Poemas, frases e mensagens de cido

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de cido

INSIGNIFICÂNCIA

 
 
INSIGNIFICÂNCIA

Uma vez me fiz uma pergunta
Qual o significado da existência
O sentido de tudo isso
Quando terei a resposta?
Estando a esperar há muito tempo

Sim, sim estou a esperar.
Sim, sim estou a procurar.

O significado da alegria
Nesse mundo triste
As cores que enfeitam, colorem.
Uma vida de preto e branco
Só ouvindo o silencio predominante,
Confundindo os pensamentos

Caminhando na chuva e tentando ver o sentido
De estar molhado
A verdade e que o vazio às vezes e uma saída
E a solidão é a melhor companhia
Mas o tempo parece não passar

Sentindo o cheiro mais não consigo
Desvendar o perfume
Talvez seja da simplicidade do arbusto
Ou da exuberância matinal
Escondendo entre a neblina

Quando os olhos se abrem
Tudo já ficou para trás
E mais no vazio sou arremessado
Perdendo as respostas com mais perguntas
E a felicidade acaba censurada

De tudo que tenho não sou dono
Que me pertence somente o dia
E o escurecer das noites
A vida é só um acaso passageiro
Que acaba depois de amanhã
Dando menos sentido ainda

Tudo isso é um risco no chão
Esperando o vento apagar
A verdade não existe
Somente um mundo de mentiras...

Aparecido luís Ferreira
 
 INSIGNIFICÂNCIA

YARA

 
 
YARA

Yara por mais que o tempo passe rápido,
A vida sempre segue rumos naturais
Respeitando seus próprios momentos.
Assim como tudo em seu devido lugar
Criando um degrau a cada dia
Refletindo a verdadeira face no espelho
Inconfundível que sãos as virtudes
Sinceras de o próprio ser
Tanto com tão pouco se faz o muito
Integridade que move a minoria
Na certeza de fazer a coisa certa
A fim de mudar a mentalidade
Fortemente conquistada ao longo do tempo
Erroneamente com suas certezas,
Remova tudo que foi dito
Reflita em suas próprias verdades
Entender não é saber, cogite suas incertezas.
Imensurável a ofuscação de seu brilho
Raridade que a torna única
A fim de caminhar para o ambicioso amanhã...

Aparecido Luis Ferreira
 
YARA

O MAIOR INIMIGO

 
 
O MAIOR INIMIGO

Do tempo, para o tempo, com o tempo.
Ontem que será do hoje chegante,
O invisível l marcador solitário
Que nega a morrer
Caminhante na escuridão.
Tormento do vazio silencioso
Do voar solitário, ó coruja noturna,
Sanguinário assassino que nata à noite
Devolvendo a vida tão cedo.
Da voz que ecoa no conflito
Amargo da verdade perturbadora
Pouca dita, nunca ouvida
Apenas falada aos sussurros.
Refugio das sombras
Em que o tempo passará mesmo assim
Como tudo, chegara o fim.
Indo para o mesmo lugar,
De onde surgem os sonhos e a veracidade
Onde se escondem os medos
Lugar não existente somente utópico
Uma fração de lugar nenhum
Insignificante, mais existente.
Simplesmente fragmentos
Feitos de tempo e poeira
Estando a flutuar no vazio tenebroso
Refletido na visão passageira do sentido
Riscado em meio à indecisão
Imparcial, do não saber e a agonia.
Remoendo das respostas faltantes
Assim o tempo impera sobre tudo e todos
Destruindo a si próprio
Sem que de conta
Enfraquecendo mais a cada dia
Tendo si próprio como seu maior inimigo...

Aparecido Luis Ferreira
 
O MAIOR INIMIGO

MINHA MÃE

 
Das vezes que caminhei
Imensa era a distancia que via
Acima o céu azul escondendo o tempo.
Da primavera o cheiro que predomina
As mãos firmes que me seguravam
Sempre que precisava
Mãe como é sufocante sua falta
Assim como seu cheiro
Escondido, confundido com as flores
Semeada com o vento que sopra
Mãe como o tempo passou depressa
Arrancando as lembranças,
Restando somente a saudade
Imagens que se tornaram sombras
Agarradas nos galhos da arvore do infinito
Plantada em minha memória
Alvejada pelo tempo caminhante
Uma lembrança sentida
Levada a dor da perda
Indo embora todos os dias
No vazio do mundo sem você
Onde os dias se perdem pelas mãos do tempo....

APARECIDO LUIS FERREIRA
 
MINHA MÃE

PARA SEMPRE

 
 
PARA SEMPRE

Sempre que o tempo continuar existindo
Isso significa que continuo vivo
Lembrando o significado do sentimento,
Verdadeiro de estar o seu lado
Inspirado nos momentos contidos na felicidade
Assim continuando a viver constantemente a cada dia...
 
PARA SEMPRE

TEMPO

 
TEMPO

Caminhando para o infinito
Alem da imaginação racional
Muito mais do que alcance tentado
Indo para o começo de um tempo
Não vivido mortalmente
Haverá um tempo esquecido esperando
Os olhos abrirem na manhã seguinte
Surgindo de um tempo ainda não compreendido
De fantasias ainda não usadas
Olhos que vêem as cores diferentes em
Telhados manchados de tempos e
Esquecimento silencia anônimo.
Muros que cercam a invisibilidade
Passante e as sombras deixando caminhantes
Onde o tempo se encontra com o esquecimento
Aridez que descansa o corpo vivido
Permanecendo entre as lembranças oriundas
A mercê da decomposição lenta e
Radical do tempo caminhante
Escondido entre o compasso do relógio
Caminhando ao lado sempre distante
Influenciado pela determinação restante
Deixando o começo para viver o final
Onde serão ditas as respostas faltantes

Aparecido Luis Ferreira

TEMPO

Caminhando para o infinito
Alem da imaginação racional
Muito mais do que alcance tentado
Indo para o começo de um tempo
Não vivido mortalmente
Haverá um tempo esquecido esperando
Os olhos abrirem na manhã seguinte
Surgindo de um tempo ainda não compreendido
De fantasias ainda não usadas
Olhos que vêem as cores diferentes em
Telhados manchados de tempos e
Esquecimento silencia anônimo.
Muros que cercam a invisibilidade
Passante e as sombras deixando caminhantes
Onde o tempo se encontra com o esquecimento
Aridez que descansa o corpo vivido
Permanecendo entre as lembranças oriundas
A mercê da decomposição lenta e
Radical do tempo caminhante
Escondido entre o compasso do relógio
Caminhando ao lado sempre distante
Influenciado pela determinação restante
Deixo o começo para viver o final
Onde serão ditas as respostas faltantes

Aparecido Luis Ferreira
 
TEMPO

odicerapA e aivliS

 
 
odicerapA e aivliS

Sempre a vejo mais bonita
Imaginando o tempo voltar
Levemente levantando-me
Vivendo outra vez, o seu lado.
Imagens presas nas noites
Assim ouvindo o som do silêncio
Rompendo o pensamento distante
Entre o grito estridente do não saber
Grande é o vazio sufocante
Inalterado sua imagem
Não importando o passar do tempo
Assim ligeiramente o faz inimigo
Derradeiro, aliado dos momentos,
Alvejando de sentimentos singulares
Sem se preocupar que o dia termine amanhã
Invisível ao toque, mas presente.
Leve a brisa passante e o sossego do,
Voar das mariposas
Atraídas pela tímida luz do candeeiro
As vozes sussurrantes quebrando o
Pulsar silencioso do relógio
Acordando-me em seus braços
Resultante de valores imprescindíveis
Em que sacia a sede de seus beijos
Como a fome de seu corpo
Imagem expressaste de seu olhar
Deixando ofegante
Oriunda de uma noite de romântica...

Aparecido Luís Ferreira
 
odicerapA e aivliS

SEMPRE A MEU LADO

 
 
A MEU LADO

Triste amiga que sorri a toda hora.
Ó morte que caminha a meu lado
No vazio, silencioso estejas presente.
Do semblante pálido do sol de outono
Derradeiro fio de luz que brilha entre as arvores.
Ó morte com sua sombra silenciando tudo
Oportunista e leal ao seu proposito
Alimentando-se da dor e sofrimento dos vivos
Parando o tempo em que a vida caminha
Apagando a existência e secando as lagrimas
Respingadas no chão pueril,
Envelhecido e ressecado pelo sol ardente
Caminho que se rende a forças vitais
Indo embora onde se transforma em trevas
Da nobre vida que se leva o segredo
Onde o gosto amargo absolve o veneno,
Largando o corpo esvanecido
Usando da dor, o castigo.
Imposto por viver e dar a vida
Sombra da luz quase apagada,
Feita de mais morte e silencio
Em que tudo começa de um nada tão modesto,
Repentino, sumindo ilogicamente.
Restando a duvida imprescindível
Emoldurada com o vazio predominante
Imagem em que a visão se destorce
Resultando em um significado não plausível
Assim dando origem a vida,
Escondendo por trás da terrível morte
Inevitável e costumeira
Que tudo se consuma a seu tempo
Despida de valores ou barganhas.
Ó morte que varre os sentimentos
Enganando com sossego, fazendo cair em seu sono,
Escondido em sonhos eternos
Vagando em um labirinto as margens da meia noite
Esperando que as cordas se rompam e nos lance eu um vazio
Que tudo acabe como comece de um nada predominante...

Aparecido L. Ferreira
 
SEMPRE A MEU LADO

MOMENTOS

 
 
LEMBRANÇAS

Ainda lembro por um momento de seu toque
A vastidão desses momentos que silencia
Que resta é a solidão escondida entre as paredes,
E o vazio toma conta de meus de meus pensamentos
Fico observando a neblina tomar conta de tudo.

Espero que apareça ao amanhecer
Deixo que o tempo caminhe a meu lado.
Mais sempre que o sol aparece é um novo dia
E mais uma vez não vejo sua volta,
E retorno a meu refúgio solitário
Com esperança que esteja no amanhã

Ainda lembro por um momento de seu toque
A vastidão desses momentos que silencia
Que resta é a solidão escondida entre as paredes
E o vazio toma conta de meus de meus pensamentos
Fico observando a neblina esconder minha visão.

Observo sempre que acordo, seu sono tão sereno.
Tento guardar esses momentos
Mais sempre somem de minha mente
E acabo me esquecendo de tudo outra vez,
Mais sei que estará aqui amanhã novamente

Ainda lembro por um momento de seu toque
A vastidão desses momentos que silencia
Que resta é a solidão escondida entre as paredes
E o vazio toma conta de meus de meus pensamentos
Fico observando a neblina esconder minha visão.

Sempre que acordo com você
Sinto que não preciso lembrar-me de ontem
Confiando que amanhã voltara
Não preciso de lembranças, quando estou com você.
Meus pensamentos caem no esquecimento
E fico feliz nesse momento....

Ainda lembro por um momento de seu toque
A vastidão desses momentos que silencia
Que resta é a solidão escondida entre as paredes
E o vazio toma conta de meus de meus pensamentos
Fico observando a neblina esconder minha visão.
 
MOMENTOS

BATALHAS

 
 
O céu hoje acordou vermelho
Da derrota do conhecimento
Imagino a vida que some a minha frente
Caminho entre os mortos
Estou a ressurgir das cinzas
Restos de homens de guerreiros
A fim de provar a verdade
Pouco a pouco me afasto
A caminhada chega ao fim
Seguro a bandeira da vitória
Imaginando o preço da conquista
U ma espada que seguro firme em minhas mãos
Lembro dos gritos de momentos de terror
A vida consumindo a vida
Relâmpagos que cartão os céus
Imagino o sangue que molha a terra
Estou a pisar nas sombras da guerra
Respirando o suor das batalhas
Recuperando a vontade de andar
Estarei a balançar o estandarte da vitória
Feita com o sangue de homens guerreiros

APARECIDO LUIS FEREIRA
 
BATALHAS

PARA SEMPRE

 
 
Agora consegui minhas forças,
Para caminhar entre o fogo e o gelo
Assim estarei á seu encontro
Restando o dia incendiar
E a noite enegrecer.
Como o hoje passageiro
Indo embora assim tão repentino,
Devaneio em meus pensamentos
O louco mundo paralelo que vivemos
Lembro-me de uma voz lá no fundo
Unida de dor e sofrimento
Indo cada vez mais para o fundo
Sem olhar para traz
Fracassando com meus pés já cansados
Enfrentando a dura caminhada
Retornando assim com minha dor,
Refugio da vida solitária
Em nenhum momento parando para pensar
Imagem que estampa os dias .
Restando somente o frio das noites,
Assistida pela vida levando mais um pouco de mim...

Aparecido Luís Ferreira....
 
PARA SEMPRE

FICANDO SÓ

 
 
ESTANDO SÓ

Ei você ainda esta ai?
Vou falar um pouco mais hoje,
De como foi difícil meu dia
Tento dizer um pouco mais de mim
Antes que fico louco e engasgue com as palavras
Falar de como a vida é insignificante,
E a verdade é dolorida, esmagadora.
O tempo fugas e a esperança distante
Que fez o dia nascer do mesmo jeito,
E me esquecer de outra vez estar solitário.

Realmente o sofrimento existe
Agora estou sentido na pele
Sua falta, e como é difícil esse sentimento.
Sou tão homem de confirmar isso
Só espero que esteja ouvindo.
Tão longe que esta daqui
Ouso a chuva cair
E as vozes ao fundo a gargalhar
Do tempo que se foi,
E a vida passou tão depressa
Não sei por que quis isso
Fui tão tolo de perder você.

Alô isso é tão surreal
Estou tão tremulo
Ao falar no telefone, de ouvir sua voz
De não estar com você
Assim vivo ate esse momento
Remoendo tudo que não fizemos juntos
Penso nisso todas as manhãs
Sei que não da mais tempo
Mais tudo foi bom um dia

Espero que tenha existido
Algum momento que não tenha se arrependido
De termos nos conhecido,
Teve momentos bons
Isso você não poderá tirar de nós
Foi algo lindo que teve entre nós
Não pode ignorar isso
Quero ter mais uma chance vou te esperar
Nem que seja ate o ultimo dia de minha vida

Realmente o sofrimento existe
Agora estou sentido na pele
Sua falta, e como é difícil esse sentimento.
Sou tão homem de confirmar isso
Só espero que esteja ouvindo
Tão longe que esta daqui
Ouso a chuva cair
E as vozes ao fundo a gargalhar
Do tempo que se foi
E a vida passou tão depressa
Não sei por que quis isso
Fui tão tolo de perder você

Realmente o sofrimento existe
Agora estou sentido na pele
Sua falta, e como é difícil esse sentimento.
Sou tão homem de confirmar isso
Só espero que esteja ouvindo
Tão longe que esta daqui
Ouso a chuva cair
E as vozes ao fundo a gargalhar
Do tempo que se foi
E a vida passou tão depressa
Não sei por que quis isso
Fui tão tolo de perder você

Aparecido Luis Ferreira
 
FICANDO SÓ

SÓ PENSAMENTOS

 
SÓ PENSAMENTOS

Vendo a vida como um livro
Misturado entre cores e linhas
Subindo as escadas vendo o mundo diferente
Mais lento que o normal um pouco embaralhado
Folhas se misturando com as aves rasantes
Um balé de meninas exuberantes
Sentindo fazer parte desse momento
Ficando observando entre as arvores
Sentindo a lua tão pequena
Pegando-me com um silencio tão musical
Cegaste céu azul infinito
Estando preso em uma gravura
O tempo que não passa
Vendo a sombra de balé indo embora
Prendendo a vida em meus braços parada ali
Andando ate o fim da margem
Pelo tempo se escorre
Anoitecendo o dia caminhante
Remando em meio à tranqüilidade
Esquecida do resto do mundo
Como um tempo retro cedente
Indo ate o começo de tudo
Devorando o instante chegado
Oriundo de lugar nenhum......

Aparecido L. Ferreira
 
SÓ PENSAMENTOS

CHUVA

 
 
CHUVA

Chuva que molha a terra nua
Horizonte que desafia os olhos
Umedecendo os olhos seco de pó
Varrendo a planície longínqua e costumeira
Alagando caudalosamente o leito escondido
Que o fara exposto e perigoso,
Utópico a visão esclarecedora.
Exuberante aos olhos já cansados
Expressivo com seu poder limitado
Sossegado em suas curvas
Começando o desespero mais adiante
Onde ficam as pedras
No fim se desaba em finas gotículas
De onde tudo começa novamente
Escondendo entre fendas
Assim guardando as sobras preciosas
Selada pelo tempo corrente
Límpida e paciente
Alagando o seleiro da vida
Generosamente a faz prisioneira
Respingando entre as cavernas entrevadas
Invadida pelo sol pálido de inverno
Manso regato que a trás novamente
Alagando o desespero da seca
Simplesmente fazendo um verde loco...

Aparecido Luis Ferreira
 
CHUVA

POR MAIS QUE CAMINHE

 
 
POR MAIS QUE CAMINHE

Por mais só que pareça
A vida se encarrega de existir,
Ruinas que desabam bagunça o silêncio
Alvejando o escuro tão comum
Invasor do vazio costumeiro,
Sem que o paraíso perdido se exponha
Onde o tudo se repousa,
Silencioso entardecer que traz o
Perturbador caminhar das estrelas
Em que o somo se torna sonhos
Refletindo na visão contraria,
Dissolvida por mistérios oriundos
Invasor de memorias perdidas
Dando origem as formas mais simples
Ancorada em trevas eternas,
Perturbador som do silêncio sendo
Atropelado pelo sussurrar do trovão repentino
Riscando a noite, dando origem a tempestade.
Esquecida entre as montanhas pontiagudas
Começo de lugar nenhum, preso em um tempo.
Imaginário que ainda não chegou
De um mundo que nunca existiu
Ou de um momento que já passou despercebido
Invisível, que se prende ao lento caminhar do tempo,
Maestro silencioso de acordes profundos
Anunciando a morte certeira
Guardada no baú destrancado as palavras
Imaginarias de um livro interrupto
Nunca discutido, de um passado.
Abandonado pelo poderoso e inexistente tempo
Relógio que nunca retrocede
Indo mais e mais para o infinito
Aonde tudo chegara e si perdera em um vazio sombrio...

Aparecido L Ferreira
 
POR MAIS QUE CAMINHE

sono gótico

 
 
SONO GOTICO

Enegrecida noite
Gritos desgarrados ecoam entre
Os famigerados pelo sono
A lamina brilhante, de uma faceta diamantada.
Segante e continua estando a cortar a neblina densa,
O bater ensurdecedor do martelo
Forjando a humanidade.
Enegrecida noite que rouba o dia
Que liberta o corvo dominante,
O som já gasto de vozes sussurrantes
Vestígios da dor cortado pelo açoite,
O cervo que se liberta e desarruma o caminho
Revelando o sétimo circulo onde os mortos vagam
Entonando o decimo terceiro canto
Escondido no sombrio lamentar,
Um tempo passando paralelo
Ao fim do mundo, congelando o momento.
Enegrecida noite que domina o tempo
Assombrando os viajantes desprevenidos
Esquecidos entre os degraus,
Que levam a lugar nenhum
Que se perdem no vazio da historia.
Enegrecida noite, ao fechar os olhos.
O sentimento congela, onde descanso.
Onde a eternidade me faz companhia
Engolindo os sonhos,

Aparecido luis Ferreira
 
sono gótico

vida

 
 
Vida que será a vida
Espere um momento, só um momento.
Vou rever as opções
De correr ou ficar aqui
Sério tem esse momento para refletir
Refletir sobre tudo
Sobre a vida
Sério tem esse momento para cada um
Amanhã terá que decidir
Como vai aparecer durante
O frio congelante e o fogo abstrato
Como viajarei para ao sono
Das ideias flutuantes
E do saber enigmático
A todo tempo ouso coisas
Quem nem sempre sei
Que querem dizer
Tem que ter um fim para tudo isso
Sério tem esse momento para refletir
Refletir sobre tudo
Sobre a vida
Sério tem esse momento para cada um
Sinto tudo voar
A vida nem sempre é uma festa
Trouxe-te aqui para ser alguém
Alguém que realmente exista
E lute por um ideal verdadeiro
Vão rir mais também irão chorar
Estarei aqui ate o fim
Mesmo que não faça nenhum sentido
Sério tem esse momento para refletir
Refletir sobre tudo
Sobre a vida
Sério tem esse momento para cada um
A vida talvez seja uma grande farsa
Deve acreditar no vazio que são
Os sonhos ou a realidade
Que compõe os dias
A tudo se deve uma explicação
Nem sempre logica
A todo tempo ouso coisas
Quem nem sempre sei
Que querem dizer
Tem que ter um fim para tudo isso
Deverei desfrutar das tardes silenciosas
E do gosto amargo do não saber
O que de verdade será tudo isso
E porque tudo isso
Finalizando de um modo muito estranho...

Aparecido Luís Ferreira
 
vida

SILENCIO

 
 
Às vezes ouso conversa
Que nem sempre sei o querem dizer
Mais sei que é comigo, nunca me engano assim.
Enquanto isso o sentimento me pregar peças
Sempre sou o primeiro a sair das festas
E o que sobra é as fofocas e o meu lamentar
O silencio e a solidão é minha companhia
Assim termino as noites solitárias
Mais quando resolvo

Jogo tudo para o ar
E saio sem rumo
Procurando você em um beco escuro
No vazio de um cimenteiro esquecido,
Corro as ruas sem fim
Perdendo o somo e ficando confuso
Caindo na real que não voltara mais
Perdi-te,
Tao vez para sempre,
Perdi-te...

Quando volto em si
Vejo-me em frente ao espelho
Mas nunca sei como cheguei a casa
E fico pensando horas sem fim,
Mas tenho uma leve impressão
Que toda vez estou em segurança
Eu tenho alguém que ainda esta por perto
Mas nunca saberei quem é?
Estou com sorte?
Ou é só mais uma
Mais uma anônima,

Jogo tudo para o ar
E saio sem rumo
Procurando você em um beco escuro
No vazio de um cimenteiro esquecido,
Corro as ruas sem fim
Perdendo o somo e ficando confuso
Caindo na real que não voltara mais
Perdi-te,
Tao vez para sempre,
Perdi-te...

Em minha memoria
Sempre passa o mesmo filme repetidas vezes
Eu estou a duvidar de minha sanidade
Estou ficando louco
Este tempo que não passa
E o filme que nunca chega ao fim

Jogo tudo para o ar
E saio sem rumo
Procurando você em um beco escuro
No vazio de um cimenteiro esquecido,
Corro as ruas sem fim
Perdendo o somo e ficando confuso
Caindo na real que não voltara mais
Perdi-te,
Tao vez para sempre,
Perdi-te...
Tao vez para sempre...

Aparecido Luis Ferreira
 
SILENCIO

AMARGURADA SECA

 
Al ver o tempo passar
Vento que varre, assola o rosto
Impriguinado de pó
Da ceca persistente
A vida no sertão
Que o tempo parou
Unindo ainda mais as raízes
Escondido no longínquo horizonte
Casebre de terra batida
Assim a vida os vive,
Mais um dia
Imagem frágil que fortalece o apego,
Na terra queimada pelo sol
Hoje sempre imitando ontem
Amargurada ceca, que nem as lagrimas,
Contem os olhos
Onde o barulho ensurdecedor do silêncio
Me faz companhia
A solidão é tanta que ouso meu coração bater
Mesmo assim vejo o colorido
Onde repouso em meus sonhos
Restando somente a caminhada
Temporária
E o sonho de verdejantes colheitas...

Aparecido Luis ferreira 29/05/2014
 
AMARGURADA SECA

TEMPO

 
 
TEMPO

Esse é meu tempo
Dedicado a você
Devo a você um tempo esquecido
Distancia que não enxergo
Nem esqueço
Será que foi um sonho
Vejo a sombra chegar ao entardecer
À noite levando tudo
Minha voz se cala mais uma vez

A agonia de estar sem você
Espero todas as tardes....
Mesmo assim estou preso
Mais um dia
Preso a minha solidão
Parte do esquecimento
Que me persegue
Sei que estará
Mesmo que seja
Em meus sonhos
Em meus pensamentos
Fico a esperar

Não adianta que o dia chegue
E a tempestade se dissipe
Mas chuva lavara minhas lagrimas
E o sol voltara a brilhar
O vento que arrepia meu corpo
Tenho medo que não
Chegue o dia novamente
Fico tremulo só de pensar

A agonia de estar sem você
Espero todas as tardes....
Mesmo assim estou preso
Mais um dia
Preso a minha solidão
Parte do esquecimento
Que me persegue
Sei que estará
Mesmo que seja
Em meus sonhos
Em meus pensamentos
Fico a esperar...

Suas palavras sempre me acalmam
O som da solidão
Quebrado pela sua voz
Acredito por um momento
Que ainda podemos ser amigos
Que possa contar com você
E apenas ficar do seu lado
Sem que prometa nada
Cinto meu dia completar
E aprecio o dia nascer novamente...
Assim vejo a vida passar a minha frente...

Aprecido luis ferreira

28/06/2015
 
TEMPO