Poemas, frases e mensagens de Monstro-daslágrimas

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de Monstro-daslágrimas

Gosto muito de ti ...

 
 
Faço descer as estrelas
Para adocicar o teu olhar
Desenhando nelas um trevo
Dando a entender
Que te quero amar…

Mas sei, que é um esforço inusitado
Pois sou rochedo e tu és mar
És sereia sendo eu o camelo
És sonho sendo eu o pesadelo ….

Resta ficar, esperando, o bailar dos teus passos…
Mesmo que o teu par seja outro
Ficarei imaginando
Como seria
Se estivesse no seu lugar…!

Para finalizar, poderia dizer-te, que és um perfume raro sem a necessidade de frasco, ou que és uma andorinha que faz o seu ninho num palácio …

Prefiro dizer-te, que és o sonho mais desejado …nos espaços vazios do querer bem …no existir do meu ser e em tudo o que faço …
 
Gosto muito de ti ...

Não trago lenço só os braços de um abraço…

 
Não trago lenço só os braços de um abraço…
 
Destapo o mar mais sagrado em teu peito
Desapropriando as antiguidades de amor
Que ocupam teu coração ,
Desarrumado e sem espaço…
Com a gentileza verdadeira de um amigo
Que te quer escutar,
Com olhar,
Os teus sorrisos….

Ver com ouvido
As falas mais perras …
- Aquelas que substituíam as torneiras dos olhos …
Por espelharem a linguagem mais íntima
Por deixarem ao relento
Os sentimentos desaprendidos….

Não tenhas medo,
Posso parecer transparente e sólido
Mas não sou nenhum rochedo de gelo …
Sou monstro com um espelho, que tenta mostrar-te ,
Como és bela …
No colar das tuas sardas …
No lugar das palavras …
Onde orbitam dois tesouros
Que um dia serão testemunhos
Dos sonhos …
.........................
Adultos ….
 
Não trago lenço só os braços de um abraço…

Outono maroto ...

 
Outono maroto ...
 
Pobre árvore !
Já não é sombrinha das tardes,
Nem o auditório dos pássaros
Agora resolveu ser desavergonhada,
Anda de tronco nu e de ramos ao léu…

Quem a vê do céu fica com o bico caído…

Há quem diga que ela tem um caso com o vento…
E eu sou testemunha disso,
Pois no outro dia só ouvia ele gemendo
Enquanto a despia galho a galho ….

Ela a mim não me engana ,
O vento não soa assim na minha janela …
E não me e abana daquela forma
Quando vou sozinha de bicicleta …

Ela diz que é só ventania
Nem amizade é
Muito menos sentimento….

Mas quem é que acredita …?

Quem é que acredita
Que a folhagem da sua roupa despida,
Serve para proteger do tempo
O que de mais valioso tem na vida,
As raízes do seu corpo…!?
 
Outono maroto ...

O coração busca a perfeição no teu sorriso …

 
O coração busca a perfeição no teu sorriso …
 
Os barulhos mudos, fazem sangrar a calma a alma ….

E vão sobrando tantas palavras por viver
No amanhecer do teu ombro …
No colo do teu ser…
Que chegam a doer
Por não terem espaço nem tempo para crescerem…
No pátio das nossas horas …

Meu Deus, se os teus sonhos fossem nascentes ….,
Antecipava-me ao descer das suas águas desviando todos os obstáculos até ao mar …

Mesmo sabendo, que ao tocarem no azul mais carregado nunca mais reflectiriam a tua felicidade no meu olhar…

Mesmo assim te amo sem saber explicar as ausências nem os silêncios …só sei explicar, que a tua infelicidade é o que tenho de mais imperfeito no peito…

Quando somos inócuos no coração
Até os traços de avião nos fazem lembrar
Uma viagem no alvoroço do teu cabelo
De morango cheiro …

[Deixei aqui esta estrofe fora de rota para te fazer sorrir … ]
 
O coração busca a perfeição no teu sorriso …

Somos tão pequenos num abraço e tão grandes na saudade …

 
Somos tão pequenos num abraço e tão grandes na saudade …
 
 
A saudade relembra o sonho
De te acordar com um sorriso no olhar …
E um beijo do tamanho do mar
Ondulado no teu rosto
De sereia menina …
De marinheira do luar …

A saudade
Reabilita o coração gigante,
Sem espaço
Apertado pelo silêncio
Desajustado
Pela timidez de te amar…
É assim o meu peito obeso de carinho …
Guardando todas as promessas
Todas as remessas do íntimo
Destinadas a um só lugar …a um espaço que pertence a um abraço… Nosso …. Só nosso …

Um abraço forte resiste a uma derrocada até mesmo á morte …a imortalidade de um abraço choca e nos comove …

Fotografia tirada por Taslima Akhter…

Vídeo realizado com imagens do Google e musica da banda sonora do filme “A Troca”
 
Somos tão pequenos num abraço e tão grandes na saudade …

Os sonhos nanam no Olimpo do teu íntimo ….

 
 
Se tivesse o dom de ondular as lágrimas
Faria das tuas, um Mar
Tão lindo como o teu olhar
Onde a sua costa detivesse os contornos dactilografados
pela orla do teus olhos,
docilmente salgados…

Como não tenho nenhuma aptidão, insisto em escrever, palavras que possam fazer sentido no céu ou no teu coração …sei que lá existe o mais extremoso dos paraísos em comunhão …
 
Os sonhos nanam no Olimpo do teu íntimo ….

Observando a mãe Fernanda e o filho Francisco…

 
 
Imitar os dedos com o mesmo toque
Redescobrindo a intimidade da pele
Nos pormenores
Fechando os olhos
Escutando aquela musica que só toca em vós
No silêncio separado do tempo
Foi assim que vos vi a acordar hoje
Ele tentando ser o mesmo anjo que tu
Quando o acolhes
No colo…
Nos braços …
Nos olhos…
Nos ombros…
Nos lábios…

E fico
Assim
Dentro de um choro intenso
Me sentindo tão incompleto
Por não sentir, esse amor idêntico de mãe …
Mesmo estando tão perto …
 
Observando a mãe Fernanda e o filho Francisco…

Naufrágio de sonho nas tuas mãos …

 
 
Chega de palavras naufragadas no nosso coração ….
Vamos dar as mãos …
Sem pensarmos nas paginas borradas pela solidão

Vamos de mãos dadas
Para lá das margens de um livro
alagado de ilusão …

Para lá das portas
entre abertas
de uma composição
sem solo

Para lá dos monólogos da escrita …
[ poemas sem cheiros
sem persianas
sem vida …]

Vamos até onde o amor nos alcançar
Sem as teclas de um falso piano …
Sem a tela azul que fica sempre preta quando se apaga a luz…
Sem o espaço infinito que separa os nossos olhos da boca …

Vamos…?
 
Naufrágio  de sonho  nas tuas mãos …

Só ficou o Outono das lágrimas …

 
Só ficou o Outono das lágrimas …
 
Quando os teus olhos se fecharam para sempre,

O céu se afastou para longe ….

As lágrimas engoliram o escuro da noite,

Tornando-se mais rápidas e mais pesadas,

Até deixarem de gritar no exterior da gente …

Povoando imensamente o sangue …

Deixando o sorriso de luto,

No granizo do rosto…

No desgosto de amar…
 
Só ficou o Outono das lágrimas …

Não mudes a cor dos meus olhos verdes... sem ti, são negros como a noite …

 
 
Desejo que vivas um amor assim …

Onde a pureza nítida de amar encontra o lugar mais especial no teu coração …

Onde cada gesto de ternura seja imensamente raro, tornando os instantes inesquecíveis de amar, numa bonita canção para viveres e recordares …

Mesmo não te podendo amar, desejo que encontres um amor igual o maior que o meu …

Digo-te que te amo , soluçando as lagrimas que já chegam ao peito em forma de recado …

Resta me apenas deixar-te um poema:

Ponderas os teus passos, mas a tua sensibilidade te leva a lugares mágicos …

Onde um simples mortal vê uma pedra, os teus olhos de fé, vem um conjunto de arestas com múltiplas possibilidades de criar arte...

Como gostaria de te mostrar que o lugar mais seguro para se estar é o coração do teu amor …seja ele quem for, desde que te abrigue e nutra com autenticidade e lealdade a ternura de uma vida a dois, fazendo-te sorrir nas horas mais chuvosas, te regando de caricias nos dias de sol…

Se nesta vida tens a possibilidade de coleccionar muitas coisas, o que de mais valioso podes coleccionar, são os tesouros sem preço, a família, o afecto de pai e de mãe, a sinceridade de um amigo… a cumplicidade da natureza …

Não desistas da tua felicidade, mesmo por vezes a sintas tão distante …

É uma bênção divina saber que existes …

No trajecto do amor
Não existe atalhos
Logo, não há necessidade
De desviar
O olhar do sentimento…
 
Não mudes a cor dos meus olhos verdes... sem ti,  são negros como a noite  …

No lugar das acácias e dos novelos de folhas, restam as canções…

 
No lugar das acácias e dos novelos de folhas, restam as canções…
 
Se fores flor, não te prometo ser rio ou fonte, apenas que desvio em tua direcção, o regadio do meu coração …

Se fores árvore com braços roçando o mar, te prometo ser brisa que afasta o sal dos teus lábios…

Se fores folha curvada para dentro, prometo ser lenço que enxuga e protege as lágrimas do tempo ….

Se fores mulher com raízes por dentro, prometo ser jardim com nascente entre os dedos…

Se fores universo eu prometo ser infinito definido nos teus olhos…

Se fores Deus eu prometo ser céu …

Se fores Inferno eu prometo ser o ilhéu dos teus sonhos...

Um poema dentro do poema ….

Há estrelas calçando o 44 …

Oh doce anjo, o que procuras?

Será a sensibilidade mais rara, a palavra mais profunda, a alma mais bela…?!

Por que procuras a estrela mais brilhante, se seu brilho é apenas o rasto perfumado do seu declínio ….?!

Olha para baixo, não vês que é na terra que existe o que há de mais especial e belo …

Queres ver?

Espera um pouco, vou buscar um espelho…

Não encontrei, mas trouxe o teu filho …
 
No lugar das acácias e dos novelos de folhas, restam as canções…

Quero ser fuga sem pedir …

 
 
Quero ser fuga sem pedir …

Voar

Galopando com olhar
O azul de qualquer lugar

Um lugar
Onde a solidão não seja fria
Como estas paredes
Que acolhem o inverno.
Das horas vazias

Quero sair...

Correr...

Mergulhar
Sem mar
No esquecimento

Chorar gritando
O que não pode acontecer…
Tu e eu
Morando
No mesmo lar…
 
Quero ser fuga sem pedir …

Dentro do peito...despindo a noite com o olhar…

 
 
A única roupa que vestes depois das lágrimas
É os poros da minha pele
Quando nos tornamos mais fortes
Despindo a alma
Sem a omissão dos braços ….

Mesmo despida diante do meu olhar
O que encontro de pornográfico
São as tuas lágrimas em meus lábios
Chorando palavras tão virgens e velhinhas
Depois de eternizarem a solidão
Sem respirarem
Na tua língua ….
A paixão de amar…
 
Dentro do peito...despindo a noite com o olhar…

Se tolerasse as asas nos ombros, voaria até ao coração teu … agora que dormes ou quando pranteias na solidão …

 
 
Escondo-me na tua arte de “poetar” como quem se esconde no gigantesco amontoado de ternura,

Que sobe a solidão cheia de silêncios escamosos

Na direcção do teu coração …[aquela estrela que brilha no teu peito de cor púrpura, própria das safiras puras e dos diamantes da emoção …]

Subindo…

Chorando nas palavras
A tua chuva
Aquela que baloiça os casulos do céu
A que desnuda as folha desmaiadas no chão
A que se debruça nas janelas da comoção
A que é socorrida pelas mãos
Sobrando a tristeza salobra
Da alma em saturação …
Nas suas linhas …

Mas nenhuma raiz suporta a mágoa do mar, nem que seja as dos teus olhos …por te ver a chorar…

Talvez esteja errado, pois os anjos como tu, choram nuvens, não choram lágrimas como as minhas …
 
Se tolerasse as asas nos ombros, voaria até ao coração teu … agora que dormes ou quando pranteias na solidão …

Poema dedicado à melhor poetisa

 
Poema dedicado à melhor poetisa
 
 
As asas fazem tanta falta como as pétalas do teu ser …

Quantos de nós, estamos presos,
Rodeados de grades transparentes
Mais fortes que o aço,
Só porque não podemos amar …
Tocar as estrelas com os lábios… emprestados pelo ser amado …

Sinto te assim…
Sinto me assim …
Sinto que Choras neste momento,
Apesar das cicatrizes estarem cicatrizadas há muito,
Dói demasiado não podermos voar,
Lado a lado ao encontro dos nossos íntimos…

Só nos basta Gritar,
Forte,
De fora para dentro: …
E dizer bem alto:

Um dia vou-te encontrar…
Seja nesta vida ou na outra…
Seja como pessoa ou como pó estelar …
Mas um dia vamo-nos encontrar…
 
Poema dedicado à melhor poetisa

O que fazer com um sonho … do tamanho do sempre …?

 
 
O que fazer, se o coração escancarado,
Jorra um amor tão imenso
Que daria para encher todos os espaços
Negros
Entre as estrelas…
Menos no átrio do teu peito,
Menina pássaro de mil cores …de mil açucenas!?

Vou te deixar um abraço de penas
E todo um sentimento num beijo sincero, …
Esperando que a brisa amiga,
O leve até ao teu lindo rosto…

Esta noite sonhei que subíamos as árvores à procura de um ninho para morarmos …

Éramos meninos de meio metro com uma esperança gigante, capazes de sonharmos sem qualquer obstáculo, sem qualquer inferno interior…

Quando acordei, senti esse gosto de ave que perfumam os braços na liberdade do céu e nos lábios da lua… quando sobrevoam os nossos olhos de líquida prata no relento da alma sem o desassossego das lágrimas e das suas chuvas …

Fiquei então com a convicção que ainda há espaço para mudarmos a beleza dos nossos actos ….deixando que o coração seja o porta-estandarte do nossos passos …

E Talvez assim, possamos deixar de ser espremedores de íntimos, sendo o contrário …saciando os outro com o nosso melhor …
 
O que fazer com um sonho … do tamanho do sempre …?

Quando voltas?

 
 
Deixastes os olhos órfãos de mar
E corações sem o azul do chão…
Separando da areia o sal molhado
Convertendo o luso poemas
Num naufrágio infernal …
Sem o teu legado das marés…
Sem o Astrolábio dos teus vocábulos …

Onde andas tu, Poeta, das ondas “maestras “ …?
Não vez que deixaste os barcos sem mastros …
E as nossas vistas sesgas sem as tuas letras " marinheiras "
E a esperança desfeita no vazio do cais
No dia que embarcaste sem o nosso sustento do coração …

Quando voltas?
E trazes contigo o verde-mar nos dedos….
Semeando gota a gota
O som,
A brisa,
A espuma …Num poema,
Aproximando dos oceanos as Letras
Como búzio no deserto
Como telescópio das estrelas….

Por favor Ricardo, volta… estamos cheios de saudade, esperando a embarcação da tua mais bela poesia… como gaivotas, que esperam a varina bondosa que as trata como filhas alimentando-as…
 
Quando voltas?

Quando me torno chuva caiando em ti …deixo de espelhar a tua alegria …

 
 
Envelhece-me com o teu sorriso…
…pois quero ter as rugas juvenis da felicidade tua …

Deixa-me colidir com o teu riso…
…pois quero ter os lábios largos esticados de flâmulas …

Deixa-me ficar, quando a tua boca se fechar…
…pois quero descoroçoar no teu silêncio …

Inventa-me sempre que precisares…
…pois não aguento ver te a adivinhar-me no descontentamento…

E voa quando for tempestade no teu olhar…
não te quero molhar com as minhas gotas….nem ser chuva parada
de mar
nas tuas asas…

Nem pesar nas pétalas do teu ombro,
só se for sonho.
só se for arrepio morno
derramando no pescoço,
a cor dos lábios …
a saliva dos olhos…
 
Quando me torno chuva caiando em ti …deixo de espelhar a tua alegria …

O teu amor não se apaga, é estrela no meu peito que não se cala de brilho …

 
O teu amor não se apaga, é estrela no meu peito que não se cala de brilho …
 
São tantos vínculos que carpiram a alma

Desde o cheiro a rio findo que acompanha a manhã recém-casada

Desde os acordes da lembrança que surgem na rádio renascença

Desde todo um império que outrora enchia os sonhos vivos dos dias …

Com o tempo desaprendemos a contemplação das coisas simples

Abandonamos a sementeira do amor

Nos resignamos a esta vida de formigas vaidosas, correndo de forma egoísta atrás de um sentido valido para nossa existência...

Até que a solidão invade os nossos formigueiros, e nos obriga a olhar um pouco mais acima dos nossos umbigos …

E chegamos à conclusão, que o nosso coração não deixa de ser céu, mesmo que tenhamos silenciado o azul …

Existirá sempre algo grandioso a brilhar, lutando contra o absolutismo do escuro… nem que seja um amor perdido no caminho…nem que seja o crime da saudade cometido sem ser julgado no íntimo …do acusado …
 
O teu amor não se apaga, é estrela no meu peito que não se cala de brilho …

Acredito que o nosso amor é um oceano que dá volta ao mundo e tu… Ainda dúvidas que existe um antártico no peito e o vento solar nos dedos!?

 
 
Não bastas ficares...
Como barco
No charco ….
Sem te importares com o mar …

E não venhas dizer, que a madeira do teu costado está velha e despregada…e que os remos estão gastos… nenhuns braços negam as ondas …e qualquer corpo precisa da areia e do sal para se tornar mais mastro …a oitenta e nove palmos do casco …

Nunca será tarde …para hastear a coragem de amar …enfrentar o azul e todos os adamastores ….

O amor requer sacrifícios e vícios cupidinosos …

No amor, há quem percorra desertos porque acredita …que no próximo passo, tudo vai mudar …

Quantos recusam desvertebrar o sonho e ficam com os olhos erguidos perante o horizonte …?!

Quantos morrem
Feito árvores na rocha
Esperando a chuva chegar …?!

Quantos renascem
Recordando
Os beijos dos seus olhos …
E do seu respirar fundeados na pele …?!

Os quanto são muito poucos …

Os poucos são muito loucos
Mas só os loucos acreditam
Que podem amar
Quando o mudo cai...
 
 Acredito que o nosso amor é um oceano que dá volta ao mundo e tu… Ainda dúvidas que existe um antártico no peito e o vento solar nos dedos!?