Poemas, frases e mensagens de Campos Swahilly

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de Campos Swahilly

A Era da Futilidade

 
A Era da Futilidade
 
...Parece que já não vivemos na Era da Prosperidade, sim a afirmação pode parecer um contra-senso, até porque o homem já chegou a lua, o mundo tornou-se uma Aldeia Global, surgiu a ONU, a mortalidade infantil diminui…. Mas será que nos importamos realmente com os outros?

…Infelizmente vivemos lado a lado com estas realidades, as pessoas acostumaram-se a não ver certas realidades por se tornarem incómodas e por pensarem que nada tem a ver com elas, olhando para a humanidade como se ela estivesse dividida em partes, e que essas partes não mais nos interessassem.... A verdade é que a humanidade é como um pássaro em que as asas representam, eu e tu...se eu não me importar com o outro (tu) a humanidade está condenada, não voa...

A ideia da divulgação destas imagens é mesmo…., o de lembrar que os outros também existem, o de fazer com que certas pessoas acordem da futilidade de vida que tem levado!

É claro que há muita gente que quer fazer alguma coisa para mudar estas imagens só que não tem como, por outro lado estão aqueles que se acomodaram a viver na Era da Futilidade!

Parece que as pessoas não percebem ou não querem ver que...
Da mesma forma que fazemos um projecto de vida, como tirar um curso superior, casar e ter um filho!
Da mesma forma que decidimos guardar dinheiro para comprar um carro, para comprar um computador...
Por que não investir no futuro dessas crianças, como se estivéssemos a investir em qualquer projecto de nossa vida? Por quê? Será que somos assim tão egoístas?
Como seres humanos vamos apadrinhar estas gerações, ou podemos condená-los ao eterno ciclo (analfabetismo - desemprego, pobreza, conflitos).
Nós estamos ajudando a nós mesmos!

Existem sítios onde se come porque se tem apetite,e existem sítios onde se come porque se tem fome!

Existem sítios onde já não se quer a qualidade de vida, mas sim paz!

E há quem diga que isto vai continuar sempre assim?!....
Não! Realidades como estas nunca foram, nem nunca serão estruturais, como partes integrantes das nossas vidas! O problema sempre foi cada um de nós mesmos…

Amanhã não nos queixemos se o Pablo na Colômbia torna-se num líder narcotráfico,
Se o Lhetinka no Uganda tornar-se num líder corrupto, se o Yhun em Camboja tornar-se num líder que nunca respeita os direitos universais do Homem, se a kathleen trabalha como escrava sexual na Tailândia... e se um menino qualquer tornou-se numa criança soldado!...

Não nos queixemos, porque eu e tu poderíamos ter feito alguma coisa, senão tudo, para mudar, para lhes dar outras perspectivas de vida!

Que cada individuo trabalhe para que aquela imagem e imagens piores que aquela desaparecem por si, que olhemos para a humanidade como se olhássemos para nós mesmos!
 
A Era da Futilidade

Um anjinho raro

 
Um anjinho raro
 
 
Da mesma forma que o barco ondulava (…)

A sístole e a diástole da minha ansiedade cresciam!

Vens ou ficas!

Sim ou não!

O sussurrar destas ondas melodicamente esbatia no sussurrar dos meus pensamentos

Bate,(…) bate,(…) bate,(…)

Bate, bate de saudades coração...

Aquela conversa deliciosamente ondulante entre o casco e as ondas parecia nunca acabar

...e queria que nunca acabasse

Aquela conversa entre as minhas emoções e os meus pensamentos parecia nunca acabar!

Mas o que sempre desejei, ansiei…foi encontrar-te ali

Bela e faraónica

Aaah que sorriso espalhavas naquele dia!!!

Oooh tão bela é a minha amigal!!! Até o Sol, inveja tinha naquele dia...

E se tivesse havido um tempo em que não havia nenhuma

Estrela no céu?

E se as estrelas não fossem o que julgamos?

E se a luz que vem de longe não vier dos raios de sóis distantes,

Mas de reflexos de pessoas como a minha amiga?

Ooh... eu diria que sempre tive a minha estrela, a minha amiga...
 
Um anjinho raro

Criança soldado

 
Criança soldado
 
Criança soldado sou
Sim
Ainda me lembro
…dias passaram
Nem do meu nome
Nem da minha Mãe
Nem do meu Pai
Nem do meu Irmão
Fazem-me falta mais

Sim
Ainda me lembro
Era manhã de Inverno
Quando cavaleiros de negro
Montados em cavalos
Chegaram á minha vila

Hassam…!!!
……….Kaled!!!
Vozes imparáveis, aflitas e sufocadas
Ecoavam naquele dia.
Um pai chamando o filho
Um irmão chamando outro irmão
Um tio chamando o sobrinho
E aquela mãe que enrolava
Enroscava
Seu bebé num pano aflito
Num pano choroso, sentido.

Criança soldado sou
Nem meu nome
Faz-me falta mais

Naquela manhã o céu enegrecido
Por uma manta
De fumo gritava eu
Gritava pelo meu pai
Gritava pela minha mãe
Gritava pelo meu irmão
Gritava para saber que estava vivo!

Nem meu nome
Faz-me falta mais.
 
Criança soldado

Amizade? Paixão?...Fujo?

 
Minha amiga! (…) Meu amor!

Dizem que as cartas não coram, e
Eu não sei se costumo
Corar
Mas, é melhor prevenir-me!

No início limitava-me a admirar esse seu jeito
Gracioso
E
Divino de ser.

Desde o dia em que me cruzei contigo,
Os dias passavam
As semanas fugiam
Os meses escapavam-me
E eu
Continuava tentando adivinhar que sentimento seria aquele
Que insistia em inundar os meus sentidos…
(…) até hoje não sei o que tenho!
 
Amizade? Paixão?...Fujo?

Escute-me

 
Minha eterna perdição,
Minha eterna felicidade celestial.
Não exijo que gostes de mim,
Que olhes para mim não exijo.
Apenas anseio, apenas desejo,
Que me escutes!
Preciso profundamente de te dizer que…
Que te amo desalmadamente!
Preciso profundamente que saibas que…
Que os meus pensamentos por ti em ebulição constante estão!
Que o meu coração sempre bateu e dançou por aquela harmonia graciosa!
Por favor escute-me!

O que eu tenho,
O que eu sinto é tão descomunal,
Não consigo suportar,
Tanta imensidão deste oceano de sentimentos.
Por favor escute-me!

Deveras as horas passavam, os dias passavam…, meses, anos. E eu…
E eu.
Só te peço que me escutes!

O que sinto, o que tenho nem as palavras, nem os olhos
Nem os gestos conseguem aclarar… só sei que sinto,
Só sei que és a dor do meu doce sofrimento,
Só sei que és o arco-íris da chuva dos meus pensamentos

Almas como tu não são para ser olvidadas,
Guardam-se num lugar muito especial. Porque…
Hoje, amanhã e eternamente, enfeitarás as minhas memórias.
Por favor escute-me
 
Escute-me

Eterno instante

 
Sei!
Nada dura para sempre
Mas
Este segundo, prometo que será eterno.
E agora que atiçaste os meus sentimentos
O que faço?
O que faço para encontrar a âncora…
A âncora que me impeça de continuar
A cair neste abismo mortalmente romântico

Céu azul, raios de sol, o arco-íris primaveril, campos em flor
Este segundo, prometo que será
Eterno

Ai meu eterno instante
Perceber esta eterna incompletude
Não consigo
Ai meu eterno instante
Perceber este sol que vejo
Que vejo apesar da imensidão
Deste cinzento, não consigo

Não!
Não consigo não quero não posso
Acreditar que não seja para sempre
 
Eterno instante

Saudades de ti

 
Chove…
Insiste em chover
Não consigo parar de chorar…
Continuo a chorar
Há dias que não faz sol
Já perdi a conta do cinzento desta cidade…
Continuo melancólico.
Faz vento,
Faz chuva,
Faz frio,
Meu eterno amor, por favor volte!
Meu pranto, minhas lágrimas, minha tristeza faz deles alegria infinita
Estou outra vez…
Outra vez estou com os pensamentos em ebulição,
Por favor volte!
 
Saudades de ti

Esquecer-te!?

 
Não!
Definitivamente não…
Definitivamente não sei!
Não sei como se esquece
Uma Diva

Não sei como esquecer tamanha
Beleza
Que nem na moldura dos meus olhos
Cabe

Não sei como esquecer tamanha
Grandiosidade,
Tamanha virtude
Que nem na alma humana cabe

Não sei como parar de desenhar estas linhas
Para ti

Não!
Definitivamente não sei!

Não sei como apagar a luz que ilumina
A plateia dos meus sonhos!
Não sei o pólen dos meus sentidos
Fazer desaparecer

Por ti terras inóspitas, atravessei
Rios,
Oceanos,
E…
Aos céus sussurrei “ venerar-te-ei incondicionalmente”

Só sei que no mar estou,
Perdi a âncora da minha vida

Só sei que sou uma ânfora partida,
Sem ti

Mudo de emoções estou!
 
Esquecer-te!?

A Flor das quatro estações

 
A Flor das quatro estações
 
Hoje foi mais um daqueles dias…

Daqueles dias em os segundos, os minutos, as horas param…

Hoje mais uma vez fiquei alegremente preso no tempo para que eu pensasse em ti, minha linda fofinha!

Diz-se que entre as quatro

Estações

A Primavera é a mais iluminada, a mais chilreada de todas

Eu digo que todas as estações são

Lindas,

Iluminadas

Porque em todas elas existe o brilho de uma linda flor.

Tu! Meu Amor.

És aquela flor que quando estás perto das outras,

Na Primavera,

No Verão,

No Outono,

No Inverno,

…as outras flores ficam redondamente pálidas por se renderem com a tua beleza inigualável, idílica.

Hoje desesperadamente pedi aos céus mais adjetivos para que pudesse falar…

Falar de ti.

Mas os anjos disseram-me que tua beleza era sublime demais para os adjetivos que eles tinham…

Num último esforço virei-me aos próprios Deuses…

“ O encanto das coisas; a beleza das flores, das borboletas, o azul musical das rosas exóticas tinham sido feitas inspiradas nela” Foi assim que os Deuses me responderam.
 
A Flor das quatro estações

O bom da vida

 
De falsa nada tinha;
Suas emoções,
Faziam com que ela reluzisse ainda mais
Sua beldade preenchia qualquer momento onírico
E lírico de qualquer poeta!
Nela,
Eram permitidos quase todos os elogios, de tão graciosa e formosa era!
Só que nunca, nunca…
Ela alguma vez tinha amado

A alegria, o melhor, o máximo da vida,
Não está em ouvir palavras como “ eu gosto de ti”, “eu amo-te”!
Mas sim,
Ter a sorte suficiente para dize-las, para senti-las.

Eu amo amar!
 
O bom da vida

Líbia: A piada “Humanitária” dos tempos modernos!

 
Líbia: A piada “Humanitária” dos tempos modernos!
 
Disseram que seria uma Intervenção Humanitária…

Às seis horas da manhã de 23 de Março, os aviões da NATO (ao acordo da Resolução 1973 do Conselho de Segurança das Nações Unidas), entraram na Líbia para impedir que o regime de Muammar Kadhafi continuasse a recorrer a meios aéreos para reprimir os opositores do seu regime.

A resolução exige "um imediato cessar-fogo" e autoriza a comunidade internacional a estabelecer uma Zona de exclusão aérea sobre a Líbia e a usar todos os meios necessários, exceto a ocupação estrangeira, para proteger os civis.

Entretanto,
Pelo menos 1.200 pessoas morreram ou estão desaparecidas desde o início dos protestos na Líbia contra a ditadura de Muammar Kadhafi, iniciados há três meses.
1.200 pessoas, que são pais, mães, bebés, crianças, tios, amigos….
Mais de 893 mil pessoas deixaram o país desde o início da revolta e cerca de 14 mil pessoas foram de barco para Itália e Malta

Os Gastos sempre Pagos pelos mais Necessitados nesses países…
Três meses depois, a missão se tornou alvo de questionamentos nos EUA e na Europa diante da escalada de custos e da manutenção de Kadafi no poder.
Na Grã-Bretanha o esforço de manutenção da operação já se aproxima dos 260 milhões de libras (cerca de US$ 415,19 milhões).
Até o começo de junho, a guerra já havia custado US$ 715 milhões para os americanos.
Enquanto está a ler isto, a dívida nacional dos EUA é actualmente de 14 trilhões de dólares. Mas ,vamos gastar mais em guerras, enquanto as vitimas do Furacão katrina (2005) continuam a espera de mais ajudas, ainda!!!


Na actualidade as “ajudas humanitárias” costumam ser em forma de forças armadas que lançam mísseis de longo alcance Tomahawk, cada um avaliado entre US$ 1 milhão e US$ 1,5milhão e, o Departamento de Defesa Americano compra cerca de 200 mísseis Tomahawk por ano.
Enquanto milhares de crianças no Peru, no Sudão, Camboja, Vietname lutam a todo o custa para tentar chegar pelo menos aos 5 anos de idade por falta de um prato de comida!
Alimentos, água potável, medicamentos…quem precisa???

A incerteza sobre o futuro político da Líbia continua a pairar sobre Trípoli, mas a grande preocupação continua a ser a instabilidade e a falta de recursos que está a provocar uma crise humanitária no país.
A organização humanitária Save the Children refere que maior parte dos dois milhões de crianças líbias não estão a assistir a aulas desde o início do conflito, já que as escolas estão fechadas, e que uma em cada dez mostram sintomas de stress pós-traumático.

Num mundo em que os políticos se vangloriam cinicamente de cruzadas morais e politicas éticas…
quando em nome de interesses,
monobras politicas condenam mlhares de bebes, de crianças…como podemos julgar o mundo? Por frases bonitas como o “direito a vida” ou pela negação desse direito…aos representantes governamentais que moram em luxuosos apartamentos será que se perguntam por que divina autoridade eles punem milhares de mulheres, crianças e bebes a mortes lentas e agoniantes? E há pessoas que dizem que vale a pena!!!

Texto adaptado
 
Líbia: A piada “Humanitária” dos tempos modernos!

Outra vez contigo

 
Outra vez contigo!
(…)
Por pouco o silêncio da tua
Ausência, num mito se tornava!
Longa foi a tua ausência,
Saudades tive,
Do teu andar melodiosamente descompassado
Do teu olhar asfixiante
Sim… esse olhar
Que me faz acreditar
Que o tempo e espaço não existem.
Sim… esse olhar
Que antecipa minha louca felicidade.

Tantas…
Muitas foram as vezes em que o uivar
Do vento, teu nome repetiu!

Tantas…tantos
Muitas primaveras, muitos Verões passaram
Meu coração descompassadamente ainda dança por ti!
Ainda me lembro…
No inicio um vulto nos meus sonhos eras,
Realidade te tornaste,
Quando acordei,
Apaixonado já estava.
…Pois! Seria uma espécie de fogo ardendo lentamente dentro de mim!

Mas, hoje…
Neste dia em que para mim voltaste,
Os meus dedos voltaram a martelar
As teclas da minha envelhecida maquina de escrever,
Ecoando… ecoando, ecoando.
Ecoando, ecoando,…folhas marcadas a negro vão contando
Histórias do nosso amor.
E, o bravejar deste vento primaveril
Assim que vai denunciando o cheiro do teu perfume
Meus pensamentos inundados vão ficando!
De tanto desejo de te amar.
 
Outra vez contigo

A Declaração

 
Já lá vão duas primaveras e meia,
Desde que vi aquele infinito de felicidade,
Desde que vi aquela inquietação, aquela perdição
Já quase perdi a conta das vezes em que,
Os meus pensamentos entraram em ebulição.

Já perdi a conta das vezes em que,
Chorei, chamei, rezei,
Pelos meus deuses, pelos meus feiticeiros, pelos meus curandeiros,
Para que me dessem o engenho de lhe dizer:
O quanto eu a admirava,
O quão ela é linda e faraónica,
O quanto ela é graciosa,
O quão eu ansiosamente desejava ouvir a sua voz....
O quanto eu...
A verdade é que ela continua a ser a inquietação mais ternurenta que já tive!

Diz-se que o ser humano é uma obra prima!
Como é que se chamará,
A coisa mais sublime que uma obra prima?
Certamente, serias tu!

Diz-se que Deus usou a matemática
Para desenhar a moldura de tudo que existe
Nos céus, no mar
Eu digo que a beleza, o encanto, a ternura, a cor
De tudo que existe foram,
Certamente, inspiradas em ti!

Já lá vão duas primaveras e meia
Em que o meu olhar ficou eternamente suspenso,
Nessa tua beleza idílica, nesse teu olhar humilde.
A tua presença ilumina o palco dos meus sonhos.

Enquanto a tua beleza faraónica e o encanto da tua alma existirem,
Eu não pararei de cantar estas humildes palavras para ti!
Simplesmente porque......já não consigo parar!
 
A Declaração

De que jardim és?

 
Minha Amiga, minha doce Amiga
Já lhe disseram que és o livro, enciclopédia da suprema felicidade?
E que, cada página que abrimos,
Ficamos
Desesperadamente felizes,encantados!

Sei que és aquela estrela que mais brilha, naquele imenso céu.
Mas como sabemos, as estrelas são para ser eternamente admiradas,
Sem nunca poder tocar nelas.
Aspirando estar perto delas.

Um dia alguém me disse:
Se um dia encontrares um anjo, mova montanhas, peça aos céus, fale com o mar,
Enfim, faça tudo para conseguires falar com o anjo.

Espero que esse brilho de humildade e de simplicidade que trazes contigo nunca se percam !
Acho que deve ser por isso que…..
 
De que jardim és?

Coincidências? Não!

 
Um dia o homem Neanderthal sentado debaixo da sombra de uma árvore, uma fruta lhe cai, sem questionar comeu-a.
Milhares de anos passaram. Issac Newton também sentado no mesmo “onde” mas num diferente “quando”, cai-lhe uma maçã. Ao contrário do Neanderthal, Newton conversou com a maçã usando a física.

Para a maioria das coisas nós ainda somos o Neanderthal, ainda não descobrimos a linguagem certa para explicar certos fenómenos.
Será que existem coincidências?
Não estaremos a comer a fruta sem a questionar?
 
Coincidências? Não!

Há 3 horas a trás

 
Há 3 horas a trás
 
Acho que já eram 10 horas da manhã quando o sol beijou o meu cabelo,
A minha testa,
Depois roçou sobre os meus olhos,
Acho que foi ai que acordei!
(…)

Gostava que fosse como nos filmes…
Recuava, rebobinava as horas do meu sono
Bastavam só 3 horas para trás, acho eu
Assim podia repetir o belo sonho que inundava os meus pensamentos naquele momento!
 
Há 3 horas a trás

Paixão é...

 
Não,
Não me perguntes…
Não me perguntes se paixão é
Quando duas almas (des) conhecidas se fundem, dimanando numa…
Numa explosão divinalmente inevitável,
Irreparável,
Inesquecível…

Por favor, não…
Não me perguntes se paixão é
Acreditar cegamente no inacreditável…

Não me perguntes se paixão é
Cair num abismo e…
E mesmo assim sermos evadidos por um sentimento de
Maravilha,
Felicidade eterna…

Se paixão é
Um dilúvio de sentidos que… (não, por favor!);
Que incansavelmente choram,
Que insaciavelmente sentem,
Que insanavelmente gritam…
Não me perguntes.

Não perguntes, senão respondo que…
Respondo que paixão é
É estarmos surrealmente desenganados pelo real.
 
Paixão é...

Que Futuro (Criança Soldado)!

 
Que Futuro (Criança Soldado)!
 
Um país para se desenvolver e continuar a desenvolver precisa de educar a próxima geração, suas crianças, oferecendo oportunidades de educação, condições de alimentação, especialmente respeitando os seus direitos básicos.

Que futuro se pode esperar de um país que as crianças usam no campo de batalha?
Que futuro se pode esperar de uma criança, que aos 6 anos foi obrigado a pegar numa arma e matar seu pai?
Poderia ter sido a sua própria infância!
Poderia ter sido seu próprio filho!
Já pensou que se estas crianças tivessem a oportunidade de crescer, uma delas até poderia ser o próximo Albert Einstein, poderia ser aquele que iria encontrar uma cura para a AIDS, uma vacina para a malária?
Por favor, sejamos a voz dessas almas!

Da mesma forma que fazemos um projecto de vida tirando um curso superior, casar , ter um filho!
Da mesma forma que decidimos poupar dinheiro para comprar um carro, para comprar um computador ...
Por que não investir no futuro destas crianças, como se estivéssemos a investir num qualquer projecto de nossa vida? Por quê? Será que somos assim tão egoístas?

Como seres humanos vamos apadrinhar estas gerações, ou podemos condená-los ao eterno ciclo (analfabetismo – desemprego- pobreza- conflitos).

Nós estamos ajudando a nós mesmos!
 
Que Futuro (Criança Soldado)!

Era uma vez, uma história veridica

 
Era uma vez, uma história veridica
 
 
Enquanto bilhões são apanhados na emoção do Euro 2016, cerca de 168 milhões de crianças estão a trabalhar para a sobrevivência. A educação e as brincadeiras são luxos para eles.

Bom, antigamente admitia-se que quando um mundo produzia pobreza, era um mundo injusto. Ou seja, que a pobreza é filha da injustiça. Hoje em dia a pobreza é um justo castigo que a ineficência merece.

A ordem do planeta é mortifera e absurda; há que mudar essa ordem criminosa do mundo. O humanismo ou qualquer escrúpulo moral, simplesmente não são possíveis num mundo onde reina necessariamente, estruturalmente, a avidez, o desejo do poder e o cinismo mais violento.
Os “donos disto tudo”, do grande capital, que derigem o mecanismo da Globalização dizem: "Vamos criar uma economia unificada pelo mundo inteiro e assim todos poderão disfrutar da riqueza, do progresso científico, do progresso comercial, dos progressos da liberdade"

Mas o que se passa é que se criou uma ecomonia de arquipelagos, uns extremante ricos, extremanante poderosos e continentes inteiros que desaparecem nesta obscuridade, nesta obscuridade de ”salve-se quem puder, mas o 1º sou eu”

Bom, no destino do mundo; vivemos dentro de uma vila global e, portanto, não se pode salvar uma minoria da humanidade, baseada na condenação à morte da grande maioria da humanidade. Segundo a ONG Oxfam, os 62 bilionários mais ricos possuem tanta riqueza quanto a metade mais pobre da população do mundo.

Sim, há seres humanos que tem “direito” a direitos e há aqueles que se encontram do lado de fora do sistema. Se por exemplo uma criança em Paris fosse entrada desnutrida na rua, seria uma revolução; mas quando acontece na india ou no Nepal os nossos “jornais de bimbo” ajudam-nos a normalizar: “E normal ser assim porque são pobres, porque trabalham pouco e não sabem trabalhar.”

Portanto, ok...hoje vamos falar da Prhiya, que personifica todas as outras Prhiyas pelo mundo fora!

«Venho de Rajasthan, India; tenho 12 anos; desde os sete que fui obrigada a trabalhar diariamente na lixeira, em busca de refugo que pudesse ser vendido para ganhar uns tostões e poder comer.”

E a história torna-se mais irónica e injusta se disser que devido a seca na região, a familia enfrentava uma crise da falta de água e foram obrigados a emigrar e, os irmãos de 12 e 15 anos foram trabalhar na construção de edifícios que tinham que ter piscinas. Ou seja, estes trabalhadores, todos eles sem abrigo, marginalizados e a maioria deles crianças; foram obrigados a fugir das suas vilas por uma crise de falta de água e estão na cidade a construir piscinas para os mesmos banqueiros que enriquecem a custa desta miséria!

São visões obscenas e repetidas num mundo que nos últimos anos tem mudado de forma vertiginosa em tecnologias de ponta mas não em termos de humanidade, tem muito que se diga!
 
Era uma vez, uma história veridica

Amo amar

 
Amarra-me
Com os teus braços
Sufoca-me
Com o teu beijo
Talvez…
Desfaleça de tanto desejo
 
Amo amar