Poemas, frases e mensagens de Peta

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de Peta

Se é poeta, sabe amarrar palavras

 
Se é poeta, sabe amarrar palavras
 
Se poetizar fosse mero jogo de palavras,
Haveria tantos manuscritos poéticos
Soltos em (in)versos no branco do papel.
Ser poeta é saber amarrar palavras.

Peta
 
Se é poeta, sabe amarrar palavras

Dás-me teu amor e dou-te meu afeto

 
Dás-me teu amor e dou-te meu afeto
 
Irmão!
Se me deres teu amor
Dou-te meu afeto,

Se me abrires teus braços
Dou-te meu abraço,

Se me soltares teu sorriso
Dar-te –ei minha alegria,

Se houver espaço
No teu coração,
Depositarei minh’alma,

E amaremos este mundo,
Onde todos cabemos
E sobra inda lugar,
Pra geração vindoura.

Peta
 
Dás-me teu amor e dou-te meu afeto

Na barca do amor

 
Na barca do amor
 
Na barca do amor,
A visão guia
A alma ordena
A paixão coordena
O coração segue as coordenadas
Traçadas pra amar.

Peta
 
Na barca do amor

As arestas do tempo

 
As arestas do tempo
 
No fio da vida gasta,
Adormecem segredos
Corridos nas arestas do tempo.

Peta
 
As arestas do tempo

Se a morte escolhesse…

 
Se a morte escolhesse…
 
Neste universo repleto de mistério,
O pobre luta sem meios para viver
E o rico vive da miséria do pobre,
Indiferente a sua dor, o deixa morrer,
Onde estará o coração dos homens?

Peta
 
Se a morte escolhesse…

Amor, ontem e hoje

 
Amor, ontem e hoje
 
Nos tempos idos da nossa vivência,
O amor floria livre nos templos da vida,
Era preservado na alma apaixonada,
E afluía no tempo sem veemência

Hoje, no tempo da nossa prepotência,
O amor é tido no alto da baioneta,
É desvalorizado e botado na praceta
À disposição da peçonhenta relutância

Peta
 
Amor, ontem e hoje

Os rancores da vida

 
Os rancores da vida
 
Numa dança do sapateado
Só entra na onda
Quem do sapateado percebe

Peta
 
Os rancores da vida

Cobiça ao saber

 
Neste mudo ofuscado
Dos saberes a mais,
Tudo o que se sabe
não abona o saber
de tudo saber
Peta
 
Cobiça ao saber

Coração apaixonado

 
Quando for imenso o amor,
Tamanho do coração
Se mede com a grandeza da paixão
Na doce imensurável de vigor.
Peta
 
Coração apaixonado

O amor não se vende nem se sequestra

 
O amor não se vende nem se sequestra
 
Amor é o cúmulo de prazeres
Que uma alma precisa
Pra dar rumo ao coração apaixonado,
Não se vende nem se sequestra.

Peta
 
O amor não se vende nem se sequestra

A moderação das forças

 
A moderação das forças
 
Se a lua ilumina os prados
E dá pés às ondas do mar,
É porque há força oculta,
Que a guia, na sua caminhada
Pelas almas forjadas de dor.

Se o mar corre nos campos floridos
E as ondas nas copas das árvores,
É porque há algo de errado,
Que merece meditação dos homens,
Pautada pela tolerância
E minuciosa análise das causas do mal,
Que devem ser recicladas
Pra que haja moderação das forças.

Peta
 
A moderação das forças

Afetos perfeitos do amor

 
Afetos perfeitos do amor
 
Do amor, conheço afetos perfeitos,
como gaivotas conhecem
caminho de regresso ao ninho,
levando no papo, o maná
pra filhotes desfrutarem
no calor perfeito dos afetos do amor

Peta
 
Afetos perfeitos do amor

Bastam mil e um sorrisos pra alegrar corações

 
Bastam mil e um sorrisos pra alegrar corações
 
Quando cai a noite,
Te contarei quantos sorrisos me ofertaste,
Tive a contar durante o dia e eram mil e um,
Voltei a contar quando distribuías rebuçados às crianças
E são mil e um.
Mil e um sorrisos apenas, bastam pra alegrar corações.

Peta
 
Bastam mil e um sorrisos pra alegrar corações

Os porquês duma criança…

 
Os porquês duma criança…
 
Os porquês duma criança…
Que pergunta a mãe:
-mamã, porquê partiu minha mana?
A mãe banhada de lágrimas responde:
-filho, ela foi brincar com os anjos lá do céu,
Um dia ela há de voltar.
-mãe, mas hoje é aniversário dela,
Porquê não podia voltar mais cedo?
Ó filho, o céu é distante e ela levará dias
Pra chegar a tempo.
-mamã, mas dizem que há renas no céu,
Ela podia pedir boleia ao pai natal…
-sim podia, mas o pai natal foi de férias
E só vem à terra pra próximo ano.
Ó mamãe, mas é muito tempo!
-não filho, o natal é já amanhã, vá dormir.
A criança ficou muito alegre, e foi deitar-se
Com intuito que no dia seguinte
Reveria sua irmã, que morrera há duas semanas.

Peta
 
Os porquês duma criança…

Me abra tua alma

 
Me abra tua alma
 
Não, não vou pintar a lua
nem fazer cócegas ao vento
pra merecer tua paixão,
vou amealhando doce-mimos
à porta do teu cândido coração,
te pedindo, ajoelhado, no mar de rosas
pra que me abras tua alma.

Peta
 
Me abra tua alma

A paixão ignora o destempo

 
Bato olho no teu esbelto corpo
E sinto meu coração latejar de amor,
Abraço tua alma e ganho vigor
Nesta paixão que ignora o destempo

Peta
 
A paixão ignora o destempo

As lágrimas do poeta

 
As lágrimas do poeta
 
Poeta chora com alma penada,
E escorre-lhe pelos dedos
Curvados com pena na pena,
Lágrimas negras de tinta
Que penosamente
Gotejam no branco do papel,
E se deslizam pela borda afora.

Peta
 
As lágrimas do poeta

Coração de pedra

 
Coração de pedra
 
Se no lugar do coração
Uma pedra floresce,
É adiado amar que cresce
N’alma carente de paixão

Peta
 
Coração de pedra

Cemitérios sem inquilinos

 
Cemitérios sem inquilinos
 
Se a morte se enxergasse,
Haveriam mais maratonistas
Numa correria sem metas,
E cemitérios Reclamariam
Pela ausência dos Inquilinos.

Peta
 
Cemitérios sem inquilinos

Saber amar

 
Saber amar
 
Nos alicerces da paixão
A verdade é mista,
Ora se falseia a alma
Ora se dá razão ao coração.

Sabe ou não se sabe amar?

Saber amar é saber perdoar,
Por mais que a mentira
Ofusque o brilho do amor.

Peta
 
Saber amar

PegoSilver