Poemas, frases e mensagens de ONOVOPOETA

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de ONOVOPOETA

10 graças

 
10 graças
 
 
 
10 graças

Está sem graça sem mulher e sem cachaça.
Sem uma alegria coerente estou banguela
com os dentes.

Sou misto, um cachorro vira-lata sem beber.
Sou cisto, um choro, uma luz do dia de um
morto sem querer.

Sem carro e sem pato no prato, animal com
carrapato gordo bem draculado, o corpo
com ares de morto.

Espirro de inverno gripe sem terno ou ternura.
Preciso de 10 graças que dure mesmo sem vacina
doída, compro a vida.

O NOVO POETA. (W.Marquea).

ONOVOPOETA.(W.Marques).
 
10 graças

Mortos odoríferos

 
Mortos odoríferos
 
Mortos odoríferos

Existe um louco, um cardeal universal.
Com domínios corrosivos e mortíferos.
Reconheço seu disfarce quase natural.
É um desses mortos vivos e odoríferos.

Um espectro um frade, um quase sábio.
Ele percorre nova ideia heterogênea.
Move em gestos doces e leves nos lábios.
Emblemático junto, sem nenhuma fêmea.

Mil ideias pré-prontas sem certo ideal.
Tem um fio longo, parece algo certo.
Perde o fio em fenômeno desnatural.
Assim vejo bernes mortos e bem perto.

Estou com cólica sem romã e ansioso.
Perdi o sentido no escuro ao olhar ela.
Obra viva, roubada do pobre medroso.
Sigo meio obsoleto e triste adeus janela.

O NOVO POETA. (W.Marques).

O NOVO POETA.(W.Marques).
 
Mortos odoríferos

Luzes dos lampiros

 
Luzes dos lampiros
 
Luzes dos lampiros


Estou aflito com esta sonolência de entulhos.
Brota nas minhas gemas e não me deixa adormecer.
Ouço murmúrios, peso nas costas com embrulhos.
Mas o inusitado indivíduo do arraial quer me vencer.

Que estrada tão distante, sem marcação e sem blitz.
Vejo as luzes dos lampiros com as traves pesada.
A atração do astro na minha cabeça desenha em giz.
Tomba portas, um apinhado de muros do nada.

Então vou almejando pra ver e atender a porta.
O tateio está perto, mas tem espigão quebrado.
Espinhos dentro de mim, nessa minha vida torta.
Molho com mãos a doce rosa do amor esperado.

Tem ataduras sobre as pontas com uma chegada.
A noite propagou o alvorecer que minha tez repele.
Ao lado da epiderme fico preocupado com a virada.
Então vou dormir com meus olhos cheios de pele.

O NOVO POETA. (W.Marques).

O NOVO POETA. (W.Marques).
 
Luzes dos lampiros

Dias encafifados

 
Dias encafifados
 
Dias encafifados

O que anda passando nessa minha mente besta.
História de lobisomem guarda mó e mula se cabeça.
Ando querendo flores mais cheirosas e frescas.

Ando me achando com dias contados olhando
mais a moça do banco ao lado.

O que anda passando nesses dias que me restam?
Fantasias, quereres, dores com açoite que vem de
dia, que vem de noite...

É festa demais ou ilusão dessa minha vida com
toque de tirania.
É querer ser feliz amordaçado, é sorrir de mentira
sem alegria.

Antes era só seguir e pronto, agora sigo às vezes
triste e tonto.
Mas tem uma luzinha lá no fundo, mas não sei se
é fração de anos, dias ou segundo.

O NOVO POETA. (W.Marques).

O NOVO POETA. (W.Marques).
 
Dias encafifados

Receio do remate

 
Receio do remate
 
Receio do remate

Quero ver de novo os raios metais
dos estrondos obscuros.
Tenho aceito longos braços nos
escombros dos muros.

Está refletindo o trovador com o
findar dos seus dias.
Os messes despejam nele um frio
na alma que cria.

Virá a outra estação com apenas
um vento quente.
Ouço os cantos dos pássaros felizes
apures que gente...

O vigor que faísca na minha ilha é
de tempo contado.
Vem depressa novidade, vê se nasce
nesse pobre coitado.

O NOVO POETA. (W.Marques).

O NOVO POETA. (W.Marques).
 
Receio do remate

Lindo azul

 
Lindo azul
 
Lindo azul

Veste azul com renda nas bordas!!!

Veste o norte na alma e me puxa
com as cordas da paixão.

Olhar de menina, mas é uma mulher
pronta, sorriso que fascina.

Olhar afoito, que penetra e faz de
mim o que bem quer.

Uma linda flor que muda meu dia,
que muda minha sina.

Veste azul com renda nas bordas!!!
como ela pinta e borda.

Ela me desperta, ela me acorda.

Pura sedução, puro desejo carnal.

Puro o amor, uma paixão anormal.

Sorri pra mim feito criança mimada.

Essa mulher é de extrema beleza
em formas, em gestos e palavras
não programadas.

Sabe me fazer sorrir, damos juntos
gostosas risadas.

veste azul com renda nas bordas!!!

É a melhor das melhores é a minha
suntuosa aguardada.







O NOVO POETA. (W.Marques).

O NOVO POETA. (W.Marques).
 
Lindo azul

Amor

 
 Amor
 
Amor

Preciso de um amor verdadeiro.

Preciso de um calor por inteiro.

Quero amar e me entregar por
completo.

Transar do jeito mais gostoso e
correto.

Preciso sentir um novo e alegre
encantamento.

Uma atração forte, um original
sentimento.

Um cheiro novo, um sorriso vivo.

Um ar refinado, um olhar preciso.

Quero uma energia nova vivificada.

Quero uma alegria nova renovada.

Quero borbulhas quentes de uma
paixão espalhada por todo meu
corpo.

Quero essa louca loucura em mim.
Quero deixar de ser um ser quase
morto.

Quero namorar, apreciar e ser de
fato apreciado.

Onde está minha metade?

Que provoca vaidade e desejo de
ser amado.


O NOVO POETA. (W.Marques).

O NOVO POETA. (W.Marques).
 
 Amor

Mão em comunhão com meus neurônios imbecís

 
Mão em comunhão com meus neurônios imbecís
 
Mão em comunhão com meus neurônios imbecís

Escreve mão, coordenada pelo dom que ganhaste esboça
sua astúcia poética instintiva.

Fala coisas da vida medíocre e leviana da maioria das Ditas
Marias e Anas.

Vê dá choque em alta voltagem em meus neurônios.

Revele-me vocábulos sinônimos e antônimos desconhecidos.

Desperte a leitura nos menos vividos.

Destape os ouvidos dos mais enxeridos.

Vai escreve, o que que está esperando sua mão, obedece
meu cérebro inquieto.

Obedece a loucura dos incertos e depravados condutores
de sabedoria acumulada.

Mas vê se não fale hoje de mulher pelada essas que destrincham
escritos picantes.

Vai mão escreve mais belo do que antes, estou borbulhando
de vontade de ver algo novo.

Ó vê se não mente pro povo que gosta de ler sua escorregadela
descomunal.

Quero hoje ser movido pelo meu cérebro e essa mão endeusadamente
marginal.

Hoje não vou escrever, só vou esperar pra ver.....................





O NOVO POETA. (W.Marques).

O NOVO POETA.(W.Marques).
 
Mão em comunhão com meus neurônios imbecís

Eu mereço ser feliz

 
Eu mereço ser feliz
 
Eu mereço ser feliz

Porquê ter medo da morte se você morre todo dia.

Pra quê serve a lamentação sem ação, pois se assim
for só presta pra auto depreciação.

Porquê buscar o amor se ainda não aprendemos a
nos amar e nos respeitar.

Porquê chorar o leite derramado se foi derramado
por ser esquecido e não ser amado.

Porquê não acreditar em Deus se você tem medo
e corre da besta.

Porquê não viver em harmonia e com o sorriso no
rosto, vamos dar desgosto ao encosto de sofrimento
que todo mundo tem.

Vamos gritar eu mereço ser feliz também.

O NOVO POETA. (W.Marques).

O NOVO POETA.(W.Marques).
 
Eu mereço ser feliz

Sempre preso

 
Sempre preso
 
Sempre preso

Todos nós estamos presos.

Preso no desejo.

Preso no gosto do beijo.

Preso na ambição desmedida.

Preso na juventude da vida.

Preso ao mercenarismo religioso.

Preso ao sistema de um poder
horroroso.

Preso ao amor ou no medo de amar.

Preso ao vento que nos traz o ar.

Preso na indecisão de seguir.

Preso no medo de ser só a nota si.

Preso a verdades mentirosas.

Preso em mentiras fabulosas.

Preso na vida que morre.

Preso na morte que nos socorre.

Preso as eternas perguntas sem
resposta.

Preso a mulher, feita de minha
costela tirada da minha costa.

Preso ao um monte de "bósta".

O NOVO POETA. (W.Marques).

O NOVO POETA. (W.Marques).
 
Sempre preso

Mal de Alzheimer

 
Mal de Alzheimer
 
Mal de Alzheimer

Mal do esquecimento é mesmo
Um tormento.

Um mal de tortura na mente de
um ser “são” por todo corpo que
resta-lhe.

Mistura a dura vida com doce e
real fantasia.

Esconde no inicio sua louca e sã
loucura.

Surpreende quem duvide de sua
sanidade real.

A inteligência borbulha de vez
enquanto.

Ele pensa que está no comando.

É triste no fim, fico pensando se
o presente da confusão fosse pra
mim.

Sofro junto, pois a família deve ser
um conjunto.

Que toca todo tipo de música e
acordes fora do tom.

Vou rezar pro pai que me deu mais
exemplos bons do que ruins.

Pai perdoe se não fui tão bom assim.

O NOVO POETA. (W.Marques).

O NOVO POETA. (W.Marques).

fiz pensando no meu querido pai.
 
Mal de Alzheimer

Menina peralta

 
Menina peralta
 
Menina peralta

A menina peralta jogava
bolinha, jogava peão.

menina bonita e danada
o menino imitava.

Rosto rosado, cor da rosa
que tinha roubado.

Era rosa mais rosa que eu
tinha deparado.

Olhar lampeiro, a menina
peralta não titubeava.

Fazia arte, fazia parte do
reino, uma estrela d’alva.

Tinha personalidade, não
parava, corria e pulava.

De todas era a mais astuta
sua mãe cortava o dobrado.

Era a menina mais linda, cor
da rosa rosa.

Era de todas a flor mais bela
que meus olhos já haviam
avistado.

http://poetadefranca.blogspot.com/
O NOVO POETA. (W.Marques).
13/09/2012

O NOVO POETA. (W.Marques).
 
Menina peralta

Memórias de girassol

 
Memórias de girassol
 
Memórias de girassol

Tenho uma morada abrumada.
Tudo no mundo hoje está nebuloso.
Minha namorada era alinhada.
O mudo serra o som escandaloso.

Em cima tem uma entrada minguada.
Está dilacerada a alma embriagada.
Desolado com o vento que gira a teta.
Estou uma fera a espera e acuada.

O som do piano perdeu o encanto.
Cadê ela?
Já pedi pra tudo quanto é santo.
Cadê ela?

Eu lancei um olhar sobre o meu sol.
Mas espatifou com a brisa do caminho.
Minhas memórias é um lindo girassol.
Onde está o som do piano em alinho.

Vai embora vida nebulosa de espinhos...

O NOVO POETA. (W.Marques).

O NOVO POETA. (W.Marques).
 
Memórias de girassol

Sinfônica saúde

 
Sinfônica saúde
 
Sinfônica saúde

Foi desse jeito sem arruaça ao anoitecer.
A fatalidade é estar a viver com a tosse.
De teus fulgores totais a cura é te ter
dias afastada da presença ou da posse.

Sou teu achego em teu corpo contemplativo
quando vai junta com a noite e seus bruxos.
Junto a sinfônica saúde de um filho adotivo.
Labaredas, bombinhas nesse ser sem luxo.

Soberana a minha bactéria que se alardeia
e concerne o escarro intenso e perturbador.
Uma desgraça que vem e vai em cadeia.
Remédio que remedia o ar e a luz sem dor.

Saúde é um sonho e a doença um pesadelo.
Os que a saúde é uma realidade tem ouro.
É a fortuna, é uma alegria sem o desespero.
Ore pelos desafortunados com soluço e choro.

O NOVO POETA. (W.Marques).

O NOVO POETA. (W.Marques)
 
Sinfônica saúde

"A MISÉRIA NEGRA"

 
"A MISÉRIA NEGRA"
 
"A MISÉRIA NEGRA"

A fome e a carestia,é ainda há guerra
ceifando as alegrias.

Pai não vire as costa, a miséria esta
crescendo.

Pobres,crianças inocentes estão morrendo.
O amor que era pra crescer esta desfazendo.

Qual será a capital da desigualdade?
Qual é a Babilônia da atualidade?

Qual o grau e onde está a mais forte
corrupção religiosa,qual a mais poderosa?

Porque a nossa fé é guerreira?

Porque o sonho as vezes nos causa
cegueira?

Será que não vai chegar ninguém em um
cavalo branco,vestido com um manto
tinto de sangue.
Decidido a dizer mais um amem........

Aquietando os Reis e as feras do seu ar
tenebroso.
Jogando os mentirosos e os malvados no
lago do fogo sulfuroso.

Quem ficará pra conta ou anota o final
da história ou o começo de um conto da
nossa ida.

Como vou ler o livro da vida?

O NOVO POETA.(Wilson Marques).
 
"A MISÉRIA NEGRA"

Belo até............

 
Belo até............
 
Belo até............

Belo elo entre o pé e o chinelo.

Até que o mesmo se arrebente
e derrube a gente.

Belo o casamento dos casais
apaixonados.

Até que o mesmo se arrebente
e derrube a gente.

Belo é o filho antes da adolescência.

Até que o mesmo se arrebente
e derrube a gente.

Belo é a vida antes de ficarmos frente
a frente com a morte.

Até que a mesma se arrebente
e derrube a gente.

Belo é a juventude até que a idade
chega.

Até que a mesma se arrebente
e derrube a gente.

Belo é tudo vivo, bem vivo antes
da picada da serpente.

Até que a mesma se arrebente
e derrube a gente.


O NOVO POETA. (W.Marques).
 
Belo até............

Quero asas

 
Quero asas
 
Quero asas

Preciso de asas, preciso de um novo ar.

As asas que estão me oferecendo não
são seguras, talvez não dure.

As asas que vem de longe estão divididas.

Com um pé no passado e os dois no
presente.

Seu atroz querendo perdão e seu amistoso
com garras em cima.

É uma ave bela inquieta e com pressa.

Tem tudo que eu anseio, é do jeito que
eu imaginei, mas veio na hora errada.

Meu anjo consorte precisa urgentemente
ser contemplada.

Vou deixar essas asas de luz, vou perder
o empasse e desocupar a cancha.

Adeus ave bela, terei você na memória
com calentura.

Não deu pra ser, seja você então feliz com
suas asas livre e dourada.

O NOVO POETA. (W.Marques).

O NOVO POETA. (W.Marques).
 
Quero asas

Ser poeta

 
 Ser poeta
 
Ser poeta

Ser poeta é ser louco por instante.

É viver o que não viveu antes.

É ser à sombra de um dragão com peso
de um elefante.

É ser Dom Quixote o cavaleiro andante.

É fingir ser a prostituta da esquina desprezada.

É amar todas as mulheres mal amada.

É pintar colorido a dor da paixão.

É sentir-se encarcerado fora da prisão.

É deslumbrar com o beija-flor e ser a flor.

É ser comido ou sugado.

É revolucionar o revolucionado.

É criar palavras pra dizer o que antes já
foi citado.

É fazer feliz quem lê nossos escritos alinhados.



O NOVO POETA. (W.Marques).
 
 Ser poeta

Perfume da delicadeza

 
Perfume da delicadeza
 
Perfume da delicadeza

Vou confessar um fato quando te
Vejo, me desconcerto.
Começo a suar no tato quando
O beijo ainda é incerto.

Tem beleza de sobra de curvas
precisas e lindamente sinuosas.
É real e tem realeza é dona da
mais pura beleza.

Muito mais que rainha de trono
bonita por natureza.
Não me atrevo a ser seu dono
é o perfume da delicadeza.

Mulher que me deixa sem jeito
saiba que trago você no peito.
Se me notares me dê de presente
seu sorriso.

Pra mim basta seu encanto, te
olho como homem e te respeito
como um santo.


O NOVO POETA. (W.Marques).

O NOVO POETA. (W.Marques).
 
Perfume da delicadeza

Jogo da insensatez

 
Jogo da insensatez
 
Jogo da insensatez

Suscita em mim o fogo da insensatez de
discordar de tudo.

Suscita em “mim” sair do jogo da embriaguês
torta proposta pelo mundo.

Mundo criado e com alguns mal criados.

Criando as regras nesse imenso tabuleiro.

Com a discriminação já nascida no ventre da
mãe.

Que em muitos corre mesmo na veia essa coisa
feia.

O bebê já nasceu egoísta e os adultos tolos
acham bonitinho.

Somos mesmo um macinha de brinquedo aquelas
de moldar.

Mal aprendemos amar e o ódio invade com a
massa da cor da vaidade e sem o roxo da
vergonha.

Buscamos religiões nos esquecendo de Jesus
e das ações.

Buscamos dinheiro e esquecemo-nos da fome
que consome o mundo inteiro.

Vamos à lua com certos pretextos, mais no
contexto é pura falta do que fazer com tanto
dinheiro.

Preocupados com a lua e esquecemos dos seres terrestres.

E pra matar a peste da insensatez fazem vista grossa e se unem pra jogar o jogo do poder.

São tantos aliados que nós os pobres coitados assistimos felizes, vendo e não entendendo as noticias da TV.

E quem entende pouco se pode fazer.

Que merda...........................



O NOVO POETA. (W.Marques).

O NOVO POETA.(W.Marques).
 
Jogo da insensatez

O NOVO POETA.W.Marques).