia, aqui não há espaço para essa merda de choros, de abraços, de flores mal cheirosas e muito menos para beijos, pensavam vocês seus menos inteligentes que a Poesia aqui partilhada por gente fina era para os vossos beiços, pois enganaram-se mas parece que não percebem, que gentalha fraca dos miolos, ponham-se a andar, depressa e em grupos mais ou menos ordenados, suas cabeças de vento que a porta é estreita para vocês que tem a cabeça grande e pouca inteligência, aqui só interessa quem tenha os miolos dum tamanho razoável...Poetas de merda, pena o Hitler não ter acabado com esta gente que só vê abraços e beijinhos, porrada era o que mereciam para deixar os outros em paz a fazerem as partilhas entre eles e os que já morreram como o tal pessoa esse sim sabe ler interpretar e até ressuscitar se fôr necessário, perante tão bela poesia que por aqui ficará quando vocês saírem seus mal cheirosos.
quem vos manda meterem-se onde não são chamados?ainda vos tratam muito bem, olha se fosse comigo era outra a cantiga, ando por aqui há pouco mas sou inteligente, já percebi que não há que misturar alhos com bugalhos...
vamos lá a ver se me fiz entender, eu já estou de saída...por agora.

JM
 
POETAS DE MERDA

comem e não deixam nada

 
parecemos parvos sabemos
mas a parvoíce não é real
querem que as calças baixemos
mas vai haver porrada e arraial

julgam-nos com medo... é real!
julgam-se eles os artistas
mas se houver porrada é fatal
acabam-se os oportunistas

esta raiva em nós contida
ainda vai dar que falar
andam a dar-nos cabo da vida
algum dia tem de acabar

todos eles tremeriam
se o Zé Povinho quiser
suas cabeças rolariam
prós filhos da puta aprender

de dedos nos olhos bem espetados
ficavam de boca escancarada
assim acabava-se com os safados
que comem e não deixam nada

pobre rouba galinha vai preso
porque roubar pouco é maldade
político rouba tudo sai ileso
passeia-se no mercedes com vaidade

é este um país de filhos da puta
lá vai o povo sofrendo e calando
mas se um dia resolve ir à luta
saem os tais do poleiro cacarejando.

JM
 
comem e não deixam nada

NÃO ESTOU NEM AÍ

 
EU SEMPRE TEIMO EM CAIR
FAZ PARTE DA MINHA SINA
JUREI NUNCA MAIS CÁ VIR
BEM QUE A VIDA ME ENSINA

pensei com os meus botões
vai até lá, pouco te custa
és mais um entre trapalhões
que importa quem barafusta?

o sítio morre sem animação
o ambiente corta-se à faca
vá lá saber-se por que razão
se nenhum se considera basbaca

estou mais ralado isso sim
que me despeça o patrão
que a merda chegue até mim
com justa causa ou sem razão

pois que se lixe o resto
que esta vida são dois dias
sei que como escritor não presto
então fiquem-se com as vossas arrelias.

JM

A CARTA SEGUE NA PRÓXIMA HOJE, HOJE ESTOU SEM SELO PARA O ENVIO.
 
 NÃO ESTOU NEM AÍ

cagam em cima de nós

 
somos pombas apunhaladas
já não reconheço a raça
andamos de bocas caladas
cinzentos perdendo a graça

o tempo arranjou-nos couraça
a nossa fada tem tamanho de noz
avestruzes quanto ao que se passa
por isso «eles» cagam em cima de nós.

sacodem os cavalos a crina
ao destino dos outros indiferente
ignoram-nos o destino ou a sina
são leões que fodem toda a gente

JM
 
cagam em cima de nós

ESTAMOS TRAMADOS

 
Anda tudo na corda bamba
Pensam eles ficar na história
Tudo nesta terra escamba
Safa-se o que temos na memória

tiraram o ...c...ao facto
pensam eles ser à maneira
fazem com o diabo pacto...
Só falta mudarem cores à bandeira,
trocar o pai e a mãe
e já agora
trocar o fado pelo samba também.

Pobre País, pobre gente, pobre língua
Vem Poeta mostrar como escreves tu
Se de facto está tudo a morrer à míngua
Este Povo já vai nu!

JM
 
ESTAMOS TRAMADOS

Cautela nunca é demais

 
Sei eu e sabe toda a gente
que valente...tem valentia!
mas para mostrar que é valente
não precisa usar de tirania.

O sábio é sempre igual
pensa fazer sempre elevado
mas por vezes sai-se mal
não sabia...ou não teve cuidado.

De que serve a sabedoria
quando o sabedor a todos nos enfastia?
se a pessoa não é prudente
e causa ao outro dano
é considerado tirano.

Acho eu, e acha toda a gente!

JM
 
Cautela nunca é demais

CORAGEM

 
venha a coragem
que é aquilo que faz falta
venham ventos e aragem
é preciso é avisar a malta

não peçam compreensão
aos que vão ficando sem pão!
já que não há moral
parte-se para a luta
e comem todos

ah! mas alguém se salvará
os que têm euros a rodos
o resto é povo

nas próximas eleições
no engodo lá vai tudo
nos corações mil perdões
o povo é cego, surdo e mudo.
 
CORAGEM

ATROPELAMENTO

 
ontem vi um atropelamento
que de atropelamento,
afinal não tinha nada
era só um jumento
vindo lá de S. Bento
que parou no meio da estrada
cantava a Vila Morena
com voz de cana rachada
enquanto relva comia,
e o Povo ainda o ouvia!

Pena!
Não haver quem lhe desse
uma troicada...

JM
 
ATROPELAMENTO

PEQUENOS REIS

 
Julgam-se os reis do mundo
deste mundo cão
do mundo inteiro?
Não!
Deste d' el-rei D. Sebastião.

Deram passos
Têm passos
e não passam do chão
neste mundo onde há fome e aflição
vem a troika e leva tudo
e o Povo está mudo.

Prepara-se para primeiro
o olho de goraz
quer ser o novo capataz
e lá vai o zé povinho
bem comportadinho
mandado pelo sr prior
em fila votar
e o homem chega...com esperança
de ainda haver alguma coisa que possa
para si arrecadar

pobre povo que já nem sabe
pra que lado se há-de virar.

JM
 
PEQUENOS REIS

Cambada de passarões

 
anda aí tanto passarão
mas poucos engaiolados
tomaram conta da nação
deram cabo disto,safados

levam sete anos de prisão
depois retiram-lhe cinco
políticos dum cabrão
roubam, roubam com afinco.

roubam até se fartar
têm conta recheada
e o povo anda c' bola a sonhar
só vê futebol, mais nada.

reles os que se dão
ares de tanta importância
no fundo o que é que são?
os que quero ver à distância

podres de língua afiada
fazem promessas a rodo
depois, não cumprem nada
e eu «reformado» é que me fodo

cravam farpas e arpões
são cobardes e tão vis
são grandessíssimos cabrões
puta que os pariu nazis!

pois que estejam alerta
isto um dia vai acabar
em S. Bento da porta aberta
é o povo que os vai lixar.

puta da justiça que é só actua para os pobres.
JM
 
Cambada de passarões

País de merda

 
O Marquês no pedestal
D.José I no seu cavalo
a olhar pra Portugal
como um país de regalo

Mal sabem como vai
o país que o Coelho roeu
dá Passos e de cá não sai
tramando até quem o fodeu

Cristo Rei está desolado
atirou se ao rio prontamente
antes ficar todo molhado
do que ver foder a gente.

Lá prós lados da Assembleia
chovem raios e trovões
uns riem, outros de cara feia
mas são todos uns cabrões

Deixam nos só as migalhas
lá vamos morrendo à míngua
anda este país ao calhas
e eles a darem à língua

Deviam era ir prá prisa
de lá não saírem nunca
deixam toda a gente lisa
e o país numa espelunca

Coitado do Zé Povinho
levam-lhe até a camisola
Já não há futebol nem vinho
É que já nada o consola

Não tem paciência com a mulher
e para os filhos nem olha
se ela lhe diz que lhe quer
levanta a mão e dá-lhe uma solha

E o país é um cano de esgoto
ministros que são uns pulhas
e o Zé joga no totoloto
bebe uns copos, mete se em bulhas.

JM
 
País de merda

EMPRESÁRIO DA TRETA

 
Afirmo! Sou o Grande Belmiro
Empresário..
e despeço quem me peça mais salário,
quanto mais pedem
mais vos tiro!
trabalhem meus escravos
não fizeram a revolução
com cravos?

Bebam só água
comam congelados
matem a mágoa
quem vos manda ser nabos?
isto aqui,é o Continente
e é meu!
Não é de toda a gente!
Pensam que ando na lua
ou querem ir todos prá rua?
então chamem-me de velho
e vão ver!
Ora que País é este?
Anda tudo às avessas
Eu cá cumpro as promessas
e até passo cartão
Só não peçam mais salário
Isso não!
Que eu sou empresário
não burro.

Mas que País sem trambelho
metendo água até ao joelho.

JM
 
EMPRESÁRIO DA TRETA

Ó se vai!

 
Anda o sol envergonhado
a ver o mundo fodido
e a pensar vou ser vendido
e levado para outro lado

Pró lado da Alemanha
que só tem é carcanhol
e tanta, mas tanta manha
que já pensa comprar o sol

Às escuras por cá ficamos
ora já andamos a ver mal
não há meio, não inventamos
forma de correr com pulhas de
Portugal.

querem ser à força do mal
do mundo os mais poderosos
fazendo a guerra do capital
Lá nisso são bem engenhosos

Com este governo de merda
com este povo sem valentia
os que ficam ninguém herda
vão todos prá Alemanha um dia

Vão limpar o cu aos alemães
trocam a miséria por miséria
escravos em terra alheia
esquecem os pais e as mães
vão sem luz e voltam de candeia

Isto aqui é para esquecer
Só há velhos a quem roubar
perdi tudo o que tinha a perder
quando fôr meu tempo a reforma
foi ao ar.

Vou apanhar uma bebedeira
e vai ser uma daquelas - ó se vai!
quero que o governo se foda
quem escorrega? Logo cai!

JM
 
Ó se vai!

que vida de merda

 
Vimo-nos livres de Salazar
mas para nosso azar
ficaram outros no lugar
que só sabem atazanar!

Outros a ele igualzinhos
sem tirar nem pôr
deixam-nos em maus caminhos,
maus lençois,
são ainda bem pior.

Chamam-nos de ignorantes
sendo nós filhos da luta
dizem-se da democracia amantes
mas são uns filhos da puta.

corruptos e ladrões
levam a vida a enganar o povo
sem escrúpulos os aldrabões
roubam à descarada, não trazem nada de novo.

Ai Abril das águas mil
trouxeste-nos foi tempestade
e nós só a pensarmos em felicidade
maldito Abril
deixáste-nos a ver Braga por um funil

malditos cães (políticos)sem vergonha, deviam era de morrer no canil.

acabaram com as pescas
e depois a agricultura
agora querem também acabar
com a cultura,
fazem tudo pela calada
lá em S. Bento à porta fechada

e quem se lixa é o mexilhão
que já se arrasta de coração na mão.

JM
 
que vida de merda

S. BENTO

 
Mau tempo lá pra S.Bento
Diz o Povo e tem razão
Foi tal o encantamento
No dia da eleição!

Mas agora o Zé Povinho
Já dá passos sem alento
Contenta-se com futebol e vinho
Já vai esquecendo S. Bento.

Já o político sem vergonha
Diz hoje amanhã desdiz
Ao Povo olha-se a fronha
Não!Não fui que lá o quiz

Comam relva no jardim
Deêm passos a S. Bento
Se porrada não houver por fim
não haverá conseguimento.

E tudo ficará como dantes
O ceguinho batendo com insistência
Serão os corruptos os mandantes
A apunhanlar a nossa inocência.

JM
 
S. BENTO

EXIGE-SE MAIS LUTA

 
Andam para aí uns impostores
dizendo-se engenheiros
outros senhores doutores
corruptos e caloteiros
levando nossos haveres
sanguessugas do povo
que ignora os procederes

ainda dizem que somos livres
horas ácidas é o que vives!

horas sem retorno
por causa destes filhos
dum corno dum corno
e duma puta
por isso vamos à luta
roubam até a dignidade
desarmam nosso caminhar
mas que merda de liberdade?
se está tudo a fracassar?
qualquer dia até nos proíbem
de respirar, tirando-nos o ar
o nome e sei lá mais quê
grita em nosso coração
a raiva e o desespero
não há como aguentar nesta terra
vamos à guerra!

JM
 
EXIGE-SE MAIS LUTA

Faça-se outra revolução

 
riem, choram, falam alto
gesticulam
andam todos loucos,
pulam, pulam
mas os passos que dão são poucos
outros andam tristes
macambúzios
encostados pelas paredes
não há quem os desenterre
por mais que a gente berre
querem fugir à desilusão
mas o estado é um cabrão
rouba a torto e a direito
e a vida fica sem jeito
muitos andam como mortos por aí
espectros vão deambulando à espera
tristeza assim nunca vi
de quem espera e desespera.
povo atormentado
que não aguenta mais este fado.
É como se diz
Um homem só deu cabo deste país.

JM
 
Faça-se outra revolução

tudo a eito

 
hoje li o jornal
na ponta da língua
o povo morria à míngua
o jornal desequilibrou-se
as notícias meteram água
o jornalista afogou-se
o pobre do povo
a quem diziam respeito
correu a pontapé
tudo a eito.

já não era sem tempo!
 
tudo a eito

ISTO É QUE VAI UM FADO

 
Estou a tentar escapar
a esta realidade
a esta grande tempestade
que é este país a afundar
vou mas é safar-me para o estrangeiro
que isto aqui já não se salva
o nosso primeiro,
diz que não há dinheiro
e já anda a perder a calma.

vai-nos aos bolsos todos os dias
anda a malta a viver de futebóis e utopias
já não quero saber do caos
quero é que tudo se lixe
aqui só vingam os corruptos e maus
lá para fora é que é fixe
digo para mim entre dentes
que este povo endoidou
devia estar doente
quando ceguinho votou

JM
 
ISTO É QUE VAI UM FADO