Poemas, frases e mensagens de Mabelle

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de Mabelle

Mar

 
Tem um traço de morte
no meu olhar ateu
E um quê de mar.

O léu dos passos,
O véu das crenças...

Por que dizem
que deus está no céu?

Me disseram que viemos do mar.
E somos
mais água que estrelas
mais mágoa que razão.

Meu irmão
me perguntou se deus tem asas
Talvez tenha guelras
e o paraíso seja um aquário.

Caso contrário,
deus morreu nos meus olhos,
no breu dos meus sonhos.
 
Mar

Primeiros Passos

 
Se eu
te levar
vá leve

releve
meus saltos
meus sobressaltos
de menina

o alto relevo
das meus sonhos
de ave
e leve a chave,

meu coração
quer ser aberto.

A ilusão
mora perto
de quem se atira,
de quem mira
o infinito.

E tudo é
tão bonito.

***
 
Primeiros Passos

Caneta

 
Abre
a tampa,
tanta letra
escorre
e engole
o papel

o céu
das ideias
na ponta
dos dedos

a artéria
bombeia
a tinta,
desfaz
os segredos.

A poesia
é a veia,
a inspiração
a se compor,

mas o coração...
é o leitor.
 
Caneta

Título Bonito

 
Há o novo
em alguma casca
em alguma lasca
da inspiração

Há a sigla,
a sílaba
incontável
e o conto
no encontro
do aplauso.

O poema
sintático,
sintético
e falso.

Não como
a rima:
amor e dor.

Eu quero
o ímã
e o hímen
Tocar
o intocável
e lhe tascar
um título
bonito

e criar...
o maior plágio
já escrito.
 
Título Bonito

Chuva

 
A abelha
olha
a bolha:
há uma
abelha.

E voam
lado a lado.

O planar
cansado
da bolha
deixa o olhar
pesado.

A abelha
ajuda a bolha,
que estoura

O tempo muda
e faz chuva.

A abelha
vai ao céu
e roga,

mas se afoga
nas nuvens.

---
 
Chuva

Canto

 
Quero
ser musa
e música

a vontade
intrusa
de ser

serena
e sereia.

Acorde
a canção
no acorde
da veia

meu corpo
é violão
e quer
"musicArte".

---
 
Canto

Acalanto

 
O sono
ronda
no berço
das ondas

e o bebê
baleia
dorme,
conforme
soa
o sonar.

O sonho
sopra...

e nina
o mar.
 
Acalanto

A Muda

 
A menina
namora
(a) muda
e irriga
o solo

o canto
é tanto
amor...

Cresce
a árvore
nasce
a flor,
o fruto
amargo.

O tempo
desfolha
a árvore
E vai
a folha
forrar
o vento

A dor
é tanta,
que a menina
aos pés
da planta
desfalece.
 
A Muda

Mármore

 
Me falta
a falta
o sentir
sem ti
é oco

e tão pouco
é o muito
que ficou.

Não há
saudade,
não há sal
na água
a mágoa
é seca.

O olhar
empedra
e impera
o vazio

E o que
corta,
é me ver


e não
sofrer.
 
Mármore

Mar de Letras

 
A sede
surge,
segue
a sina
e suga
a rima

O verso
submerso
na seca

Até
a descoberta
do poeta:

Mina
d'água.

Alaga
e alarga
a folha
navegante

Um
mundo
nasce
e faz-se
o rumo:

Os rios
riem
no rastro
da rima

E o olhar
quer ser
sede...
e mar.
 
Mar de Letras

Caixa de Música

 
Um plié;
o pé roda,
a menina cai.
Não sai

o grito.

o corpo
fica mole,
a caixa
engole o ar.

O tempo
corre
em vento
e a menina
sufoca.

A caixa abre,
a música toca

e uma boneca
dança.
 
Caixa de Música

Eternidade

 
A sede
cede
e cega
a ave,
o olhar grave
da seca.

O poema
sai da pena
da ave
morta;
na linha
torta
deus sentencia

Mas a pena
é a chave.
E me acena
ave
em poesia.

---
 
Eternidade

Porto Seguro

 
A lábia
dos seus lábios
é o labirinto
onde me acho.
Mas sou
o que escapa,
as aspas
de toda logica,
a ótica inversa
submersa
na neblina.
Mas me basta
ser sua:
Mulher
ou menina.

Mesmo aluada
nas fases da lua,
nas frases
indecisas
e indecifráveis
de mim.
Mesmo assim,
te quero
e te espero
em cada abraço,
em cada traço
do olhar.

Pois se há
um lugar
que eu possa
chamar
de porto,
esse...

é seu corpo.
 
Porto Seguro

Mabelle