Poemas, frases e mensagens de Flict

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de Flict

PARALELAS

 
PARALELAS

Ela vivia no Gerúndio
Correndo
Sofrendo
Acreditando
Chorando
Temendo
Querendo
Chegando
Partindo
Morrendo

Ele inseguro, no Pretérito Futuro
Esperaria
Tentaria
Insistiria
Pensaria
Falaria
Amaria

Assim, é imperativo
Que nunca vivam
O Presente do Indicativo
 
PARALELAS

MARGEM

 
MARGEM

Pra onde foi o caminho que um dia passou por mim?
Seguiu só sua caminhada
Deixei-o ir...
Não sei por que o fiz
Se tudo que eu mais queria era partir
Pra onde foi o caminho que um dia passou por mim?
Será que vaga sozinho...
Que rota terá tomado?
Pra onde foi o caminho que até pensei que era meu?
Talvez, esteja distante num outro tempo e espaço
Quem sabe?
Enquanto eu quase perdida nesta encruzilhada busco a rota a ser tomada
Por onde anda o caminho que por aqui passou?
Talvez, fosse o tal destino que de mim desencontrou
 
MARGEM

CONSPIRAÇÃO

 
Conspiração

Alguém
Algum dia
Alguma hora
Alguma vez
Algures
Dirá algo
Alhures
Algoz de alguém
 
CONSPIRAÇÃO

ROLA A BOLA MENINO

 
ROLA A BOLA MENINO

Rola a bola menino
Que seu tempo de criança
É tão pequeno quanto o meu
E antes que ela escape
E outro destino ache
Esse tempo se perdeu
 
ROLA A BOLA MENINO

PODER MAIOR

 
PODER MAIOR
Não há no mundo poder
que nos consiga impedir
a alma de perceber
que é dever de quem vive:
Viver
E Deixar
VIVER!
 
PODER  MAIOR

INTERROGAÇÃO

 
INTERROGAÇÃO
Há tantas vidas,em cada vida,tecendo urdida malha
e só nos damos conta da existência migalha
Há riquezas de fatos,tomadas de decisões;
circunstâncias que impedem ou aprovam ambições...
Caminhos intrincados,obstáculos agregados,
escolhas convenientes...
Erros acertados,acertos desbaratados
Decepções indigentes
Rumos amaldiçoados
Vitórias inesperadas
Choques de acontecimentos
Fatalidades travadas,covardemente entalhadas,
no impiedoso tempo
Virtudes abandonadas
Qualidades exacerbadas
Dissimulados defeitos...
Tantas vidas eclodidas,
perdidas,
renascidas,
revolvidas num só corpo...
...e ninguém dá conta delas?
Por qual?
Por qual,se chora o morto?
 
INTERROGAÇÃO

LUZ

 
LUZ
Conta-me tuas aventuras
Dize-me o que procuras
Lá...
Tão dentro de nós!
Fala da ansiedade!
Faze-me entender a vontade
que extrapola os limites
e alimenta a tua coragem
Obedeces a esta engrenagem
que no teu peito arde
e que a mim...me faz covarde
e a ti...
-poeta faz!
 
LUZ

QUEM QUER CASAR?

 
QUEM QUER CASAR?
Castanha e lisa cor
cobre teu corpo brilhante!
Com graça desconcertante
caminhas por toda parte
Perscrutas meio assutada...
mas segues as coordenadas
do teu destino inconstante
Provocas os meus sentidos
e à embriaguez te condeno
(usando do meu veneno)...
Eu sei que tu não me escapas:
-Inda mato estas baratas!!!!!
 
QUEM QUER CASAR?

AOS POETAS

 
AOS POETAS
Conta-me tuas aventuras
Dize-me o que procuras
Lá...
tão dentro de nós!
Fala da ansiedade!
Faze-me entender a vontade
que extrapola os limites
e alimenta a tua coragem
Obedeces a esta engrenagem
que no teu peito arde
e que a mim...me faz covarde
e a ti...
poeta faz!
 
              AOS POETAS

A PERGUNTA QUE NÃO CALA

 
É tarde...
Inútil é buscar a verdade que a origem perdeu
Quando a morte não desculpa...
A vida se culpa e perde a razão
Tantos atos insanos...infinitos...desumanos...
Não se esgotam no tempo
Diante das evidências,onde as consciências?
A quem o remorso corrói?
Dói, uma dor inaudita!
- Dor - a palavra maldita
que não cala
que não fala
que não se dilui na memória!
O silêncio se expande
A vida se abre em chagas!
Pelo Universo em pranto, ecoa em todo canto
a pergunta:
- Por que matas?
 
A PERGUNTA QUE NÃO CALA

O RELÓGIOI

 
O RELÓGIO

Dezoito horas!
Os ponteiroe dividem o mostrador
Não dividem o tempo

Mesmo fracionado por nossas investidas
Na complexidade do espaço de uma vida
Nada detém o tempo que invisível se move
Na face sem olhos
o relógio frio
marca um tempo intermitente
O tempo quase febril!
O curto tempo da genre!
 
O RELÓGIOI

CONFIDÊNCIAS

 
CONFIDÊNCIAS
Não gosto quando as coisas calam
Gosto quando as coisas falam,,,
falam coisas(sem medo)
Gosto quando as coisas falam!
Falam coisas que calam... dentro de mim!
 
CONFIDÊNCIAS

MOLECAGEM

 
MOLECAGEM
O vento passou por mim...
Soprou-me um segredo!
Como eu não entendi
e fugi cheia de medo...
Ele (desencantado com a minha reação)
tentou levantar-me a saia
que segurei com as mãos
 
MOLECAGEM

MINHA ORAÇÃO

 
MINHA ORAÇÃO
Nossa Senhora dos Desenganos
Dos descaminhos humanos
Senhora dos esquecidos
Senhora dos que padecem
Dos que não merecem prece
Senhora dos desvalidos!
Senhora dos sem fronteiras
Senhora dos sem raízes
Senhora das meretrizes!
Senhora dos inconcientes
Senhora dos inclementes
Senhora dos infelizes!
Senhora dos injustiçados
Senhora dos mal-amados
Senhora dos desalmados
Senhora dos que não dizem...
Senhora dos que proclamam
Senhora dos que profanam
Senhora dos que bendizem
Senhora dos que desvelam
Senhora dos que velam
Senhora dos que esperam
Dos que se desesperam
Senhora das cicatrizes!
Senhora das pegadas jamais apagadas..,
Senhora da Luz!
Senhora da Clemência...
Perdoe-me a impaciência!
Devolva minha cruz!
 
MINHA ORAÇÃO

PREMONIÇÃO

 
PREMONIÇÃO

Placidamente observa como quem enxerga além do que vê
Como alguém que consegue sentir algo que está para acontecer
Como quem sabe a verdade e sem temor a espera
Como alguém que cansou de enfrentar a fera!
Não há em sua expressão nem a culpa, nem o perdão, nem medo, nem aflição
Seus olhos pousam distantes...
Nem ele sabe o porquê!
Pra que!
E onde!
 
PREMONIÇÃO

CÓDIGO

 
CÓDIGO
Ó DOCE FLOR DO LÁCIO!
SE LHE FIZ CARINHO
(POR AMOR O FAÇO)
FI-LO PORQUE A DISTÂNCIA FÊ-LA SEM RUMO
SALVA-LHE O PRUMO - A RAIZ!
FÁ-LA FORTE!
FÁ-LA NOBRE!
FÊ-LA ANTAGÔNICA...
NUNCA ANACRÔNICA!
Ó DOCE FLOR DO MEU PAÍS!
 
CÓDIGO

DESFUTURO

 
DESFUTURO

Tanto medo do futuro!
Tantas consultas... presságios...
O presente esperando
Invocando tua coragem
As coisas acontecendo...
E tu?
Olhando da margem!
 
DESFUTURO

LÁGRIMA

 
LÁGRIMA
Ah!Lágrima solitária...
Quem tu queres encontrar?
Se buscas as minhas lágrimas,um rio vai se formar
Cuidado que a correnteza vai levar-te ao oceano
Não busques a companhia do profundo desengano
Sê a lágrima da alegria...
Não do sofrimento humano!
 
LÁGRIMA

SENTENÇA

 
SENTENÇA

Quando estou assim,sozinha...
A sós comigo,o silêncio
ouço ruídos escuros,todos vindos de dentro
Ouço vozes que sussurram canções
que não cantam mais

Ouço gritos abafados:
soluços, suspiros, ais!

Quando estou assim,no escuro...
Tateando pensamentos...
Vejo luzes acenderem dores dos meus sofrimentos
Quando estou assim comigo
gozo da minha presença

As ausências,os meus túmulos
são juízes da sentença a que estarei condenada
a que nunca escaparei:
- VIVER SOZINHA COMIGO -

Terei que cumprir a lei!
 
SENTENÇA

PUNHAL

 
PUNHAL
Dá~me!
- Uma palavra!
Bem...de - va - gar...
Uma palavra sussurrada len- ta- men- te.
Uma palavra semente
Uma só...
Por sorte colhida para ganhar a vida
numa intenção

Uma palavra!
Uma idéia que se cala
quando se omite a palavra,
por medo ou devoção
Uma palavra trocada,invertida,indecisa,
obscura,pasma, humilhada
orgulhosa...
Cúmplice incestuosa de desonrada raiz!
Uma palavra perdida,perigosa,derivada...
Apenas uma palavra condenada
ou uma palavra frutuosa,
mencionada
v-a-g-a-r-o-s-a!
Cultivada
Só uma palavra
Uma palavra
Só.
 
PUNHAL