Poemas, frases e mensagens de Auron Wintermoon

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de Auron Wintermoon

Sente o espírito dançar

 
Sente o espírito dançar
Ao ritmo da Terra a pulsar,
E na aura mais carismática
Verás a Lua plena e extática
Chamando-nos agora e aqui,
Para nos lembrar do que esquecemos.
De tudo o que negámos e perdemos
Quando virámos costas à natureza
E nos abraçámos com tanta certeza..
Nenhum animal está à parte dos demais!
Todos estão ligados à condição de mortais..
São as leis às quais todos obedecemos:
Se um dia nascemos, noutro morremos.
A Vida é preciosa e digna de respeito!
Deve ser vivida sem ódio nem preconceito,
Mas em espírito de Amor e União!
A natureza é a nossa ligação..
O nosso berço e sepultura..
O infinito sustento e fartura..
Fogo na nossa mão, água no nosso olhar,
Terra debaixo de nós, em nosso redor o ar
E dentro de nós o espírito a dançar
Ao ritmo da Terra a pulsar..

Obrigado pela recepção calorosa, meus caros luso-poetas =)
 
Sente o espírito dançar

Natureza Humana

 
Natureza viva que flúi e escorre,
Realidade abaixo morre.
Quase ateia, perdeu-se na crença
Que a Vida pouco dista de doença.
Faz sofrer e faz sorrir
Quem voa sem medo de cair
Na descrença de ser escusado
O tempo que passa disfarçado.
Constantemente inconstante
Amálgama de névoa e luz distante,
Ilusão adentro procria,
Natureza morta que vivia.

Escrito em 12-08-2006.
 
Natureza Humana

O Pequeno Sonhador

 
Desperta meu pequeno sonhador,
Acalma este coração mendigo.
Relembra-me como é o teu ardor
Pois sozinho não consigo...

Despertas e vejo o mundo
Tão diferente do que era!
Ilusão que toca bem fundo
Na alma de qualquer fera.

Despertas mas logo sucumbes à dor
Como uma flor por desabrochar.
Fecha os olhos meu pequeno sonhador
E adormece para nunca mais acordar.

Escrito em 04-06-2006.
 
O Pequeno Sonhador

Vanidade de uma Vida

 
Aqui me sento hoje neste banco de jardim,
Debaixo de um carvalho já antigo.
Espero por ti, até que apareças por fim,
Num momento que passarei somente contigo.

Tempestuosos egos anti-próprios passam silenciosos,
E eu perdido na ânsia que me leva a esperar.
Por mim passam crianças, adultos e idosos,
Enquanto olho o vazio, distante de voltar.

Aqui me sento uma vez mais, tentando a sorte,
Junto do carvalho que outrora plantei.
Espero por ti, mas pareço esperar a Morte;
Ainda não te vi, mas quando te ver, a ver-te não tornarei…

Morreria por amor mas sei que seria em vão,
Por isso vivo no ódio que isso me faz sentir!!…
Pois que o meu ódio defenda a Criação,
Já que o meu amor só sabe destruir.
 
Vanidade de uma Vida

Donzela Celta

 
Oiço a doce melodia do violino
Da minha graciosa donzela celta
De cabelo solto no meu olhar cristalino
Dançando fervorosa, ligeira e esbelta.

Toca e dança, deslumbra e encanta.
Completa-me com o seu ser.
Ouro. Muito ouro. Todo o ouro. Não adianta.
Tudo o que quero é vê-la feliz até morrer.

Para o Mundo, a minha donzela
Não passa de ilusão e loucura,
Mas é-me em tudo bela,
E vive em mim trancada sem fechadura.

Ela respira e faz-me viver.
Ela toca e dança de noite e de dia.
Vive por mim em mim sem morrer,
Porque a minha donzela é a poesia.
 
Donzela Celta

Eu sou a Lança de Ar...

 
Eu sou a Lança de Ar...
A sede impossível de saciar...
A Confiança e a Coragem...
As ilusões de um sonho selvagem...
Sou o infinito no infinitesimal,
O equinócio do humano e animal.
Sou o primeiro entre iguais
E o louco perante os demais.
Acorrentado ao desejo de Liberdade,
Beijo a Terra que encerra a dualidade
Que dentro em mim pulsa e lateja...
Sou mais do que tenho onde quer que esteja!
Um líder que não quer ser seguido,
Um guerreiro em Paz envolto e perdido,
Um eremita no seio da multidão...
Tudo é necessário mas suficiente, não!
Sou o caos criador em bruma escondido!
O desconhecido que jamais será esquecido!
Sou o Portador da Água a jorrar...
Eu sou a Lança de Ar...

Com amor e respeito, este poema é nosso P.F.
 
Eu sou a Lança de Ar...

No escuro da noite oiço o vento

 
No escuro da noite oiço o vento.
Penso sentir alguém perto de mim
E murmuro ao vazio do relento:
- Solidão, encontraste-me por fim!!!

Completou-se a minha trilogia…
Comigo estão a Lua e a solidão!
Inspiração surge para minha alegria,
E nela encontro alguma consolação.

A poesia é a brecha na minha realidade.
Por ela fujo… e torno a voltar.
Para lá dela, encontro uma liberdade
Que a minha alma não consegue suportar!

Perguntei ao vazio do relento:
- Lua, porque tenho de ser assim?!!
No escuro da noite oiço o vento,
E só o eco tornou a mim…

Escrito em 08-05-2006.
 
No escuro da noite oiço o vento

Viver

 
Nascer depressa para rápido crescer,
Muito trabalhar para nada ter e morrer.
Que vida há para viver assim?
Que resta de nós no fim?
Perfeitos corações recém-nascidos
Marcham cegos para serem partidos
Nesta definição mundial de vida
Que de vida só tem a despedida...
Ninguém nos pode ordenar!
Ninguém nos pode comandar!
A Vida foi-nos dada!
Não estamos a dever nada!
É Tempo de Viver! De ser..
De crescer... Aprender... Renascer...
Viver fugazmente em loucura
Não é o mesmo que correr para a sepultura!
Paremos para ver a Lua no céu estrelado,
Ou o Sol no seu berço dourado.
Sintamos a chuva na nossa cara,
Ou o aroma do orvalho na seara.
O mundo é simplesmente esplendoroso
E viver sem o ver é somente pesaroso...

Cumprimentos a todos do Luso-poemas =)
Hoje notei que já passaram uns bons anos desde a minha última visita e por isso decidi deixar algo para marcar este momento. Vou tentar visitar mais vezes e parar para ler uns poemas =) Um abraço a todos.
 
Viver

Ignorância e Saber

 
Como um cego ignora a mão que o conduz,
Quem é feliz na escuridão, não carece de luz.
E atira ao espelho a Juventude que escorre
Por entre os passos de uma multidão que corre.

Dizem que a mentalidade traz a sabedoria,
Mas também traz a solidão e a melancolia,
E a mesma efemeridade que traz a experiência,
Também traz a ilusão e a demência.

Momentos há em que nos procuram inocentemente.
Se os não ajudamos, não sabemos o suficiente;
Se lhes damos conselhos que não entendem,
Dizem que não percebemos o que sentem.

Dizem o que querem ouvir,
Mas não ouvem o que querem dizer!
Será assim tão difícil consentir
Que um jovem fale com saber?

Oh Lua, como suportas esta ignorância,
Há tanto tempo, com a mesma tolerância?
Admiram essa tua simples existência
Por confortar esta complexa essência
Que, aparte de ti, recaí sobre o seu ser,
Tão frágil quanto ignorante até morrer.

Escrito em 02-08-2006.
 
Ignorância e Saber

Todo o mundo se torna lindo

 
Todo o Mundo se torna lindo
Visto pelos olhos de quem ama.
E quando esse amor é infindo,
Unem-se as almas numa só chama

Que aumenta sem consumir
Os corações onde decide viver.
E arde sem nunca se extinguir,
Ou sequer enfraquecer.

A tua chama arde em mim…
Despeço-me de toda a minha dor
E abro os braços que, por fim,
Te envolverão, meu amor.
 
Todo o mundo se torna lindo

DIEM ET NOCTEM

 
Princesa que sinto desde infante.
Tristeza a meus olhos distante.
Pureza de levar o meu futuro adiante.
Incerteza de ser um eterno instante.

Alegria sinto no meu coração.
Melancolia que só conhece desilusão.
Vingança perdida na solidão.
Caminho consorte da perfeição.

Mas na verdade...

Vingança sinto no meu coração.
Alegria que só conhece desilusão.
Melancolia consorte da perfeição.
Caminho perdida na solidão.

Pureza a meus olhos distante.
Princesa de ser um eterno instante.
Tristeza que sinto desde infante.
Incerteza de levar o meu futuro adiante.

~ Noctem Lilium ~

Poema de uma amiga minha. Espero que gostem =) um abraço forte!
 
DIEM ET NOCTEM

Corre livre como o vento entre árvores e flores!
Vibra e sente a Vida como cores dentro de cores!