Poemas, frases e mensagens de João Filipe Ferreira

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de João Filipe Ferreira

[img align=left]http://photos1.hi5.com/0007/275/974/cgeDvV275974-02.

Pedido ao Tempo e à Vida

 
Leva-me daqui
Para longe, para bem longe
Mas
Para perto, para perto do que nunca vi.

Preciso de algo novo para viver,
Um novo ar para respirar,
Que sei que está longe,
Mas
Perto, perto de onde me vais levar.

O céu já não irradia cor,
As nuvens taparam-no por completo
Mostrando a imagem de um mundo sofredor.

Leva-me rapidamente
Por favor,
Já não consigo viver perante este cenário desolador.

Leva-me
Para longe, para bem longe do que já sofri.
Mas,
Para perto, perto do que nunca senti.
 
Pedido ao Tempo e à Vida

Estou Errado, Estou Confuso

 
Olho para muito longe
E vejo reflexos de mim.
Iguais a muitos por onde passo,
Iguais a muitos por onde nunca estive.

Sinto tudo,
Mesmo o que está longe.
sentimentos,
Que vivem em mim,
Que partiram de mim.

Estou errado,
Estou confuso,
Não sei se vivo em mim,
Se vivo fora de mim.

Já não vejo azul
No que azul via.
Já não consigo ouvir,
O que outrora ouvia.

Já não sei quem sou,
Nem tão pouco o que um dia fui.

Estou errado,
Estou confuso,
Não sei se vivo em mim,
Se vivo fora de mim.
 
Estou Errado, Estou Confuso

Avenida dos Sonhos Perdidos

 
Caminho sem destino
Pela avenida do sonho perdido
Em que nada do que vejo faz sentido
E em que tudo é sombrio.

Encontro almas perdidas
Que desesperam por um fim anunciado
Onde não sentem mais as suas vidas
Por nelas nunca terem singrado.

Clima de terror,
Em que o pânico e o medo são uma constante
Onde nunca se ouviu a palavra amor...
Nem sequer por um instante.

Quem nela vive é rei
Do fracasso e da solidão,
O porquê? nem eu sei,
Talvez por não existir mais ilusão.

Sinto a tristeza que paira no ar
A conquistar o coração e a mente,
Como algo que pretende controlar
O que sente esta pobre gente.

E lá vou eu caminhando
Na ânsia de uma saída encontrar,
Passo a passo, lá vou sonhando,
A um lugar diferente chegar.
 
Avenida dos Sonhos Perdidos

Tibete

 
Caem lágrimas,
Derramando esperanças.
Param-se corações,
Aniquilam-se multidões.

Gritos de medo, de sofrimento,
Constantemente se ouvem pelo ar,
Chegou mais um exercito de fuzilamento,
E mais vidas preparam-se para roubar.

A bala manda à condição,
Calam-se vozes da revolta,
A chacina parece a solução,
A uma paz que não tem volta.
 
Tibete

Épico - Cidade dos Condenados

 
Cidade dos Condenados – Parte I

Rosto caído e olhar sombrio
Percorrendo as ruas da cidade dos condenados
Onde tudo é desconhecido
E onde a cruel realidade é visível a todo o instante.
Visão de terror misturado com titulados de horror
Corações sofredores que escondem a sua dor
Onde a revolta e raiva são sentimentos dominadores
Que não permitem a existência de outros sabores…

Cidade dos condenados
Onde impera a lei da bala e do ódio
Em que os incêndios são o prazer do povo
E onde não há futuro…apenas a visão do demónio.

Não quero ver mais a cidade dos condenados
Não a quero para mim….
Tirem-me daqui…

Sonhos destruídos – Parte II

Sonhos destruídos
Lembrados ao som de um novo disparo
Que friamente parou o bater de um coração,
Roubando a esperança de um novo despertar
De uma nova ilusão, de um novo viver, de uma nova emoção.

Sentimento de maldade sobe pelo corpo
Sinal de indignação e de desconforto
Porque não acredito em mim?
E porque me deixei levar pelo lado negro da razão?
O sol já deixou de me brilhar
A noite toma conta de mim, escondendo-me o porquê de me ter deixado levar
Mostra-me a inutilidade humana perdida ao ritmo do vento
E que me faz acreditar que viver é somente um momento.

Sonhos de esperança quero voltar a sentir
Quero me libertar da confusão que me prende
E que me passa a vida constantemente a mentir….

Sentimentos desconhecidos – Parte III

Sentimentos desconhecidos permanecem em mim
Vitoriosos da conquista de toda a minha composição
Dominadores dos meus sinais vitais
De uma forma que não parece ter fim.
Já não quero saber, já nem sei se estou a sofrer
Ou naturalmente a deixar-me morrer
Sonhos já não fazem parte de mim
Álcool e drogas vão alimentando o bater do meu coração
Enquanto espero pelas ultimas horas num canto desta cidade.
Sentimentos, dos quais não me liberto… que desespero
Que me fazem tremer, sentir a tristeza e miséria à minha volta
Como imagem distorcida da vontade do meu coração.

Será isto tudo apenas uma ilusão?
Infelizmente é apenas uma vida de desilusão….

Bomba de Esperança – Parte IV

Bomba de esperança explode na minha cabeça
Nem tudo pode estar traçado para um fim igual a este
A cidade condenada pode se libertar da escuridão que a prende
E os rostos podem voltar a ver a imagem curada deste reino do mal
Haverá força, motivação para quem sempre teve sofrimento como noção?
Já ninguém conhece o seu rosto, já ninguém sabe o seu nome
Já ninguém consegue ver a passagem da luz, em algo tão sombrio.
Porque não tentar?
Porque acabar assim sem lutar mesmo que isso indique o fim?
Porque não ter no meio de toda esta desilusão um rastilho de esperança?

Será que a cidade dos condenados se consegue salvar com uma Bomba de Esperança?
Eu acredito que sim.
 
Épico - Cidade dos Condenados

Tudo Vai Mudar…Um Dia

 
Realço algumas coisas boas que tenho,
Que me fazem agarrar esta vida
E ver que afinal pode haver cor
No final deste túnel da escuridão.

Onde desesperadamente me perco,
Onde procuro por uma saída,
Onde procuro me sentir vivo
Onde quero de novo aprender a viver.

Não vejo mais nada a não ser escuro,
Não vejo mais nada a não ser insegurança,
Mas continuo com fé,
Com esperança que tudo vai ter de novo cor.

Um dia…
 
Tudo Vai Mudar…Um Dia

Porque és Diferente de Mim, Quando Somos Iguais?

 
Voas livremente,
Rasgas os céus com malabarismos
E sentes o vento a tocar-te,
A vibrar-te a alma e a fazer-te sentir vivo.

Eu apenas sinto o vento
Pelas ranhuras deste espaço a que chamo casa.
Por estas “grades” onde passo os meus dias
Sombrios e cheios de esperança.

Porque és tão diferente de mim?

Porque tiveste a sorte de poder voar,
De conhecer um mundo, de sentir os prazeres da vida,
E eu somente o azar de estar preso mesmo sabendo voar?

Porque tiveste a sorte de sentir os dias
Sempre com alegria e felicidade
E eu a necessidade de os sentir com sonhos,
Sonhos de uma liberdade, sonhos de uma vida tão distante?

Porque és tão diferente de mim?

Porque és livre por dentro,
Por fora…
E eu somente livre em sonhos,
Preso por dentro…. E preso por fora?

Imagino-me a voar, como tu fazes…
Imagino-me livre, como tu te sentes…
Imagino-me a viver como tu vives…

E como é bom…
Libertar o meu pensamento
Por estas “grades” que me rodeiam
E sentir que ainda estou vivo.

Vivo para sonhar, vivo para acreditar
Que um dia voarei como tu…
 
Porque és Diferente de Mim, Quando Somos Iguais?

Palavras Que Nunca Quis

 
Hoje grito palavras de raiva
Liberto-me do abecedário sombrio
Que continua a gravar as paginas,
Do diário da minha vida.

Palavras que nunca quis dizer,
Letras que jamais pensei um dia soletrar.
E que um dia me deram a conhecer,
Frases que ao longo dos tempos me iriam fazer desesperar.

Hoje é o dia,
Hoje é momento,
De apagar cada linha,
Cada letra de sofrimento
Que por muito tempo gravou as paginas,
Desde pequeno mas já longo diário da minha vida.

Quero fazer com que as palavras
Se misturem com as poeiras
Que constantemente pairam no ar..
E que se afastem de mim,
Do meu diário,
Da minha vida.

Hoje é um novo começo.
 
Palavras Que Nunca Quis

Menina de Bonito Olhar

 
Menina de bonito olhar
Que chora diante do mar,
Onde as suas lágrimas quer deitar,
E os seus males afogar.

Já não consegue pular,
Nem tão pouco sonhar,
A alegria também acabou por a largar
Deixando a tristeza ocupar o seu lugar.

Menina de bonito olhar
Que sente o seu coração a desesperar,
Por ninguém lhe querer abraçar,
Nem tão pouco com ela querer brincar.

E como amigos queria encontrar
E com eles ter vontade para gritar,
Sonhar e um mundo de fantasia imaginar,
Sem nunca ter que parar.

Menina de bonito olhar
Que sofre por não ter um lar,
Que sente falta de alguém para a cuidar
E que pudesse fortemente lhe amar.

Hoje chora diante do mar
Deixando-o as suas lágrimas levar,
Pedindo-lhe ajuda para continuar a acreditar
Que a sua vida vai mudar.

Menina de bonito olhar,
Que um dia toda a beleza da vida vai encontrar
E aí os seus olhos somente irão brilhar,
Pois alegria não lhe irá faltar.

E numa linda mulher irá se tornar
Irradiando beleza por onde passar,
Nunca mais irá continuar a chorar,
Apenas sorrir diante do mar.
 
Menina de Bonito Olhar

Fim

 
Dei demais
Mesmo o que não tinha,
Julguei-me capaz
De derrubar o que pela frente aparecia.

Sou fraco,
Incapaz,
Cavaleiro derrubado,
Sem saber implantar a paz.

As forças já não as tenho,
Se é que algum dia as cheguei a ter,
Hoje desisto do mundo,
Finalmente deixarei de sofrer.

Deixo o sol a brilhar livremente
Iluminando quem sabe percorrer,
Quem os monstros sabe combater,
Sem ter qualquer medo em perder.

Não fui capaz,
Não consigo mais caminhar,
Fui vencido…
Pela dor que me estava a matar.
 
Fim

Desabafo Pensado

 
Não consigo escrever,
Não sei o que dizer,
O cansaço e desânimo tomaram conta de mim
Que nas letras já não me consigo perder.

....já nem sei o que é viver!!!
 
Desabafo Pensado

Dás-me um Abraço?

 
Dás-me um abraço?

Sim, um abraço daqueles que apertam a alma, daqueles que fazem perder o fôlego e que me fazem expirar os males que habitam em mim?

Dás-me um abraço?

Sim, um abraço indicando que não estamos perdidos e que temos um porto onde o nosso barco pode sempre atracar.

Dás-me um abraço?

Sim, um abraço que me faça sentir vivo e acarinhado, que me faça expulsar a dor que vive em mim e que me faça sentir vivo.

Dás-me um abraço?

Sim, só um abraço…nada mais…somente um simples abraço!!
 
Dás-me um Abraço?

Peça Real Com Sonhos de Se Tornar Um Dia Irreal

 
Peça Real Com Sonhos de Se Tornar Um Dia Irreal
 
Escurece lá fora
A cidade resguarda-se
Preparando-se para um próximo dia.

A calma lá fora
Silencia qualquer ruído da alma,
Não se vive, sobrevive-se.

Na calçada da rua,
Vozes tremulas pedem sustento,
Pedem ajuda, pedem uma vida.

A lua já alto,
Ilumina-lhes o cenário,
Como se de uma peça de teatro se tratasse.

E nela vão desesperando,
Vão chorando, sofrendo,
Por vezes morrendo.

Disfarçando contrariedades,
De uma vida ao contrário,
De uma vida a preto e branco.

Onde o nada tudo tem
E onde o que tudo há
É somente e infelizmente nada.
 
Peça Real Com Sonhos de Se Tornar Um Dia Irreal

Deixa-me chorar no teu ombro!

 
Deixa-me chorar no teu ombro!
Não me perguntes porquê.
Mas,
Deixa-me desabafar a chorar.
A largar lágrimas de sofrimento,
De angustia e até de arrependimento.

Deixa-me chorar no teu ombro!

Quero esconder o meu rosto desesperado.
Não me perguntes porquê.
Mas,
Deixa-me estar um bocadinho no teu ombro
Sem falar
Somente com as minhas lágrimas a derramar.

...somente…com as minhas lágrimas a derramar…
 
Deixa-me chorar no teu ombro!

Momentos

 
Por momentos senti a brisa do vento
Bater-me lentamente no rosto.

Por momentos senti
A calma que não tenho.

Por momentos vi o azul do céu
E senti-me capaz de o tocar.

Por momentos vi que a vida avança
E que às vezes a desperdiço.

Por momentos pensei em coisas,
Que normalmente me escapam do pensamento.

Por momentos pensei que a vida tem mais significado,
Quando se vive intensamente cada segundo.

Por momentos fui capaz de ver a vida
Com os olhos que normalmente não vejo.

Por momentos fui capaz de sentir a vida,
De uma forma que normalmente não sinto.

E não vendo,
Não sentindo
E não pensando correctamente,
Vou desperdiçando POR MOMENTOS…a minha vida!!!
 
Momentos

Eu...Sonho

 
Ao ver um pássaro livremente a voar no ar
Eu...
Ao sentir a brisa do vento no rosto…
Eu…
Ao ver o mar a bater nas rochas...
Eu…

…Sonho…
E como sonho em trazer para mim essa calma,
Essa tranquilidade que há muito tempo me deixou…

Ao ver uma folha a cair no chão…
Eu…
Ao sentir o abraço de um raio de sol,
Eu…
Ao ver o azul profundo do céu,
Eu…

…Sonho…
Em agarrar de novo o que de bom por mim passa,
E expulsar para longe o que de ruim em mim ficou.
 
Eu...Sonho

Bola de Cristal

 
Bola de cristal
Mostra-me todos os meus sonhos,
Aqueles alegres e maravilhosos,
Tornarem-se realidade de forma natural

Mostra-me o caminho certo
Por onde tenho que percorrer
Caminho esse que me leve até a um sitio,
Onde mais tarde não me venha a arrepender.

Mostra-me também o que tenho que fazer
Para nunca o percorrer sozinho,
Para nunca surgir nada que me faça parar a meio
E que me possa fazer pensar que o melhor é desistir…

Mostra-me a forma rápida de lá chegar
Não faz mal se tiver que correr…
Não faz mal se tiver que me cansar,
Apenas preocupa-te em lá me levar…

Não imaginas como lá quero estar
Nesse sitio que tens que me mostrar..
É o local que me vai fazer descansar…
Deste sofrimento que tende a aumentar…
 
Bola de Cristal

Afasta os Estranhos de Ti

 
Afasta os estranhos de ti,
Não escutes as vozes de quem não conheces.
E molda o teu rumo
Com a arte que só tu podes dar.

Já pensaste no dia novo que virá amanhã?
O quanto a tua rotina podes mudar
E criar algo que te preencha
E que te dê o sentido da vida?

Não te prendas nos abraços de estranhos,
De quem quer roubar-te a alegria e a coragem.
De quem escurece os teus dias
E que apenas te mostram o mundo como miragem.

Afasta essas vozes desconhecidas de dentro de ti
Deixa-as desaparecer como que o vento as soprasse.
E aproveita novos ares, novas cores
Que te complementarão para novos desafios.

Repara na vida que passa
E que espera pela tua presença,
Que é única, indispensável,
E valiosa para completar o cenário real.

Afasta os estranhos do teu pensamento,
Não precisas deles para saber o teu rumo.
Precisas somente abrir o teu coração,
Irradiar amor, coragem e alegria.

Não queiras alguém a comandar o teu destino
E a fazer-te caminhar para um abismo sem retorno.
Afasta todas essas vozes estranhas que fazem-te morrer,
E liberta a tua alma, pois de novo estarás a viver.
 
Afasta os Estranhos de Ti

Para vocês CRIANÇAS

 
Por hoje (01/06/2007) ser o dia Mundial da CRIANÇA, volto a postar um poema meu que um dia fiz dedicado a elas.

Que todas as crianças possam um dia serem livres para crescerem felizes, com prazer e sem sentirem a dor e o sofrimento tão cedo.

Um feliz dia da criança para todas as crianças bem como para os adultos que ainda têm o seu lado infantil bem conservado.

POEMA:

A Beleza de Uma Criança

Como é lindo um sorriso numa criança
O seu olhar brilhante
E sua alma cheia de esperança
Numa vida radiante.

Como é lindo a sua inocência
A sua bondade e o seu divertimento
À media que vai ganhando experiência
Nesta vida que voa ao ritmo do vento.

Como é lindo vê-la crescer
Sempre, mas sempre a brincar
Sem nunca deixar de aprender
O que mais tarde terá que ensinar.

Como é lindo ouvir o seu falar
Calmo, suave e inocente
Ao nos contar o que acabou de sonhar,
Sempre com uma alegria fluente.

Como é lindo tudo isto existir
E nos encher o coração de esperança
Que um novo futuro virá a sorrir,
E com ele a felicidade de uma criança.
 
Para vocês CRIANÇAS

Mensageiro da Desgraça

 
Fiz rabiscos de felicidade
Em folhas gravadas por dor,
Coloridos de alegria,
Envergonhando cenários de horror.

Fui o rei
No trono dos falhados,
Plantei sorrisos,
Juntei-me aos desesperados.

Fiz pular o meu mundo,
Tão rápido que o destruí por completo,
Queria mostrar-lhe o futuro,
Indicar-lhe o caminho certo.

Senti-me como um às num baralho de cartas,
Dono e senhor de tudo,
Imperial perante as jogadas,
Um fracassado ao segundo.

Fui o vento da esperança,
Soprei poeiras da felicidade,
Fui tudo sendo nada,
Fui o mensageiro da desgraça.
 
Mensageiro da Desgraça

Escrito por: João Filipe Ferreira (Direitos Reservados)

Textos Registados no IGAC com processo nº 2067/2008
______________________________________________________________________
O meu blog: www.lastgoodbadidea.blogspot.com