Poemas, frases e mensagens de Josematos

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de Josematos

Administrador da Rádio Portuguesa do VAR em França
Para ouvir: http://www.rcp-var.com/player

Os dias em que vivemos

 
Tanta falta de apoio social
Nas classes envelhecidas
Por vezes não têm o essencial
Para manter as suas vidas

Cada vez há mais pobreza
E famílias desempregadas
Com o pão, a faltar na mesa
Sem apoio,desamparadas

São os mesmos sacrificados
Empobrecidos cada vez mais
Não podemos ficar calados
Já não suportamos mais

Uns a esbanjar de fartura
E muitos vivem em aflição
Com uma vida tão dura
Mereciam mais atenção

José Matos - 14.01.14
 
Os dias em que vivemos

Vila Nova e Milfontes

 
Vila Nova e Milfontes
 
Poema a Vila Nova de Milfontes

Vila Nova de Milfontes
Princesa do Alentejo
Tens água fresca das fontes
Desde o mar até aos montes
Há tempo que não vejo) Bis
Terra linda de encantar
Aqui bem no Alentejo
De te ver sinto desejo
És beijada pelo mar ) Bis
E pelo rio também
Aqui neste litoral
Recanto de Portugal
Que a bela Odemira tem

Tens encanto e beleza
E também muita magia
Te consideram princeSa
Pela tua realeza
Com teu castelo de vigia ) Bis
Que hoje se pode apreciar
Da boa gastronomia
E também da alegria
Ao ver o rio e mar )Bis
E ao redor linda paisagem
Onde pode passear
Quer seja a navegar
Ou aqui a descansar

Tens uma praia afamada
Com beleza divinal
Por muitos és procurada
E aqui não falta nada
Com tudo o essencial ) Bis
Pr´a passar uma temporada
Um destino sem igual
Já conhecido afinal
No mundo és divulgada ) Bis
Pelos que te conheceram
Milfontes apreciada
Gente boa e honrada
Que aqui vos receberam

José Matos 20.05.2014

( Poema A Vila Nova de Milfontes, composto para cantar)
 
Vila Nova e Milfontes

Ter Amor

 
 
Eu quero com alegria
E muita satisfação
Vos desejar cada dia
Muito Amor no coração)Bis
E alegria de viver
Pois essa grande paixão
Todos nós devemos ter)Bis
Nesta vida atribulada
Vai-se embora o sofrer
E a vida vai ser gozada)Bis
Com o devido valor
Fica assim valorizada
O principal é o AMOR)Bis
Que seja abençoada
E esta chama e seu calor
Que seja realizada)Bis
Em todo o vosso viver
Nesta nossa caminhada
Até um dia morrer....

José Matos 01.01.2009

Que este meu humilde poema o 1º deste novo Ano, seja uma realidade em todos vós " A presença do Amor e não um vazio": composto para cantar para ouvir o MP3 clike no link do servidor dos meus MP3:

http://www.mp3tube.net/musics/Jose-Matos-Ter-Amor/254308/

BOM ANO MUITOS POEMAS. obrigado a todos os amigos e todos os utilizadores do Luso Poemas

José Matos
 
Ter Amor

Alentejo és um encanto

 
Alentejo és um encanto

Ó meu querido Alentejo
Te venho aqui recordar
És o meu grande desejo
Estou longe e não te vejo
Quem me dera aí estar) Bis
Nessa tua harmonia
E assim poder olhar
Teus campos de encantar
que a nossa alma extasia

Estribilho

Recordo quando eu parti
Muitos anos já passaram
De tudo quanto eu vivi
E assim triste eu senti
Recordações lá ficaram ) Bis
Lá dos campos lá da serra
Que nunca mais se apagaram
Que os meus olhos olharem
E que o peito encerra

Meu coração palpitou
Não consigo descrever
Que um dia se apaixonou
Mas para trás, lá ficou
Que nunca irei esquecer) Bis
E agora eu te canto
E enquanto eu viver
Eu recordo com prazer
Alentejo és um encanto

Foi aí que eu nasci
no meio da natureza
Foi aí, que eu aprendi
E também onde eu cresci
Aí com tanta beleza ) Bis
Com searas ondulantes
Era assim esta riqueza
havia pouca pobreza
Já nada é,como dantes

José Matos 07.01.2014

( Poema que compus para cantar e dedico ao Querido Alentejo e conterrâneos )
 
Alentejo és um encanto

Não ganhem tantos lucros

 
Nao ganhem tantos lucros

Nunca deverão abastecer
Diz o ministro à população
Em Espanha, não devem fazer
E assim de combustível encher
E aqui não cai um tostão

Se baixarem em Portugal
Os preços, destes produtos
Beneficiariam em geral
Com uma satisfação total
Não ganhem tantos lucros

Quem procura abastecer
Numa zona fronteiriça
Em Espanha o vai fazer
E o depósito encher
Não o faz por cobiça

Já somos asfixiados
Com grande carga fiscal
Não nos deixam aliviados
E ficamos indivídados
Nada poupamos, afinal

José Matos
 
Não ganhem tantos lucros

Vida dura

 
Vida dura
 
A vida dura

Neste mundo, vive-se no engano
Quando se deveria viver na verdade
Daqueles do poder, que é soberano
Só nos resta a liberdade

Nos levam sempre a acreditar
Que melhores dias virão
Mas com todo o seu explorar
Não nos sobra um tostão

Eles são políticos, sem piedade
Que nos olham sempre, com desdém
Não se importam, com a pobreza ou a idade
Para fazerem sempre o que lhes convém

Neste mundo em que vivemos
É assim sempre, na desventura
Porque trabalhamos e não temos
Só nos resta uma vida dura

José Matos
 
Vida dura

Évora terra de encanto

 
Évora terra de encanto
 
Evora terra de encanto

Évora, terra de encanto
Património mundial
Que se vê em cada canto
Beleza como um manto
Que te cobre, és divinal)Bis
Com essa tua magia
Cidade de Portugal
E também conventual
Que nossa alma, extasia

Um dia te conheci
E fiquei deslumbrado
Da alegria que senti
Dos monumentos que eu vi
Espalhados, por todo lado)Bis
A recordar nossa história
Desses tempos do passado
Hoje e sempre recordado
Desses tempos de glória

Évora, és soberana
Neste local encantador
Cidade alentejana
Onde a beleza emana
Onde aqui tem mais valor)Bis
Disso temos a certeza
Tudo aqui tem mais primor
E os campos cheios de cor
É tão linda a natureza

( Composto para cantar)
 
Évora terra de encanto

Harmonia, Paz e Amor

 
Harmonia, Paz e Amor
 
Harmonia, paz e amor

Eis dos anjos harmonia
E paz aos homens de bem
E um anjo anuncia
Que nasceu da virgem Maria
O menino Jesus em Belém

Vieram para Jesus, adorar
Reis e magos do oriente
E uma estrela a brilhar
O caminho foi indicar
E levaram seu presente

Se tornou o dia de Natal
Um dia cheio de magia
É um dia muito especial
De comunhão o principal
Com paz, amor e harmonia

Quero a todos desejar
De todo o coração
Boas Festas, festejar
E com a: RCP-VAR ( Rádio Portuguesa do Var)
Boa música, com dedicação

José Matos, 24-12-2014
 
Harmonia, Paz e Amor

Ó Bela

 
Ó Bela

Ó Bela, não vou, não vou
Ó Bela, não te vou esquecer
Neste momento, eu estou
Com vontade, de te ver ) Bis
Tu és a minha alegria
Só quero o teu querer
Faz-me feliz, o meu dia

Ó Bela, como uma flor
Ó Bela, tu tens encanto
Só queria o teu amor
Que apaga este meu pranto )Bis
Que eu tenho de noite e dia
Por isso agora eu canto
Com toda a minha alegria

Ó Bela, vem passear
Ó Bela, vem para o campo
Contigo eu quero estar
Não interessa o recanto )Bis
No meio da natureza
Rodeados de encanto
Nessa valiosa riqueza

Ó Bela , não digas não
Ó Bela, quero o teu sim
Não quero a solidão
Se apoderar de mim )Bis
Só quero estar a teu lado
Para não sofrer assim
Tão triste e amargurado

José Matos - 20.10.16
( Poema composto para cantar, pelo autor)
 
Ó Bela

LONGE

 
Tenho quem goste de mim
Muito longe para me abraçar
É triste viver assim
Com este desejo de amar

Assim esta solidão
Me causa sofrimento
Tortura meu coração
Cada hora cada momento

Como eu te queria, agora aqui
Minha vida era diferente
Mesmo longe eu penso em ti
Seria o melhor presente

Tudo terá o seu tempo
Neste nosso universo
Desejo que seja sempre
Mesmo longe um sucesso

24.05.09
 
LONGE

Poema a Lisboa

 
 
Lisboa, linda cidade
Que eu trago no coração
Digo isto sem vaidade
Deixa no peito saudade
E também recordação

Lisboa, tu és tão bela
Teus bairros são de encantar
És uma formosa donzela
Que espreita em cada viela
E se ouve o fado cantar

Lisboa, tu és princesa
E uma moura encantada
Em noites de lua cheia
Ao ver o Tejo vagueia
Para te sentires beijada

Lisboa, cheia de vida
Num frenesim dia a dia
Lisboa cidade querida
Com as tuas cores garrida
E nos enches de alegria

José Matos 18.07.10

Tal como prometi aqui o MP3 do poema cantado:
 
Poema a Lisboa

Amor e paixão

 
O Amor e a paixão

Na vida, onde existe AMOR
Que brote em cada coração
Tal como uma simples flor
Seja em que lugar for
Que vos una, com paixão

Quando o coração palpitar
Sem qualquer explicação
Por alguém, a quem amar
O deve sempre guardar
Bem juntinho ao coração

E quando se apaixonar
Mesmo um dia sem querer
E vai assim demonstrar
E essa paixão partilhar
De alegria o vai fazer

A verdadeira paixão
Que sempre seja,renascida
Que em qualquer ocasião
Se abrace e beije, então
Que seja sempre vivida

José Matos
 
Amor e paixão

Vazio

 
No meu peito há um vazio
Que não sei explicar
Uma tristeza, como frio
No meu corpo a arrebatar

Eu sei, o afecto e o carinho
O tenho , mas falta um, que perdi
Na vida é assim, fiquei sozinho
Foi parte de mim e assim sofri

Sou sensível de coração
O que perdi, eu tenho de repor
Mas é difícil esta condição
Na vida é necessário ter um amor

Este meu desabafo de solidão
Se manifesta em algum momento
Que me aperta o coração
Preciso de combater este sofrimento
 
Vazio

Sintra Encancantada

 
Sintra Encantada

Vila de Sintra, encantada
Que nos tocas, o coração
Tão bela como uma fada
Que nos encheu de paixão

Quem te conheceu um dia
Decerto irá, cá voltar
Cheio da tua magia
E de novo te admirar

Património mundial
Esse grande galardão
Vila bela de Portugal
Visitada por uma multidão

E os reis de Portugal
vieram aqui disfrutar
Neste recanto afinal
Que convida a meditar

A Quinta da Regaleira
Onde tudo é magia
Vá e tudo à sua beira
Encha-se de alegria

Teus castelos, teus tesouros
Lá bem no alto da Serra
E no Castelo dos Mouros
A história que ele encerra

José Matos
 
Sintra Encancantada

A Primavera

 
Abri a janela, ao me levantar
E ouvi uma linda sinfonia
Eram os passarinhos a cantar
Nesta manhã a anunciar
Chegou a Primavera, que alegria

Flores e campos para contemplar
De manhã até ao fim do dia
A Primavera voltou, para alegrar
E todos cantemos, um hino de alegria
E assim a vida encher e nos encantar

Esta estação do ano é a mais linda
Tudo em redor é pura magia
As outras estações do ano, ainda
Têm outra beleza que nos contagia
Com seus encantos e poesia

Vamos todos unidos festejar
Chegou a encantada Primavera
Vamos cantar, dançar e admirar
Tudo em nosso redor é a Primavera
Vamos sorrir , viver e AMAR

José Matos 21.03.11
 
A Primavera

Alentejo Minha Paixão

 
Meu Alentejo, dourado
Por ti, eu tenho paixão
Serás sempre recordado
E por mim, sempre amado
Tu estás no meu coração

Te vejo com alegria
Teus campos, são uma beleza
Sempre recordo, aquele dia
Da tristeza que sentia
Ao partir, tenho a certeza

Vim aqui para a cidade
Minha vida organizar
Mas com profunda, saudade
Recordo minha mocidade
E dos pássaros a cantar

Alentejo, minha paixão
Ò terra, que me viste, nascer
Recordo com emoção
Essa tua tradição
Nunca te irei esquecer

José Matos
 
Alentejo Minha Paixão

Borba terra de encanto

 
Borba terra de encanto
 
Borba Terra de Encanto

Borba, tu tens encanto
Cidade alentejana
Campos vestidos de branco
De mármore és soberana

E do seio da terra o teu ouro
Esse ouro que é branco
Que também é um tesouro
E vê-lo é um encanto

É recebido com carinho
Quem Borba, vier visitar
E o seu famoso vinho
Tem mesmo de o degustar

Os queijos aqui afamados
Aqui desta região
Em Rio de Moinhos fabricados
Na sua mesa se servirão

O teu puro e fino azeite
Da azeitona aqui produzido
Temperar com ele um deleite
Qualquer prato é bem servido

Até Condes, te escolheram
Nesses tempos do passado
E aqui também viveram
Ilustres e povo honrado

José Matos, 03.06.14
( minha homenagem à cidade de Borba)
 
Borba terra de encanto

Rio Mira

 
Rio Mira

Rio Mira, és de encantar
Cheio de encanto e beleza
Em Milfontes, vais pr´o mar
Nesta vila que é princesa

Neste nosso litoral
Que a nossa Odemira, tem
Tão belo de Portugal
Que nos encanta também

Rio Mira te vai beijar
Junto a ti com fervor
Odemira, fica a sonhar
Radiante do teu amor

Desde a serra, até ao mar
As voltas que o Mira, tem
Lá vai a serpentear
Nos campos e vales também

José Matos
 
Rio Mira

PARA TI EU CANTO

 
Para ti eu canto
Meus versos de Amor
Porque és um encanto)Bis
És como uma flor)Bis
Bela e perfumada
Quero o teu Amor)Bis
P´ras seres minha amada)Bis
Quero o teu carinho
Princesa encantada)Bis
Sou teu princepezinho)Bis
Ardente em paixão
E eu aqui sózinho)Bis
Nesta solidão)Bis
Que me agonia
E o meu coração)Bis
Quer ter alegria

José Matos
 
PARA TI EU CANTO

Amizade

 
Amizade

Amizade
Se ela é bem verdadeira
E onde não há falsidade
Nem que venha a tempestade
Ela dura a vida inteira
É diferente do amor
Porque ele pode acabar
E nos deixa em tremor
E também a chorar

Amizade
Ela é como tesouro
Ela não escolhe idade
E assim com sinceridade
Vale mais que o ouro
Num coração bem guardado
Vai ficar de noite e dia
Ele vai ser consolado
Com a amizade que o guia

Amizade
Difícil de encontrar
Com tanta lealdade
E quando for precisar
De um ombro para chorar
Um abraço tem então
Nesse momento de amargura
E o que parecia a noite escura
As trevas dissiparão

Amizade
Que ela seja mantida
Sem qualquer adversidade
E com muita humildade
Faz falta na nossa vida
Alimenta a nossa alma
Nos dias que vivemos
Um carinho nós teremos
E a nossa vida acalma

José Matos 14.06.2016
 
Amizade

José Matos