Poemas, frases e mensagens de Carla Costeira

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de Carla Costeira

Coração de pedra

 
Uma pedra da calçada,

sobejamente irada

e roxa com a inveja,

ergue-se pesada

e vem contra mim... atiçada.

Apedreja e faísca

com uma força mística.

Não é oca, não é nada,

é só um coração de pedra

em forma de punho... cerrada.

Tanto bate... que um dia destes pára!
 
Coração de pedra

Perfuma-me!

 
Se há perfume que me encanta
É o teu, meu bem-amado
Perfuma-me hoje e amanhã
Com o aroma a hortelã
Da tua boca na minha boca entreaberta.

E me beija!
Quero sentir o teu lábio da cor do cravo perfumado.

Me toca!
Com a tua pele cheirando um pouco a canela.

Exala-me com o teu perfume e me marca
Para que eu seja só tua!
Deixa-me ficar perdidamente apaixonada
Quando me sentir encaixada
No orvalho da tua viril selva.

Quero o teu perfume! Meu bem-amado.
 
Perfuma-me!

Nos teus Olhos

 
Nos teus olhos
Olho a cor que eles têm,
Mas neles só vejo bondade e pureza,
A cor, eu jamais decifrei.

Nos teus olhos
Cegou-se-me a vista,
Por tanto apreciá-los com loucura,
Quisera a minha quimera roubar-lhes a alma pura.

Nos teus olhos
Vislumbrei em ti a pessoa pecadora que eu sou,
Reflectida em mim, pela doçura que me perdoou.
 
Nos teus Olhos

Azulam a tez do céu...

 
Nas nuvens revestidas de véu branco
Uma noite despiu-se na sombra
Fazendo a cama no céu enevoado
Onde a bruma ousa cobrir quem ama.

O peito do céu se abre
E brilha a estrela mais afervorada
A Lua com o cio procura amante
Na noite que promete prazer e volúpia.

O Sol faz amor com a Lua
Na noite desnudada por um dia
Astros eclipsados com incandescente fervura
Azulam a tez do céu com loucura.
 
Azulam a tez do céu...

Nascer de novo!

 
Neste dia…
O dia do meu aniversário
Só peço uma prenda:
Nascer de novo!

Quero sair do ventre da Lua
Vir ao mundo em berço de prata
Nascer no seio duma família perfeita
Depois da Lua me dar à luz de luar
E ser muito amada e amar.

Neste dia…
O dia do meu aniversário
Só peço uma prenda:
Nascer de novo!

Quero ter uma nova sina
Percorrer órbitas com alma nova
Ter um coração do tamanho da Lua cheia
Eclipsar-me com o amor ao sentir-me tão amada
E chamar de querida Mãe a Lua Olinda.

... Nascer de novo!
Para a minha vida ser Lua-de-mel em Lua Nova.

http://carlopfler.blogspot.com/
 
Nascer de novo!

É deserto só por querer tanto...!

 
É deserto
Na aridez do meu rosto
Na seca lágrima do meu olho
E no desidratado corpo que incorporo.

É deserto
No coração que possuo
Que bate ao ritmo do que eu digo
Mesmo que escolha palavras de erro.

É deserto
No caminho que escolho e atalho
Entre seiva e sangue de destino
Marcados nas minhas mãos desertas de afecto.

É deserto
Nas planícies e colinas
Do meu útero árido e seco
Onde sem chuva não se gera um filho.

É deserto só por querer tanto…!
 
É deserto só por querer tanto...!

Sonhei...

 
Sonhei,
Poder transformar pequenos mundos,
Em principados celestes e lúdicos.

Sonhei,
Que os meus sonhos seriam realizados,
E sonhos alheios deixariam de ser utópicos
Para serem verdadeiros.

Sonhei,
Com sonhos banhados em rios sagrados,
Sobre as asas dos anjos, sairiam desses leitos,
Para abençoarem lares de infelizes esposos.

E apenas sonhei…
 
Sonhei...

Uma canção triste

 
Uma canção
Com letra sofrida
Cantando parte duma vida.

Com rima fria
Como quando um corpo gela.

Com melodia triste
Como chora quem se ache feia.

É uma canção
Que entoa no vazio
De um coração de pedra.

É a canção
Que um inimigo canta
Com voz melada e impiedosa.

São notas pouco musicais
Mas cânticos muito desleais.

São trechos dum rosário triste
Que reza tanto quanto insiste.
 
Uma canção triste

Meu choro

 
Choro, de tanto chorar
Mas nem assim minha alma se limpa
Nem assim ela se purifica
E então… choro mais ainda.

Grito, um grito quase mudo
Que finge ser surdo
Não encontrando outra saída
Se não chorar, com ou sem afinco.

De olhos molhados
Pela marulhada aflitiva
Meu soluçar perde a força
E a lágrima que escorria perde a vida.
 
Meu choro

Personagem principal

 
A minha vida não era um filme
Nem romance escrito por alguém
Não era actriz de palco ou tela
Nem meretriz, na vida que ainda me preza.

De repente, a minha vida virou um filme
Baseado num romance policial
Onde fui narrada como personagem principal.

Fui a assassina de sentimentos que nos corroem
Que só a depressão e a tristeza prezam
Não fui presa, mas aplaudida pelos que me amam.
 
Personagem principal

A partir de hoje...

 
Tropecei no tapete do amor
E embati com o meu peito no frio mosaico.
Escorreguei nos meus próprios sentimentos
Assim que esbarrei com o faiscar dos teus olhos.

Senti-me enfeitiçada pelo teu sôfrego olhar
Por isso, hoje não confio no meu instinto
Nem no meu manipulado bom-senso.
Desejo auto-destruir a minha falta de gosto!

A partir de hoje
Negarei ser a cegueira da percepção mais óbvia
E caminharei pela vida, numa defensiva mais atenta.

A partir de hoje
Tentarei proteger-me do infortúnio
E destemida, enfrentarei a forma mais ludibriosa da vida.
 
A partir de hoje...

O amor é fogo!

 
O meu inferno desejou-te
E ardi por dentro enquanto não te possuí
Com fogo de artifício conquistei-te
E a tua erecta brasa entrou dentro de mim.

De ti conheci o fogo posto
No meu amor de verde prado
Explodimos em uníssono desejo
E em labaredas entreguei-te o meu corpo.

Abrasei-te com a lenha da minha boca
Com cuidado para não te queimar com a língua
Nem circunscrever uma fumaça quase extinta
Pela falta de acha na tua quente brasa.

Meu corpo,
Cansado de tanto te amar transformou-se em cinza!
 
O amor é fogo!

Sofrer

 
Farta das luas de algumas pessoas
farta de implorar por um amor-perfeito,
tento libertar-me das agruras
para não me perder com o desgosto.

Farta de fingir ser quem nunca fui
farta de ouvir os mesmos ais,
Por vezes a dor é o que mais mói
Pôr termo à vida, isso jamais!

Farta de chorar em vez de rir
farta de pensar em vez de agir,
o passado impõe-se no meu viver
só por mim eu vivo apesar de sofrer.
 
Sofrer

Quero amar!

 
Não importa se te perdi
Mesmo sem nunca te ter tido.
Só importa o que eu senti
Muito embora tenha sofrido.

Agora sei até onde consigo amar...
Duma forma muito além do intenso.
Se estava contigo, procurava mil formas de te mimar
Se não estava contigo, estava com a tristeza no olhar.

Por fim...
Revelaste-me que só serias meu amigo
E a esperança de te ter, morreu solitária.

Por fim...
Descobri que já não consigo viver sem estar apaixonada.
Quero amar! Quanto muito a vida...
 
Quero amar!

Como se eu fosse um livro

 
Sinto a falta dos dias
Em que me lias nas entrelinhas,
Como se eu fosse um livro
Em tinta-da-china desenhado,
Para ti eu era mais que um livro de bolso,
Eu era o teu bem-querer precioso.

Relias cada uma das minhas palavras,
Que apelidavas por mágicas,
Devido à existência de quebra nas emoções contidas,
Sentia-me sempre segura nas tuas mãos,
Mesmo quando as sentia trémulas.

Com o passar do tempo
Minha história desgastava teu espanto,
E passaste a ler folhas mais brancas
Com sabor a livro novo,
E eu passei a ser um mero texto decorado,
Impresso em folhas velhas e amarelas.
 
Como se eu fosse um livro

Eterno e sonhador.

 
Drama foi no que se transformou
a vida da pura alegria.
Lágrima foi o que brotou na Rosa
mais sadia.
Injúria partiu de alguém a quem
muito amou num passado de inglória.
E agora? Será que o pior já passou?

Não importa, o mais importante é
não ficar deprimida!
Porque um dia nasce atrás do outro,
E a vontade de viver poderá renascer
Se despertar para qualquer tipo de amor,
Eterno e sonhador,
Como um poema do melhor Poeta.
 
Eterno e sonhador.

Mendigo

 
Por esta estrada que eu caminho
Com indumentária suja e rasgada
Fiquei irreconhecível até aos meus olhos
E sou chamado por arrumador de carros e mendigo.

Meus olhos ficaram da cor das cinzas
Meu corpo moribundo com alma desfeita
A solidão me destruiu, por ter deixado de amar alguém
Agora ninguém é meu e eu não sou de ninguém.

Ainda não desaprendi de falar
Porque passei a conversar com um cão abandonado
Que agora é o meu melhor amigo e fiel companheiro.

Juntos enfrentamos o frio e o sentimento de abandono
Cuidamos um do outro nas alturas de doença
Ainda sorrio, quando uma lambedela surge em forma de carinho.
 
Mendigo

Paz

 
És pureza, envolta em muita maldade,
és enfrentada com rastilhos de pólvora,
e mecânicas máquinas de guerra,
destruindo em massa seres à tua imagem.

Por seres tão rara,
és sempre muito desejada,
és branca como o véu e a grinalda,
que traz felicidade a toda a noiva,
e à humanidade desapossada.

Se és tão importante,
porque és tão desrespeitada?
talvez porque não passes de um sonho para todos,
por seres rara, por seres Paz,
és insegura no mundo e nos lares.

Mas poderás ganhar terreno,
para isso, ergue as tuas asas,
com elas abraça o mundo,
num abraço contínuo e infinito!
 
Paz

O teu sorriso...

 
O teu sorriso, além de lindo
Alivia qualquer dor no meu peito
E sara todas a feridas que já não lambo.

É tom de amor em nota musical
Pautada na linha do amor da minha mão esquerda
Para que estejamos presos ao ritmo da harmonia.

O teu sorriso, além de meigo
Doseia-me com a vitalidade de que necessito
Para que possa amar a cem por cento e em tempo inteiro.

É uma balada que me faz recordar-te todo o dia
E faz com que eu também sorria à tua lembrança
Para a pautar na linha do amor da tua mão esquerda.

O nosso amor sorri-nos cheio de música
E os nossos corpos se abraçam numa dança
E brindas-me com um beijo e um sorriso de quem ama.
 
O teu sorriso...

Ainda não estou em mim

 
Ainda não estou em mim,
O que foi que nos aconteceu?
Num momento relâmpago
Sei que algo nos atingiu,
Que faiscou o nosso olhar,
E que gerou um fogo,
Que em nós colidiu.

Ainda não estou em mim,
O que foi que nos aconteceu?
O fogo que em nós entrou
Não nos fez mal, não nos queimou,
Apenas nos rodiziou e nos tonteou
Num bem-querer comum e estonteante
Num anseio de loucura delirante.
.
Ainda não estou em mim,
O que foi que nos aconteceu?
Em nós tocam sinos de alegria
Pelo sentimento que cresce como uma semente
Em que o nosso amparo floresce o nosso éden
E a nossa ternura germina num fogo ardente
Num bem-querer mutuo e permanente.

Ainda não estou em mim,
O que foi que nos aconteceu?
É o amor que renasce das cinzas
É um fogo que nos consome
É um sentimento correspondido
Que apenas se escondeu por um tempo
É algo que desejo que se permaneça eterno.

Ainda não estou em mim,
O que foi que nos aconteceu?
 
Ainda não estou em mim