Poemas, frases e mensagens de vandin99

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de vandin99

Facebook Vandin QG

cidade cinza

 
A aurora ja vem embassada pela fumaça
Nuvens cinzas encobrem o azul do ceu que lentamente se escassa
Os passaros migram em silencio de luto
Pelo ar funebre que jaz em acordo mutuo
Com a evoluçao que trabalha a todo vapor
O cinza agrega o interior do coraçao que nao reside o amor
O tempo anda junto com a ganancia que traz apatia no olhar da criança
Que vive no deserto de arranhaceus sufocando o verde da esperança
A terra seca folhas caem sem o sabor da brisa
E a prova que o homem conseguiu se igualar ao tom funebre da cidade cinza
 
cidade cinza

país da bunda

 
Vamos tirar o brilho das estrelas e do hino junto com a ordem e progresso da bandeira
Pular na pipoca ao som do hit da micareta para esquecer que a fome tambem habita em terra brasileira
O samba de carnaval com bateria nota 10 alegoria
10 em harmonia enquanto a mulata samba e os olhos negligentes observam o desfile a mente reclusa paga a garota que vende seu corpo a uma alma fria
Vamos abafar o grito as margens do ipiranga
Nos deixando ofuscar pelo brilho das miçangas
Purpurina brilha no corpo da globeleza
Diluindo o raciocinio do país do futebol que vive abaixo e acima da linha da pobreza
Ta faltando consciencia
Para o povo que nao sabe usar nem a violencia
Uma naçao tao vasta que tem uma cultura latente
Que exporta corpos ta na hora do país da bunda se tornar o país da mente
 
país da bunda

a gente aprendeu

 
A gente aprendeu a construir maquinas e motores
A gente aprendeu a poluir o ar extinguindo o perfume das flores
A gente aprendeu a voar sem ter asas
A gente aprendeu a se afastar do mundo pra viver numa carapaça
A gente aprendeu a se comunicar a distancia
Pq o olho no olho morreu solitario e o olho cansado de ser sozinho hoje descansa
A gente aprendeu o egoismo tendo o olhar seletivo
A gente aprendeu a decair sendo indiferente com todos os seres vivos
A gente aprendeu a viver se camuflando
A gente so nao aprendeu a ser humano
 
a gente aprendeu

verso cálido

 
Seu sorriso escondido em sua corola derrama suas lagrimas de orvalho meu verso calido as evapora desabrochando uma mulher em seu galho
 
verso cálido

vivendo a poesia

 
A nova aurora traz os raios de luz acordando o sonho que acabou
Por tras da montanha ilumina o ceu nublado aquecendo a alma fria no horizonte de calor
Num papel em branco componho um arco iris com verde fluorescente da esperança
Em tempos de trevas o meu por do sol tem nuvens roxas com na vastidao do ceu laranja
Minha noite opaca e solitaria traz mais brilho nas estrelas
O choro das nuvens carregadas torna fertil a terra seca
Meus versos caem no chao brotando um gramado de poesia verde
Minha busca pela agua da vida traz desidrataçao no caminho do deserto de sentimento humano causa em mim cada vez mais sede
Irrigo a caatinga da alma com um oceano de lagrimas
Meu sangue nesse papel e pra provar que tem um pouco de mim em cada linha dessa pagina
 
vivendo a poesia

quero seu olhar...

 
Quero seu olhar caloroso como o sol da alvorada abraçando o chao molhado pelo sereno e evaporando minhas lagrimas de orvalho
 
quero seu olhar...

sorriso

 
Ao desabrocharmos o sorriso nos tornamos pessoas melhores
 
sorriso

consumir...

 
Consumir apenas futebol e folia é ter cultura... apenas na utopia
 
consumir...

Só sei

 
Só sei, que nada sei...pois tudo que sei, faz parte da ideologia de vocês, seus comandos, seus desatinos e suas leis...nada sei...
 
Só sei

dadiva

 
Sorriso que inspira a luz do sol brilho das estrelas na pupila
Dedos que merecem cada anel de saturno visao da perfeiçao na minha retina
Iris farta de amor e melanina
Labios que me prendem a voce presença que ilumina
Alma rica dadiva divina
Sua luz interior se propaga pelo breu das esquinas
Leva estigmas da vida e o calor da aurora
Menina mulher senhora
Razao da flor que aflora
Lagrima inocente da pequenina menina dos olhos que chora
Forma um oceano de saudade quando vai embora
 
dadiva

lapidando

 
Palavras perfeitas frases eloquentes
Numa retorica contundente
Os erros de concordancia dao meu toque de escritor
Meu vocabulario reduzido nao assimila o que minha mao pode compor
Meus olhos veem uma vida diferente
Com palavras simples eu trago a tona um mundo emergente
Minha alma lirica apenas deixar cair no papel minha emoçao
Poesia ? Como ? se nao sei nem usar pontuaçao
 
lapidando

Pés no chão,cabeça nas estrelas

 
as vezes vivemos em um mundo onirico procurando quem somos e nos diluimos no mundo real nos encontraremos quando as duas essencias se tornarem homogeneas e caminharmos com os pes no chao mas com a cabeça nas estrelas

tambem e necessario sonhar para viver
 
Pés no chão,cabeça nas estrelas

contradiçao ( hino nacional )

 
Silencio as margens do ipiranga cala se o brado
Do povo heroico traz se o choro melancolico e o murmurinho acomodado
O por do sol da liberdade escassou seus raios
Apagou no ceu da patria trazendo um eclipse que apagou ate as estrelas do labaro
Com braço forte conquistamos a igualdade e se o penhor
E o nosso peito a propria morte surge a corrupçao e o teu futuro espelha a terra seca de esperança e amor
Teus risonhos lindos campos desmatamos
Nossos bosques habitam a morte nas petalas das flores caidas no chao onde pisamos
Que um brasil de eterno amor seja sonhado
Para um dia termos paz no futuro e gloria no passado
Mas enquanto a clava forte nao se ergue para justiça
Os filhos teus que nao fogem a luta os filhos deste solo se tornam orfaos da mae gentil amada e omissa
 
contradiçao ( hino nacional )

o homem que nao tinha nada

 
Era um homem que nao tinha nada mais tinha um coraçao de menino
Ele andava a pe pelas calçadas e era forte apesar de ser franzino
Seu coraçao era forte guerreiro e sonhador
E ele continuava sorrindo apesar de seu caminho ser de sofredor
Ele nao tinha nada entao usava roupa usada
Ele so tinha um caderno e uma caneta que era o que sua alma precisava
Ele ali descrevia o por do sol e o nascer da lua
E onde todos so viam lixo ele ainda via cor nas ruas
Ele descrevia o sorriso da sua amada que era sua alegria
A distancia nao influia em nada ja que ela estava presente em sua poesia
O homem que nao tinha nada tinha conhecimento e sabedoria
E entre businas motores e apitos ele ainda ouvia da vida uma doce melodia
O homem que nao tinha nada dava um tapa com luva de pelica
A quem vivia de aparatos na ilusao e ele de pe no chao so exibia uma alma rica
 
o homem que nao tinha nada

a poesia

 
A vida e uma tela em branco que ganha a cor dos meus olhos e a escrita da minha alma
Cada momento faz uma linha como cada gota que faz a chuva que cai em minha palma
Me inundando de palavras me fazendo transbordar em versos
Me tornando um eterno oceano de sentimentos intensos
A paz de escrever vem como onda sob a luz da lua serena tranquila
E cada poema no final tem meus olhos como minha filha
E cada olhar completa a alma vazia
Que retem meus olhos me tornando parte da poesia
 
a poesia

democracia nula

 
Dialetica some , acaba
Imperio surge , desaba
Informaçao manipula ,
Faz da eleiçao o que ? Democracia nula !
 
democracia nula

suas palavras

 
Suas palavras soam aos meus ouvidos como acordes numa doce melodia
Meu coraçao reacende a chama da esperança que estava inerte pela nostalgia
Olhar que contagia com o sorriso transbordando eloquencia
Suas palavras me envolvem numa sintese de promessas
Sinto o sabor amargo da saudade
O fel das suas palavras ferem o aço dos meus olhos entao escorrem gotas de solidao pela minha face
Flor a beleza das suas palavras escondem espinhos
Que me fazem sangrar quando afastam o seu rosto do meu carinho
O seu silencio as vezes parece o poema perfeito
Pra guardar o vazio das suas palavras na solidao do meu peito
 
suas palavras

Ao léu

 
Ao léu
As vezes esta vestido de um dia para o outro as vezes esta vestido para toda a semana mas todos os dias esta vestido de dolencia e a noite coberto apenas com um lençol fino de esperança dorme acalentado pelo frio e amanhace invisivel ao olho humano a barba por fazer relapso e levemente umidecido pelo sereno
Ao léu se deita sob a lua e se cobre com estrelas se aconchega no colchao duro da rua enquanto a cigarra canta sua musica de ninar
 
Ao léu

sao meus olhos

 
Sao meus olhos serenos que te veem caminhar
Minha retina sente nostalgia que sem uma palavra te pede pra ficar
Sao meus olhos esperançosos que enxergam um futuro para nos
A menina dos meus olhos chora quando ouve sua voz
Sao meus olhos longiquos e sem foco
Que enxerga o seu sorriso em outros corpos
E sao meus olhos mareados que vao compor
A chuva sobre nos e a solidao que faz a minha iris perder a cor
 
sao meus olhos

mais amor

 
Pra todo homem que odeia mais amor
Pra toda alma fria residir o calor
Mais amor
Pra todo homem sedento por vingança mais amor
Pra chegar a escassez do rancor
Mais amor
Pra todo espirito arido uma chuva de amor
Pra viver em harmonia interior
Mais amor
Pra aprender a perdoar quem errou
Mais amor
Como mudar o mundo ? Resposta a quem perguntou
Mais e mais e mais amor
 
mais amor