Poemas, frases e mensagens de iolanda neiva

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de iolanda neiva

Gosto muito de Fernado Pessoa, Vinicius de Moraes...e alguns mais.

Uma lágrima quente

 
Apanhei vento esta tarde,nem frio
nem quente.
Apanhei um pouco de sol pouco presente.
escondido entre nuvens envergonhadas,
que queriam chorar de contente.
Apanhei um lágrima quente,
talvez de alguém que chorava,
lágrimas bastante molhadas..
Este céu..que se deixa esconder.
Fica triste sem poder.
Apanhei um lágrima quente,
de quem?
De um ser infinito que me chama,
vezes sem conta.
Como a vida me trama!
Sempre escorrego em tentação,
Encho de lágrimas este meu livre
coração.
Por isso quando olho céu, sinto
um lágrima quente.
Parece-me fresca..esta alma.
que nesta tarde de pouco sol
me acalma.
 
Uma lágrima quente

A voz

 
A voz
 
A voz quase me falta,
o coração quase me salta.

o rosto fica fora de si,
o riso torna-se num alvo,
meu sentimento não fica sem ti.

temo o que os outros pensam de nós,
o reconhecimento sofre com a voz.

Cheia de intensidade te fala,
ao ouvido te seduz,

que louco me responde
quero essa voz que me cala.
 
A voz

contigo

 
Apetecia-me fazer amor contigo,
Consegues contagiar o sorriso, alegrando-me imenso.
Solto em mim uma parte que desconhecia
Apetecia-me fazer amor contigo,
Amor e magia.
Tocar na tua face, poder beijar teus lábios.
Enxugar esses beijos húmidos
Tornados beijos sábios
Quentes e prepotentes,
Toques suaves em corpo aquecido,
Um amor mágico
Amor querido.
Apetecia-me fazer amor contigo
Olhar nos teus olhos
Entrar por ti dentro,
Ai se pudesse gozar esse momento!
A cada sussurro uma palavra ternurenta,
um aperto no corpo e um largar de emoções,
palpitar como o vento, nem depressa nem devagar.
Apetecia-me fazer amor contigo
E nunca mais te largar…
 
contigo

PASSADO

 
Pensar no passado magoa
como se fosse o presente
pensar em ti magoa ainda mais

Toda a hora penso em ti
todo o momento tudo me
faz lembrar,
mas o amor é um sentimento
sem segredo
apenas coberto com medo
de amar

longe de mim, que pensave esquecer
um pequeno sentimento que fosse
maravilhoso posso dizer
embora curto, quase sem vida

longe de mim, pensar que morreria
sem ver o que ficou
madrinha esta minha visão
que crê, noutra oportunidade
de saber qual de nós
não amou...
 
PASSADO

Bom ano

 
Bom ano
 
Meus queridos amigos e amigas.

Desejo a todos os colaboradores e visitantes uma boas entradas para o ano 2010.
Desejo que haja muito amor, entre todos.

from the heart,

Iolanda
 
Bom ano

Preciso de amor

 
Preciso de amor,
e aqui me tens
será que depressa vens?
Preciso de amor
de ser cheirada
como uma flor...

eu não consigo esconder
o quanto preciso
de um pouco de ti
estou pronta,a ter
uma incerteza...

prefiro sofrer
do que nunca ter,
estou pronta
e não sei parar
e vou sempre procurar

imaginava algo diferente
esta amor que a gente sente
magoa, sem piedade
hoje sou amada..e
amanha não sou..nada...

eu não sei esconder
vou lutar um pouco mais
e não vou parar, e se o amor
encontrar..
vou ser feliz...
e a mim? quem me desdiz..?
 
Preciso de amor

Sem apatia

 
".. Amo a emoção que corrige o coração, as vezes deixo-o sorrir...outras deixo chorar,outras deixo-o a pensar.."
 
Sem apatia

Let's Go Out and Have Some Fun

 
Let's go out and have some fun.
It doesn't matter where or when,
Or what we say or what we do,
As long as it's just me and you.
Let's be together for a while
And get to know each other well,
Exchanging jokes and tales and chatter
Before we get to things that matter.

Let's see what happens when we dance
Across an evening sky, and glimpse
Below the stirrings of a sea
That might--or not--wind-haunted be

www.poemsforfree.com
 
Let's Go Out and Have Some Fun

Uma ferida..

 
Tenho uma ferida,
aberta ao mundo, fechada numa estrada
Não há remédio
não há saída
fechada no mundo, aberta na estrada...

tenho uma mágoa
perdida, ninguém a encontrou
aberta e fechada ao mundo
ainda ninguém a melhorou

tenho uma dor no peito
só a mim diz respeito
é uma dor triste sem sorriso
mas só se cura com amor
é tudo o que eu preciso..
 
Uma ferida..

Dedos de mestre

 
Encontro o meu coração travado,
apenas o sinto bombear calado,
existe uma dor cá dentro
dor feita há pouco tempo.

Foi um amor que mo desfez,
dois dedos de mestre da tia
enquanto escrevia este soneto
meu amor de mim se desfazia.

Nem encontro explicaçao para o ser
deste amor feito não explicado,
deste amor que tanto quis ter
nascem versos de dor por certo.

vejo-me agora rendida à dor
que envolve meus ohos tristes
naõ basta ter coracão doloroso
minhas lágrimas as assistes.

Pega um pouco dos meus sofrimentos,
tira-lhe um pouco de ar pesado,
cobre-me de abraços ternurentos
chega de sentir este ar enfartado.
 
Dedos de mestre

Silêncio

 
Beija-me
deixa-me sentir
um fugor, quanto mais
ardente melhor,
coloca em mim,
as tuas mãos,com sabor
e beija-me uma vez mais

quanto mais te sinto
mais te ouço
e ficas ainda mais louco,
e beija-me o corpo
beija-me o peito,
sei que sinto o silêncio
mas oiço o momento,
que ainda me sabe a pouco.

E quero, sentir novamente
ainda que pouco sinta,
beija-me de maneira
diferente...

e sinto o calor dos
nossos sentimentos,
manda embora o que
está ausente e
apenas sente o nosso
presente.
 
Silêncio

METADE DO QUE SOU

 
Eis a metade do que tenho e eis mais uma metade do que me falta.
tenho metade do que pensava ter e ainda me falta metade do que sonhei, não sonhei nem com metade do que tenho, metade do que possu-o não me pertence....

pego nesta metade que tanto desejei e penso na metade que obti, como é bom ser que sou e que tenho, mas só me falta a metade que sempre quis...

um todo é impossível, acho que ninguém têm, mas a vida é persistente para querer fazer-me lutar por um todo...

um meio é possível, toda a gente arranja, mas a vida por vezes nos tira....

uma metade de um todo ou de um quase todo...é metade do que ofereço, mas não ofereço nem metade do que tenho para oferecer...

mas a vida faz-nos pensar...e eis aqui dando um pouco de mim.
 
METADE DO QUE SOU

Onde te pode levar a...

 
Amor,

Por entre estas palavras espero poderes compreender o meu desabafo. Sinceramente não sei talvez no dia em que te vi pela primeira vez, do alto de uma janela comprida, fixaste o teu olhar na gente que trabalhava, parecias um anjo enviado, atento, estudioso e afável.Os minutos duraram horas, a espera imóvel pela tua oportunidade marcou o dia.
Atrevi-me a ver-te ao longe, admirando quem passava, quem seria.Vestias uma camisa branca, umas calças azuis a condizer com a gravata, o cheiro a perfume notava-se, por entre o cheiro a pó e a pneus.
Lembro-me como se fosse hoje, o teu olhar de quem espera para atacar de improviso quem passa.
Atacou-me a mim.
Poderia ser a única vez que te via, ou o príncipio do resto da minha vida, pelo menos algum resto que ainda me falta.
As doenças teimam em não me largar entregam-se a mim como um conjunto de objetos agarrados.
A melancolia que sentia passou-me, ocupei-a simplesmente a pensar em ti. Achei-te bonito, olhei-te nas mãos, porque elas me falaram.
As tuas mãos finas e suaves ao tacto como uma seda, os dedos redondos e perfeitos sem calos, senti-os passarem suavemente pelas minhas, quando me cumprimentaste.
Belo momento que desvrevo. Um fenomeno calorífico transportou-me a um lugar estranho, ao meu sítio de paus.
Ali te via prendendo de feitiços o meu corpo, tocando com as tuas mãos o meu espirito sensível, elevando-me a ser submissa a ti.
O meu momento estranho havia de voltar ao que era, mas ali fiquei parada a olhar para ti.
Sem ouvir mais ninguém, sem ver mais alguém.
Parecia que o tempo tinha parado.
Agora sei que era um princípio da atração que sinto por ti.

Onde me pode levar esta sinceridade?
Apenas me leva a sonhar contigo
 
Onde te pode levar a...

Minha casa

 
Da janela da minha casa
sobre uma rua sem nome,
vejo do Porto a Olhão,
gente que percorre
só para ver e buscar,
peixe fresco e outros alimentos
do mar.

Há gente qie procura
fugir da cidade movimentada,
e refúgio vêm encontrar.
Esta gente fica maravilhada,
como eu tão pequenina
me debruço da minha janela
só para o mar espreitar.

Há dias que nem gente vejo,
e ruas que nem consigo alcançar
é o que faz quando a nossa
casa é construída num barco
e andemos de mar em mar.

Da minha janela tento-me
pela manha, e o sol doirado
me acorda com um sorriso
nada mais eu preciso,
até me imagino sobre um longo prado.

Só me faz confusão, gente
que passa na minha rua sem nome
passa por vezes a correr
quando o vento lhe dá um empurrão.

Da minha janela as vezes,
ponho a cabeça de lado,
quero ver e sentir a brisa
que passa e fico todo molhada...
Cada onda sobe e desce, parecendo
que o mar está bravo...

Quando a terra firme chego,
sinto logo outro aconchego,
vejo agora gente que trabalha
não na cidade mas que tricota outra malha.

Fecho a minha janela,
digo bem alto:- Cheguei!
Já percorri meio mundo e outro
já imaginei.
 
Minha casa

A minha filha escreveu

 
Um sorriso
apareceu,
será que eu piso
o teu céu?
Uma rapariga
iluminou,
uma barriga
que inchou,
um amor
que cai em vão,
uma flor
que cai
no chão.

Poema escrito pela minha filha.
(Iolanda Nora)
 
A minha filha escreveu

Hoje

 
Hoje
 
Hoje sou feita de pedaços,
onde a minha alma se esconde
hoje preciso de palavras
Não apenas de traços,
nem letras perdidas
apenas abraços...
hoje procuro uma coisa mágica,
sentimentos que tocam cá dentro
preciso de amigos,
preciso de amor,
não me deixem sozinha,
é enorme esta minha dor.
 
Hoje

Amor

 
Amor,

Começo com um sorriso pela manhã, adoro ver brilhar os teus olhos direcionados nos meus, pedindo abraços, beijos, carinhos.
Se os pudesse dar, se pudesse levantar este corpo morto. Tanto amor receberias a suavidade que me passa pela mente, pela vontade.
Estou casta amor.
Eu sei que não me amas pela aparência,esta exterioridade minha não conhece teu corpo, não conhece a tua face,nem a tua pele.
Mas conhece a tua voz, terna e doce que me encanta,que me faz sonhar e despertar para a vida.
Nem receio tenho de te perder, nem cíume. A tua bondade entre em mim, faz-se corar, faz-se sentir amor.
Quando estás comigo o mundo é só meu,fingo não existir especie alguma por perto, contento-me com a tua emoção ao veres-me lutar pela vida, é bom poder amar assim.
Não preciso de mais nada dás-me afecto isso me chega. Isso me basta.
Mesmo cega e casta eu sinto os teus olhos na direcção dos meus.
amo-te.
 
Amor

Olhar na mesma direcção

 
 
Quem conhece esta minha visão,
os meus gestos de amor humildes?
alguém olhara na mesma direcção,
talvez um poeta.
Com um pouco de amor, loucura e curiosiade,
com frases feitas, algumas cheias de verdade.
que não me ame pelas curvas,
nem pelos seios,
talvez um doutor.
Que finga ter amor por mim,
que me engane com versos,
que me ame cheio de coragem,
não apenas a minha imagem.
talvez um pintor.
Que tema perder o amor que me comquistou,
enquanto despia para a noite,
talvez um senhor.
que me traga um calice,
vertendo perfeição, sem interesse.
talvez um filosofo,
cheio de ideias, perfecionista,

um inventor,
mas que conheça a minha visão.
 
Olhar na mesma direcção

tu e eu

 
Sinto um enorme desejo para que esta noite chegue,
quero muito saborear a tua boca na chegada…
quero muito tocar em teus braços de pele aveludada.

Subir o primeiro degrau da escadaria abraçada,
Sentir uma mão tua sobre meu ombro..
Outra mão segurando minha face não esbranquiçada.

Largando beijos pequenos e apaixonados
Rostos sorrindo de emoção…
Nossos beijos cada vez mais molhados.

Abrir a porta de casa ir no teu colo,
Entrar desejando fazer amor
Despindo roupas deixa-las no solo.

Arrepios vibrando, calores meios tontos
Nosso olhares trocan-se, beijas-me.
Beijas-me e tudo começa e pronto!

Desejo consumado…
E noite ainda está tão distante.
 
tu e eu

Céu

 
Corpo de mulher
corpo de ave
que tem poder
para voar,
perfecionista
envolvente
tudo o que um homem quer
e sente.
Sem crueldade
percorre
divide-se
em formas
variadas
desdobra-se
faz somas.
Com mil cuidados
com arte
e prazer
um enorme ser,
inovadora
uma senhora
abre as asas
e voa sobre
o céu
graciosa
maravilhosa
guarda seus filhos
nos seus ninhos.
Com os olhos carentes
os lábios sequeosos
e cheia de carinhos
ensina
prepara
amamenta
mulher ave
mulher que sabe,
domina
controla
e às muitas vezes
esconde a
verdade.
Mulher
que fecunda
que transpira
amor
pousa serena
em cima da mais
bela flor.
 
Céu

Iolanda Neiva
(muitas vezes falo só para mim,
e escrevo para que alguém me ouça)