Poemas, frases e mensagens de Meryellen

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de Meryellen

Eu sabia!

 
Eu sabia!
 
Eu sabia!

Que se me envolvesse
Me machucaria

Se eu confiasse
Eu sofreria

Mas se eu não me entregasse?
Aos poucos eu morreria.

Imagem: Autor desconhecido
 
Eu sabia!

Some!

 
Some!
 
Não! Ah, Não!
Pegue toda essa hipocrisia e todo esse seu sarcasmo.
Some! Some! Some!
Some, para bem longe de mim
Não me contamine com todo esse veneno
Que escorre nessa boca ardilosa
Cheia de maledicências e vergonha
Tua moral corrompe a minha moral
Seus valores, são carregados nas solas dos seus pés.
Eu não te admiro! Eu não te respeito!
Você não faz mais parte do meu caminho
Tomei as rédeas da minha vida
Eu faço as minhas escolhas! Eu traço o meu destino!
Livre! Nesse imenso horizonte cheio de novos sabores
Anseios, cores e amores
Sigo assim, desfrutando de mim mesmo.
Sigo em paz.

Meryellen Rangel.

Imagem: Autor desconhecido.
 
Some!

Encantos

 
Encantos
 
O melhor dos encantos, é o desencanto com outros encantos.

Meryellen Rangel.

Autor da Imagem: Danny e Libertária.
 
Encantos

Tudo é poesia

 
Tudo é poesia
 
Tudo vira poesia

Mas, nem toda a poesia
é bela e colorida.

Em sua grande maioria,
é árdua e sofrida.

Meryellen Rangel

Autor da imagem: Desconhecido
Edição de Imagem: Meryellen Rangel.
 
Tudo é poesia

Reflexos

 
Reflexos
 
Deparei-me com o reflexo de mim mesma

Observei cada detalhe do meu interior

Quando dei por mim,
minha visão nunca mais foi mesma.

Hoje, transbordo de amor

Meryellen Rangel

Autor da imagem: desconhecido.
 
Reflexos

Paz de espírito

 
Paz de espírito
 
Vinda a madrugada
Calada e serena,
Me acompanhar
Meu espírito
Agora harmonioso
Inspirado e matuto
A devanear
Fragmentos de mim
Perdidos
se encontram
Transformam
Renovam
O brilho no olhar
Minha alma
Agora elevada
Me indicam as trilhas
Que devo traçar.

Meryellen Rangel.

Imagem: Autor desconhecido.
 
Paz de espírito

MEU PRIMEIRO AMOR- PRIMEIRO BEIJO

 
MEU PRIMEIRO AMOR- PRIMEIRO BEIJO
 
Foi na casa de uma grande amiga
Mas eu o conhecia, desde pequenina
Não tinha maldade e nenhuma malícia
Ele era o irmão da minha melhor amiga

Ele bem mais velho, tomou a iniciativa
Me fascinou e me chamou de linda
Mas como eu era mais nova e muito tímida
A minha coragem só surgiu, brincando de salada mista

Pêra ninguém tirava, as mocinhas eram as mais assanhadas
Era tudo combinado, entre os meninos e as meninas
Ninguém flertava o outro par, escolhido pela amiga
É esse? Não. É esse? É. Era a brincadeira mais divertida

Com vergonha do primeiro beijo, a uva foi a fruta escolhida
Ele me abraçou e eu fui ficando, mais desinibida
Fiquei tão ansiosa pro beijo, que deixei a maçã para as outras meninas
E o beijei pela primeira vez , porque escolhi salada mista

Em todas as festas ficávamos juntinhos
Trocando, olhares, abraços e beijinhos
E assim ficamos, namorando escondidos
Éramos adolescente e esse era só o início

Com o passar do tempo, conheci outros amores
Um novo brilho no olhar e outros bons sabores
Entre sapos e príncipes, muitas vezes me apaixonei
Mas o primeiro amor. Ah, esse, jamais esquecerei

Meryellen Rangel.

Autor da Imagem: Desconhecido.
 
MEU PRIMEIRO AMOR- PRIMEIRO BEIJO

Brisa Leve.

 
Brisa Leve.
 
Brisa leve, leve-me
Leve- me sem destino
Deixe que o meus cabelos soltos
Me apontem a direção
Sem rumo, sem destino
simplesmente leve-me

Meryellen Rangel.

Autor da imagem: desconhecido
 
Brisa Leve.

NÃO PROCRIE, A HUMANIDADE AGRADECE

 
NÃO PROCRIE, A HUMANIDADE AGRADECE
 
Filhos do meio
Filhos das “selfies” de um fim de semana
Filhos de quinze em quinze dias
Filhos bastardos de pais vivos
Filhos de pais de um futuro próximo
Filhos do tempo e do medo
Filhos do próprio destino e desamor
Filhos da sede, da fome e do sono
Filhos das esquinas e de roupas maltrapilhas
Filhos da ignorância e da hipocrisia
Filhos do abandono de todos os dias
Filhos e irmãos de um legado sem fim
Pais desses filhos: Não mais procrie!
A humanidade agradece

Meryellen Rangel.
Autor da imagem: Ródi.
 
NÃO PROCRIE, A HUMANIDADE AGRADECE

Desembaraço

 
Desembaraço
 
Quero me descabelar em seus braços

seus pêlos emaranhados em meus laços

suas mãos puxando meus cabelos

e sua boca, desvendando o meu corpo inteiro

Meryellen Rangel.

Autor da Imagem: Celia di Oliveira.
 
Desembaraço

Beije-me

 
Beije-me
 
Beije-me demoradamente
com esses seus lábios de mel
Adoce todo o meu paladar
Vasculhe todas as estrelas do meu céu

Somente os seus beijos
Arrepia a minha pele
Me causa delírios e calafrios
Entorpece os meus sentidos

Então, beije-me demoradamente
Faça o meu coração palpitar
Até que eu sinta “borboletas na barriga”
E tudo em nossa volta desaparecerá

Beije-me com sede e fome
Me escraviza em seu bel-prazer
Me tome enlouquecidamente
Eu me entrego somente à você.

Meryellen Rangel.

Imagem: Autor desconhecido.
 
Beije-me

Já não sou a mesma

 
Já não sou a mesma
 
À cada dia
À cada momento
À cada experiência
À cada sensação nova
À cada amor
À cada desembaraço
À cada decepção
À cada recomeço

Eu sinto, que sou diferente
Que não sou a mesma
Que não continuo na mesma
Mas, sou sempre a mesma.
Apaixono-me e desapaixono-me
E a única paixão que continua a me mover
E´a que eu sinto por mim mesma.

Meryellen Rangel.

Autor da Imagem: desconhecido
 
Já não sou a mesma

Êxtase.

 
Vou te contar um segredo
Meu coração estava tão gelado
quanto os dias e noites no Ártico

E assim de repente com o sol surgindo
meu corpo foi esquentando
esse calor penetrando e me consumindo

Meu corpo se encheu de desejo,
lembrando do cheiro, abraço e o beijo
das palavras saindo pelos olhares
da boca molhada de tanto anseio

A respiração ofegante parecia um vendaval nos ouvidos
A pele arrepiada me invade de calafrios
sensação sem muita explicação
que me tortura e me alucina de tesão.

Meryellen Rangel
 
Êxtase.

Anseios

 
Anseios
 
Homens dos meus sonhos?
Nem mesmo em histórias de romance

Homens sinceros?
Nem mesmo no mundo que quero

Homens de fé?
Nem mesmo aquele que quer

Homens de paz?
Jaz

Meryellen Rangel.

Imagem: Autor desconhecido.
 
Anseios

Seu olhar

 
Seu olhar
 
Sinto-me em perfeita quietação e serenidade

Confortada apenas com um olhar

De uma intensidade avassaladora

À desvendar-me por inteiro, morosamente

Em instantes sem fim e continuadamente

Meus pensamentos voam de encontro aos seus

Sem presumir, sem nem mesmo perceber

Você faz parte de mim

Paulatinamente, você me invade

E já faz parte do meu universo particular

Um lugar onde poucos conhecem

Um cantinho reservado para almas reconhecidas

Cheio de anseios, cores, amores e paz

Seja Bem vindo

Meryellen Rangel

Autor da Imagem: desconhecido
 
Seu olhar

A voz que não cala

 
A voz que não cala
 
Escrever é superar
Transpor aquilo que a voz não fala
Desatar o nó da goela
Expressar, perpetuar
Embriagar-se de si mesmo
Compartilhar emoções
Palavras belas e sinceras
Protestar e inquietar
Suas tristezas e lamúrias
Frustrações e angústias
Viajar e não sair do lugar
Criar, inovar
Renascer em versos e prosas
Construir e desconstruir
Conhecer-se e desconhecer-se
Descobrir, imaginar
Sonhar, concretizar
Uma busca incansável e interminável
De novos horizontes, sabores
Amores e desamores
A busca interior exteriorizada
Uma “voz” que não se cala,
Talvez, cala-te.

Meryellen Rangel.

Imagem: Autor desconhecido
 
A voz que não cala

CÁLICE DE PRAZER

 
CÁLICE DE PRAZER
 
Nesses lábios carnudos
Macios e molhados
Embebedo-me e me embriago
Sorvendo cada gota de prazer

Delírios instantâneos
Espasmos e orgasmos estonteantes
Lambuzados e sincronizados
Sorvidos em seu bel-prazer

Sorvo-te ardentemente
Seu gozo e seu gosto
Em minha boca apurada
Sendo sorvida por você

Meryellen Rangel.

Imagem: Autor desconhecido.
 
CÁLICE DE PRAZER

Palavras

 
Palavras
 
Palavras me fogem
e ao mesmo tempo me encontram.

Será que se houvesse uma regra para usá-las,
seria mais interessante,ou mais conveniente?

Será que se só falássemos palavras belas e acolhedoras
resolveríamos todo o problema do mundo?

Não, não resolveríamos.

censurar não irá curar o mundo.

A cura está justamente, na liberdade de nos expressarmos.

E é isso que nos alimenta a alma.

Porque não vivemos só de amores e alegrias
vivemos também, com pensamentos intensos de dor

E poder externar todos os nossos sentimentos,
é revigorante, é libertador.

Meryellen Rangel.

Autor da Imagem: desconhecido.
 
Palavras

Eu me trago

 
Eu me trago
 
Em cada trago, eu me trago
Lembro- me, que você me deixou em pedaços
Me refiz de trago em trago
Mesmo com toda a dependência desse trago
Eu ainda prefiro o cigarro!
 
Eu me trago

Não sei o que quero

 
Não sei  o que quero
 
Não sei o que quero
Sei o que eu não quero

Não, eu não quero
Sonhos roubados
Abraços partidos
Olhares vazios
Falsos sorrisos

Não, eu não quero
Beijo sem graça
Corpo sem alma
Euforia contida
Tédio e melancolia

Não, eu não quero
Qualquer desventura
Toda amargura
Viver sem aventuras
Não ter formosura

Não sei o que quero
Sei o que eu não quero
Não, eu não quero

Meryellen Rangel.

Imagem: Autor desconhecido.
 
Não sei  o que quero

Meryellen Rangel.