Poemas, frases e mensagens de cleo moreno

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de cleo moreno

ESTRANHA COINCIDÊNCIA

 
ESTRANHA COINCIDÊNCIA!?


Encontrei em teu jogo de sedução,
a chave daquele baú,que um dia
deixei esquecido,em um canto qualquer,
de uma sala chamada tempo,
em uma casa sem endereço...

Abarrotado, por camadas de amor,
ilusões, sonhos mil!!!, desilusões,
decepções, desesperanças,
Sentimentos alí aprisionados...

A chave???
fôra perdida!!!, num momento de distração...
Cansada de procurar, como criança seduzida
por novos "brinquedos"...

A vida me foi desviando a atenção,
o novo brinquedo!? uma maria-fumaça,
que apitava nas curvas,
pegava embalo nas descidas,
reduzia nas subidas, mas seguia sempre...

Hora eu era comandante,
hora, mera passageira!
Fêz tantas curvas pra direita,
outras tantas pra esquerda!

Estação 20, estação 25,
fêz várias paradas bruscas,
Assustando-me, disparando meu coração,
muitas vezes chorei de medo!
ou de saudade...

Outras estações, 30 e 35`.
Às vezes, me distraí com a paisagem,
e até sorrí!! pensei ser feliz,
Acho mesmo que fui!! será? já não sei...

A viagem seguia, não podia parar,
pois tudo se tornava pressa,
compromissos, obrigações, deveres mil!
prazeres? quase zero...

Outras curvas pra direita,
pra esquerda, e já não apitava!
Na planicie sem fim, monotonia,
pilôto automático, metrô moderno...

Estação 40, estação 45,
PARA!!! vou descer,
cadê meus sonhos? meu amor? meu jeito de ser?
estranha coincidência...

Retornei à estação de onde partíra,
para tão estranha viagem!
e lá estava meu baú...

O cadeado enferrujado,
pelo sal das lágrimas e a ação do tempo,
Foi dificil reabri-lo,
me fez LEMBRAR!!!

"O TEU JOGO DE SEDUÇÃO"
<
 
ESTRANHA COINCIDÊNCIA

Em Vão

 
Do alto , o asfalto molhado
é espelho a refletir os farois
num constante vai e vem
convergindo-se em várias direções.

Como se em cada um deles
fosse embora um de ti,
a confundir-me na intenção
de seguir-te, encontrar-te.

No espelho d'agua de meus olhos
multiplicam-se as luzes,
esticam-se como arco e voam como flecha,
desfazendo-se no breu da noite.

Sufoco gritos, gemidos
mais alguns, para reforçar
esse "nó" na garganta,
o teu, o meu dilema...

E tu foges,
até quando pensas fugir?
Tudo inútil, inútil.
Em vão tu foges,
em vão espero...
 
Em Vão

Leva-me

 
 
Se te basta o meu amor...
Leva-o contigo
Leva meus sonhos
E também minha realidade

Leva, leva e não olhes pra trás

Se te basta meu querer...
Um dia a vida anoitece
E tece uma nova existência
Leva-o contigo até o novo alvorecer

Leva, leva e não olhes pra trás

Mas, se é sincero o teu amor...
Leva-me contigo agora
Nas asas dos sonhos
E no galope da realidade
 
Leva-me

explicação

 
 
AMO-TE!

Agora, MAIS e MELHOR que antes.

MAIS, por que foi acumulando, com o tempo?
É possivel!

MELHOR, por que foi se aperfeiçoando, com as experiencias?
É provável!

AMO-TE!

Por que sei que sofreu, e eu estava ausente?
Não só por isso!

AMO-TE! e o amor não tem mesmo explicação!?
Seguramente!

Cleo Moreno
 
explicação

leva(me)

 
 
Se te basta o meu amor...
Leva-o contigo
Leva meus sonhos
E tambem minha realidade

Leva, leva e não olhes pra trás

Se te basta meu querer...
Um dia a vida anoitece
E tece uma nova existencia
Leva-o contigo até o novo alvorecer

Leva, leva e não olhes pra trás

Mas, se é sincero o teu amor...
Leva-me contigo agora
Nas asas dos sonhos
E no galope da realidade
 
leva(me)

Memória do corpo

 
 
A tarde entardece,
entardece preguiçosamente, parece não querer anoitecer-se, e agoniza-se no crepúsculo, aos poucos vai silenciando suas angustias, seus gemidos...
Gemidos!? me lembrei dos seus, naquele abraço...
Naquela esquina da vida e da rua...
Desejei poder eternizar também materialmente aquele momento.
Como eterno é o nascer e por do sol,
Sem jamais deixar de lá estar, continuamente aceso...
Aceso!? me lembra esse sentimento aqui em mim...
Onde ele se abriga!?
Na mente?
Ou no coração?
Em toda memória do meu corpo, e mais alem...
Em minh'alma, essa essência de mim, essencial como a chuva, que faz germinar e renova a vida...
Vida!? me fez lembrar de perguntar ,
Que faço da minha sem a tua?????
 
Memória do corpo

Um, Quase Fantasma!

 
Apareces assim, por entre uma cortina de fumaça..

Distante!
Fugáz!
Surreal!

Vens, e sussurra-me palavras sedutoras...

Embriaguês?
Devaneios?
Lembranças?

Faz vibrar todo meu ser, da mais profunda entranha à epiderme...

Possível.
Presente.
Tangível.

No mesmo instante, não mais que de repente...

ÉS VIRTUAL!!!
 
Um, Quase Fantasma!

Mergulho

 
 
EU ti RECONHEÇO nas funduras de mim,
nas vibrações involuntárias.
EU ti VEJO nas superficies de mim,
no arrepio de minha pele ensolarada.
Nas mentiras que digo em conversas hilárias.

E ti recitando assim,
digo da nossa dividida unidade
do desejo e da saudade.
Que antes agonizar por estes,
que flutuar no abandono, no silencio.
Nas verdades que calo em intimas reflexões.
 
Mergulho

Mergulho

 
 
EU ti RECONHEÇO nas funduras de mim,
nas vibrações involuntárias.
EU ti VEJO nas superficies de mim,
no arrepio de minha pele ensolarada.
Nas mentiras que digo em conversas hilárias.

E ti recitando assim,
digo da nossa dividida unidade
do desejo e da saudade.
Que antes agonizar por estes,
que flutuar no abandono, no silencio.
Nas verdades que calo em intimas reflexões.
 
Mergulho

ESPERA

 
ESPERA
 
Ah! se um dia afagares meus cabelos,
e cruzares teus braços às minhas costas,
num longo e apertado abraço...

Ah! se um dia confundirmos nossas pernas, e
fundirmos nossos corpos...

Ah! se um dia no momento supremo,
me olhares bem fundo nos olhos, e
de leve morder-me os lábios...

Ah! e quando se fizerem todos os vendaváis,
terremotos,vulcões e tempestades...

Ah!!! nesta noite a chuva cairá mansa,
o vento soprará suave,
a lua derramará luz de prata,
a iluminar-nos pela janela entreaberta..

Ah!!! E TUDO SE RENDERÁ.
 
ESPERA

Em vão

 
 
Do alto , o asfalto molhado
é espelho a refletir os farois
num constante vai e vem
convergindo-se em várias direções.

Como se em cada um deles
fosse embora um de ti,
a confundir-me na intenção
de seguir-te, encontrar-te.

No espelho d\'agua de meus olhos
multiplicam-se as luzes,
esticam-se como arco e voam como flecha,
desfazendo-se no breu da noite.

Sufoco gritos, gemidos
mais alguns, para reforçar
esse "nó" na garganta,
o teu, o meu dilema...

E tu foges,
até quando pensas fugir?
Tudo inútil, inútil.
Em vão tu foges,
em vão espero...

Cleo Moreno

F
 
Em vão

Saudades Presente

 
 
Saudades, do brilho em meu olhar,do sorriso largo, das risadas , da ansiedade da espera, da alegria da chegada...

Saudades daquela esperança, daquele desejo renovado, do entusiasmo, da energia que me davas...

Saudades do que fui, ou me fiz passar por, apenas pra ti trazer até mim,
mesmo sabendo que viria,mas não ficaria...

Saudades presente, e ti confesso, tenho medo de um dia sentir saudades da saudade que sinto agora...
 
Saudades Presente

Confio-me a ti

 
 
Toma-me pelas mãos e conduze-me pelos teus caminhos...
Sou única, em corpo, alma e sentimentos.
És para mim, o único à quem espero,desejo e me entrego.
Para pontuar-mos nossa história, como tinha que ser.
Sei que nos tocaremos, com a ternura dos namorados
que voltamos a ser,
Com a paixão que nos arrebata e convence,
Com a liberdade de quem ama e é amado,
Com a alegria de quem encontra o procurado.
Que essa alegria demore em nós para todo o sempre,
Mesmo quando a vida, novamente nos separar,
Seremos felizes e agradecidos à ela, pelo que vivemos...
Não nos esqueçamos!!
 
Confio-me a ti

Memória do corpo

 
 
A tarde entardece,
entardece preguiçosamente, parece não querer anoitecer-se, e agoniza-se no crepúsculo, aos poucos vai silenciando suas angustias, seus gemidos...
Gemidos!? me lembrei dos seus, naquele abraço...
Naquela esquina da vida e da rua...
Desejei poder eternizar também, materialmente aquele momento.
Como eterno é o nascer e por do sol,
Sem jamais deixar de lá estar, continuamente aceso...
Aceso!? me lembra esse sentimento aqui em mim...
Onde ele se abriga!?
Na mente?
Ou no coração?
Em toda memória do meu corpo, e mais alem...
A tarde entardece,
entardece preguiçosamente, parece não querer anoitecer-se, e agoniza-se no crepúsculo, aos poucos vai silenciando suas angustias, seus gemidos...
Gemidos!? me lembrei dos seus, naquele abraço...
Naquela esquina da vida e da rua...
Desejei poder eternizar também, materialmente aquele momento.
Como eterno é o nascer e por do sol,
Sem jamais deixar de lá estar, continuamente aceso...
Aceso!? me lembra esse sentimento aqui em mim...
Onde ele se abriga!?
Na mente?
Ou no coração?
Em toda memória do meu corpo, e mais alem...
A tarde entardece,
entardece preguiçosamente, parece não querer anoitecer-se, e agoniza-se no crepúsculo, aos poucos vai silenciando suas angustias, seus gemidos...
Gemidos!? me lembrei dos seus, naquele abraço...
Naquela esquina da vida e da rua...
Desejei poder eternizar também, materialmente aquele momento.
Como eterno é o nascer e por do sol,
Sem jamais deixar de lá estar, continuamente aceso...
Aceso!? me lembra esse sentimento aqui em mim...
Onde ele se abriga!?
Na mente?
Ou no coração?
Em toda memória do meu corpo,e mais alem...
Em minh\'alma, essa essência de mim, essencial como a chuva, que faz germinar e renova a vida...
Vida!? me fez lembrar de perguntar ,
Que faço da minha sem a tua?????
 
Memória do corpo

Em Vão

 
 
Do alto , o asfalto molhado
é espelho a refletir os farois
num constante vai e vem
convergindo-se em várias direções.

Como se em cada um deles
fosse embora um de ti,
a confundir-me na intenção
de seguir-te, encontrar-te.

No espelho d\'agua de meus olhos
multiplicam-se as luzes,
esticam-se como arco e voam como flecha,
desfazendo-se no breu da noite.

Sufoco gritos, gemidos
mais alguns, para reforçar
esse "nó" na garganta,
o teu, o meu dilema...

E tu foges,
até quando pensas fugir?
Tudo inútil, inútil.
Em vão tu foges,
em vão espero...
 
Em Vão

"PRANTEAR"

 
 
PRANTEAR



Hoje vou prantear...


O dia que não chegou!
A chuva que não curtimos juntos,
O abraço que não trocamos,
O beijo que ficou no sonho,
O sonho que não se realizou.


Hoje vou prantear...


Os chocolates que não degustamos!
Os roupões de sêda que não usamos,
As flores, os frutos, os aromas,
Os champagnes, os sabores,
O chalé vazio.


Hoje vou prantear...


A noite que não tivemos!
A lua que não cultuamos,
Nossas brincadeiras e risos,
Nossa Cumplicidade e cores,
O amor que não fizemos.


Hoje vou prantear...


Todas as dores; Para nunca mais gemer!
Todas as perdas; Para nunca mais perde-las!
Todas as mágoas; Para nunca mais magoar-me!
Todos os sonhos; Para nunca mais sonhar!??


Será!??
 
"PRANTEAR"

Latrocínio

 
Alguma coisa acordou em mim, e me assusta.
Olho absorta a luz que invade a janela,
os raios que me queiman a visão
nesse amanhecer da verdade...
Contrariando a lógica tambem me gela
o coração.
Tenho medo, não quero perder-te,
mas nesse engenho do tempo e do vento
não posso ter-te, nem esse pouco ,
tão pouco que agora tenho.
Se és mesmo uma doce mentira, na qual me agarro,
e a qual me absorve, que me alegra os dias, e me faz
chorar na solidão das noites.
Sinto-te "fugindo" de dentro de mim,
subtrai-me a alegria, descarrilha-me os desejos, intimida-me com tuas armas.
Tudo perde a cor,o brilho, o sabor...
Então ti peço, não se vá, fica ainda um pouco mais,
pois embora queira e precise me libertar,
fecho os olhos e ti sinto, nosso toque me arrepia,
a tudo restaura ,colore e ilumina...
Sai no teu quintal e olha o céu, vê a lua que agora vejo,
assim a vida vai passando... de sonho em sonho,
num círculo vicioso, a realidade vai matando ilusões.
 
  Latrocínio

TEMPO ao TEMPO

 
 
Também de mim o tempo nada sabe...
Mas, teimoso que é, insiste em remontar estórias, mudar opiniões, exibir marcas e reafirmar histórias.

O mesmo tempo, que "não apita nas curvas",
Não cessa de emanar gritos de alerta.

Enquanto em silencio agonizante exercíto
o "dar tempo ao tempo..."
Ouço o tempo passado bater na porta dos fundos,e humilde pedir licença ao tempo presente.

"O tempo não apita nas curvas, não para no porto, não espera ninguem...
E fica um gosto de usado, naquilo que nem se provou, depois é o vazio, é o nada..." MPB

Trecho da musica O TEMPO.
 
TEMPO ao TEMPO

confio-me a ti

 
 
Toma-me pelas mãos e conduze-me pelos teus caminhos...
Sou única, em corpo, alma e sentimentos.
És para mim, o único à quem espero,desejo e me entrego.
Para pontuarmos nossa história, como tinha que ser.
Sei que nos tocaremos, com a ternura dos namorados
que voltamos a ser,
Com a paixão que nos arrebata e convence,
Com a liberdade de quem ama e é amado,
Com a alegria de quem encontra o procurado.
Que essa alegria demore em nós para todo o sempre,
Mesmo quando a vida, novamente nos separar,
Seremos felizes e agradecidos à ela, pelo que vivemos...
Não nos esqueçamos!!
 
confio-me a ti

Riso de páz

 
Tão breve fala!
Quão grande alegria...
Como num passe de mágica,
As nuvens escuras dissiparam-se

Meu coração fez festa!
Meu olhar iluminou-se...
E o sorriso!?
QUE SORRISO!!!!
Ha dias não o via.

Agora estou aqui!
Essa alma, vestida de pele marrom...
Contrastando os lençoes brancos,
Sonhando contigo!

Me fizestes feliz,
Vou dormir, com ares de riso de páz,
Exalando a essência do amor...
Huuummmmmmmm
 
 Riso de páz

Cleo Moreno