Poemas, frases e mensagens de Júnior

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de Júnior

Revigora... alma!

 
A letra borrada da alma
derrubou o tinteiro de orgulho
sempre sofria a pena da mágoa
em linhas de um coração fajuto.

Sem valor, fugindo
pela tangente
corroendo elos, de uma corrente de verbos
sem atributo.

Hoje amenizado... a causa
tentando retumbar em palmas
aos aplausos silenciosos
desse novo olhar astuto.

Que minha vida, seja salva
de mãos dadas com a calma
procurando no infinito dos teu abraço
meu melhor refúgio.
 
Revigora... alma!

Conquista.

 
Leia até o final. Pois, as pérolas sempre estarão no fundo do mar!

Qual seria o segredo da conquista? O medo de ouvir um sonoro não, talvez. Não existem regras exatas e tampouco roteiros a cumprir. A OUSADIA SADIA de momento, acompanhada de total sinceridade, acredito que seja o melhor procedimento. Quebrar as regras, ou partir corações? O correto é: tornar-se chamativo com delicadeza, elogios cabíveis... e quando a alma dela sorrir, você saberá. A mesmice tomou conta das iniciativas? Visto de um modo amplo, afirmo que sim. Mas o que estaria faltando? A SURPRESA seria uma alternativa, um convite, um oficial pedido de compromisso. SIM. É este o sim que a parte interessada quer ouvir. Portanto, demonstrar o sentimento com dignidade e simplicidade no olhar, sem receios. Afinal se ela é importante, é possível torna-lá satisfeita e honrada quando a CONQUISTA obter espaço para acontecer.
" SE QUERES RECEBER AMOR E SER AMADO, AME INFINITAMENTE O QUE LHE CATIVAS."
 
Conquista.

Coração Sedutor!

 
Tem o dom de oferecer
massagem no ego
de um jeito modesto
almejando satisfazer.

Nas trocas de olhares
o silêncio de um suspirar
os corações à vontade...
imaginando o paladar.

Gosto de amor verdadeiro
com jeito de sedução
na pele... o arrepio
nos beijos, a paixão.

Sentimento de magia
eu observo...
ela desfila, sempre
na minha inspiração.
 
Coração Sedutor!

Tolo Amor!

 
Era preciso... foi o ensaio
da alma
prometido
pelo ego da incerteza
linha de acesso... escura... turva
sem clareza
visões daquele único olhar
até... sombrio, sem coragem
retina que falhava
quando na verdade
deveria piscar....
para o sol... vida de calor
aos corpos vencidos, sem atitudes
para encarar
que... a paixão era o norte
que o vento foi mais forte
e afastou... o pouco que
se desfez de muito
dois injustos à reclamar
do amor cego... perdeu o privilégio
hoje...lenda, mistério
miragem fora do alcance
alto e profundo
verbo regado amar...
sem maresia
foi o preço que escolheu pagar.
 
Tolo Amor!

Poesia!

 
Poesia é... ouvir da própria vida, razões distorcidas
Poesia, som que acalenta a alma... faz rir, chorar, chegadas e partidas.
Poesia, sentimento, acordes de magia, breve tom... harmonia.
Poesia... dias de glória, traçando a história ou noites de agonia.
Poesia em fatos difíceis, os melhores ainda existem, acreditar é a saída.
Poesia que fuga para o horizonte, eleva força, coragem ao semblante.
Poesia de retina... brilhante, observando maneiras, jeitos cativantes.
Poesia que procura solução, indagando o coração.
Poesia... em ritmo acelerado, compasso do ser voluntário, desconhecido até então.
Poesia do sim... às vezes negação.
Poesia de origem cotidiana, segredos da mente insana, almejando evolução.
Poesia... ordem e progresso, abraços sinceros, martelo regido pela ambição.
Poesia, requer sintonia, música presente... de grego ou simples opinião.
Poesia que manifesta, desejos secretos no olhar do cidadão.
Poesia... gente da gente, irmãos de sangue, separados pela falta de visão.
Poesia límpida, transparente... que demonstra a verdade.
Poesia, entendimento, entre o tempo... lágrimas as vento, total sinceridade.
Poesia, arte milenar, todos precisam, refletir, observar.
Poesia olhar para si, sem medo de cair... ousar, amar.
Poesia grãos de areia, ondas que voltam ao mar, direito de sonhar.
Poesia... madrugadas frias, aquecidas, quando aquele alguém, no seu pensamento está.
Poesia... rotina, ditando regras... sina, dobrando esquinas, surpresa se encontrar.
Poesia, auto-conhecimento... você pare, pense, se reconheça.
Poesia é vida, nua e crua, lembre-se disso... tenha certeza.
 
Poesia!

Espelho do tempo.

 
Corra sobre os lençóis azuis, vermelhos
vendo seu reflexo no espelho
sorrindo pra vida
esperando o dia surgir.
Assim, o pensamento
brilhará na luz do amanhã
aguardando o por-do-sol
juntos, iremos sair.
Além da escuridão
nosso amor moverá o tempo
de mãos dadas
iremos seguir.
Passando por tudo
não esqueça
estaremos aqui...
unidos sem desistir.
 
Espelho do tempo.

Acontecer...

 
Tudo pode... em qualquer lugar
viagem sem destino
olhar, beijo... carinho
flocos de neve... em alto mar
pele macia...
orvalho da madrugada
sonhos de conquista
arrepios na espinha...
novo dia... alvorada
... aqueles clarinetes
soando... ecoando
melodia ao vento
som alegre... diferente
embalando desejos... firmes
ousadia para alguns...
o mundo acontece
e todos sabem, querem o mesmo
o único... sentimento em comum
amor... amor... amor!
 
Acontecer...

Tolo Amor!

 
Era preciso... foi o ensaio
da alma
prometido
pelo ego da incerteza
linha de acesso... escura... turva
sem clareza
visões daquele único olhar
até... sombrio, sem coragem
retina que falhava
quando na verdade
deveria piscar....
para o sol... vida de calor
aos corpos vencidos, sem atitudes
para encarar
que... a paixão era o norte
que o vento foi mais forte
e afastou... o pouco que
se desfez de muito
dois injustos à reclamar
do amor cego... perdeu o privilégio
hoje...lenda, mistério
miragem fora do alcance
alto e profundo
verbo regado amar...
sem maresia
foi o preço que escolheu pagar.
 
Tolo Amor!

Sedutora!

 
Sedutora ao extremo
sem pudor... destemida
pele lisa de indecência
eu... provaria do teu tempero
gosto de malicia, trejeitos
cobiças da carne...
envaidecidos, dois trêmulos
quando o veneno do prazer
transpirar...
o ardor da alma
os amantes irão desfrutar
sem regras, sem receios
... sedutora do outrora
desconhecida
hoje, linda, fascinante
pretty woman, vestido vermelho.
 
Sedutora!

No mais!

 
Chão esse salpicado em pó
branco... riscado
pelos passos do amor
compasso... que não vai
embora
foi a nocaute
beijou a lona... devaneio de um colibri
camisa de força... cor de giz
pano de confete
acorrentado no calcanhar
preso no beijo de um batom
enfim...
de nós apenas
violetas pra sempre
sem explicação
carnaval... no mais
quem sabe
seremos assunto popular
no mais...
outra vez
ficaremos assim.
 
No mais!

Chuva de Saudade.

 
Essa chuva, será confidente
tantos devaneios, tantas tormentas
levando pela enxurrada...
meu maior presente.
O olhar de costume
cabelo ao vento... com volume
sentimento, hoje meu
até ontem... da gente!
Esse som, regado em lágrimas
o brilho reluzente
a fé que eu tenho
na alma dela...
Será eterna... pra sempre!
 
Chuva de Saudade.

vai navegar.

 
... e tão só... o amor eterno
carimba passaporte
para felicidade
viagem sem volta
partiu, rumou...
o destino enfim encontrou
duas almas
um par...
dois olhares
focando única direção
paixão, desejo...
rota de sossego
almejando bem-estar
lugar... infinito
retinas de muito
brilho...
magia se fez
melodia
iluminou
pulsou...
coração feito navio
ancorou... marcou
e vai navegar!
 
vai navegar.

Profundo!

 
Profundo é...
imaginar um céu azul
no obscuro submundo
nuvens de algodão
desenhando formas...
contornando o mundo
da ilusão
aquele eco... no horizonte
desconhecido
soando em coro perdido
as vozes vagando...
notas sem reflexo
mudas, sem refrão
música nos quatro cantos
concertos de um infinito...
versos e rimas... caindo no abismo
buraco na alma
caminhando em espinhos
os acordes do coração!
 
Profundo!

Fato.

 
Somente palavras... um fato inesperado
calor... antes amigos, hoje... fogo
olhares... mirantes ao sol
apaixonados.
Sentimento esse... desconhecido
vozes de um canto límpido
jamais ouvido... melodia de agora
som de um beijo inesquecível.
Desejos... entre toques
a sedução
o regalo, a vontade... volúpia
erupção.
Surgiu... bem-vindo
novo amor de um destino
abraços e sorrisos
lenda eterna... doce magia, tentação.
 
Fato.

Assim do seu jeito... perfeita.

 
Ela ..dança, requebra, movimenta o tablado
desliza, afrodisíaca, veneno..pecado.
Vestido vermelho..flamejante
ardida em chamas..hipnotizante.
Ela..gira, se mexe, pingente ao pescoço
invade, suspira..na boca, colosso.
Se pinta..difícil..solicitada
deseja o calor
junto ao corpo
corrimão da escada
apoiada.
Ela..não pensa, nada diz..age a pleno instinto
provoca a pele...queima, sugere
se rende, se atende
ao próprio domínio.
Perfume..ousadia
ri, sorri, tripudia
perigosa...inconsequente.
Inegavelmente..sedutora
no orvalho da madrugada
sem saltos..sem nada
descansa os olhos, aliviada.
Adormece, sonha..respira
exala..transpira.
Ela.
 
Assim do seu jeito... perfeita.

Amor... Amar!

 
... e a chuva cai, mas o tempo
não pode parar
é dever da alma... sempre
acreditar no infinito das possibilidades
tendo como essencial, o privilégio
do amor... e de amar!
 
Amor... Amar!

Conquista.

 
Leia até o final. Pois, as pérolas sempre estarão no fundo do mar!

Qual seria o segredo da conquista? O medo de ouvir um sonoro não, talvez. Não existem regras exatas e tampouco roteiros a cumprir. A OUSADIA SADIA de momento, acompanhada de total sinceridade, acredito que seja o melhor procedimento. Quebrar as regras, ou partir corações? O correto é: tornar-se chamativo com delicadeza, elogios cabíveis... e quando a alma dela sorrir, você saberá. A mesmice tomou conta das iniciativas? Visto de um modo amplo, afirmo que sim. Mas o que estaria faltando? A SURPRESA seria uma alternativa, um convite, um oficial pedido de compromisso. SIM. É este o sim que a parte interessada quer ouvir. Portanto, demonstrar o sentimento com dignidade e simplicidade no olhar, sem receios. Afinal se ela é importante, é possível torna-lá satisfeita e honrada quando a CONQUISTA obter espaço para acontecer.
" SE QUERES RECEBER AMOR E SER AMADO, AME INFINITAMENTE O QUE LHE CATIVAS."
 
Conquista.

Poesia de bar.

 
Assim... bem boemia
gargalhada de um lado
choro, lamento... agonia
reflexos da vida... exposta
na mesa, num balcão de bar
assuntos de rotina
simples... pura, nua e crua
poesia de bar
olha lá, cerveja gelada
galera agitada, na tela
a jogada...
é gol... torcida eufórica
exagerada
garçom se agita, bebida favorita
palmas... passou a moça
bonita
assobios da massa, sem parar
está valendo... poesia de bar
bilhete em guarda-napo
recado indo... voltando
intuito confirmado
chamei... a melodia
é esse som aprimorar
retina mirante no copo
turma brindando
a caipira... poesia de bar!
 
Poesia de bar.